HUT registra aumento de 24% nos atendimentos no carnaval desse ano em relação ao de 2021

Neste carnaval, o pronto atendimento do Hospital de Urgência de Teresina, Zenon Rocha (HUT) registrou aumento de 24%, com 997 atendimentos, em relação ao carnaval do ano passado.

O HUT também registrou aumento de 10% nas cirurgias de urgência de alta e média complexidade e 5% a mais no número total de internações. O balanço da unidade de estatística tem como base as entradas realizadas a partir da sexta (25/02) até as 23h59h dessa quarta (02/03).

Durante o período, as ocorrências envolvendo traumas lideraram as entradas da emergência, 161 pessoas foram vítimas de acidentes de trânsito, 144 envolvendo motocicletas. Os números mostram que houve um crescimento de 10% nesse perfil em relação a 2021. “A exemplo das vítimas por trauma tivemos 32% a mais nesse período de agressões físicas por arma de fogo ou instrumentos perfuro-cortantes”, explica Fábio Marcos de Sousa, diretor geral do HUT.
Outros motivos de procura registradas com destaque na unidade de saúde foram corpo estranho no olho, dor abdominal pélvica, queda mesmo nível, dor no ouvido e nos membros inferiores.

A faixa etária de 21 aos 40 anos foi responsável pela maioria das entradas na instituição. Já em relação aos municípios, Teresina liderou com 70% dos atendimentos, 23% de cidades do interior do Piauí e 7% de outros estados.
O Hospital de Urgência de Teresina é referência em trauma para todo o Piauí, além de alguns municípios do Maranhão, Pará e Tocantins.

Serviço de endoscopia do HUT conta com equipamentos de ponta e atende todo o Estado

Unidade de referência de urgência, 100% SUS da rede municipal de Teresina, o serviço de endoscopia do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) realizou 1.177 procedimentos em 2021, recorde desde 2008.

A coordenadora do serviço de endoscopia, Simone Oliveira, conta que, com aquisição de novos equipamentos (broncoscópios, gastroscópios, colonoscópicos) de alta resolução, gerando imagens precisas, somadas aos equipamentos que o HUT já possui, amplia e melhora o atendimento a pacientes adultos e infantis que necessitam de endoscopia intervencionista. “A endoscopia do HUT vai além de diagnóstico, é efetivamente terapêutica, diminuindo ou eliminando a doença”, conclui.

As diferentes modalidades de terapêutica avançada endoscópica tanto em vias aéreas e digestivas (alta e baixa) combinam técnicas de desobstrução, controle de sangramento persistente (hemorragias) e remoção de corpo estranho, geralmente acometendo mais as crianças. Tem sido constatado que os objetos mais propensos a serem engolidos são: moedas, baterias e partes pequenas de brinquedos, já no caso de adultos, alimentos que ficam presos no segmento do trato digestivo, como espinhas de peixe e objetos como próteses dentárias.

O o diretor geral da unidade, Fábio Marcos de Sousa, destaca esse serviço que é prestado. “O HUT recebe casos complexos de endoscopia pelo Sistema de Regulação (em que o paciente vai a uma unidade de saúde e o médico faz encaminhamento) de toda a rede municipal e estadual, além de atender pacientes internados na própria unidade que necessitam de tratamento endoscópico como a gastrostomia (passagem de sonda alimentar) para que eles tenham condição de alta ou conforme a necessidade de urgência”, destaca.

Esse novo suporte de ponta traz a rede pública municipal tratamentos mais ágeis e maior conforto e segurança do paciente, durante a realização dos procedimentos de caráter emergencial. O serviço funciona 24 horas, além dos médicos, a equipe é composta por enfermeiros e técnicos de enfermagem realizando cerca de 150 intervenções por mês com mais de 15 mil procedimentos já realizados desde 2008.

HUT realizou 1.177 endoscopias em 2021. Foto: Ascom HUT

HUT implanta programa de odontologia hospitalar nas UTIs

O ambiente bucal é propício a proliferação de bactérias e fungos e ter dentistas nas UTIs ajuda no controle de infecções. De forma pioneira o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), unidade assistencial da Fundação Municipal de Saúde (FMS), em parceria com instituições de ensino superior, implantou o projeto de Odontologia Hospitalar. O serviço tem como foco a saúde bucal dos pacientes em estado crítico.

Por meio de suporte técnico e práticas aplicadas 20 graduandos em Odontologia do nono e décimo período da Uninassau-Redenção realizarão estágio sob presença de preceptoria nas UTIs e Unidades Críticas do HUT.

Todos os pacientes da UTI serão avaliados. A rotina prevê o treinamento, orientação e assessoria na condução do protocolo de higienização bucal. “O paciente internado na UTI possui um risco muito maior, uma vez que, geralmente, está impossibilitado de mastigar alimentos que promovem a limpeza dos dentes, e de fazer a limpeza propriamente dita, delegando essa tarefa aos profissionais da saúde”, explica a Infectologista Elna do Amaral, membro do Serviço de Infecção Hospitalar (SCIH).

Estatísticas da Anvisa dizem que pacientes que precisam ser intubados apresentam até 38% de chance de desenvolver Pneumonias associadas a Ventilação Mecânica (PAV), com o uso regular de respiradores artificiais há uma colonização excessiva de bactérias na cavidade oral e essas bactérias podem alcançar o pulmão, causando graves infecções, além de aumentar a taxa de mortalidade. Um episódio de PAV, além de prolongar o tempo de internação em aproximadamente 12 dias, aumenta os gastos com recursos e uso de antibióticos.

Para Fábio Marcos de Sousa, o hospital já vinha se preocupando para garantir uma assistência segura e livre de infecção e agora se estabelece a importância da relação entre formação profissional e o sistema público de saúde por meio de estratégias integrativas de ensino-serviço.

Para ele a adoção de novas práticas como a Odontologia Hospitalar está contemplada pelo Projeto Melhorando a Segurança do Paciente (PROADI-SUS) do qual o hospital participa com a consultoria do Hospital Sírio Libanês cujo objetivo é reduzir em 50% as infecções relacionadas à assistência nas UTIs em até 03 anos. Lembra Fábio, diretor geral do HUT.

Ouvidoria do HUT soluciona 86% das demandas registradas em 2021

A Ouvidoria no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) exerce um papel relevante na atual gestão hospitalar, ajudando a subsidiar melhorias com a participação dos servidores, pacientes, familiares e da própria comunidade. Entre Fevereiro de 2021 e Janeiro de 2022 o serviço registrou 239 manifestações, o histórico é referente a solicitações, reclamações, denúncias, elogios e sugestões.

Dados divulgados pela ouvidoria da unidade mostram que 86% das manifestações são respondidas com as devidas providências e encaminhamentos para soluções cabíveis em até 24 horas após o registro. Os números revelam ainda que do total de demandas, 60% são de usuários internados, 21% de acompanhantes e visitantes e 19% de servidores da unidade hospitalar. O principal canal de acesso para registro das manifestações foi através de mensagens através do whatsapp.
De forma contínua, também é aferido o grau de satisfação dos usuários do serviço público prestado no HUT. 69% relataram ótimo nível de satisfação com o trabalho desempenhado. A pesquisa está sendo aplicada desde maio de 2021 através do modelo conhecido como NPS, metodologia utilizada mundialmente para mensurar a percepção do público quanto aos serviços oferecidos.

Para o ouvidor do HUT, Ciro Coimbra, “a ouvidoria tem como missão promover, de forma permanente, a cidadania e o acolhimento do usuário, reconhecendo-o como pessoa e legítima a sua demanda”. Afirma.

Ciro Coimbra, Ouvidor do HUT

Na área da saúde, as ações de gestão e assistência têm como foco a qualidade da experiência do usuário. Não há como instrumentalizar a gestão do SUS sem a participação da sociedade, ressalta o diretor geral da unidade, Fábio Marcos de Sousa. “As manifestações devem ser registradas formalmente na Ouvidoria, as demandas emanadas por outros meios dificultam a apuração dos fatos, as ações corretivas ou o aproveitamento de sugestões viáveis da nossa administração pública”. Conclui.

O Serviço de Ouvidoria da maior urgência pública vinculada a Fundação Municipal de Saúde (FMS) disponibiliza canais gratuitos de atendimento ao cidadão seja de forma presencial na porta de entrada do pronto atendimento ou de modo remoto por ligação telefone: (86) 3218-5199 ramal 2066, por mensagem de texto no whatsapp (86) 99562-6683 ou ainda através do e-mail: ouvidoria1.hut@gmail.com

HUT fecha parceria com a clínica-escola da Uninassau para reabilitação pós-trauma

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) e o Centro Universitário Mauricio de Nassau (UNINASSAU-Redenção) fecharam nesta semana uma parceria no sentido de promover a reabilitação pós-trauma através da fisioterapia com todo o suporte e respaldo científico atualizado de cuidados com o paciente pós-alta hospitalar.

No HUT, maior unidade pública de assistência em traumatologia da região, vítimas de trauma correspondem a cerca de 69% dos atendimentos cirúrgicos de média e alta complexidade, a grande maioria (88%) são de pacientes que sofreram acidentes de trânsito envolvendo motocicletas.

O trauma engloba diferentes pontos de cuidado, num primeiro momento, o cuidado tem de ser urgente para manter a vida do paciente e minimizar possíveis sequelas, já na fase de acompanhamento, a transição para a clínica-escola da Uninassau após a internação, visando sempre o melhor resultado na terapêutica dos pacientes, explica Fábio Marcos, diretor geral do HUT.

A importância da reabilitação no trauma é evidenciada pelas pesquisas que demonstram preocupação com a recuperação funcional e ocupacional, fundamental para o retorno às atividades diária. A clínica escola está localizada em frente ao Hospital com equipamentos e equipe multiprofissional com forte ligação para o acompanhamento ambulatorial pós-hospitalar.

Para a professora Lilian Guimarães, diretora da Uninassau a parceria com o HUT permitirá aos alunos a vivência da prática profissional em dois níveis de atenção à saúde: o tratamento e a reabilitação. “Na Clínica-escola, nosso aluno vivencia todas as práticas profissionais e atendimento aos pacientes, fazendo com que a relação instituição-comunidade se aproxime ainda mais”, comenta.

A reabilitação pós-trauma de trânsito é uma demanda social, O projeto vai contemplar pacientes com lesões ortopédicas que necessitam recuperar através da fisioterapia. “Queremos oferecer uma solução mais completa possível, com o maior número possível de opções gratuitas em assistência a saúde aos nossos usuários que são 100% SUS, finaliza Hormone Rodrigues, diretor médico.

HUT divulga perfil epidemiológico das vítimas de acidentes de trânsito

Dra Yatamira Aguiar apresenta tese de doutorado em epidemiologia e saúde pública Vida Após o Trauma no Trânsito Fotos(Ascom/HUT)

A Organização das Nações Unidas (ONU) entende os acidentes de trânsito como um problema de saúde pública, em razão de serem acompanhados pela elevada gama de incapacidades e índice de mortalidade. Com objetivo de identificar o perfil das vítimas de acidentes de trânsito o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) reuniu, dia 13 de janeiro, diretores, gerentes, líderes assistenciais e representantes da Fundação Municipal da Saúde (FMS) para apresentar o perfil epidemiológico do trauma ocasionado no trânsito.

Análise do perfil das vítimas não fatais faz parte da tese de doutorado em Epidemiologia e Saúde Pública “Vida Após o Trauma no Trânsito”, da fisioterapeuta e servidora do HUT, Dra. Yatamira Aguiar.

Os resultados colhidos, no período entre novembro de 2019 a março de 2020, mostram que a prevalência de homens (85,8%) condutores de veículos (81,7%) do tipo motocicleta (88,4%) em idade produtiva, são os que mais sofrem acidentes trazendo graves consequências socioeconômicas para a sociedade, uma vez que em decorrência do acidente, interrompem suas atividades, deixam de gerar renda e ocasionam custos ao sistema de saúde com internações hospitalares e reabilitações.

“O trauma engloba diferentes pontos de cuidado da rede, desde o transporte SAMU, 49% dos pacientes pesquisados utilizaram esse transporte pré-hospitalar até atendimento pós-cirúrgico e multiprofissionais de reabilitação”, explica Yatamara.

Quanto ao tipo de lesão dos acidentados, observam-se que as vítimas apresentam padrão de politraumas, sendo os mais freqüentes: traumatismo cranioencefálico (54,8%), fraturas de ossos da face (32,8%) e fraturas da extremidade inferior (29,6%).

Sobre esse contexto, identificou-se que as principais especialidades envolvidas são ortopedia, bucomaxilo (cirurgias da face) e neurológica com tempo médio de internação em torno de 12 dias, representando cerca de 69% das cirurgias realizadas na unidade hospitalar.

Para o diretor geral do HUT, Fábio Marcos de Sousa “este conjunto de informações permite que realizemos uma série de análises, as quais oportunizam que intervenções mais assertivas no mais diferentes níveis de atenção à saúde para reduzir riscos e consequentemente preservar vidas”, destacou.

A realidade reforça a necessidade de deslocar atenção para além do hospital, visto o grande destaque para o desrespeito as leis de trânsito. A pesquisa identificou que 53,2% das vítimas disseram ter feito uso de bebida alcoólica e 69,2% não utilizavam equipamentos de segurança. Teresina está entre as capitais com proporções mais baixas de referência ao uso de capacete.

O HUT, maior unidade de assistência de alta complexidade em traumatologia de urgência e emergência do Estado, registrou 9.190 atendimentos de vítimas do trânsito em 2021, sendo a maior causa de cirurgias a um custo médio de três milhões somente em Órteses, Próteses e Materiais Especiais utilizadas no tratamento desse perfil de internação.

HUT reuniu diretores líderes assistenciais e representantes da FMS para apresentar o perfil de vitimas de acidentes no trânsito

HUT fecha 2021 com mais de 54 mil atendimentos

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou até o último dia de 2021, 54.178 atendimentos, com predominância da região entre rios que abrange Teresina e cidades próximas, mas também de usuários que também vem de outros estados.

Em relação às cirurgias de média e alta complexidade foram 15.210 realizadas, com recorde desde 2008 no mês de Julho. Cerca de 70% são traumas ortopédicos, neurológicos e bucomaxilo associados ao perfil de vítimas do trânsito que representaram a maior entrada do pronto atendimento em 2021, cerca de 9.190 vítimas. Já na urgência oftalmológica obteve-se uma média de 7.674 atendimentos.

(Foto: Ascom/HUT)

Além disso, a unidade de diagnósticos por imagens também registrou recorde desde a abertura no mês de Agosto, realizando um total de 142.871 exames entre raio-x, tomografia, ultrassonografia e biópsias durante o ano.

Outros casos que tiveram destaque na quantidade de atendimentos na urgência de trauma no ano foram: vítimas de agressões físicas (3.022) e por quedas (5.953).

Já o balanço das entradas na semana do ano novo (29-Dez a 02-Jan), no HUT houve queda de 18% nas internações em relação ao mesmo período do ano anterior.

Hormone Rodrigues, diretor técnico da unidade explica que mesmo com a demanda alta durante todo ano, não houve sobrecarga por leitos no nosso pronto atendimento, nem pacientes aguardando nos corredores e não suspendemos outros tipos de atendimentos. Graças a ajustes nos processos de gerenciamento hospitalar possibilitando um bom controle das internações, maior dinamismo e previsibilidade dos atendimentos. Frisou.

Atualmente a estrutura assistencial do HUT conta com 375 leitos clínicos e intensivos, sendo a maior unidade pública de saúde em urgência e emergência do Piauí.

HUT realiza mais de 700 atendimentos no final de semana do Natal

Teresina lidera os atendimentos com 504 entradas, seguido por outras cidades do interior do Piauí e Maranhão com 225 usuários Fotos(Ascom/HUT)

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou, durante a semana do Natal, 729 atendimentos, sendo que 263 pacientes foram considerados casos graves representando 36% das entradas. Nesse período, a unidade de saúde realizou 143 procedimentos cirúrgicos, 52% dessas cirurgias foram urgências. O balanço tem como base as entradas realizadas a partir da quarta (22) até esse domingo (26).

Durante o feriado, as ocorrências envolvendo acidentes de trânsito com motocicletas foram destaque no pronto atendimento, com 17% dos casos. Outros casos registrados na unidade de saúde foram corpo estranho no olho, dores abdominais e nos membros inferiores e agressões físicas com 41 de entradas no período. Os casos clínicos em destaque foram: mal súbito (143) e quedas (74).

Teresina lidera os atendimentos com 504 entradas, seguido por outras cidades do interior do Piauí e Maranhão com 225 usuários.

O diretor geral do HUT, médico Fábio Marcos, ressalta que o quadro de profissionais para atender as ocorrências durante o período da virada do ano, que inicia na quinta-feira (30), será reforçado nos serviços de urgência e emergência. A medida preventiva é necessária porque se espera um aumento no fluxo de pacientes durante o período. “Acidentes de trânsito e lesões causadas por arma de fogo e arma branca tendem a lidera os atendimentos”, diz o diretor.

Atualmente, o HUT conta com 375 leitos clínicos e intensivos, sendo a maior unidade pública de saúde no atendimento de alta e média complexidade da região entre rios.

Musicoterapia faz a alegria de pacientes e servidores do HUT

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) disponibilizou uma novidade para auxiliar na recuperação dos pacientes: a musicoterapia, com a proposta de oferecer um atendimento cada vez mais humanizado para pacientes, familiares, cuidadores e colaboradores, levando o canto e música instrumental para os internados nos postos, enfermarias e para os servidores e acompanhantes em áreas de convivência da unidade.

A frente da ação está o Grupo de Trabalho em Humanização (GTH) que nessa edição contou com músicos e instrumentistas voluntários do projeto Música em Movimento. “O principal benefício é trazer momentos de reflexão, melhora do humor e de relaxamento no restabelecimento de funções físicas, mentais e sociais no atendimento ao usuário SUS”, resume à assistente social e coordenadora, Osfrany Martins.

Os pacientes se emocionaram bastante com a edição dessa quarta (22). “Muito bonita a homenagem, gostei muito do projeto. Me trouxe um sentimento bom ouvir essas músicas e saber que tem pessoas cantando para gente”, disse Noemi dos Santos, de 22 anos, paciente da clínica ortopédica.

Para o diretor geral do HUT, Fábio Marcos, “A música desperta emoções e estimula o bem-estar, sendo muito importante no processo de recuperação do paciente e uma boa forma de mudar o clima dentro da unidade, trocando a apreensão e a tristeza causadas pela doença por um sentimento de esperança e alegria e tranquilidade”, conclui.

Estudos apontam que o ato de se expressar por meio da música ajuda a melhorar a frequência cardíaca e respiratória e se mostra muito eficaz contra os sintomas de ansiedade e depressão.
A técnica é uma combinação entre arte e saúde e serve para promover comunicação, expressão e aprendizado, favorecendo o relacionamento entre profissionais e pacientes.

No HUT Grupo de Trabalho em Humanização (GTH) proporcionou atividade musical. Foto: Ascom HUT

Musicoterapia no HUT. Foto: Ascom HUT

 

HUT promove conscientização sobre HIV e Aids

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) promoveu na manhã dessa sexta (17/12) palestra em prol da Campanha Dezembro Vermelho que marca o mês de luta e conscientização contra HIV/AIDS.

A ação da Unidade de Educação Continuada (UEC) foi direcionada para servidores, usuários, visitantes e acompanhantes com a proposta de chamar atenção para as medidas de prevenção e assistência, vez que indicadores de 2021 do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NHE) registraram 43 casos de pacientes com HIV/AIDS entre pacientes internados na Unidade Hospitalar, sendo 31 homens e 12 mulheres. Dados do Ministério da Saúde apontam que no Piauí houve um aumento de 1.830% de casos na última década (2010 a 2019).

Apesar de andarem juntos, HIV e AIDS não são a mesma coisa. Uma pessoa, após ter sido infectada pelo vírus HIV, pode permanecer muitos anos sem desenvolver nenhum sintoma. A AIDS é a manifestação do vírus, o estágio mais avançado da infecção pelo HIV e surge quando a pessoa apresenta infecções oportunistas devido à baixa imunidade ocasionada pelo vírus. Explica Roseanne Nunes, enfermeira e especialista no assunto.

Fábio Marcos, diretor geral do HUT ressalta que quanto mais informações as pessoas recebem, mais conscientes e propagadoras elas podem ser tornar. “Quando falamos em AID/ HIV, sabemos que a prevenção é o melhor remédio. Porém, muitas pessoas não têm acesso à informação correta, por isso, fizemos esta roda de diálogo e distribuição de preservativos para que possamos disseminar o conhecimento para pacientes, parentes e amigos”, explica.

Para evitar a transmissão da AIDS, recomenda-se o uso de preservativo durante as relações sexuais. Outras formas de prevenção são a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), uma medida de urgência que protege apenas contra o vírus HIV e que pode ser usada após uma relação sexual desprotegida; e a Profilaxia Pré-Exposição (PREP), medicação para uso diário pela população-chave, como profissionais do sexo e casais sorodiferentes.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) realiza a distribuição gratuita de preservativos, para ter acesso, basta se dirigir aos estabelecimentos públicos de saúde, além de ofertar consultas, exames e medicamentos gratuitamente para pessoas convivendo com AIDS/HIV através do Serviço de Atendimento Especializado localizado no Centro de Saúde Lineu Araújo.

Foto: Divulgação (HUT)