Elementos cotidianos de casa ajudam no aprendizado com as aulas à distância

Surpreender com aulas criativas é uma das principais estratégias utilizadas pelos professores das escolas da Prefeitura de Teresina para manterem os alunos focados na aprendizagem, especialmente quando não estão fisicamente em sala de aula. Após dois meses do regime de atividades não presenciais na Rede Municipal de Ensino, todas as tarefas passaram a ser o famoso “para casa” e os alunos encontram formas de utilizar esse ambiente como laboratório.

Um exemplo são os alunos do 7º ano da Escola Municipal Parque Itararé, que foram desafiados pela professora de história, Maria Eunice, a montarem uma espécie de feirinha em casa. A ideia era praticar o conteúdo aprendido sobre as feiras medievais, que marcaram a história econômica e cultural de diversos povos.

“Essa atividade oferece aos alunos a possibilidade de aprender história de forma instigante e dinâmica. Mesmo à distância, podemos criar aulas diferentes, que tornem o aprendizado significativo”, disse a professora.

Após estudar o conteúdo e realizar pesquisas, cada aluno buscou em casa produtos que poderiam ser utilizados na simulação da feira. Até os pais viraram clientes. Os vídeos compartilhados entre a turma rendeu muitos elogios da professora. “Brincaram com a imaginação, usando elementos cotidianos, como produtos de beleza, potes descartáveis, alimentos e plantas, entre outros. Foi diversão e aprendizado sem sair de casa”, destacou.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Semec), mais de 90 mil alunos estão acompanhando diariamente a programação de aulas não presenciais. Para alunos do Ensino Fundamental, as atividades são transmitidas pela TV e ficam disponíveis na plataforma online hospedada no site da Secretaria, além de grupos de WhatsApp e material impresso para os alunos que não possuem acesso à internet. Na Educação Infantil as tarefas são impressas e entregues aos pais. Todas as atividades estão sendo registradas pelas escolas para serem contabilizadas no calendário escolar deste ano.

 

Escola realiza ação de gratidão pelo trabalho dos professores nas aulas não presenciais

Com a suspensão das aulas presenciais e uma nova rotina de atividades à distância, a diretora do Centro Municipal de Educação Infantil Chico Xavier buscou uma forma de homenagear a comunidade escolar, agradecendo a dedicação de todos em um período difícil.

Cristiane Vieira montou kits com álcool 70% e máscaras de proteção personalizadas para a equipe de funcionários do CMEI. Pessoalmente, a gestora foi em cada residência entregar o mimo, que leva uma mensagem de cuidado, carinho e gratidão.

As crianças também foram agraciadas pelo esforço com o envio das atividades diárias e participação nas aulas online. Foram 368 sacolinhas montadas pela diretora com doces e salgadinhos, mas principalmente com uma mensagem de esperança.

“Estamos distantes fisicamente, com saudade, mas o sentimento de proximidade permanece. Essa foi a forma que encontrei de agradecer por continuarem tentando, participando das aulas. É muito importante manter uma rotina de estudos em casa. A mensagem é para lembrar que estamos aqui e que em breve tudo isso vai passar”, disse Cristiane.

 

Renovação do Fundeb vai impactar qualidade do ensino em Teresina

Principal mecanismo de financiamento da educação pública do país, o Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), após aprovação pelo Senado Federal, deve impactar diretamente na qualidade do ensino para cerca de 90 mil alunos da Rede Municipal de Teresina. No município, os recursos são aplicados basicamente no pagamento da folha de pessoal e em obras, entre construções, reformas e ampliações de unidades de ensino.

A renovação do Fundeb garante um reforço financeiro para os investimentos na educação, já que amplia gradualmente a participação da União. Serão destinados valores diferentes para cada município, mas a proposta é de estabelecer critérios como bom desempenho no Sistema Nacional de Avaliação de Educação Básica (SAEB). Também será definido que 5% do total da contribuição é exclusivo para a Educação Infantil, com foco nas crianças de 0 a 5 anos. Além do percentual destinado ao pagamento do magistério, que deixa de ser 60% e passa para 70%.

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) recebeu com entusiasmo a notícia. Os recursos podem ajudar a operacionalizar as ações do Plano Municipal de Educação, que já tem a ampliação do acesso à Educação Infantil como uma das principais metas.

“São mudanças que valorizam aspectos importantes para a eficácia de todo o processo de aprendizagem, para que na ponta a criança realmente possa aprender”, afirma a secretária municipal de Educação Kátia Dantas. Para a gestora, foi marcado mais um passo pela valorização da educação pública do Brasil, com foco na Educação Infantil. “Etapa primordial da educação básica, na busca da igualdade de direitos e acesso à educação de qualidade no país”, completa.

 

 

Pais de alunos das escolas da Prefeitura preenchem formulário sobre volta às aulas

Foto: Ascom Semec

O comitê criado pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) para planejar o retorno das aulas presenciais na Rede Municipal de Teresina enviou aos pais de alunos um formulário que deve ajudar no plano de ação para essa retomada gradual das atividades. A Semec quer ouvir cerca de 70 mil famílias sobre as condições de saúde dos estudantes e o que pensam sobre retomar as aulas presenciais este ano.

O formulário foi enviado para alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e podem ser respondidos até sexta-feira (24). Diretores, diretores adjuntos, pedagogos e professores da Rede também estão sendo consultados por meio de questionário. Essa é uma das estratégias do Comitê para a elaboração do planejamento completo, com opinião de todos que compõem a comunidade escolar. O grupo também é composto por membros do Conselho Municipal de Educação e da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

“As respostas são fundamentais para que possamos traçar estratégias seguras em relação ao retorno das atividades presenciais nas unidades de ensino. Precisamos que as famílias e as escolas participem conosco desse planejamento”, pontua a secretária municipal de Educação, Kátia Dantas.

Segundo a secretária, não há data prevista para a retomada das aulas nas escolas, mas o plano de ação aponta para uma série de intervenções necessárias que garantam a segurança de todos. “Envolve desde a reorganização do ambiente escolar, passando pelo modelo de ensino, até uma avaliação para diagnosticar em que momento de aprendizagem nossos alunos se encontram hoje. Tudo está sendo pensado de forma cautelosa e com segurança em primeiro lugar”, disse Kátia.

Os pais de alunos matriculados no Ensino Fundamental das escolas da Prefeitura que ainda não preencheram o formulário, devem procurar a direção da unidade de ensino para terem acesso virtualmente ou impresso.

 

Banco Internacional aprova empréstimo para infraestrutura educacional de Teresina

O conselho de administração do New Development Bank – NDB/BRICS acaba de aprovar o empréstimo de R$ 50 milhões de dólares para o Programa de Infraestrutura Educacional de Teresina. Após a aprovação do Senado para a conclusão da operação de crédito, será possível iniciar novos investimentos para melhorar a qualidade da educação oferecida pela rede municipal.

O projeto inclui a construção de oito novas escolas de Ensino Fundamental de tempo integral em bairros vulneráveis do município, reforma de Centros Municipais de Educação Infantil, requalificação urbana das áreas próximas de escolas e creches para melhorar a acessibilidade, segurança e acesso ao transporte público, construção de escolas de meio período e fortalecimento do sistema educacional, monitoramento, avaliação e gerenciamento de projetos.

Para a secretária municipal de Educação, Kátia Dantas, o investimento vai permitir que Teresina avance ainda mais nessa área. “Além de aumentar o número de alunos em escolas de tempo integral e creches no município, será possível oferecer ao aluno um ambiente inovador, seguro e de alto padrão de qualidade para o desenvolvimento de uma educação integral: cognitiva, física e emocional”.

 

Programa AABB Comunidade volta em formato não presencial

Ascom/Semec

As atividades do Programa AABB Comunidade 2020, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação (Semec), foram retomadas por meio de videoaulas, nas quais os alunos têm acesso a revisões de matemática e língua portuguesa, além de esportes e jogos para diversão. A programação no novo formato é uma estratégia para dar continuidade às atividades, estimulando os estudantes a movimentarem corpo e mente.

O Programa beneficia estudantes da Rede Municipal de Ensino e, além de reforço escolar, oferece esporte, arte, cultura e lazer, promovendo o desenvolvimento integral das habilidades cognitivas, físicas e sociais dos jovens.

De acordo com a coordenadora do AABB Comunidade no município, Nívia Coelho, a ideia é ampliar propostas para uma melhor qualidade de vida dos alunos e seus familiares. “Estamos utilizando a internet para a interação, levando dicas de exercícios e uma rotina de atividades para fazer em casa. São ações que tínhamos no Programa, como alongamentos, circuitos e práticas esportivas”, conta Nívia.

Os professores também estão reforçando a importância do cuidado com a saúde, higiene pessoal, equilíbrio emocional e integração familiar. Ao todo, 100 alunos das escolas municipais José Ommati e O.G Rêgo de Carvalho estão conectados com as atividades não presenciais.

Novo ministro da Educação já esteve em Teresina atraído pelo modelo de educação do município

Foto: Ascom Semec

Nomeado como novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, esteve em Teresina no ano passado para conhecer de perto o modelo de educação que ganhou destaque ao alcançar os melhores resultados entre todas as capitais do país.

Na época, presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Decotelli conversou com técnicos da Secretaria Municipal de Educação (Semec) sobre as práticas de ensino, modelo de gestão, formação de professores e até sobre os desafios encontrados durante a trajetória da educação municipal. Seu objetivo era compartilhar as estratégias de sucesso com outras redes de ensino, replicando o modelo de Teresina pelo Brasil.

Em sua fala, destacou Teresina como exemplo para o país principalmente pelos resultados alcançados a partir da boa gestão dos recursos e muito trabalho. “Deve ser motivo de orgulho para toda a cidade. Queremos compartilhar essas estratégias com redes de ensino que estão abaixo do esperado, inspirando os gestores”, disse Carlos Alberto Decotelli na época.

Na passagem por Teresina, participou também da inauguração do Centro Municipal de Educação Infantil João Paulo dos Reis Veloso, que teve parte da sua construção financiada pelo FNDE, e conheceu o projeto da Escola de Tempo Integral “Palácio da Educação”, com provável sede no Parque Lagoas do Norte.

Alunos com deficiência recebem material e acompanhamento para atividades em casa

Mais de 90 mil alunos da Rede Municipal de Teresina estão realizando suas atividades pedagógicas em casa, desde a suspensão das aulas presenciais como medida de proteção contra o coronavírus. Nesse novo contexto de aulas não presenciais, a Prefeitura de Teresina encontrou uma forma de continuar apoiando os alunos com deficiência no desenvolvimento de suas habilidades.

A Divisão de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal de Educação (Semec) e as unidades de ensino enviaram para casa dos alunos especiais kits escolares com material concreto para que sejam executadas as atividades sugeridas. Esse é o mesmo tipo de material utilizado por eles nas escolas, sendo uma importante ferramenta de aprendizagem.

A turma também participa das atividades online, responde as tarefas impressas e assiste as aulas transmitidas pela TV. A ideia é oferecer a maior quantidade de plataformas para acesso aos conteúdos e garantir um ritmo de aprendizagem. A educação inclusiva oferece, ainda, o acompanhamento dos professores de AEE (Atendimento Educacional Especializado), que orientam as famílias no uso do material dourado, jogos e outros elementos que foram enviados nos kits.

Segundo Samara Moura, chefe da Divisão de Educação Inclusiva, cada criança recebeu um material adaptado para sua condição, mas os pais também estão recebendo dicas de tarefas para realizar com material que têm em casa.

“Mantemos nas escolas da Prefeitura um planejamento para o desenvolvimento cognitivo desses alunos, e mesmo em meio às dificuldades causadas pela pandemia, tentamos levar para eles exercícios complementares ao regime de atividades não presenciais, de acordo com suas individualidades. Passamos dicas de tarefas que podem ser feitas com o que tem em casa, como garrafas, folhas, carvão, cerâmica e etc, tudo com intencionalidades ligadas às habilidades. Os pais e professores são nossos grandes aliados”, disse Samara.

A professora Leila Santos acompanha 18 alunos da Rede Municipal, todos com autismo. Ela conta que têm sido um grande desafio, mas o retorno é positivo. “Tenho contato online com as famílias e com as crianças, orientando sobre como organizar a rotina e conciliar as atividades pedagógicas com as terapias. Tivemos mesmo que nos reinventar para utilizar a tecnologia a nosso favor, e eles se dão muito bem, recebo depoimentos emocionantes dos pais”, afirma a professora.

 

Diretores de escolas da Rede Municipal organizam eleições virtuais para conselhos escolares

Imagem: Ascom/Semec

Cada escola da Prefeitura de Teresina conta com um colegiado que acompanha todas as questões político-pedagógicas, administrativas e financeiras da unidade de ensino: os conselhos escolares. Hoje (18), diretores de 50 escolas municipais participaram de uma reunião virtual com a equipe da Secretaria Municipal de Educação (Semec) que acompanha o processo de formação dos conselhos. O objetivo é planejar as eleições dos conselheiros, que este ano acontecerão online.

Os colegiados são formados por representantes da comunidade escolar e local. Participarão do processo de eleição nesse momento as unidades de ensino que tiveram seus estatutos reformados e precisam atualizar os membros do conselho escolar. Por conta do momento de pandemia, todo o processo será virtual, desde a assembleia para convocação da comunidade, eleição da comissão eleitoral, votação e até a posse dos eleitos.

A técnica da Semec, Zilmara Seabra, acompanhou os gestores durante a reformulação dos estatutos e agora dá suporte nesse novo processo. Durante a videoconferência, explicou aos diretores o passo a passo formal, que exige transparência e ampla divulgação na comunidade.

“O conselho escolar cumpre um papel fundamental nas unidades de ensino e deve estar atualizado com todos os processos democráticos de eleição. Portanto vamos nos adaptar a esse novo formato e realizar tudo de forma online, sem abrir mão da transparência e do que é exigido por lei”, explica Zulmira.

Cada escola deve elaborar seu cronograma para as eleições de acordo com a realidade que vivencia. Todos os passos serão divulgados na internet, utilizando principalmente as redes sociais das escolas. A Semec criou um sistema exclusivo para a votação, com autonomia para a comissão eleitoral organizar o acesso dos votantes.

Para a diretora da Escola Municipal Angelim, Karla Patrícia Santos, a iniciativa é importante para manter os processos escolares e garantir a participação da comunidade em todas as decisões.

“Nosso conselho venceu em abril e precisamos renovar, elegendo um grupo plural como parte fundamental da escola. O formato virtual é algo novo, que exige responsabilidade e ampla divulgação, por isso já estamos trabalhando na elaboração da portaria. A Secretaria nos forneceu meios para realizar o processo online e estamos confiantes de que tudo ocorrerá bem”, finaliza a gestora.