Museu de História Natural deve ser reativado no Jardim Botânico de Teresina

Equipe da Semam fez visita para avaliar reativação do Museu de História Natural /Fotos: Ascom Semam

O Jardim Botânico de Teresina, zona Norte, é uma das maiores áreas de preservação ambiental da cidade e nesta sexta-feira, 22, recebeu a visita dos técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam). O local que foi criado em 2011, ainda está fechado para visitação.

Com mais de 36 hectares de área verde e diversas trilhas ecológicas, o local é um exemplar intocável da floresta nativa do nordeste brasileiro, praticamente sem nenhuma alteração humana.

“Aqui nós temos um potencial muito grande para desenvolver ações de educação ambiental. O Jardim Botânico era referência na pesquisa e cultivo de plantas medicinais, com laboratório de Botânica e herbário, um ambiente excepcional para o estudo acadêmico da medicina tradicional. Além disso, nós tínhamos aqui também um Museu de História Natural que está desativado. Todas essas informações vamos levar até a secretária para pensarmos quais ações podemos implantar para reativar o Parque”, explica Naisis Andrade, gerente do Núcleo de Educação Ambiental (NEA).

Semam inicia trabalho educacional de conscientização e preservação em parques ambientais da zona Norte

Técnicos da Semam em visita ao Parque Encontro dos Rios / Foto: Ascom Semam

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), através do Núcleo de Educação Ambiental (NEA), deu início a várias ações de conscientização e preservação ao visitar os principais parques e áreas verdes da zona Norte de Teresina.

O trabalho começou pelo Parque Encontro dos Rios. “Começamos por aqui, mas vamos chegar a todos. Esse é um pedido da própria secretária Elisabeth Sá que quer ampliar e fortalecer toda a rede de proteção ambiental da nossa cidade”, afirmou a gerente do NEA, Naisis Andrade.

A equipe do NEA foi conhecer de perto a realidade desses locais para planejar ações concretas de proteção, sobretudo, na preservação dos animais silvestres que vivem na região. As placas de aviso até estão lá para alertar quem passa pelo local, mas não tem sido suficiente.

“Aqui nós temos um problema antigo. Vários animais como cágados, jacarés, iguanas e até capivaras já foram mortas pela ação do homem. Muitos são atropelados por carros e até traficados. Precisamos reforçar esse trabalho de educação ambiental, mas principalmente garantir a segurança e proteção desses animais”, alertou Jaqueline Lustosa, ambientalista e defensora da causa há mais de 15 anos.

Como resultado da visita, a secretária Elisabeth Sá, solicitou a confecção de mais placas e já pediu o apoio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) para reforçar a sinalização no local.

 

Avenidas da zona Norte recebem plantios de 150 mudas nativas e frutíferas

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro Norte (SDU Centro/Norte), através do Programa de Arborização, está realizando o plantio de 150 mudas de árvores nativas e frutíferas (Caneleiro, Ipê Amarelo, Ipê Roxo, Canafístula, Gonçalo Alves, Mangueira, Cajá) sendo 70, em quatro avenidas do Residencial Jacinta Andrade e 80 mudas na Alameda das Conquistas e Avenida Francisco Nogueira, Residencial Francisca Trindade.

A ação tem como objetivo tornar a cidade mais verde e com isso o clima mais ameno, especialmente nas áreas mais distantes do Centro de Teresina. “Aproveitando o período chuvoso, estamos fazendo esses plantios em avenidas, praças e parques da zona Norte”, disse Clóvis Júnior, engenheiro agrônomo da SDU Centro/Norte.

Em breve, o programa vai levar a ação para o Parque dos Cocais, localizado no Residencial Francisca Trindade, onde serão plantadas cerca de 250 mudas nativas e frutíferas. “A nossa ideia é trabalhar para que a nossa cidade esteja cada dia mais arborizada e consequentemente com o clima mais agradável”, explicou.

Além dos plantios de mudas nas avenidas, parques e praças na região Norte, a SDU Centro Norte tem um viveiro de mudas, que fica localizado na avenida Duque de Caxias, no bairro Buenos Aires, próximo ao Jardim Botânico, tem o funcionamento de segunda a sexta-feira, no horário das 7h30 às 11h.

As pessoas que quiserem mudas frutíferas e nativas devem comparecer ao viveiro com um comprovante de endereço e identidade, assim recebem as mudas. O viveiro atende às famílias que moram nas zonas Norte e Sul de Teresina. “Cada família pode solicitar até dez mudas e assim a prefeitura está colaborando para deixar a nossa cidade mais vezes e com o clima maia agradável”, disse.

A ação tem como objetivo tornar a cidade mais verde e com isso o clima mais ameno Foto: (Ascom/SDU Centro/Norte)

Secretária de Meio Ambiente firma parceria para fiscalização e preservação ambiental

Semam faz parceria para desenvolver mais ações ( Foto: Ascom Semam)

A secretária municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), Elisabeth Sá, recebeu a visita de uma equipe da Fundação Velho Monge para alinhar as ações de preservação ambiental. A entidade, que há mais de 15 anos presta um importante trabalho de defesa dos recursos hídricos do Piauí, vai unir esforços com a SEMAM para garantir um trabalho conjunto de fiscalização e preservação.

“Viemos para nos apresentar para a nova secretária e reforçar nosso trabalho, principalmente o de gerenciamento hídrico da bacia hidrográfica do rio Parnaíba. A Fundação Velho Monge tem, dentre suas finalidades, a defesa do meio ambiente, da causa ecológica, além de apoio à pesquisa, fomentando a educação e a cultura sempre em vista do desenvolvimento sustentável”, destacou Benedito Rubens, professor e pesquisador da Fundação.

Um dos projetos pelos quais a fundação tem trabalhado ativamente é o de revitalização da bacia hidrográfica do rio Parnaíba. Iniciativa que terá total apoio da SEMAM. “Vamos elaborar um plano de trabalho para um termo de cooperação técnica entre as instituições. Quanto mais parceiros melhor e mais efetiva serão nossas ações de preservação que ajudarão a transformar as questões ambientais”, afirmou a secretária.

 

Reunião define parceria para elaboração de plano conjunto de educação ambiental

A secretária municipal de Meio Ambiente, Elisabeth Sá, se reuniu na manhã desta quarta-feira, 6, no Palácio da Cidade com o prefeito de Teresina, Doutor Pessoa, juntamente com a diretoria da Equatorial Piauí, para firmar parceria para elaboração de um plano conjunto de educação ambiental.
“Precisamos somar para preservar. Teresina e sua população têm sofrido muito com as chuvas e com a falta de energia, provocada por vários fatores, entre eles, a queda de árvores. Estamos juntos nessa causa para conscientizar as pessoas sobre a importância das podas das árvores em suas casas e também a conscientização da preservação do meio ambiente para evitar problemas ainda maiores”, destacou a secretária.

Foto: Rômulo Piauilino

Além disso, durante a reunião, a secretária da Semam garantiu ainda a distribuição de quase 300 mudas de plantas que serão doadas a empresa para o plantio das árvores que caíram nos últimos dias em várias áreas de Teresina.

O prefeito da cidade, Doutor Pessoa, cobrou urgência nas ações. Solicitou ainda a renovação e ampliação da rede de distribuição que garanta energia de qualidade a população.

“Somos uma nova gestão e gostaria de pedir que a empresa estivesse de manhã, de tarde, de noite e de madrugada, de olhos abertos para que a população, comerciantes que têm os seus freezers, sobretudo na nossa região que é quente, não fique desassistido. Peço atenção total”, enfatizou o gestor.

Maurício Velloso, presidente da Equatorial Piauí, reforçou a parceria e garantiu ações ainda mais efetivas. “Nessa reunião, esclarecemos sobre o fato atípico ocorrido no último dia 31, do temporal que afetou a rede elétrica e o fornecimento para 18% dos nossos clientes. Seguimos atuando nas ocorrências mais urgentes e saímos daqui com um plano de atuação integrado, incluindo uma campanha educativa sobre manutenção de árvores, que foi causa de 90% das ocorrências. Assumimos um compromisso com Teresina de seguir trabalhando para garantir energia com qualidade e segurança”.

Pedidos de autorização para poda de árvores aumentam no período das chuvas

Ascom/Semam

O período das chuvas tende a aumentar o cuidado da população com a poda de árvores, fazendo crescer o número de demandas de autorizações para realizar esse procedimento. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), responsável por emitir esse tipo de autorização, registrou, somente no mês de janeiro deste ano, 103 pedidos, número que quase duplicou se comparado com outubro de 2019, quando foram recebidas somente 56 solicitações.

O secretário da SEMAM, Olavo Braz, explica que, ao ser acionada, a Secretaria encaminha uma equipe de técnicos para realizar uma vistoria, a fim de apontar qual o tratamento precisa ser dado. “Ao chegar no local e verificar as condições da árvore, nossos técnicos identificam, por meio de laudo técnico, qual medida deve ser adotada, se é a poda ou mesmo a supressão arbórea. Nesse caso, a autorização é devidamente acompanhada de compensação ambiental”, pontua o secretário, acrescentando que, diante do volume de demandas, as equipes têm buscado agilizar aquelas que apontam urgência no processo de solicitação.

Após autorizado pelo órgão, o procedimento de poda ou retirada fica sob responsabilidade do proprietário do imóvel. Já nos espaços públicos, como praças, canteiros de vias, prédios públicos municipais e parques, o serviço é realizado por equipes disponíveis nas Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs), por meio das Gerências de Serviços Urbanos (GSUs).

Todo esse trabalho é executado em conformidade com a Lei Municipal 2.798/1999, que dispõe sobre a regulamentação e monitoramento da vegetação arbórea na zona urbana da capital.

Como solicitar esse tipo de autorização

As solicitações devem ser feitas via processo, aberto no protocolo da Semam, que consistem no preenchimento de um formulário simples, no qual devem ser anexadas as cópias dos documentos pessoais (RG e CPF) e comprovante de endereço. A Secretaria fica localizada no Parque da Cidade, na Avenida Duque de Caxias, 3520, bairro Primavera, zona Norte da capital. O atendimento ao público acontece de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 13h.

O requerimento deve ser realizado, obrigatoriamente, pelo dono do imóvel ou por um representante legal, ou pelos proprietários dos imóveis envolvidos, quando se trata de árvores inseridas na divisa de terrenos. No caso de árvores localizadas em condomínios, o síndico precisa apresentar a ata da assembleia que deliberou sobre o assunto ou abaixo-assinado constando posição favorável da maioria dos envolvidos.

Quando diz respeito a árvores em espaços públicos, a opção é fazer uso do aplicativo Colab.re, obtido gratuitamente nas lojas virtuais da Google (Play Store) e da Apple (App Store). Após fazer um cadastro simples, o usuário deve inserir imagem, descrição e localização da árvore.

Recolhimento de podas pode ser solicitado à Prefeitura

A Prefeitura de Teresina, por meio das suas SDUs, possui caminhões cadastrados para atender o serviço de recolhimento de resíduos de podas. O trabalho é feito mediante o pagamento de uma taxa, cujo valor é determinado de acordo com o volume do material a ser coletado.

A população também pode depositar restos de podas de árvores, até 1m³ por dia, em um Pontos de Recebimento de Resíduos (PRRs) espalhados pela cidade.

Parque Lagoas do Norte é arborizado com mudas de Angico e Flamboyant

Melhorar a arborização dos parques ambientais de Teresina tem sido uma das ações executadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), favorecendo o conforto térmico, sombreamento e embelezamento desses espaços, que têm sido cada vez mais ocupados pela população. Desta vez, o Parque Lagoas do Norte foi escolhido para receber 150 mudas de árvores, entre as espécies Angico e Flamboyant, inseridas na manhã desta sexta-feira (17).

O plantio de árvores foi uma forma de dar cumprimento à compensação ambiental do Corso do ano de 2019. A ação foi acompanhada pela ONG Mais Vida, responsável pelos cálculos das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) gerados durante o evento e, consequentemente, responsável por emitir o certificado de realização da medida compensatória.

Lideranças comunitárias da zona Norte também estiveram presentes e contribuíram com o trabalho de inserção das mudas de plantas. O presidente do Comitê de Acompanhamento do Programa Lagoas do Norte, Albertino Ribeiro, participou da ação e considera que medida deve trazer muitos benefícios para os frequentadores do parque.

O secretário da SEMAM, Olavo Braz, pontua que o órgão deve potencializar ainda mais o trabalho de arborização de Teresina, dando continuidade, por exemplo, à criação de bosques, plantio em parques ambientais e áreas similares e distribuição de mudas. “Estamos buscando investir cada vez mais na arborização da nossa cidade, tanto em ações de plantio quanto distribuição de árvores pela cidade”, destaca.

A quantidade de mudas de árvores plantadas nessa compensação ambiental foi estabelecida a partir de um cálculo baseado no protocolo de GEEs do Instituto CO2 Zero, cujos dados do volume emitido no referido evento foi levantado pela SEMAM e ONG Mais Vida.

 

Viveiros de Teresina disponibilizam mudas gratuitas para a população

A Prefeitura de Teresina, por meio do projeto Teresina Mais Verde, tem trazido mais verde e qualidade de vida à capital. O plantio e distribuição de mudas à população se torna ainda mais favorecido durante as chuvas. As doações são feitas de segunda à sexta, das 7h30 às 11h30, em dois viveiros: um na avenida Raul Lopes, próximo à Ponte da Primavera, zona leste, e outro no Parque Ambiental, no bairro Mocambinho, zona norte.

Clóvis Júnior, coordenador de Arborização do município, enfatiza o papel do verde no contexto atual. “A ideia é arborizar a cidade para dar vida aos nossos espaços coletivos e às casas. Além disso, as plantas são fundamentais para trazer bem-estar à população, purificando o ar e amenizando as mudanças climáticas que elevam as temperaturas”, disse.

No total, 80 mil mudas já foram preparadas e estão disponíveis nos viveiros para doação e a produção ainda continua. Um total de 10 mil já serão destinadas ao plantio, pela própria Prefeitura, em espaços públicos, como praças, avenidas e áreas verdes. A meta é que, até o fim do ano, todas tenham sido plantadas pela cidade. Dentre as espécies disponíveis nos viveiros, há uma variedade de plantas frutíferas, como mangueira, cajá, goiaba, ata, caju, açaí e acerola, e nativas, como os ipês amarelo e roxo, o caneleiro e Gonçalo Alves.

A equipe de arborização tem continuado as ações de pela cidade. Os trabalhos estão sendo realizados na Avenida Poty, que liga o Poty Velho à Santa Maria da Codipi, que está recebendo o plantio de 320 mudas. Na Avenida Sérgio Mota e na Alameda das Conquistas, outras 200 mudas nativas e frutíferas estão sendo plantadas. Mas projeto continua e tem estoque suficiente para atender todo o período chuvoso. “A Prefeitura tem feito um investimento amplo na arborização da cidade. Mas é importante a colaboração das pessoas também. Por isso, disponibilizamos mudas de forma gratuita para a população”, finaliza Clovis Júnior.

Parques ambientais: lazer e qualidade de vida para população

Semam

Os parques ambientais são importantes aliados na oferta de mais qualidade de vida para a população, na medida em que incorporam funções de lazer, socialização, equilíbrio ecológico, práticas de atividades físicas e esportivas. O Parque da Cidade, Estação Cidadania, Matias Matos, Encontro dos Rios e Parque da Macaúba, administrados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), são exemplos de equipamentos públicos que podem ser bem aproveitados pela população.

“Esses espaços, de certo modo, têm ajudado para diminuir o sedentarismo, reduzir os níveis de estresse gerados pelo cotidiano no meio urbano e favorecer mais momentos de interação entre as pessoas. São locais que podem, devem e estão sendo bem ocupados de múltiplas formas. Nesse sentido, também destacamos a importância dos visitantes contribuírem com a preservação desses parques ambientais”, destaca o secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Olavo Braz.

No Parque da Cidade, localizado no bairro Primavera, a população pode desfrutar de uma área com aproximadamente 17 hectares para realizar práticas esportivas, atividades físicas, trilhas ecológicas, piquenique e eventos diversos. O local também abriga o Batalhão de Polícia Ambiental do Estado do Piauí.

O Parque Estação Cidadania, situado no cruzamento das avenidas Frei Serafim com a Miguel Rosa, dispõe de espaços para lazer, múltiplas atividades esportivas e manifestações artísticas e culturais. O parque possui um lago, fontes luminosas, pergolados, palco com camarim e banheiros, anfiteatro com capacidade para 1.500 pessoas e um estacionamento para mais de 280 veículos. Além disso, conta com uma Galeria de Arte Santeira, que reúne cerca de 50 esculturas produzidas por grandes artesãos locais.

Outra opção é o Parque Ambiental Matias Matos, mais conhecido como Lagoa do Mocambinho, que possui cerca de 4,9 hectares, onde estão estruturadas quadras de esportes (futebol de areia e society, badminton e basquete), ciclovias, playground, pista de caminhada, academia popular, quiosques, prédio administrativo, palco para apresentações culturais e área contemplativa no entorno da lagoa, com grana natural para oferecer mais conforto aos visitantes.

Ponto que marca a confluência entre os rios Parnaíba e o Poti, o Parque Ambiental Encontro dos Rios é um dos principais cartões postais da capital, localizado no bairro Poti Velho. A beleza singular, ainda mais ressaltada ao pôr do sol, é uma das características que mais atrai visitantes para o local. Ao percorrer o parque, o público tem à disposição uma área urbanizada e bem iluminada, onde podem ter acesso a quiosque, playground e uma trilha projetada.

Já o Parque da Macaúba possui uma área de sete mil metros, onde a população pode encontrar um campo de futebol bem iluminado e com alambrado, pista de caminhada, academia popular, palco para apresentações culturais e quiosques.

FUNCIONAMENTO DOS PARQUES AMBIENTAIS:

Parque da Cidade: todos os dias da semana, das 6h às 19h.

Parque Estação Cidadania: às segundas-feiras, das 5h30 às 10h (somente pista de caminhada); de terça a sexta-feira, das 5h30 às 10h e das 16h às 21h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 5h30 às 21h30.

Parque Ambiental Matias Matos (Lagoa do Mocambinho): às segundas-feiras, das 5h30 às 10h (somente pista de caminhada); de terça a domingo, das 5h30 às 10h e das 16h às 21h30.

Parque Ambiental Encontro dos Rios: segunda a sexta-feira, das 6h às 18h, e aos sábados domingos e feriados, das 6h às 19h.

Parque Ambiental da Macaúba: às segundas-feiras, das 5h30 às 10h (somente pista de caminhada); de terça a domingo, das 5h30 às 10h e das 16h às 21h30.