HUT realiza ações educativas em alusão ao Maio Amarelo

Ascom HUT

Com o intuito de sensibilizar seus pacientes, acompanhantes e servidores sobre prevenção de acidentes de trânsito, o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) realizou durante toda a manhã desta quarta-feira (14) ações educativas em alusão ao Maio Amarelo. Em parceria com a Polícia Rodoviária Federal do Piauí (PRF), Superintendência Municipal de Transportes de Trânsitos (STRANS) e Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) foram realizadas palestras e blitzen educativas, distribuição de panfletos informativos e lacinhos amarelos, símbolo da campanha.

Josélia Carvalho, assistente social do HUT, coordenou a campanha no hospital e falou da importância de se realizar ações como essa. “Por ser um hospital de urgência e emergência, nós atendemos a maior demanda de vítimas de acidentes de trânsito, não só da capital, mas também pacientes de outras cidades do estado do Piauí e Estados vizinhos. Temos uma demanda bem significativa envolvendo vítimas de acidente de trânsito, portanto ter acesso a essas informações de como prevenir, pode no futuro ajudar a diminuir esses números. Educação no trânsito é essencial e fundamental na vida de todos nós”, destacou Josélia.

Daniel Veras, inspetor da Polícia Rodoviária Federal, explicou o porquê do HUT fazer parte da campanha Maio Amarelo. “A gente sabe que mais de 80% das pessoas vítimas de acidentes de trânsito atendidas no HUT foram acidentes envolvendo motocicleta. Nossa ação é direcionada, principalmente, para esse público. Existe uma campanha mundial onde todos os órgãos se juntam, e nós da Polícia Rodoviária Federal estamos aqui para sensibilizar nossa população e contribuir para reforçar a necessidade de se obedecer as leis de trânsito”, disse o inspetor.

Samyra Motta, gerente de educação no trânsito da STRANS, explica que essas informações precisam ser repassadas para que as pessoas tenham uma postura melhor no trânsito. “Nada melhor do que estar aqui conversando com todos para que adotem uma postura melhor no trânsito e não precisem voltar aqui outra vez. Um dos fatores de riscos que a gente trabalha mais é alta velocidade, pois agravam e muito o acidente no trânsito. Outro fator preocupante é a combinação de bebida alcoólica e direção, pois a pessoa perde a noção de tempo e espaço”, explicou Samyra.

Lucas da Silva, 29 anos, trabalha como mototaxista e está internado no HUT após ter sofrido um acidente de trânsito a poucos metros de sua casa. “Eu estava saindo de casa, a poucos metros, um cara veio em minha direção e colidiu de frente comigo. Ele estava embriagado, na contramão e a moto com o farol apagado. Tive fratura exposta na perna. Já passei por cirurgia e agora é esperar ter condição de alta” disse o paciente.

No primeiro trimestre desse ano, o HUT atendeu 3.231 vítimas de acidente de trânsito, destas 2.734 foram vítimas envolvendo motocicletas, o que corresponde a 85% do total de acidentes. Os demais foram 327 atropelamentos, 136 vítimas de acidentes de carro e 34 com outros veículos. Durante todo o ano de 2018, o HUT atendeu 10.631 casos de acidentes de trânsito.

O ‘Maio Amarelo’ é uma campanha intitulada pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de reduzir os acidentes de trânsito. Este ano, em sua 6ª edição a campanha traz o tema “No trânsito, o sentido é a vida”, aprovado pelo Conselho Nacional de Trânsito e recomendado na Resolução nº 771, de 28 de fevereiro de 2019.

HUT promove evento sobre prevenção de acidentes de trabalho

Em alusão ao Dia Mundial de Segurança e Saúde (28 de abril) e ao Dia do Trabalhador (01 de maio), o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) promoveu uma palestra sobre prevenção de acidentes de trabalho e valorização da vida. A palestrante foi a psicóloga Sara Ramalho Sá, especialista em análise de comportamento aplicado e MBA em gestão estratégica de pessoas, com atuação na área clínica e empresa organizacional.

Durante o evento, Sara Ramalho destacou como algumas atitudes podem contribuir para melhorar a qualidade de vida no ambiente de trabalho. “É muito importante esse olhar da gestão no ambiente de trabalho dos seus colaboradores. Essa preocupação é essencial para melhorar a qualidade de vida dos servidores, visando inclusive a saúde mental e psicológica. A pessoa quando está bem em todos os campos da vida consegue desenvolve com muito mais qualidade seu trabalho”, ressaltou a psicóloga.

Segundo Miriam Coimbra, presidente da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), durante o mês de maio serão desenvolvidas várias ações educativas direcionadas à prevenção e saúde dos trabalhadores. “Vamos promover ações que possam contribuir para melhorar ainda mais as condições de trabalho dos nossos colaboradores. Com isso, eles estarão aptos para desenvolverem suas atribuições com mais segurança”, explicou a presidente.

Clara Leal, diretora geral do HUT, destacou a importância da realização de eventos voltados à saúde do servidor. “Estamos sempre preocupados com o bem-estar dos nossos colaboradores. São eles que tornam nosso serviço uma referência em urgência e emergência para todo o Piauí e até outros estados”, disse.

A campanha Maio Verde foi sancionada pelo prefeito Firmino Filho em fevereiro de 2018 pela Lei n°5.175 e já faz parte do calendário oficial do município. O evento foi realizado pelo HUT por meio da sua Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), em parceria com a Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema).

 

HUT registra aumento de 64% em acidentes de trabalho graves

No primeiro trimestre deste ano o Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NHE) do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou 146 casos de acidentes de trabalho graves, o que corresponde a um aumento de 64% se comparado com o mesmo período do ano passado, que contabilizou 89 casos. Dentre esses atendimentos 130 foram homens e 16 mulheres. Com relação ao tipo, os acidentes de trajeto correspondem a 54% do total, com 79 notificações, seguido pelo acidente típico, com 63, e os não informados, com 4 notificações.

Durante o ano de 2018 o NHE do HUT notificou 546 casos de acidentes de trabalho graves. De acordo com o enfermeiro Rui Cipriano, gerente do NHE, ter conhecimento sobre o perfil desses pacientes é essencial para ajudar na elaboração de políticas públicas pelos órgãos competentes.

“Quanto mais detalhados forem os dados, mais informações teremos para montar o perfil dessas pessoas. Por exemplo, sabemos que quanto ao tipo de acidente o HUT realizou 79 atendimentos de vítimas de acidentes de trabalho graves durante o deslocamento para o trabalho ou vice versa. Isso representa 54% do total desse tipo de atendimento. A partir dessa informação é possível o planejamento de ações de prevenção e controle de acidentes de trabalho”, explicou o gerente.

No ano de 2018, considerando os acidentes de trabalho graves e não graves, o HUT realizou 4.556 atendimentos. Dentre esses, 3.941 foram homens e 615 mulheres. Com relação aos tipos de acidentes 2.694 foram vítimas de acidentes típicos, ou seja, que ocorrem durante o exercício do trabalho a serviço de uma empresa e 1.791 foram acidentes de trajeto, quando ocorrem no percurso do local de residência para o trabalho ou vice versa.

Luciano Richelly, 43 anos, natural de Campo Maior, é artesão e está internado no HUT após ter os dedos da mão esquerda decepados durante o manuseio de uma lâmina que utiliza para cortar madeira. Segundo Luciano, no momento do acidente ele estava usando os equipamentos de proteção individual, porém, eles não foram suficientes para evitar a perda dos dedos. “Eu estava manuseando uma máquina reta, quando chegou uma cliente me solicitando um serviço, a lâmina da máquina estava cega e de repente ela travou, virou e atingiu meus dedos”, explica Luciano.

Pode ser classificado como acidente de trabalho aquele que ocorre no exercício de uma atividade remunerada que provoque lesão corporal ou perturbação funcional, podendo causar a morte, a perda ou a redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho.

HUT é referência nacional pela segunda vez na realização de cirurgias de fratura de face

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) ficou em primeiro lugar na lista dos hospitais que mais realizaram cirurgias de fratura de face com osteossíntese, no Brasil, em 2018. Esse procedimento utiliza placas e parafusos para o processo de estabilização das fraturas. De acordo com dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), dos 463 hospitais do Brasil que realizam esse tipo de procedimento, o HUT ficou em primeiro lugar com 286 cirurgias de redução e fixação de fraturas de face (com osteossíntese), seguido do Hospital Geral da Bahia, com 255 cirurgias, e do Hospital de Urgência de Presidente Dutra, no Maranhão, com 224 procedimentos.

A pesquisa feita pelo DATASUS também revelou que o HUT ficou em terceiro lugar, com 472 cirurgias, entre os 993 hospitais do Brasil que realizam cirurgias de face sem uso de placas e parafusos. Em primeiro lugar ficou o Hospital Regional de Arapiraca, em Alagoas, com 562 cirurgias, e em segundo lugar o Hospital Bom Pastor, no Rio Grande do Sul, com 544 procedimentos.

De acordo com o cirurgião buco-maxilo-facial do HUT, Dr. Salomão Oka, cerca de 85% dos pacientes que passam por algum tipo de cirurgia de fratura de face são vítimas de acidentes com motocicletas. Os demais pacientes são vítimas de outros acidentes de trânsito e de violência por agressão física ou arma de fogo.

“Essa estatística do HUT é alarmante, porém, ela também nos mostra o patamar de excelência que o nosso hospital vem alcançando nos últimos anos. Nossa equipe de cirurgiões buco-maxilo-faciais é a que mais realiza procedimentos no Brasil. É uma equipe especializada que está conseguindo dar uma resolutividade incrível para o maior hospital de urgência e emergência do nosso estado. Estamos atentos a todos os casos que chegam ao HUT e que necessitam de uma atenção mais especializada. Alta complexidade em urgência e emergência na área de buco-maxilo-facial é no HUT”, destacou o cirurgião.

No ano de 2016 o HUT encabeçou essa mesma lista pela primeira vez, realizando 576 cirurgias de face e 352 cirurgias de fratura de face com osteossíntese. Segundo a diretora geral do HUT, Dra. Clara Leal, estas cirurgias são complexas e têm um custo elevado para o Hospital. “Por conta da grande demanda e do fato desses procedimentos serem de alta complexidade, com uso de placas e parafusos para reconstrução da face, o HUT termina ficando com uma despesa muito alta. Para se ter uma ideia, em uma cirurgia de reconstrução de face é possível utilizar cerca de 15 placas e até 70 parafusos. Cada placa tem um custo médio de R$ 400,00”, ressaltou a diretora.

Entre janeiro e março deste ano, o HUT atendeu 2.410 vítimas de acidentes de trânsito. Dentre estes, 2.045 foram vítimas de acidentes com motocicletas, 94 vítimas de acidentes com carro, 250 atropelamentos e 21 outros meios de transporte. No total geral, o HUT realizou 13.778 atendimentos e 3.215 cirurgias, também entre janeiro e março deste ano.

 

Crianças internadas na Unidade de Queimados do HUT ganham festa de páscoa

As crianças internadas na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) ganharam uma festa em comemoração à Páscoa.  Balões coloridos, distribuição de lembrancinhas e bolo garantiram a alegria das crianças, que esqueceram por alguns instantes que estavam internadas em um hospital. De acordo com a terapeuta ocupacional do HUT, Nadjira Riedel, essa quebra na rotina é importante, pois ajuda na interação entre as crianças e contribui para acelerar o processo de recuperação dos pacientes.

“Essas atividades lúdicas deixam o ambiente hospitalar menos estressante e mais humanizado. Além disso, conseguimos deixar nossas crianças mais à vontade e receptivas ao tratamento. Tudo isso contribui sobremaneira para acelerar o processo de recuperação e, consequentemente, o retorno pra casa”, explicou a terapeuta.

Andressa Lopes, mãe da pequena Maria Aparecida, de apenas oito anos, disse que a filha está internada há 24 dias na UTQ do HUT após sofrer uma descarga elétrica nas duas mãos. Ela contou ainda que a festinha ajudou a filha a esquecer que está internada. “Momentos como esses são muitos importantes, pois ajudam a gente a se distrair. Minha filha brincou e se divertiu muito”, comentou a mãe.

O HUT é o único hospital do estado do Piauí que oferece à população uma unidade especializada no tratamento de vítimas de queimaduras. Com especialistas de plantão 24 horas, a Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do HUT recebe pacientes vítimas de queimaduras de média e alta complexidade.

As queimaduras são classificadas de acordo com a gravidade, do 1° ao 4° grau. As de 1° grau são aquelas consideradas mais simples que atingem a pele superficialmente. As queimaduras de 2° grau atingem a epiderme e a derme da pele caracterizada pela formação de bolhas. Já as de 3° grau podem atingir até os músculos e outros tecidos. As de 4° grau acometem todos os tecidos da pele e podem atingir órgãos e tendões.

 

HUT registra aumento de 143% no atendimento de vítimas de arma branca

O setor de estatística do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou, durante o feriado prolongado da Semana Santa, um aumento de 143% no atendimento de vítimas de agressão física por arma branca, se comparado com o mesmo período do ano passado. Dentre as vítimas de agressão física o HUT realizou 34 atendimentos, sendo 17 por arma branca, 9 por arma de fogo e 8 espancamentos. Com relação ao total de atendimento por agressão física o aumento foi de 41,6%. No total o HUT realizou 549 atendimentos e 146 cirurgias, durante o feriado da Semana Santa.

Especializado no atendimento de média e alta complexidade para urgência e emergência, especialmente, para vítimas de trauma, o HUT realiza seu atendimento priorizando os pacientes mais graves. De acordo com a diretora geral do HUT, Clara Leal, essa medida obedece ao Protocolo de Acolhimento com Classificação de Risco que é um dispositivo da Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde.

“Ao direcionar nosso atendimento para os pacientes mais graves aumentamos as chances de sobrevivência, principalmente, quando se trata de politraumatizados. Temos uma grande estrutura física, equipamentos de ponta, além de profissionais especializados para atender demandas com esse perfil”, explicou Clara Leal.

O HUT já realizou, desde sua inauguração, 745.820 atendimentos e 139.986 cirurgias. Somente no primeiro trimestre deste ano o HUT atendeu 398 vítimas de arma branca, revelando um aumento de 18%, se comparado com o mesmo período do ano passado. Com relação ao atendimento geral, o HUT atendeu, nesse primeiro trimestre, 13.778 pessoas e realizou 3.215 cirurgias.

Serviço Social do HUT promove encontros com familiares de crianças internadas na UTI

Criança internada é sempre motivo de muitas dúvidas e incertezas para a família e amigos. Com o intuito de tentar minimizar esse sofrimento o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) está promovendo, mensalmente, por meio do seu Projeto Dialogando, um encontro multiprofissional com os familiares e responsáveis pelas crianças internadas na UTI Pediátrica. O objetivo do Projeto é proporcionar uma maior interação das equipes com as famílias, além de promover um diálogo mais esclarecedor e acolhedor.

Dr. Carlos Leonardo, médico intensivista pediátrico, destacou que durante essas reuniões é possível fazer uma explicação mais detalhada do quadro clínico das crianças e, assim, deixar os pais e familiares mais tranqüilos e seguros.

“Esclarecemos da forma mais transparente possível sobre o tratamento instituído para tentar restaurar a saúde das crianças internadas. Dessa forma, estreitamos os laços com os familiares e fortalecemos a confiança nas equipes de saúde. Já percebemos que esses encontros tem colaborado muito para tornar ainda mais ativa a participação das famílias no processo de recuperação dos nossos pequenos pacientes”, explicou o médico.

Vindo da cidade de Parnaíba, distante cerca de 340 Km de Teresina, o senhor Antônio Francisco, participou da reunião realizada essa semana para tirar dúvidas sobre o quadro de saúde do neto que está internado na UTI Pediátrica, por conta de uma pneumonia bilateral grave. Ele disse que achou a conversa muito esclarecedora e que serviu para tranqüilizar mais a família. “Como o tempo de visita na UTI é restrito ficamos apreensivos, querendo saber mais detalhes do tratamento. Com esse encontro tive a oportunidade de tirar muitas dúvidas e agora poder acompanhar a recuperação do meu neto mais tranqüilo”, disse.

Josélia Macedo, assistente social do HUT, que acompanha de perto os casos das crianças internadas na UTI, comentou que o Projeto Dialongando, capitaneado pelo Serviço Social do Hospital, tem facilitado a comunicação da equipe multiprofissional com as famílias. “Nesses encontros deixamos claro qual a função de cada profissional da equipe para que compreendam o papel de cada um. É nesse momento também que repassamos horários de visitas, bem como normas e rotinas para que a estadia das famílias se torne a menos dolorosa possível. O Serviço Social também acompanha todo o processo de internação até a alta hospitalar”, explicou.

A UTI Pediátrica do HUT possui 10 leitos, sendo que atualmente seis são ocupados com crianças consideradas “moradoras”, ou seja, internadas sem previsão de alta. Além disso, o HUT mantém uma enfermaria adaptada com mais quatro crianças também consideradas moradoras, mas que já iniciaram o processo de desospitalização. Todas as famílias dessas crianças são acompanhadas pelo Serviço Social do Hospital.

Ascom HUT

 

Profissionais do HUT participam de atualização em medidas de precaução e isolamento

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) irá realizar um curso de atualização em Medidas de Precaução de Isolamento para todos os seus profissionais de saúde, nos dias 9 e 10 de abril, das 15h às 17h, no auditório. O objetivo é prevenir a transmissão de microorganismos patogênicos de um paciente para outro, de um paciente para um profissional ou vice e versa. Com isso, o HUT aumenta a segurança do paciente e do servidor, além de contribuir para uma melhorar ainda mais a qualidade da assistência.

De acordo com Dra. Rosania Oliveira, infectologista e gerente da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do HUT, as medidas de precaução de isolamento são essenciais para prevenir as infecções cruzadas, que é transferência de microorganismos de uma pessoa para outra. “Medidas simples como a lavagem correta das mãos, antes e depois de qualquer procedimento, pode evitar a transmissão de microorganismos. Essas medidas trazem mais segurança para o paciente e para o profissional de saúde”, destacou a infectologista.

Marilene Siqueira, chefe da Unidade de Educação Continuada, falou que esses cursos são importantes para manter as equipes atualizadas com o que há de mais moderno nos protocolos hospitalares.

“Estamos orientando todas as equipes para que fiquem atentas para as técnicas de precaução de isolamento, pois são imprescindíveis para a segurança do paciente e do próprio profissional de saúde. A prevenção é o melhor caminho para termos uma saúde mais resolutiva e de qualidade”, ressaltou a infectologista.