Defesa Civil monitora volume dos rios em Teresina para reduzir impactos das chuvas

A Defesa Civil de Teresina está intensificando as atividades de monitoramento do volume das águas na capital. Isso porque o crescimento dos índices pluviométricos em todo o Piauí tem refletido no aumento da vazão dos rios Poti e Parnaíba.

As medições realizadas pela Defesa Civil na área próxima ao Parque Encontro dos Rios, por exemplo, apontaram um acréscimo de quatro metros e meio, segundo o parâmetro do Serviço de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM). Os dados coletados na manhã desta segunda-feira (09) indicaram um aumento considerável no volume do rio, o que deixa a população do bairro Poty Velho em alerta.

“Agora a gente vai entrar em contato com a CPRM para saber se existe previsão de liberação de mais água pela barragem, pois, caso haja uma nova abertura de comporta, aumentará ainda mais o volume do rio. E, se ocorrer, já temos que pensar na remoção das famílias ribeirinhas”, afirma o tenente da Defesa Civil, Antônio Linhares.

No Parque Encontro dos Rios, a parte destinada à circulação de pessoas e a área dos quiosques não estão alagadas, mas a Semam também está em alerta para fazer o remanejamento dos permissionários, caso seja necessário.

Nos últimos 40 dias, foram realizados 80 atendimentos por conta do período chuvoso em Teresina. Somente no mês de março, a equipe da Defesa Civil prestou assistência a 15 chamados em locais com risco de deslizamentos, desabamentos, alagamentos e problemas estruturais de residências por todas as zonas urbanas e rurais da capital.

“Estamos providenciando um plano de contingência para os próximos dias. Por enquanto, a gente continua com os monitoramentos dos rios e das habitações”, explica o tenente.

Em caso de desabrigamento das famílias, as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) providenciarão locais provisórios para acolhê-las e disponibilizarão caminhões para atender as demandas. Além disso, a Semcaspi está trabalhando com o compromisso de atender as famílias mais vulneráveis às chuvas para que elas sejam devidamente auxiliadas.

“As famílias podem contar com o Programa Cidade Solidária, que oferece auxilio financeiro para suprir as necessidades ocasionadas pelo comprometimento das residências”, comenta o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

Atualmente, a Prefeitura de Teresina mantém 314 famílias no Programa Cidade Solidária. O programa oferece auxilio financeiro às famílias que tiveram suas residências comprometidas por conta de infortúnios, como desabamentos e alagamentos. Para saber mais informações, a população deve procurar um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próximo ou solicitar atendimento pelo telefone 3131-4729 da Gerência de Proteção Social Básica da Semcaspi.

Já a Defesa Civil pode ser acionada por meio do número 153 para atendimentos e emergências. O órgão vem monitorando todas as áreas de risco em um trabalho integrado com as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e a Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).

Teresina tem chuvas acima da média e Prefeitura monitora pontos críticos

Ascom/SDU Sudeste

As chuvas em Teresina estão ligeiramente acima da média e devem fechar fevereiro acima dos 230 milímetros esperados. Somente nos primeiros dias do mês já choveu o equivalente a 150 milímetros, o que representa uma distribuição irregular das chuvas, fenômeno que vem sendo registrado em várias cidades do país e do mundo.

Em Teresina, equipes da Prefeitura estão atentas e a Defesa Civil municipal está monitorando os pontos críticos para minimizar os danos e prestando assistências às famílias afetadas.

“O que tem acontecido é que as chuvas não estão bem distribuídas”, destaca o professor de Climatologia da Universidade Estadual do Piauí, Werton Costa, explicando que é como se a chuva de um mês chovesse em apenas um dia. “Na chuva do último dia 5 de fevereiro, um dos momentos mais críticos, por exemplo, choveu 83 milímetros em apenas 24 horas, esse é um volume considerado bastante alto”, completou.

Esse tipo de fenômeno não se restringe a Teresina. Um relatório recente do Conselho Consultivo Científico das Academias Europeias (EASAC) mostra que o clima se tornou mais volátil e mais extremo nos últimos 36 anos, com os eventos de inundações quadruplicando desde a década de 1980. Um dos casos mais recentes no Brasil está acontecendo em São Paulo nesta semana, em que as ruas da cidade se transformaram em verdadeiros rios.

Na capital, a Defesa Civil registrou 56 áreas de risco em toda a cidade e desenvolve um trabalho preventivo de monitoramento constante destas regiões mais críticas. Além disso, todas as SDUs realizam serviços para evitar possíveis transtornos em decorrência das chuvas intensas.

Na zona Leste da cidade, uma das mais afetadas pelas chuvas, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste (SDU-Leste) desenvolve um trabalho voltado para a “Rota das Chuvas”, percorrendo os pontos mais afetados da região e realizando serviços como limpeza e desobstrução de galerias de forma preventiva. O mesmo trabalho também é desenvolvido em outras regiões da cidade, como as zonas Sudeste, Norte e Sul, pelas SDUs de cada área.

Para evitar prejuízos maiores, durante todo o ano, a SDU Centro Norte mantém em dia a manutenção das bombas das estações. Todo o sistema funcionou durante as cheias dos rios que cortam a capital. Só nesta região, são 24 bombas aptas para atuarem nas estações de bombeamento.

Os trabalhos para minimizar problemas deste tipo podem ser reforçados com a ajuda da população, que também deve fazer a sua parte, realizando o descarte correto do lixo. “É fundamental o descarte correto do lixo, sobretudo nesta época do ano em que uma ação errada de depositar lixos em qualquer lugar pode ocasionar o entupimento de galerias e alagar inúmeras vias”, alertou o superintendente de Desenvolvimento Urbano Leste, João Pádua.

Parque Rodoviário: famílias participam de grupos de acompanhamento e recebem cestas básicas

As famílias vitimadas pela tragédia que atingiu a região do Parque Rodoviário, em abril deste ano, vêm participando de grupos de acompanhamento. As ações acontecem mensalmente e, além da distribuição de cestas básicas, buscam oferecer orientações sobre os serviços ofertados pelos Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

A gerente de Proteção Social Básica (GPSB) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Kânia Britto, falou sobre as informações dadas à população nesses encontros.

“As cestas continuam sendo entregues, conforme a demanda inicial. Além disso, todas as famílias são acompanhadas individualmente e em grupo. Nos encontros são discutidas diversas temáticas. A deste mês, por exemplo, foi sobre os serviços ofertados pelo CRAS”, disse. Ressaltou, ainda, a importância das orientações.

“Percebemos que várias famílias não sabiam como buscar auxílio e, como a porta de entrada de qualquer serviço da proteção social básica deve ser o CRAS, observamos a necessidade de trabalhar esse tema”, explica Kânia.

Atualmente, 80 famílias estão inclusas nos programas socioassistenciais oferecidos pela Prefeitura de Teresina por meio da Semcaspi. De acordo com Kânia, todas as famílias estão com seus benefícios em dia.

“Com relação ao aluguéis, nós acordamos com eles, em reunião no mês de maio, que esses benefícios seriam depositados mensalmente no quinto dia útil em conta. Disponibilizamos os nomes para o CRAS, para que acompanhassem essas famílias. Na última segunda-feira (12), o benefício estava nas contas das três agências definidas para recebimento do Cidade Solidária”, reforça.

As obras que buscam reconstruir a região atingida pela tragédia já estão sendo finalizadas pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul (SDU Sul). Ao todo, serão entregues 55 casas, sendo 25 construídas e 30 recuperadas. As famílias que ainda estavam em áreas de risco também já foram realocadas após a desapropriação de um terreno próximo.

Cidade Solidária

O Cidade Solidária é um programa que atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos sofridos em consequência de chuvas, infortúnios, incêndios, alagamentos, transbordamentos de rios ou lagoas e outras situações de vulnerabilidades temporárias. O trabalho é executado pela Semcaspi em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).

Defesa Civil de Teresina atua na assistência a famílias do Parque Rodoviário

A Defesa Civil de Teresina e profissionais da Secretaria Municipal de Assistência Social, Cidadania e Políticas Integradas (SEMCASPI) da Prefeitura de Teresina estão prestando atendimento às vítimas da enxurrada que aconteceu na noite dessa quinta-feira (4) no Parque Rodoviário, zona Sul da capital.

Em decorrência das fortes chuvas, uma lagoa transbordou e rompeu um muro de contenção. A enxurrada destruiu mais de 40 casas, deixou cerca de 30 feridos e vitimou fatalmente duas pessoas. Cerca de 90 famílias foram afetadas.

De acordo com secretário da SEMCASPI, Samuel Silveira, o momento é de muita tristeza e dor. “Estamos prestando toda a assistência para as famílias atingidas, atuando na redução dos riscos e dos danos causados pela enxurrada”, disse o secretário.

O secretário informa também que as equipes de assistência social da Prefeitura de Teresina irão distribuir cestas básicas e kits de limpeza para os moradores afetados e que as famílias que necessitam de ajuda emergencial estão cadastradas no programa Cidade Solidária.

Defesa Civil de Teresina reforça monitoramento dos rios Parnaíba e Poti após fortes chuvas

Por conta das fortes chuvas que atingiram a capital, na noite desta quarta (3), a Defesa Civil Municipal de Teresina reforçou na manhã de hoje (4), o trabalho de monitoramento do nível das águas dos rios Poti e Parnaíba. O monitoramento do nível acontece em pontos específicos dos rios, como o Encontro dos Rios, no rio Parnaíba; e em pontos do Rio Poti, como o Dique de proteção, no Poti Velho e próximo à ponte Anselmo Dias.

O órgão também atendeu às áreas mais atingidas pela chuva nas quatro zonas da capital e também na zona rural, como nos povoados Santa Luz, Fazenda Soares, Boqueirão e o Baixão do Carlos. O órgão deu também atenção especial para os bairros Parque Alvorada, Vila Dagmar Mazza, Satélite, além da Vila da Fraternidade e do Planalto Bela Vista.

“Nós reforçamos que a população deve manter relação próxima com a Defesa Civil de Teresina, por meio de ligação gratuita para o número 153. No momento atual, estamos em fase de monitoramento tanto da situação das áreas de risco, 56 estão sendo monitoradas na capital, como das famílias que possuem casas em situação de risco de desabamento”, informa Sebastião Domingos, coordenador do órgão.

Contato

A população pode entrar em contato com o número 153, que tem se mostrado uma plataforma importante no auxílio à população teresinense porque propicia o contato gratuito com a Defesa Civil. Através da ligação, o morador recebe, antecipadamente, instruções sobre procedimentos necessários a seguir, a fim de preservar bens materiais e, principalmente, a vida. As denúncias podem ser de casos de risco de deslizamentos, desabamentos, alagamentos, queda de árvores, rachaduras, afundamento de solo, dentre outras.

Defesa Civil alerta para pontos que merecem atenção em dias de chuva forte

Com o aumento do volume de chuvas  em Teresina, a Defesa Civil Municipal faz o alerta para que alguns trechos da cidade sejam evitados na hora de chuva forte ou até meia hora depois delas, quando a água escoa.

“É importante que durante esse período chuvoso tenhamos alguns cuidados, especialmente no trânsito, e isso diz respeito tanto para motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres. É possível que as pessoas se depararem nos dias de chuva forte com vias cujo volume de água seja grande e, nesse caso, se for possível, é indicado parar o carro e esperar que a água na via abaixe”, explica Sebastião Domingos, coordenador da Defesa Civil Municipal.

Se precisar de auxílio em situações de emergência, é indicado ligar para o Corpo de Bombeiros (193) e a Defesa Civil (153).

Em Teresina, os pontos que merecem atenção em dias de chuva forte são os seguintes:

Na zona Norte de Teresina:
– Avenida Centenário, na região do Aeroporto
– Avenida Poty Velho, na região do Parque Brasil I
– Avenida Freitas Neto, Mocambinho e proximidades da ponte Mocambinho

Na zona Leste de Teresina:
– Avenida Nossa Senhora de Fátima, especialmente no trecho entre as avenidas João XXIII e Jóquei Clube
– Avenida Homero Castelo Branco (também na proximidade com a João XXXIII), evitando também ruas adjacentes
– Bairro Cidade Jardim, nas ruas Santa e Refúgio.

Na zona Sudeste de Teresina:
– Avenida Joaquim Nelson
– Rua Zaul Pedrosa, na Vila Eugênia Ferraz.

Na zona Sul de Teresina:
– Avenida Ulisses Guimarães, bairro Promorar
– Ruas Beneditino, Pedro II, Gilbués e Buriti dos Lopes, no bairro São Pedro

Prefeito decreta estado de emergência em Teresina

Rômulo Piauilino

O prefeito Firmino Filho vai decretar estado de emergência em Teresina nesta quinta-feira (04) em decorrência das fortes chuvas ocorridas nos últimos dias e do aumento do volume dos rios que cortam a cidade. A medida caracteriza uma situação emergencial para dar agilidade burocrática nas ações das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e na Defesa Civil do município.

“Só no mês de abril tivemos mais 200 milímetros de chuva na cidade e a previsão é que as chuvas continuem intensas. O rio Parnaíba vem subindo, com sua bacia recebendo água, e a situação do rio Poti é alarmante, podendo colocar em risco a população ribeirinha”, destacou o prefeito durante visita realizada no final da manhã de hoje a alguns pontos de alagamento.

Ele ressalta que, com o inverno rigoroso verificado em todo Nordeste, é preciso manter o estado de alerta e monitorar algumas regiões da cidade. “Sabemos que, na construção de uma cidade, a infraestrutura urbana é fundamental e, dentro dela, a última obra a ser construída é a de drenagem, porque ela serve por pouco tempo durante o ano e é muito cara. Mesmo assim, temos duas grandes galerias sendo feitas, a da zona Leste e a do Portal da Alegria, além de outras seis que estamos buscando recursos financeiros para execução das obras”, acrescentou o prefeito.

Até o momento, Teresina tem casos pontuais de desabrigados em decorrência das chuvas. Na zona Norte, uma região vulnerável, o conjunto de sistema de drenagem executado através do Programa Lagoas do Norte deu resultados positivos. “Se não tivéssemos feito essas intervenções, teríamos cerca de 5 mil famílias desabrigadas”, lembrou Firmino Filho ao frisar que, além de todos os serviços se melhorias, é preciso respeitar o meio ambiente.

“Mais do que investir e corrigir problemas do passado, é necessário ter uma observância rigorosa na legislação de drenagem, para que, com o passar tempo, a gente não  tenha mais problemas. Temos na nossa cidade rios, riachos e caminhos de água, e eles precisam ser respeitados”, concluiu.