A Prefeitura de Teresina inicia, nesta segunda-feira (2), o trabalho dos reeducandos do Sistema Prisional na Operação de Combate à Dengue.

Os reeducandos atuarão na limpeza das escolas e creches municipais, com Equipamento de Proteção Individual (EPI), ferramentas, alimentação, água e transporte fornecidos pela Prefeitura de Teresina.

O coordenador da Operação, secretário Edmilson Ferreira, frisa que os reeducandos não entrarão nas residências, pois essa parte do trabalho será realizada pelos agentes do Centro de Zoonoses e pelo Exército.

A Operação de Combate à Dengue teve início no dia 18 de abril e reúne vários órgãos da Prefeitura, como a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), que coordena a ação, as Superintendências de Ações Administrativas Descentralizadas (SAADs), a Fundação Municipal de Saúde (FMS), a Secretaria de Educação (SEMEC), a ETURB (Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano), SEMCASPI (Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas), Defesa Civil e a Secretaria de Comunicação.

A Prefeitura conta ainda com a parceria da Secretaria de Justiça, que enviará os reeducandos necessários para o trabalho, e do Exército, que será treinado pelas equipes do Centro de Zoonoses para identificar focos de dengue dentro das residências.

“Ressaltamos que essa é uma ação integrada, inédita, pensada para combater o mosquito de forma efetiva. Estamos usando todas as armas possíveis, como determinou o prefeito Doutor Pessoa”, declara o secretário Edmilson Ferreira, coordenador da Operação.

Uma coletiva de imprensa será marcada na segunda-feira, ao meio-dia, para que o gestor explique o cronograma de cada grupo envolvido na Operação. “No primeiro momento, vamos organizar as equipes, entregar os EPIs e as ferramentas, passar as informações necessárias. Depois eles vão começar o trabalho e aí, sim, vamos mostrar como será tudo. Estamos fazendo os ajustes necessários para que essa Operação aconteça da forma mais eficaz e pedimos um pouco de paciência da população e da imprensa nesse sentido”, finaliza o secretário.