CMEI Júlio Romão lança projeto com contação de histórias para incentivar leitura

Para desenvolver as habilidades de leitura e escrita com os alunos de forma divertida, o Centro Municipal de Educação Infantil Júlio Romão, localizado na zona Sudeste de Teresina, lançou o projeto Alfabetiza Júlio: eu leio, eu conto e foi assim. Durante todo o ano, as crianças serão desafiadas com atividades que estimulem o hábito de ler.

O projeto faz parte do Alfabetiza Teresina, um pacto da Secretaria Municipal de Educação (Semec) com as unidades de ensino para fortalecer as ações direcionadas ao ciclo de alfabetização. As escolas usam a criatividade para chamar a atenção dos alunos e despertar a paixão pelos livros.

No lançamento do Alfabetiza Júlio, a equipe escolar mostrou um pouco das atividades que planeja realizar, com dramatizações, contação de história, poesia e muita música. O Coral da Semec fez uma participação especial do evento.

“Vamos utilizar bastante ludicidade para incentivar o envolvimento dos alunos, com o objetivo de assegurar a aquisição das habilidades inerentes a cada idade”, declara a diretora do CMEI, Francisca Cereja.

Fotos: Ascom Semec

E.M Padre Ângelo Imperialli promove palestra sobre frequência escolar

No retorno das aulas 100% presenciais, pais de alunos da Escola Municipal Padre Ângelo Imperialli, localizada no bairro Santa Lia, zona Leste de Teresina, participaram de uma palestra de orientação e sensibilização da importância de a criança manter a frequência escolar.

“A palestra, proferida pela conselheira tutelar Tatiane Meireles, foi voltada para pais de alunos do 1º ao 3º do Ensino Fundamental. Esta é uma ação da unidade de ensino para minimizar a infrequência do aluno no ambiente escolar, mostrando que o aprendizado é prejudicado quando a criança falta às aulas”, explica a diretora da escola, Dilza Lopes.

Na ocasião, a conselheira tutelar conversou com alunos do 4º ano sobre o projeto MPT na Escola, iniciativa nacional do Ministério Público do Trabalho que busca implementar uma série de ações voltadas à promoção de debates nas escolas sobre a erradicação do trabalho infantil. Neste ano de 2022, 140 escolas piauienses, estaduais e municipais, participam do projeto em Teresina e mais nove municípios.

“Faz parte da missão da Secretaria Municipal de Educação (Semec), além de garantir as aulas, promover ações com orientações aos pais e alunos sobre temas pertinentes ao aprendizado, ao desenvolvimento e à proteção das crianças”, afirma o secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso.

CMEI Padre Pedro Balzi lança projeto de leitura “Ouvindo e Contando, estamos só começando…”.

Estimular a leitura e a escrita das crianças na idade certa tem sido o objetivo do Programa Alfabetiza Teresina, uma parceria da Semec com as unidades de ensino da Rede Municipal para o desenvolvimento da leitura das crianças no ciclo de alfabetização.

Na manhã de hoje (25), o CMEI Padre Pedro Balzi lançou o seu projeto de leitura, criado pela pedagoga Lilia Cristina, denominado de “Ouvindo e Contando, estamos só começando…”.

Com o objetivo de cumprir a proposta do Programa Alfabetiza Teresina, o projeto tem o intuito de despertar na criança o prazer da leitura e consequentemente da escrita através de recursos pedagógicos.

Fotos: Ascom Semec

O projeto de leitura tem como temática cantigas e contos infantis e teve sua abertura com a presença da comunidade escolar e com a dramatização da temática com os professores. Na oportunidade, as crianças vivenciaram todos os espaços que serão efetuados o projeto, tendo a disposição todos os recursos pedagógicos que serão utilizados durante o ano.

A diretora do CMEI Padre Pedro Balzi, Neide Silva, explica a forma de atuação do projeto para a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), “Por meio do projeto, o aluno vai vivenciar ambientes literários, através de muitos livros e dos recursos pedagógicos, fazendo a criança aprender brincando”.

Neide Silva ainda contou à SEMEC que o projeto inicia agora e finaliza em dezembro com a preparação de um musical todo realizado com as crianças do projeto.

Prefeito de Teresina assina decreto garantindo o cumprimento do calendário escolar

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, assinou, nesta segunda-feira (23), o decreto n° 22.517 que garante cumprimento do calendário escolar e autoriza o corte do ponto de professores faltosos.

O documento autoriza a reorganização do calendário escolar para a Rede Pública Municipal de Ensino, de modo a garantir a sua efetivação a partir do dia 23 de maio do corrente ano, bem como o cumprimento dos dias letivos escolares obrigatórios aos estudantes da Rede Municipal de Ensino.

O Tribunal de Justiça do Piauí decidiu por suspender o movimento grevista e estipulou multa diária de R$ R$ 20 mil, caso haja descumprimento da ordem.

No dia 8 de abril, o desembargador Oton Mário José Lustosa Torres decretou a ilegalidade da greve dos profissionais do magistério da rede municipal de ensino de Teresina.

O reajuste de 16% no vencimento dos profissionais do magistério da educação básica do Município, foi estabelecido pela Lei Complementar n° 5.703, de 24 de fevereiro de 2022.

“O prefeito, a partir dos critérios de legalidade, atribuiu a porcentagem para a classe deixando o vencimento até maior. Estamos com o maior salário de professores do Nordeste, mais gratificações. Portanto, exigimos a volta às salas de aula, pois o papel da prefeitura foi feito”, disse Dr. Pessoa.

Alunos da E.M. Areolino Leôncio se destacam no VII Circuito SEMEC de Xadrez

O Centro de Formação Odilon Nunes (CEFOR) sediou na última sexta-feira (20), o VII Circuito SEMEC de Xadrez. A atividade faz parte do Jogos Escolares Piauienses – JEPIS, e tem o intuito de selecionar competidores da rede pública para a etapa estadual e nacional.

Ao todo, 24 alunos da rede municipal eixo urbano e rural participaram do campeonato que possui 3 categorias de atuação: Mirim (10 e 11 anos), infantil (12 a 14 anos) e infanto (15 a 17 anos).

Fotos: Ascom Semec

“Esta etapa vale como seletiva para a etapa Estadual que será promovida pela Fundespi. Os alunos que se consagrarem campeões viajaram para competição nacional. Esse ano o Infantil viajará para o Rio de Janeiro em novembro e o infanto para Aracajú em setembro”, explica Rosana Leal, do setor de Divisão de Esportes da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC).

Um total de 15 alunos foram classificados e após 4 rodadas de jogos intensos, 10 alunos foram selecionados para receberem medalhas e os 2 melhores, com pontuação mais alta, levaram o troféus do circuito para a sua escola.

Destaque na VII Circuito SEMEC de Xadrez

A Escola Municipal Areolino Leôncio, localizada na zona rural de Teresina, também obteve os primeiros lugares nas três categorias: Mirim, Infantil e Infanto. A pedagoga da escola, Cleide Leal, atribui o sucesso do circuito ao estudo da disciplina “Xadrez”, que faz parte do Núcleo Diversificado da Escola. Na escola, os alunos têm duas aulas semanais ministradas pelo professor Edmilson Thimoteo, que além do conteúdo teórico da disciplina, desenvolve competições internas com os alunos.

“Estamos todos muito felizes com a vitória de todos os alunos e pretendemos seguir nesse caminho para dar visibilidade a essa disciplina que desenvolve nos alunos competências importantes como memória, concentração e tomada de decisões”, conclui a pedagoga.

Confira lista dos classificados aqui: RESULTADO I ETAPA

Semec e Semcaspi definem estratégias de atendimento educacional para crianças venezuelanas

Com o Projeto Alfabetização Sem Fronteiras concluído e aprovado, as crianças venezuelanas radicadas em Teresina já têm um plano de atendimento escolar definido. As aulas devem começar ainda este ano por uma iniciativa da Prefeitura de Teresina, com uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (Semec) e a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

O objetivo é alfabetizar as crianças e adolescentes filhos das famílias migrantes refugiadas indígenas venezuelanas da etnia Warao, acolhidas pelo Brasil e residentes em Teresina, no sentido de realizar a inclusão no processo educacional. Serão atendidas pelo menos 61 crianças de 06 a 16 anos, que estão distribuídas em três abrigos da capital.

Segundo a gerente de Ensino Fundamental da Semec, Geane Alves, os professores que trabalharão com esse público receberão formação específica. “Primeiramente vamos atender suas necessidades, acolhendo e garantindo que aprenderão a ler e escrever, mas também terão direito a se comunicar e desenvolver ideias com base em sua cultura”, explica Geane.

Os alunos do Projeto Educação Sem Fronteiras serão integrados desde a Educação Infantil, utilizando como metodologia o Programa Tempo de Aprender. Aurismar Sousa, coordenadora do Programa na Semec, explica que essa é uma política pública nacional que prioriza a alfabetização das crianças, por isso é ideal para ser trabalhado com o público em questão.

“Pensando na alfabetização como processo que consiste no aprendizado do alfabeto e de sua utilização como código de comunicação, e apropriação do sistema de escrita, a compreensão do princípio alfabético é indispensável ao domínio da leitura e escrita. Utilizamos essa estratégia em diversas escolas da Rede Municipal e estamos colhendo excelentes resultados. Acreditamos que essa seja a melhor metodologia para aplicar aos nossos novos alunos”, explica Aurismar.

 

Fotos: Ascom Semec

E.M. Mascarenhas de Moraes desenvolve projeto de aperfeiçoamento da leitura

A Escola Municipal Mascarenhas de Moraes, localizada no bairro Ilhotas, zona Sul, está trabalhando formas de melhorar o desempenho dos alunos através do Projeto Lê Mascarenhas. A ação faz parte do Alfabetiza Teresina, projeto da Secretaria Municipal de Educação (Semec) que vem sendo desenvolvido nas unidades de ensino desde 2018.

Fotos: Ascom Semec

“Iniciamos o projeto há um mês, com o retorno das aulas presenciais em nossa escola. Ele atende cerca de 150 alunos do 1° ao 3° anos do Ensino Fundamental com dificuldades de leitura e estamos analisando a possibilidade de estendê-lo ao 4ª e 5° anos também”, explica o diretor da escola, Luciano Ferreira.

O projeto Lê Mascarenhas envolve o incentivo da leitura diária e ampliação do vocabulário dos alunos, por meio da ludicidade, com brincadeiras, teatro e contação de histórias, formas divertidas de aprender e melhorar o nível de leitura.

O secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso, afirma: “O Alfabetiza Teresina alcançou, em 2021, em torno de 25.400 alunos da Rede Municipal. Envolve monitoramento, formação, avaliação, um plano de ensino bem estruturado e expectativas de aprendizagem. Por meio dele as crianças melhoram o nível de leitura e o seu desempenho acadêmico”.

Pais ficam animados com avanços dos filhos no Programa Tempo de Aprender das escolas municipais

Na Escola Municipal Padre Ângelo Imperialli, a equipe escolar está empenhada em buscar ideias nas formações Fotos(Ascom/Semec)

Os alunos da Rede Municipal de Educação, que estão em ciclo de alfabetização, mas precisam de uma força a mais para desenvolverem as habilidades de leitura e escrita, recebem da Secretaria Municipal de Educação (Semec) apoio em diversos formatos. Um desses estímulos vem do Programa Tempo de Aprender, criado pelo Ministério da Educação.

Na Escola Municipal Padre Ângelo Imperialli, zona Leste de Teresina, toda a equipe escolar está empenhada em buscar ideias nas formações da Semec para levar aos alunos em forma de atividades lúdicas. Com material diferenciado, acompanhamento individualizado e muito apoio das famílias, as crianças estão dando um salto na qualidade da alfabetização.

Ismael da Silva, pai da aluna Ana Isadora, conta que a filha começou a frequentar o Programa este ano, mas já consegue ver os resultados positivos. “Ela estava com dificuldade em leitura e escrita. Dentro de um mês de meio, já percebemos melhora. A Ana já lê pequenas frases sozinha e fica muito feliz com isso, então, alegra todos a sua volta. Fiquei muito satisfeito com o ‘Tempo de Aprender’, espero que possa continuar para ajudar outras crianças”, declara o pai.
Segundo a diretora da escola, Dilza Lopes, essa é uma das estratégias utilizadas pela unidade de ensino para incentivar os alunos a superar suas dificuldades. “Temos inúmeras ações para acompanhar de perto cada aluno em suas individualidades, com atenção especial para aqueles que estão em processo de alfabetização. O Programa Tempo de Aprender traz esse apoio pedagógico e os pais estão bem animados com os resultados já em pouco tempo”, conclui a gestora.

Alunos do CMEI Luterano aprendem a combater o mosquito da dengue

Os alunos do Centro Municipal de Educação Infantil Luterano, no Parque Piauí, estão ativos no combate ao Aedes aegypti, mosquito causar de doenças como a dengue, febre amarela, chikungunya e zika. A comunidade escolar abraçou a causa de multiplicar informações corretas sobre a prevenção e ajudar no processo de conscientização da comunidade para eliminar os focos do mosquito.

Durante a semana, as crianças produziram cartazes, exercitaram leitura e escrita de palavras relacionadas ao Aedes aegypti, fizeram desenhos, pinturas e aprenderam a identificar o agente transmissor por meio de fotos e vídeos. Também percorreram o ambiente escolar em busca de possíveis focos.

“Ação muito importante para que nossas crianças sejam agentes transformadores e conscientes dos deveres dos cidadãos em relação aos cuidados com a saúde de todos. Realizamos várias atividades lúdicas, envolvendo aprendizado e diversão”, conta a diretora Ana das Neves.

Fotos: Ascom Semec

Cmei Helena Medeiros desenvolve projeto de estímulo à leitura

O Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Helena Medeiros, localizado no Parque Lagoas do Norte, está desenvolvendo o Projeto Mundo da Imaginação. Por meio dessa iniciativa, pretende-se resgatar os contos de fadas e fábulas que estão um pouco ausentes da vida escolar e também do cotidiano de algumas crianças.

O objetivo é ensinar que a leitura também é um instrumento para a aprendizagem e que inserida de forma prazerosa, com ferramentas lúdicas, permite às pessoas explorarem mundos diferentes dos seus, reais ou imaginários. Com isso, elas se aproximam de outras pessoas e de suas ideias, que as converte em exploradores de um universo que é construído com a imaginação.

O projeto teve início no ano passado e é voltado a alunos do Maternal ao II Período. Uma vez na semana são dramatizadas histórias infantis, onde os pequenos interagem, se divertem e aprendem de forma lúdica.

“As crianças são levadas a refletir sobre os componentes que são comuns à maioria dos contos de fadas e estimuladas a ter o gosto pela leitura. Além disso, desperta nelas a criatividade e a imaginação, incentivando também a produção e a compreensão de textos”, explica a diretora do Cmei, Ana Karina Araújo.

Foto: Divulgação (Semec)