Para acelerar as ações de Combate à Dengue em Teresina, o Exército aumentou o efetivo de militares nas ruas, de 30 para 80 homens. Os militares têm como missão visitar as residências em busca de focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e Chikungunya.

O trabalho dos militares é resultado da parceria entre o Exército e a Prefeitura de Teresina, firmada ainda em abril para intensificar as ações de combate ao mosquito. Para realizar a atividade, os militares passaram por um treinamento orientado pelo Centro de Zoonoses, da Fundação Municipal de Saúde.

No início de maio, o Exército atuou na Avenida Frei Serafim, visitando 184 imóveis, o que resultou na eliminação de 65 focos do mosquito transmissor da dengue. Também agiram no Residencial Jacinta Andrade, zona Norte da capital, ação que durou de sexta-feira (6) até a manhã desta segunda-feira (9).

No período da tarde, os militares iniciaram a visita às residências do Bairro Nossa Senhora das Graças. Após o término, passarão para os Bairros Vale do Gavião e Porto do Centro.

“Em nome do Prefeito Doutor Pessoa, manifesto sinceros agradecimentos da nossa cidade ao Exército Brasileiro. Esse engajamento dos militares do 25º Batalhão de Caçadores na Operação de Combate à Dengue é de fundamental importância para obtermos os resultados que precisamos”, declara o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Edmilson Ferreira, que coordena a Operação.

Na tarde desta terça-feira (10), será realizada uma reunião para que seja montado um comitê com representantes da SEMDUH, SAADs, Exército, SEMEC, SEMCOM, SEJUS e FMS para definir a programação semanal de limpeza e fiscalização.

“O Centro de Zoonoses (FMS), juntamente com a SEMEC, são os responsáveis pelo mapa epidemiológico das áreas mais afetadas e, portanto, mais urgentes. Por isso, eles definem quais as escolas que devem ser limpas primeiro pelas equipes de reeducandos da SEJUS e pelas equipes da CTA, que são gerenciadas pelas SAADs. O Exército e os agentes de endemias da FMS entram nas áreas mais afetadas, localizam e eliminam os focos e também realizam um trabalho de conscientização da população”, explica o coordenador.

Foto: Reprodução (TV Assembleia)