A imagem acima é da Rua Albertina, no Bairro São Francisco, zona norte de Teresina. As ações de limpeza são feitas com frequência no local, mas infelizmente, a população volta a sujar – às vezes no mesmo dia em que o local foi limpo.
Outro ponto semelhante é a Rua Oscar Clark, também na zona norte. A Prefeitura limpa semanalmente, já fez ações de conscientização e já instalou uma placa indicando que é proibido jogar lixo. Mas o problema persiste.
“Situações como essas prejudicam nossa cidade, nossa população e o meio ambiente. Temos aumentado a fiscalização e a multa pode chegar a R$ 4.070, mas ainda assim existem pessoas que teimam em jogar lixo nas ruas”, lamenta o secretário.
Mensalmente, a Prefeitura recolhe 16 mil toneladas de lixo despejado em local proibido. O gasto ultrapassa R$ 1,5 milhão por mês.
“Estamos tentando conscientizar a população, porque esse recursos seria melhor gasto em outras áreas se as pessoas respeitassem a lei. É proibido jogar lixo nas ruas, nas praças, nas calçadas… E nessa época de dengue, esse comportamento resulta no aumento dos gastos da saúde, já que ajuda na proliferação do mosquito, além de gerar risco de morte às pessoas, porque dengue mata”, alerta o secretário da SEMDUH, Edmilson Ferreira, que comanda as Operações de Combate à Dengue.
O gestor lembra ainda que calçadas, sucatas e terrenos baldios são de responsabilidade dos proprietários, que devem cuidar de seus imóveis. “Os terrenos devem ser limpos, murados e capinados pelos proprietários, sob pena de multa de R$ 958. As SAADs estão aumentando a fiscalização e a Operação de Combate à Dengue inclui a invasão desses imóveis, inclusive os que estiverem fechados”, informa Edmilson.