Oleiros, vazanteiros e artesãos participam de reunião de estruturação de projeto com técnicos do Lagoas do Norte

A equipe de técnicos e direção do Programa Lagoas do Norte foi até o bairro Olarias e à Vila Apolônia na manhã desta sexta-feira (07) para conversar com as comunidades de artesãos, oleiros e vazanteiros sobre as necessidades que esses profissionais têm de estruturação dos seus locais de trabalho. Na consulta, foi possível captar qual tipo de espaço eles precisam e quais os materiais necessários para o desenvolvimento das atividades econômicas.

O Lagoas do Norte já tem mapeadas essas atividades e mantém conversas com as comunidades. A partir disso, já foi desenvolvida uma ideia inicial para atendimento. “Hoje a comunidade é próxima e temos esperança de que o projeto chegue logo para que a gente possa resolver todos esses problemas. A comunidade gosta de trabalhar e estamos querendo é meios. Todos aqui somos órfãos porque perdemos nossos pais para o trabalho escravo nas olarias. O que queremos é melhorar as condições do nosso trabalho”, afirma Eliude Gomes de Sousa Silva, presidente da Associação dos Oleiros e Artesãos.

Os oleiros e artesãos estão trabalhando nos barracões no fundo de suas casas, com muitas famílias dividindo o mesmo espaço em condições insalubres, sem local adequado para o armazenamento da argila nem do produto final. Também necessitam de espaço para que os caminhões de transporte estacionem, de forno para a queima das peças e de espaço para a comercialização.

Já os vazanteiros enfrentam problemas de estrutura nas cercas. Eles reclamam que animais de médio porte danificaram as cercas que protegem as vazantes e comeram a produção, causando prejuízos constantes.

O programa está estudando e projetando, em consonância com as comunidades, as alternativas para a solução das demandas. “O programa já está em conversa com essas comunidades há algum tempo e sabemos quais são as suas necessidades. Vamos dar sequência ao projeto com o objetivo de proporcionar que eles tenham melhores condições de produção tanto nas vazantes quanto nos barracões dos oleiros e artesãos”, afirma Bruno Quaresma, diretor-geral do PLN.

O Lagoas do Norte já tem mapeadas essas atividades e mantém conversas com as comunidades. Foto: Ascom (Lasgoas do Norte)

Direção do Lagoas do Norte faz primeira reunião do ano com Comitê de Acompanhamento

A direção do Programa Lagoas do Norte realizou, nesta quarta-feira (28), a primeira reunião do ano com os membros do Comitê de Acompanhamento das Obras e Ações do Programa, entidade formada por líderes comunitários dos 13 bairros de atuação do programa.

Durante o encontro, o diretor-geral Bruno Quaresma, informou aos membros do comitê sobre a nova licitação para contratar a empresa que finalizará a obra do Canal do Matadouro, as ações socioambientais e também sobre o planejamento das próximas obras.

“Tivemos esse primeiro encontro com o comitê e a intenção é que seja uma agenda periódica. Entendemos que a entidade é um elo entre o programa e as comunidades, por isso é de grande importância mantermos estreitos esses laços”, afirma Bruno Quaresma.

O Lagoas do Norte tem, atualmente, cerca de R$ 23 milhões sendo investidos. São obras localizadas nas lagoas do São Joaquim, Oleiros, Piçarreira e Mazerine, e ainda no Canal do Matadouro.

O Lagoas do Norte tem, atualmente, cerca de R$ 23 milhões sendo investidos Foto(Ascom/Lagoas do Norte)

Parque Lagoas do Norte recebe gradeamento para proteger frequentadores e equipamentos públicos

O Programa Lagoas do Norte está implementando gradeamento em algumas áreas do Parque Lagoas do Norte com a finalidade de proteger tanto os frequentadores, praticantes de atividades físicas, como os equipamentos públicos que pertencem ao parque.

Ao longo de sua existência, o parque vem sendo alvo constante de ação de vândalos e criminosos, com mais de 90 boletins de ocorrência registrados no 7º Distrito Policial sem que nenhuma atitude tenha sido tomada para responsabilizar os culpados.

“Diante de tantas ações criminosas contra o patrimônio público e os frequentadores, o alto gasto com manutenção, foi pesquisada e planejada essa obra de gradeamento do parque. Ela está orçada em R$ 1,123 milhão e deve ser finalizada ainda neste primeiro semestre”, explica Bruno Quaresma, diretor geral do programa.

Com extensão linear de 1.900 metros e 28 portões para que a população possa acessar todos os equipamentos sem precisar se deslocar muito, o gradio foi projetado para proteger apenas as áreas em que estão localizados os equipamentos, ficando livres aquelas em que as margens das lagoas estão próximas dos passeios e ruas. Assim, a população poderá continuar contemplando a beleza das lagoas.

A experiência da Prefeitura com a construção de parques indica que aqueles que são gradeados ofertam segurança e, por isso, são mais frequentados, a exemplo do Parque da Cidadania, Parentão, Parque da Cidade, Parque do Mocambinho e até praças, como a Praça dos Eucaliptos, no bairro Acarape. Ao longo do tempo tem se observado que a população sente-se segura nesses espaços e a incidência de crimes é quase nula.

Doutor Pessoa visita sede do Lagoas do Norte, programa que deve ser concluído em três anos

Na manhã deste sábado (24) o prefeito de Teresina doutor Pessoa esteve na Unidade de Gerenciamento do Programa Lagoas do Norte (UGP), traçando metas para a conclusão do projeto. Na oportunidade, estiveram presentes o vice-prefeito Robert Rios e o secretário municipal de planejamento, João Henrique Sousa.

O primeiro ponto visitado foi o Canal do Matadouro, uma obra que, mesmo antes de ser concluída, já mudou a realidade do bairro com a construção de 4,3 km de rede de esgotamento e a drenagem adequada para o escoamento das águas da chuva que correm pelo canal. O local receberá instalação de piso, pista de caminhada, iluminação, playground, bancos, lixeiras e outros equipamentos.

“Dentre todas as obras, a do canal do matadouro é a que vai ser concluída mais rapidamente. Nós estamos fazendo uma nova licitação, devido a duas empresas terem abandonado a obra. A expectativa é de que esteja concluída em seis meses. Estamos reestruturando o projeto, tanto a parte estrutural, quanto a parte social”, disse Bruno Quaresma, diretor do Programa Lagoas do Norte (PLN).

Ao todo, o programa está investindo atualmente cerca de R$ 23 milhões em obras de drenagem, saneamento básico e requalificação do Canal do Matadouro e três lagoas situadas na zona norte da capital: Mazerine, São Joaquim, Piçarreira e Oleiros.

“A Administração do doutor Pessoa pretende concluir esse projeto em três anos no máximo. Tivemos uma reunião com o Banco Mundial e a nossa busca é essa. O prefeito hoje está visitando todo o projeto, vendo o que é necessário e preciso para recuperar todas as áreas degradadas do entorno do PLN”, ressaltou João Henrique Sousa, secretário de planejamento.

As obras do PLN foram projetadas para resolver o problema histórico de alagamentos e inundações nas regiões das lagoas, que afetava a vida das famílias que precisavam se abrigar em escolas, quadras esportivas e por vezes passavam meses longe de casa. Com as obras já realizadas, as comunidades que vivem no entorno das lagoas do Cabrinha e Lourival, região do bairro Mafrense e Matadouro, deixaram essa dura realidade para trás.

“O Projeto Lagoas do Norte tem 50% das obras concluídas em cerca de 12 anos, e a nossa meta é concluir todo o projeto em três anos. E isso vai fluir em um curto espaço de tempo porque trabalhamos de forma integrada, por isso os resultados vem de forma natural e consistente. Vamos transformar esse local, alinhando a natureza com a economia e o social. Estou muito feliz com a nossa gestão, que trabalha incansavelmente para oferecer o melhor para população de Teresina, destacou doutor Pessoa.

O prefeito também falou sobre a segurança das comunidades que são abrangidas pelo PLN. O Parque Lagoas do Norte, por exemplo, vem sofrendo com furtos da fiação, deixando o local sem iluminação e propiciando um ambiente favorável para prática de crimes.

“Vamos realinhar também a segurança do local que tem sofrido constantemente com a criminalidade. Vamos acionar os órgãos de segurança, que juntamente com a Guarda Municipal que preza pelo patrimônio público, deverão mudar a realidade da segurança desse lugar”, concluiu.

Programa Lagoas do Norte

O Lagoas do Norte é um programa inserido na Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação. Ele tem cunho integrado e multissetorial, reunindo ações sociais, de desenvolvimento econômico, culturais, obras de saneamento básico, drenagem e urbanização de áreas degradadas, ambientais e de prevenção à violência. O programa está na sua segunda etapa, com previsão de U$ 88 milhões para serem aplicados em recursos do Banco Mundial. As obras, ações e projetos do PLN são realizados em uma área formada por 13 bairros da região Norte da cidade.

Equipes do Lagoas do Norte e Banco Mundial finalizam missão de monitoramento

Fotos: Ascom Programa Lagoas do Norte

A semana de missão virtual de acompanhamento do Programa Lagoas do Norte com a equipe do Banco Mundial, encerrou nesta sexta-feira (23). Em pauta, os projetos, ações e obras que estão em andamento e a prospecção do que o Lagoas do Norte poderá executar durante a sua vigência.

Na reunião de encerramento, o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, João Henrique de Almeida Sousa, ressaltou a importância que o programa tem para a zona Norte da cidade sob os aspectos social, de saneamento básico, drenagem, cultura, economia, meio ambiente, gestão pública, educação e saúde da população, com foco na melhoria de vida das pessoas que vivem nos 13 bairros de abrangência.

“Queremos continuar fazendo do Lagoas do Norte um programa com projeção nacional e internacional como um case de sucesso e exemplo a ser seguido”, declarou João Henrique Sousa durante a reunião de encerramento.

De acordo com o diretor geral do programa, Bruno Quaresma, a missão foi uma oportunidade de conhecer mais profundamente todos os projetos e ações que o Lagoas pretende realizar nesta segunda fase.

“Tivemos uma semana muito proveitosa com essa missão. Estou fazendo parte da equipe há pouco tempo e é uma oportunidade de aprendizado e de mais integração. O Lagoas do Norte é um programa muito abrangente e estamos focados em direcionar todos os projetos para que ele alcance todo o sucesso pretendido”, disse Bruno Quaresma.

Atualmente, existem três grandes obras acontecendo na região. São projetos que buscam resolver os problemas de drenagem nas regiões compreendidas entre as lagoas do Mazerine, São Joaquim, Oleiros e Piçarrerira. Além disso, o programa trabalha na reestruturação do Canal do Matadoudo. Ao todo, estão sendo investidos cerca de R$ 23 milhões, com recursos oriundos do Banco Mundial.

Programa Lagoas do Norte reúne técnicos do Banco Mundial e representantes de secretarias para tratar de projetos

Fotos: Ascom Programa Lagoas do Norte

O Programa Lagoas do Norte reuniu, nesta terça-feira (20), os técnicos do Banco Mundial e membros das secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Agenda 2030 para discutir o andamento de projetos que são coordenados pelo programa junto a essas pastas, com financiamento da entidade financeira.

A reunião integra agenda da missão virtual de acompanhamento do programa e do banco. O objetivo é estreitar e alinhar as informações sobre o andamento desses projetos. O Lagoas do Norte coordena e financia ações e obras que buscam reestruturar sistemas, gestão e o atendimento que acontece em algumas secretarias.

Com a Agenda 2030, o Lagoas do Norte trabalha com o projeto Mulheres Pelo Clima, que é a estratégia de Teresina para o enfrentamento das mudanças climáticas sensível ao gênero. Ele tem como finalidade construir uma capacidade de liderança em mulheres vulneráveis à mudança climática através de uma transformação da percepção social das potencialidades associadas a suas atividades produtivas. O foco é no desenvolvimento econômico, redução da violência de gênero, educação ambiental e coesão social.

A parceria se dá na estruturação de soluções em obras e gestões que possam garantir essa construção. Entre as soluções estão a reforma do Ecoponto do Lagoas do Norte, local em que cerca de 20 mulheres recicladoras fazem a triagem e manipulação dos materiais coletados.

A proposta prevê a reorganização do centro de triagem e do setor administrativo, que deverão contar com zonas de triagem, pesagem e armazenamento mais adequados, vestiários, refeitório, mezanino, auditório, salas de capacitação e banheiros. Além de capacitar essas mulheres, a ideia também é proporcionar melhores formas de desenvolvimento de suas atividades econômicas. Para as recicladoras, a proposta é que elas possam utilizar bicicletas elétricas equipadas com carrinho. Isso poderá proporcionar maior segurança e capacidade de armazenamento dos produtos coletados e que elas possam fazer trajetos mais longos em busca do material. Também será formatado um modelo de gestão colaborativo junto às recicladoras

Já a parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam) está permitindo que essa secretaria seja totalmente reformada, tenha seus sistemas modernizados e desburocratizados, com a capacitação de servidores e compra de equipamentos. Durante a reunião, a secretaria solicitou maior aporte para as obras e prazo para a realização de obras.

“Tivemos uma reunião bastante proveitosa para que os novos gestores possam compreender o andamento dessas parcerias e propor as modificações e ajustes necessários para que esses projetos se desenvolvam de forma eficiente. Ainda nessa missão com o Banco Mundial, estamos discutindo vários aspectos de reestruturação do Lagoas do Norte também. Assim, vamos avançar para beneficiar a população da zona norte”, afirma Bruno Quaresma, diretor geral do programa.

Parque Lagoas do Norte recebe gradeamento para proteger frequentadores e equipamentos públicos

O Programa Lagoas do Norte está implementando um gradeamento em algumas áreas do Parque Lagoas do Norte com a finalidade de proteger tanto os frequentadores, praticantes de atividades físicas, como os equipamentos públicos que pertencem ao parque.

Ao longo de sua existência, o parque vem sendo alvo constante de ação de vândalos e criminosos, com mais de 90 boletins de ocorrência registrados no 7º Distrito Policial sem que nenhuma atitude tenha sido tomada para responsabilizar os culpados.

“Diante de tantas ações criminosas contra o patrimônio público e os frequentadores, o alto gasto com manutenção, foi pesquisada e planejada essa obra de gradeamento do parque. Ela está orçada em R$ 1,123 milhão e deve ser finalizada ainda neste primeiro semestre”, explica Bruno Quaresma, diretor geral do programa.

Com extensão linear de 1.900 metros e 28 portões para que a população possa acessar todos os equipamentos sem precisar se deslocar muito, o gradio foi projetado para proteger apenas as áreas em que estão localizados os equipamentos, ficando livres aquelas em que as margens das lagoas estão próximas dos passeios e ruas. Assim, a população poderá continuar contemplando a beleza das lagoas.

A experiência da Prefeitura com a construção de parques indica que aqueles que são gradeados ofertam segurança e, por isso, são mais frequentados, a exemplo do Parque da Cidadania, Parentão, Parque da Cidade, Parque do Mocambinho e até praças, como a Praça dos Eucaliptos no bairro Acarape. Ao longo do tempo tem se observado que a população sente-se segura nesses espaços e a incidência de crimes é quase nula.

Doutor Pessoa entrega 80 unidades habitacionais a moradores da zona Norte e celebra 100 primeiros dias de gestão

 

Fotos: Rômulo Piauilino / Semcom

O prefeito de Teresina Doutor Pessoa iniciou a celebração dos seus primeiros 100 dias de gestão entregando 80 unidades habitacionais do residencial Parque Brasil a famílias atendidas pelo Programa Lagoas do Norte e pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação.

Estiveram presente na solenidade seis famílias que representaram também os outros beneficiados para que não houvesse aglomeração na solenidade. Na ocasião, o prefeito comentou a alegria de poder proporcionar mais dignidade com a casa própria.

“Estamos muito felizes de poder garantir a essas famílias esse sabor da cidadania porque a casa, o lar, são muito importantes para qualquer pessoa. A nossa gestão agora, chegando nos 100 primeiros dias, começa a entregar os benefícios para a população, principalmente àqueles que mais precisam”, destacou o prefeito.

Além das famílias beneficiadas, estiveram presentes o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, João Henrique Sousa, o vice-prefeito e secretário de Finanças, Robert Rios, o secretário municipal de Governo, Adolfo Nunes, o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Edmilson Ferreira, a superintendente da Saad Norte, Ana Paula, a secretária municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Eliana Lago, o presidente da Câmara Municipal de Teresina, Jeová Alencar, e o líder do prefeito na Câmara, vereador Renato Berger.

O secretário João Henrique Sousa destacou a importância do Programa Lagoas do Norte no atendimento às famílias que vivem em áreas de risco. “Esse instante é muito simbólico para a comemoração dos 100 primeiros dias da gestão do Dr. Pessoa. Este ano já reafirmamos o desejo da continuidade do Programa Lagoas do Norte que traz um simbolismo enorme para a cidade e a entrega dessas 80 unidades habitacionais é uma demonstração do trabalho voltado para o povo que precisa de atenção e cuidado”, declarou.

O diretor geral do Lagoas do Norte, Bruno Quaresma, explicou que o residencial é apenas uma das opções ofertadas pelo programa às famílias atendidas. “O que o programa faz é dar oportunidade a essas pessoas para que elas possam melhorar suas vidas, indo morar em uma casa ou apartamento seguros, sem risco de alagamentos, sem risco das paredes ou do teto caírem. A continuidade desse trabalho é que vai proporcionar uma melhoria de vida para todos que precisam”, disse.

A dona de casa Francisca Iara Alves, que vivia na Vila Apolônia, contou como está sendo a transformação da sua vida com a nova residência. “É um sonho porque eu vivo com a minha mãe, idosa e cadeirante. Na minha casa não tinha nem banheiro, eu dava banho nela no quintal. Então, agora, nossa vida vai mudar muito”, relatou emocionada.

O secretário Edmilson Ferreira contou como é a parceria entre a Semduh e o Lagoas do Norte. “Esse é um trabalho integrado do Programa Lagoas do Norte com a Semduh e a Semplan, no qual todos os serviços estão sendo instalados, como a iluminação pública, a limpeza da área e a entrega das chaves nesse momento. A partir de agora, essas famílias já poderão fazer a mudança para o Parque Brasil. Isso significa mudar de uma situação de risco para um imóvel digno e honrado, onde essas famílias podem ter uma vida melhor daqui para frente”, ressalta o secretário da Semduh, Edmilson Ferreira.

O residencial é composto de 1.022 unidades, entre casas e apartamentos, e foi construído pelo Lagoas do Norte em parceria com a Caixa Econômica Federal através do Minha Casa, Minha Vida. Projetado pela equipe do programa, as casas e apartamentos têm padrão elevado em relação aos demais empreendimentos da Caixa no restante do país. Além das unidades terem uma metragem maior (49m²), o residencial é dotado de toda a infraestrutura necessária para garantir qualidade de vida às famílias.

Ele possui rede de esgotamento sanitário com estação de tratamento, abastecimento de água com reservatório próprio, ruas asfaltadas, iluminação, áreas verdes e outras áreas destinadas à construção de escolas. Além disso, possuem várias escolas, unidade de saúde, comércio, hospitais e rede de transporte nas proximidades.

As casas possuem sala, cozinha, dois quartos, banheiro adaptado e área de serviço. Os apartamentos têm a mesma planta e metragem. Os prédios são dotados de área social, estacionamento e gradio. As famílias que já exerciam algum tipo de atividade econômica dentro de casa em seu endereço de origem, como mercearia, marcenaria, oficina, dentre outros, são beneficiadas com lotes maiores e podem receber capacitação para recompor sua atividade no novo endereço.

Prefeito Dr. Pessoa entrega 80 casas do Programa Lagoas do Norte

Dando início ao cronograma de obras a serem entregues nos primeiros 100 dias de gestão, o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, fará, nesta segunda-feira (14), a entrega das chaves de unidades habitacionais do residencial Parque Brasil a famílias atendidas pelo Programa Lagoas do Norte e pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação – Semduh. A solenidade está marcada para às 12h, na sede da Unidade de Projeto Socioambiental, localizada no prédio do Parque Lagoas do Norte.

Estarão presentes seis famílias beneficiadas com unidades habitacionais, como forma de evitar aglomerações. Atualmente, o Lagoas do Norte e a Semduh estão atendendo mais de 80 famílias que deverão se mudar em breve para as novas unidades.

O residencial é composto de 1.022 unidades, entre casas e apartamentos, e foi construído pelo Lagoas do Norte, em parceria com a Caixa Econômica Federal, através do Minha Casa, Minha Vida. Projetado pela equipe do programa, as casas e apartamentos têm padrão elevado em relação aos demais empreendimentos da Caixa no restante do país. Além das unidades terem uma metragem maior (49m²), o residencial é dotado de toda a infraestrutura necessária para garantir qualidade de vida às famílias.

Ele possui rede de esgotamento sanitário com estação de tratamento, abastecimento de água com reservatório próprio, ruas asfaltadas, iluminação, áreas verdes e outras áreas destinadas à construção de escolas. Além disso, possuem várias escolas, unidade de saúde, comércio, hospitais e rede de transporte nas proximidades.

As casas possuem sala, cozinha, dois quartos, banheiro adaptado e área de serviço. Os apartamentos têm a mesma planta e metragem. Os prédios são dotados de área social, estacionamento e gradio. As famílias que já exerciam algum tipo de atividade econômica dentro de casa em seu endereço de origem, como mercearia, marcenaria, oficina, dentre outros, são beneficiadas com lotes maiores e podem receber capacitação para recompor sua atividade no novo endereço.

“Estamos avançando na entrega das unidades habitacionais para que possamos garantir a essas famílias mais qualidade de vida porque esse é o objetivo do Lagoas do Norte. Mais de 600 unidades já estão ocupadas por famílias que antes viviam em condições precárias, em casas alagadas. E estamos também trabalhando na formatação de um planejamento social para ser desenvolvido com essas famílias, com o objetivo de incentivar a sociabilidade e estimular o desenvolvimento econômico, geração de renda e a convivência harmônica”, destaca Bruno Quaresma, diretor geral do Programa Lagoas do Norte.

O residencial possui 1.022 unidades, entre casas e apartamentos, e conta com uma infraestrutura completa de drenagem, rede de esgoto, abastecimento de água, ruas asfaltadas com capacidade para receber o sistema de transporte público. A obra iniciou em 2018, teve investimento de mais de R$ 107 milhões e é financiada com recursos do banco mundial.

As casas possuem sala, cozinha, dois quartos, banheiro adaptado e área de serviço Fotos(Ascom/Semduh)

 

Lagoas do Norte trabalha projeto social junto a famílias que estão ocupando o residencial Parque Brasil

O Programa Lagoas do Norte está iniciando o trabalho social junto às famílias que estão ocupando as 1.022 unidades habitacionais do residencial Parque Brasil. Para isso, está sendo licitada a contratação de uma empresa especializada, que fará a implementação de ações e projetos de acompanhamento dessas famílias.

Para garantir a plena ocupação pelas famílias que optaram morar no residencial, o Projeto de Trabalho Social (PTS) vai corroborar com o exercício da participação dos beneficiários, por meio de ações de natureza educativa e informativa, de modo a possibilitar a organização das famílias ocupantes.

Dentro dessas ações a serem realizadas estão a mobilização, organização e fortalecimento social; acompanhamento e gestão social; educação sanitária patrimonial e ambiental; e o desenvolvimento socioeconômico, geração de trabalho e renda.

O trabalho leva em conta os diversos aspectos que buscam garantir a qualidade de vida das famílias. “No processo de reassentamento, o programa sempre leva em consideração a situação particular de cada família. Exemplo disso é a manutenção de vizinhança, pessoas que querem permanecer morando próximas de familiares, também famílias que possuem algum tipo de fonte de renda em casa quando se mudam nós garantimos que elas possam continuar com seus negócios. Então, são observadas todas as condições para que essas famílias melhorem suas vidas, morando em uma residência segura, longe dos alagamentos”, afirma Bruno Quaresma, diretor geral do programa.

O Programa Lagoas do Norte construiu o residencial Parque Brasil em parceria com a Caixa Econômica para que seja ofertado às famílias que atende como forma de reassentamento. O conjunto habitacional é dotado de estrutura completa de drenagem, abastecimento com caixa d’água própria, esgotamento sanitário com estação de tratamento dos resíduos, ruas asfaltadas, iluminação pública, prédios de apartamentos com área social, gradio e estacionamento, áreas verdes e áreas destinadas à construção de escolas.

Mais de 660 famílias já se mudaram para o local. São famílias atendidas tanto pelo Lagoas do Norte como pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação. E outras continuam sendo beneficiadas. Na semana passada, a Caixa realizou o sorteio de 80 endereços de novos moradores.