Dia Internacional da Dança: teresinenes utilizam a dança para movimentar corpo e mente

A dança é uma arte que tem o poder de mudar vidas. Celebrada internacionalmente nesta quarta-feira (29), mesmos com o atual cenário de calamidade pública devido a pandemia do novo coronavírus, amantes da dança e profissionais da área, continuam movimentando o corpo e a mente, como podem. Para eles, tentar definir a dança ainda é missão um tanto quanto complicada. Ela é cor, movimento e sentimento.

A estudante e dançarina Gabriela Cunha, ingressou no balé clássico ainda com 10 anos de idade, e aproveita o momento para cuidar do lado psicológico e emocional.

“Na quarentena, sempre que posso, danço músicas de ritmos diversos que me alegram, fazendo com que aconteça essa conexão entre corpo e mente; afim de ter um maior cuidado com minha saúde mental, já que esse momento pede uma maior atenção para com o nosso lado psicológico, emocional e também espiritual”, conta.

Diferente da estudante, os primeiros passos de Gabriel Arcângelo na dança, foram dados por influência dos amigos que se reuniam em presentações de k-pop (gênero musical originado na Coreia do Sul). Hoje, já profissional, participou de disputas como o Festival de Dança de Teresina (FestDança), realizado pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Municipal de Cultural Monsenhor Chaves (FMC). “Já competi em dois festivais e é uma oportunidade para muitos grupos e companhias pequenas e que não tem muito reconhecimento dentro da cidade de se mostrarem junto com sua dança. Hoje, para não ficar parado e já pensando nas futuras competições, preciso usar da imaginação pra os treinos ”, comenta.

A dança abraça a diversidade, e segundo o coordenador de dança FMC, Cassius Clay, tem papel fundamental na sociedade como fator de desenvolvimento pessoal e coletivo. “Nós que fazemos dança temos a sorte de ter uma cidade que ama dançar e apoia essa arte com muito amor, como falou um jurado dos jurados do Festival de Dança de Teresina uma vez: Teresina é um enorme celeiro de dança, não deixa a desejar a nenhum outro estado”, afirma o coordenador.

Com o isolamento social, as pessoas começaram a adaptar suas rotinas, seja elas de ensaios ou simplesmente para movimentar o corpo. Para Ramon Silva, nutricionista, a dança serve como válvula de escape, em um momento crítico. “Sempre gostei de dançar por dançar, e hoje, com a necessidade de manter a disciplina e se manter dentro de casa, colocar vídeos e aprender coreografias é um momento de fuga na quarentena, para não ficarmos parados e para que a mente não fique vaga”, comenta. 

Fundação de Cultura divulga selecionados do edital de Capacitação Cultural para Artistas 

No atual cenário de calamidade pública por conta da pandemia da COVID-19, a Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC) divulga a lista de selecionados do edital de Capacitação Cultural para Artistas. Ao todo, foram 1.298 inscrições.

Entre os inscritos, 789 estavam com a documentação correta exigida no edital e 509 com a documentação errada. A comissão selecionou 300 candidatos para receber o auxílio financeiro no valor de R$ 500,00 por participante. De acordo com o superintendente da FMC, Paulo Dantas, a ideia é dar segmento ao edital.

“Nossa intenção é ajudar a classe artística teresinense. Com este edital, tivemos a oportunidade de contemplar 300 pessoas. Agora nosso objetivo é aumentar o leque de ajuda. Estamos vendo todas as possibilidades, para que mais pessoas sejam contempladas”, disse.

A partir de 24 de abril os selecionados pela Comissão de Triagem receberão através do WhatsApp, conforme número cadastrado durante inscrição, o(s) link(s) do(s) vídeo(s) de capacitação marcados na ficha de inscrição. Para o recebimento do auxílio, durante o período de 28 a 30 de abril, os escolhidos deverão, obrigatoriamente, gravar e enviar para o mesmo número que entrou em contato um vídeo com duração máxima de 1 minuto respondendo a seguinte pergunta: “Como essa capacitação contribuiu com sua carreira artística nesse período de quarentena?”.

O edital de capacitação cultural teve inscrições gratuitas e online. “Trouxemos um formato diferente de edital. Não visando apenas consumir a arte daquela pessoa, mas capacitá-la para que ela execute suas funções de maneira mais eficaz e objetiva no sentido de profissionalização”, afirma Paulo Dantas.

Confira aqui os selecionados

 

 

Palácio da Música e Sinfônica de Teresina se mobilizam em prol dos artistas nesta quarentena

O Palácio da Música e a Orquestra Sinfônica de Teresina estão se mobilizando na arrecadação de recursos para a compra de cestas básicas que serão distribuídas para artistas residentes em Teresina que não tenham nenhuma fonte de renda fixa. Os alimentos podem ser entregues no Palácio da Música, localizado à Rua Santa Luzia, nº 1241, Centro, ou em dinheiro via transferência bancária para a conta da Associação dos Amigos da Orquestra Sinfônica de Teresina (AAOST), agência do Banco do Brasil nº 4249-8, conta corrente 16916-1, CNPJ nº 07018687/0001-31.

Para isso, é necessário fazer um cadastro que dará informações necessárias para a entrega das cestas básicas. Neste primeiro momento, a prioridade é ajudar aqueles que não têm nenhuma outra fonte de renda fixa, aqueles que ganham somente sobre sua produção, que está totalmente afetada por causa da quarentena sugerida pela Organização Mundial de Saúde. O cadastro pode ser realizado AQUI.

Os artistas teresinenses estão impossibilitados de atuarem por conta da prevenção contra a disseminação do novo coronavirus, que tem se espalhado rapidamente pelo mundo inteiro.

A COVID-19 é uma doença causada pelo novo coronavírus, identificado pela primeira vez em dezembro de 2019, em Wuhan, na China. Os sintomas mais comuns são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não se sentem mal. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Uma em cada seis pessoas que recebe COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar. As pessoas idosas e as que têm outras condições de saúde como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves. Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico.

Fundação de Cultura suspende eventos culturais por tempo indeterminado

Seguindo as recomendações propostas pelo Ministério da Saúde (MS), a Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves (FMC), suspende temporariamente todos os seus eventos e oficinas para evitar aglomerações de pessoas.

Foram suspensos os eventos que acontecem no Palácio da Música, por exemplo, como os Concertos Matinais, que acontecem todos os domingos pela manhã, além das atividades da Orquestra Sinfônica de Teresina.

A medida vem sendo adotada por diversos órgãos para prevenir os riscos de transmissão direta do Covid-19. As datas de retorno das atividades serão informadas à população através do site e das redes sociais da FMC. Nos próximos dias a decisão sobre as suspensões será revista de acordo com a evolução da situação.

“Estamos em um momento no qual são necessários cuidados. É uma forma de amenizar os danos tanto para a população, quanto para os nossos servidores”, afirma o gerente de promoção cultural da FMC, Paulo Dantas.

Algumas precauções são importantes para evitar a propagação da doença e o Ministério da Saúde recomenda ficar atento aos seguintes cuidados:

– Evitar contato próximo com pessoas

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão

– Cobrir nariz e boca sempre que for espirrar ou tossir

– Manter ambientes  bem ventilados

– Não compartilhar objetos de uso pessoal como copos, garrafas e talheres

 

Balé da Cidade realiza programação gratuita com exibição de documentário

Nesta sexta-feira (13), o Balé da Cidade de Teresina exibirá o documentário “Instantes – Um Olhar sobre o Balé da Cidade de Teresina”, de direção de Tássia Araújo e fotografia de Alexandre Soares. Além disso, a Companhia apresentará o espetáculo “Folha D’Água”, do pernambucano residente na Suíça, Marcelo Pereira. A programação, aberta ao público e gratuita, tem início às 19h30, no Teatro João Paulo II, zona sudeste de Teresina.

O documentário foi gravado em 2018, quando a Companhia comemorava seus 25 anos de história. Ele apresenta um olhar – dentre tantos possíveis – para este instante dessa trajetória, que, ao mesmo tempo em que pontua um novo momento, já é passado.

Segundo Tássia, os depoimentos capturados por ela revelam a história individual dos bailarinos que se confunde muitas vezes com a história do Balé da Cidade, mostrando como a companhia se faz importante na vida de cada um.

“Quando comecei a trabalhar com imagem, por volta de 2012, construí narrativas através de performances, pensando em usar a experiência de cada corpo na fotografia e no vídeo. Registrar esse momento tão importante para o Balé da Cidade de Teresina se fez muito importante para mim também porque a dança, de certa forma, faz parte da minha caminhada como artista. A partir do convite da Janaína Lobo para registrar o ano de comemoração dos 25 anos do Balé, fiz a proposta para que desses registros fosse criado um documentário. Foi uma experiência de muito aprendizado, em que o trabalho foi realizado por uma equipe muito pequena e dedicada”, diz a diretora do documentário.

Na mesma ocasião será apresentado Folha D’Água, de criação de Marcelo Pereira. O espetáculo traz a natureza e seus elementos como sensações para dançar, criando uma dança sensorial, à flor da pele. “Esta é uma celebração à natureza. Folhas que se mexem, vento que move. Folha d’água quer dizer daquilo que se pega e se larga no molhar da vida, vida em seu fluxo natural, cíclico e cheio de transformação”, explica a coordenadora artística, Janaína Lobo.

Sobre a Companhia
O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Vem aproximando a dança da cidade através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada.

O Balé da Cidade de Teresina conta com 18 bailarinos e é mantido pela Prefeitura Municipal de Teresina, através da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina. Tem direção geral de Chica Silva, coordenação artística de Janaína Lobo e ensaios de Carla Fonseca.

Quarteto OST e maestro Hilson Costa abrilhantam Concertos Matinais de domingo (15)

O projeto Concertos Matinais deste domingo (15) recebe o Quarteto OST com a participação do maestro e pianista Hilson Costa para uma apresentação que reúne música erudita e tradições populares. O concerto será no Palácio da Música de Teresina, a partir das 11h, com entrada gratuita.

Fundado em 2010 por uma iniciativa dos próprios músicos, o Quarteto da Orquestra Sinfônica de Teresina tem como objetivo difundir a música de câmara e estimular compositores piauienses à composição de novo repertório do gênero. A formação atual conta com os violonistas David Carvalho e Moura Neto, o violista Raphael Rodrigues e o violoncelista Pedro Queiroz. Seu repertório é diversificado, incluindo obras que vão da época barroca até os jovens compositores populares e contemporâneos.

Em algumas de suas apresentações, com esta de domingo (15), o grupo conta com a participação do pianista e segundo regente da Orquestra Sinfônica de Teresina, o maestro Hilson Costa.

O projeto Concertos Matinais ocorre em quase todos os domingos do ano, sempre às 11h da manhã, com entrada franca, e tem como objetivo, levar apresentações musicais de qualidade à população, que passeiam do erudito ao popular. Seu palco é o Palácio da Música de Teresina, instituição mantida pela Prefeitura Municipal, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves.

A casa fica localizada no cruzamento das ruas Santa Luzia e Treze de Maio, N° 1241, Centro, local onde funcionou o antigo Mercado do Cajueiro.

 

Sinfônica de Teresina abre temporada 2020 neste mês de março

Ao retornarem das férias de janeiro, os músicos da Orquestra Sinfônica de Teresina já iniciam o ano com uma maratona de novos repertórios a serem passados, para que o primeiro concerto do ano seja bastante especial. E ele será apresentado na “Abertura de Temporada”, que em 2020 será nos dias 18 e 19 de março, às 20h, no Palácio da Música de Teresina, com entrada franca.

Em 50 minutos de apresentação, o público poderá saborear um pouco do que a OST trará ao longo do ano. É o mesmo repertório nos dois dias, onde poderemos ouvir a sinfonia n° 6 de Beethoven, I mov, Les Préludes, de Franz Liszt, a Marcha Nupcial de Félix Mendelssohn, Rio Potí, de Aurélio Melo, Fanfare For The Vienna Philharmonic, Strauss, e Huapango, de Moncayo.

Dentro da agenda anual da OST, será possível conferir diversos projetos, como os Concertos Matinais, Sinfonia nos Bairros, Ensaio Aberto, Orquestra nas Escolas, a recente Quinta Sinfônica, além de eventuais apresentações temáticas que variam de acordo com a criatividade da direção artística da Orquestra. A OST presenteia a população teresinense com opções de entretenimento que agradam todas as gerações, levando desde a playlist que já está em nossos corações, ao repertório erudito mais rebuscado, que não se ouve facilmente por onde se anda.

A OST é mantida pela Associação dos Amigos da Orquestra Sinfônica de Teresina, com a ajuda da Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Desde a sua criação, em 1993, a Orquestra se propõe a dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira, tendo a primazia de transpor as melodias de grandes compositores populares, para a grandiosidade do som sinfônico, com a finalidade de desenvolver um trabalho artístico-educacional, promovendo apresentações em teatros, colégios e praças.