Atividades educativas do Maio Amarelo chegam às escolas municipais de Teresina

Ascom Semec

A aula desta terça-feira (21) na Escola Municipal Mocambinho foi sobre segurança no trânsito. Essa é a primeira unidade de ensino a receber as ações programadas para este ano em alusão ao Maio Amarelo. Palestras, exibição de vídeos e rodas de debates serão utilizados como espaços de sensibilização para a causa.

A Comissão Intersetorial de Segurança no Trânsito, que conta com a participação de diversos profissionais da Prefeitura de Teresina, conversou com 160 alunos do 6º ano da E.M. Mocambinho. O diálogo foi no sentido de alertar sobre a importância de respeitar as leis de trânsito e até mudar o comportamento dos condutores.

“A mobilização é para conscientizar mesmo, informar os jovens para que sejam impactados com os perigos do trânsito quando não há respeito às regras. Eles já vivenciam situações reais em casa e podem levar essas informações aos pais, quem sabe construindo um trânsito mais seguro”, afirma Audea Lima, coordenadora de Educação no Trânsito da Secretaria Municipal de Educação (Semec).

Mais seis escolas municipais receberão as atividades nas próximas semanas. Todas funcionam em jornada de tempo integral e estão alinhando a ação com o planejamento da disciplina Projeto de vida e protagonismo juvenil. Durante os espaços construídos pelos parceiros, os estudantes têm a oportunidade de fazer perguntas e emitir opinião sobre os temas abordados.

O aluno Paulo Henrique, de 13 anos, conta que já sabia muito sobre o tema, mas confessa que também viu novidades. “Sabemos que o que é proibido é exatamente para salvar nossas vidas, como não beber e dirigir ou respeitar o limite de velocidades. Hoje entendi melhor como essas leis foram feitas e como é o trabalho dos órgãos de fiscalização”, disse.

A próxima atividade é na Escola Municipal Areolino Leôncio, zona Rural da cidade, com oito turmas participantes.

Estudantes aprendem sobre capitalismo e impactos ambientais

Ascom Semec

Os alunos da Escola Municipal Professor Ubiraci Carvalho participaram de uma vivência interdisciplinar com a temática do capitalismo e impactos ambientais. A iniciativa foi do professor de geografia, Francivaldo dos Santos, que propôs uma pesquisa comparativa do entorno da escola com outros espaços da cidade para que os alunos observassem a relação sociedade-natureza, descrevendo os principais contrastes espaciais e suas configurações sociais, sob o prisma do Capitalismo.

A ideia contagiou outros professores e a ação foi, também, analisada pelas disciplinas de Ciência, analisando o impacto ambiental nas diferentes paisagens urbanas; Artes onde constataram sobre as diferenças na urbanização, considerando o contexto capitalista e Inglês, estudando os termos em inglês como base da comunicação nos diversos ambientes da cidade.

Os espaços visitados pelos alunos e professores foram o Mercado do bairro Renascença, Shopping Rio Poty, Universidade Federal do Piauí e a Avenida principal do Dirceu.

“Participamos da pesquisa de campo e observamos o espaço, as desigualdades e as variações linguísticas de cada um. Foi um momento muito bom, pois interagimos com as pessoas e fizemos perguntas sobre o local”, conta Camilly Victoria, aluna que participou da atividade.

O projeto interdisciplinar envolveu os componentes curriculares de geografia, com o professor Francivaldo dos Santos, ciências, professor responsável José Airton, artes com o professor Jonilson Oliveira e inglês com o professor Marcos Vinicius, objetivando a interação dos alunos com a vivência prática, onde foi possível identificar a leitura espacial da cidade e as contradições do consumismo, que reflete as desigualdades e a crise de valores, a poluição por meio do consumo e a influência estrangeira no cotidiano, que de certo modo, estão inseridos na vida de todos.

“A realização desta atividade teve uma grande relevância, pois os alunos puderam vivenciar a possibilidade das conquistas e realizações dos seus sonhos bem como acreditar que é possível sim chegar onde se deseja. Durante as aulas aconteceu o afloramento do desejo no coração de cada aluno de superação, da vontade de evoluir, da expectativa de dias melhoras”, explica Francivaldo dos Santos.

Para Jonilson Oliveira, professor de artes, sair da sala de aula para ver e fazer este paralelo do conteúdo de sala com a prática, faz com que o entendimento do conteúdo aconteça com mais facilidade. “O aprendizado jamais será esquecido por todos que foram envolvidos na atividade. Participar desta atividade é reafirmação da vocação de ser educador e ter a certeza que tudo vale a pena sim, basta amar o que se faz, pois os objetivos serão atingidos e tudo acontecerá”, finaliza o professor.

Semec capacita auxiliares que apóiam crianças com deficiência nas escolas da Prefeitura

Ascom Semec

Em 2019 a Prefeitura de Teresina matriculou em suas unidades de ensino mais de 3 mil alunos com algum tipo de deficiência física ou mental. Para ajudar na rotina escolar dessas crianças, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) conta com 780 auxiliares de apoio à inclusão, que estão passando por uma capacitação a fim de qualificar o trabalho desses profissionais nas escolas. (mais…)