Campanha Não te dei liberdade: Mães do Amor de Tia recebem dia de valorização e ouvem sobre assédio

O Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas Crianças: Amor de Tia – Norte ofereceu, na sexta-feira, (22), um dia de valorização da mulher para as mães em sua sede no Matadouro. Durante o dia elas tiveram acesso a apresentações artísticas, palestra sobre saúde da mulher e serviços de beleza como corte de cabelo, design de sobrancelhas e maquiagem.

A secretária Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Macilane Gomes, conversou com as mães atendidas pelo programa sobre a campanha “Não te dei liberdade”. “De que sociedade nós estamos falando? De que família nós estamos falando? Nós participamos de uma sociedade que os homens acham que tem mais privilégios, mais direitos. Nós precisamos dizer que temos direitos iguais, nós precisamos de respeito”, afirmou.

A coordenadora do Amor de Tia Norte, Adriana Carvalho, complementou. “Mulher tem que ser valorizada todos os dias, mas hoje é o dia D. A campanha “Não te dei liberdade” é sobre o assédio que as mulheres vem passando no dia-a-dia. Elas precisam de conhecimento dos seus direitos, para que não se sintam constrangidas e até culpadas por estarem usando determinada roupa”, ressaltou.

Cleiciane Alves, mãe do Arthur de 1 ano e 3 meses, começou a participar das ações no Amor de Tia esse ano e já aproveita bastante. “Achei o dia de valorização muito bonito, muito legal e criativo. Eu acho importante momentos como esse para nos sentirmos valorizadas”,  comentou.

 

Sema prepara manhã especial para homenagear as mulheres servidoras

As servidoras da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema) vão ter uma manhã especial na próxima sexta-feira, dia 22 de março. O encontro, marcado para às 9h, no auditório do piso térreo do órgão, vai celebrar a passagem do Dia da Mulher, comemorado no mês de março.

Durante o evento, uma equipe da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) vai apresentar a campanha “Não te dei liberdade”, que tem como objetivo evitar o assédio no ambiente de trabalho.

“Nossas ações neste dia serão voltadas para reafirmar o enfrentamento a qualquer tipo de violência que prive as mulheres de seus direitos. Vamos conversar sobre assédio, sobre as implicações penais, além de nos confraternizarmos pela passagem do Dia da Mulher”, explica Nildene Lages, assistente social do Núcleo de Desenvolvimento de Recursos Humanos da Sema. (Nuderh).

Teresina Mulher leva reflexão sobre rap e empoderamento das mulheres negras

No quadro Teresina Mulher desta quarta-feira(20), a convidada é a jornalista Juliana Farias, que vai conversar sobre o assunto “O rap como instrumento de empoderamento das mulheres negras”, tema do rádio-documentário que fez para a conclusão de sua graduação.

“Vamos levar reflexões sobre o racismo e as desigualdades presentes dentro do contexto social no qual estão inseridas as mulheres do rap, e como ele serve de instrumento para que se sintam fortalecidas dentro da sociedade”, afirma Juliana.

O Teresina Mulher é uma parceria da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres e da Secretaria de Comunicação e vai ao ar todas as quartas-feiras, dentro do programa Cultura Mix, na FM Cultura de Teresina 107.9.

Não Te Dei Liberdade: Câmara Técnica discute assédio e Plano Municipal

Créditos: Ascom/SMPM

 

Na manhã desta terça-feira (12) aconteceu a terceira reunião do ano da Câmara Técnica de Políticas Públicas para Mulheres de Teresina, composta por todas as secretarias da Prefeitura. No encontro, foram discutidos o monitoramento do Plano Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, e a Campanha “Não te Dei Liberdade”, que visa diminuir o assédio na cidade de Teresina.

Após estudo, a pós-doutora em gênero, Wânia Pasinato, fez novos indicadores para o Plano Municipal, facilitando o monitoramento. “Fizemos a replicação desses indicadores para que as secretarias possam mandar os seus dados e nós possamos monitorar como o andamento do Plano está acontecendo”, afirmou Lisian Oliveira, gerente de Articulação e Transversalidade da SMPM.

A segunda pauta destacou a campanha “Não te dei liberdade” que busca discutir de forma ampla o assédio moral, importunação sexual e difamação. “Abordamos esses temas e como esses técnicos podem fazer para replicar junto às suas secretarias formas de enfrentamento, principalmente, indicar os lugares que as mulheres que são importunadas ou sofrem qualquer tipo de violência possam procurar ajuda ou o sistema de justiça”, concluiu Lisian.

O Plano Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres foi revisado e tem oito eixos, 39 linhas de ação e 194 ações previstas e funciona como um instrumento de gestão relacionado à saúde, educação, cultura e lazer das mulheres.

 

Empreendedoras dos centros de produção participam de ações em alusão Dia da Mulher

Créditos: Ascom/Semest

Valorização, homenagens e informação. Foi isso o que as mulheres que atuam nos 16 centros de produção de Teresina e as servidoras da Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) receberam na manhã desta terça-feira (12), em uma ação alusiva ao Dia Internacional da Mulher (08 de março).

“Isso é muito gratificante para nós, mulheres. É um dia para a gente espairecer e nos sentirmos mais valorizadas. Assistir às essas palestras também traz informações importantes. Já dancei e já fiz até a minha maquiagem”, destacou Remédios Santos, gerente do Centro de Produção Padre Eduardo.

A iniciativa surgiu de uma ideia do secretário Municipal de Economia Solidária, Ricardo Bandeira, que reuniu a equipe da pasta para planejar e executar o momento contou com aula de zumba, realizada por uma instrutora cedida pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), orientações sobre direitos e combate à violência contra a mulher com a secretária municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, Macilane Gomes, além de uma palestra sobre “Felicidade” com Marina Simão e serviços de beleza realizados pelas equipes da Fundação Wall Ferraz (FWF) e New Way Cosméticos.

“É uma alegria poder proporcionar esse dia de atividades no sentido de valorizar essas mulheres guerreiras que contribuem muito com a nossa cidade. Elas estão diariamente atuando nos centros de produção e em outros espaços, produzindo, empreendendo e transformando suas vidas e as de suas famílias. Mais uma vez, parabenizo a todas por essa data especial”, ressalta Ricardo Bandeira, gestor da Semest.

Qualifica Teresina aborda temáticas voltadas para a mulher e mercado de trabalho durante o mês de março

Créditos: Ascom/FWF

No mês de março, o Qualifica Teresina vai discutir temas relacionadas à mulher e o mercado de trabalho. O quadro, que vai ar toda segunda-feira na Rádio FM Cultura, leva aos teresinenses esclarecimentos sobre assuntos ligados ao mundo do trabalho e suas requisições atuais e ainda informa sobre os serviços ofertados gratuitamente pela Fundação Wall Ferraz.

O quadro, que completa um ano neste mês, já ouviu mais de 30 especialistas, em sua maioria mulheres, e destacou temas como empreendedorismo, inteligência emocional, processos seletivos nas empresas, felicidade no trabalho e atendimento ao cliente.

”O Qualifica Teresina é um programa que dá oportunidade de atualização profissional aos teresinenses acerca do mundo do trabalho de forma rápida e dinâmica, além de levar informações sobre o acesso às oportunidades disponíveis no mercado, sendo uma importante ferramenta de inclusão socioprofissional. No mês da mulher, não poderíamos deixar de prestar nossa homenagem a quem faz a diferença quando o assunto é o mercado de trabalho’’, destaca a presidente da Fundação Wall Ferraz, Samara Pereira.

No dia 18, a convidada Heline Santos, Socióloga e Assessora Técnica da FWF, vai abordar o tema “Mulheres e o mercado de trabalho: avanços e desafios”. Heline vai pontuar aspectos do contexto histórico em que as mulheres foram inseridas nesse mercado, as lutas, conquistas por direitos e os desafios ainda existentes no mercado de trabalho.

No dia 25, a convidada será Márcia Mendes. Especialista em Gerência de RH e em Pedagogia Empresarial, discutirá sobre a “Atuação das mulheres no espaço organizacional”, destacando a postura durante o processo de seleção bem como a atuação profissional no mundo corporativo.

Na última segunda-feira (11), o tema foi “Empreendedorismo Feminino” com a convidada Cacilda Silva. A empresária destacou os desafios para a inserção e atuação da mulher na área do empreendedorismo em Teresina e falou da importância da qualificação profissional e da construção de uma rede de contatos para o bom avanço do empreendimento.

O Qualifica Teresina é desenvolvido pela Fundação Wall Ferraz em parceria com a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom). O quadro vai ao ar toda segunda-feira, de 9h às 9h30 da manhã, Cultura Mix Primeira Edição, na Rádio FM Cultura de Teresina. A rádio pode ser sintonizada na frequência 107,9 MHz e o quadro tem transmissão ao vivo pela página da Fundação Wall Ferraz no Facebook.

8 de março

Desde a década de 1970, a ONU – Organização das Nações Unidas – oficializou o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher, criado com o objetivo de relembrar as lutas sociais, políticas e econômicas das mulheres.

Eventos em homenagem às mulheres marcam o dia 8 de março em Teresina

No Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta sexta-feira (08), o Prefeito de Teresina, Firmino Filho, se reuniu com mulheres de diversas áreas para ouvir suas demandas durante audiência na sede da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres.Também foi lançada a Agenda Março Mulher 2019 e a Campanha “Não Te Dei Liberdade”, além da comemoração do aniversário de quatro anos de criação do Centro de Referência Esperança Garcia (CREG).

“É uma alegria muito grande receber em audiência todo o movimento de mulheres. A pauta busca trazer os grandes desafios das mulheres no presente, que as políticas sociais sirvam às mulheres de forma mais qualificada, temos o desafio de fazer com que as mulheres possam ter mais oportunidades, desafio de fazer com que possa existir mais respeito. Portanto, para nós, é um momento de saudar as mulheres por toda a sua história, por toda a sua luta, mas também é um momento para refletir e ver as dificuldades que ainda restam para ser enfrentadas”, salientou Firmino.

A Agenda Março Mulher 2019 foi marcada pelo lançamento da Campanha “Não Te Dei Liberdade”, que procura informar sobre os diversos tipos de assédio que as mulheres sofrem, seja na rua, no trabalho, no transporte público ou nas festas. Desse modo, as atividades da Agenda vão tratar o tema.

“A Agenda é construída com ações da SMPM, da rede de enfrentamento à violência e demais segmentos da sociedade. Esse ano, em nossas atividades, falaremos sobre o assédio. É aquele psiu que incomoda, a agressão travestida de elogio, o olhar penetrante que deixa a mulher exposta. O fato de usar um shortinho ou estar em um ambiente público de diversão não significa que você está dando liberdade para um assédio. Aquilo que importuna, incomoda a mulher, vira assédio”, afirmou a secretária municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Macilane Gomes.

 A representante do Banco Mundial, Ana Luísa Lima, apresentou o projeto “Vamos!”, que visa diminuir a desigualdade de gênero e relações de poder e alterar as normas sociais e comportamentos permissíveis à violência contra a mulher.

“Hoje é um dia muito importante para a parceria. Nessa luta, para essa causa, todos somos um pouco especialistas de gênero, todos temos um papel importante na promoção da igualdade de gênero. Minha mensagem é apenas para confirmar que a questão da violência não é uma questão privada, é uma questão de saúde pública, global, afeta não somente vidas individuais como toda a sociedade”, explicou Ana Luísa.

No aniversário do CREG, que atende mulheres em situação de violência, a coordenadora Roberta Mara, relembrou que Teresina é uma capital que possui um diagnóstico da violência, em que foi dado visibilidade ao que precisa ser feito. “Assim a PMT, através da SMPM, em parceria com ASA, vem implementando a política pública para mulheres, notoriamente, aqui no CREG, superando desafios, driblando a crise, honrando a gestão participativa, cooptando e empoderando as mulheres que aqui vem. Valorizamos cada pedacinho desse espaço, que não parece público, mas é, que acolhe a mulher, não julga pelas suas escolhas”, finalizou Roberta.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A AGENDA MARÇO MULHER 2019

Teresina adere a projeto para empoderamento de mulheres jovens

Rômulo Piauilino

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, assinou nesta segunda-feira (25) o termo de adesão ao Projeto Mulheres Resilientes = Cidades Resilientes, que tem como objetivo desenvolver ações integradas no combate à violência contra a mulher no Piauí, especialmente aquelas com faixa etária de 18a 29 anos de idade.

Além de Teresina, aderiram ao projeto mais quatro cidades, três do Piauí e uma do Maranhão: Demerval Lobão, Nazária, José de Freitas Timon (MA). A solenidade de assinatura do termo foi realizada na Secretaria de Planejamento do Estado do Piauí, localizada na Avenida Miguel Rosa, 3190.

O Mulheres Resilientes=Cidades Resilientes faz parte de um projeto mais amplo desenvolvido pelo Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (PNUD) e reúne, além dos municípios, órgãos estaduais.

“A ideia é promover o fortalecimento da condição econômica das mulheres para que possamos ter resultados positivos na garantia e na defesa dos direitos femininos, além de uma maior qualificação profissional da mulher para que ela tenha condições de inserção no mercado de trabalho”, disse Firmino Filho.

Além da questão econômica, Firmino explicou que o projeto também irá abranger os cuidados com a saúde das mulheres. “Queremos uma melhora, especialmente, na saúde da mulher. Então, não tenho dúvidas que através dessa parceria com o PNUD, o Estado e as várias prefeituras participantes ,nós vamos fazer um trabalho bastante qualificado, com bom diagnóstico, planejamento e ações concretas”, afirmou.

Macilane Gomes, secretária municipal de Políticas Públicas para Mulheres, ressaltou a importância do envolvimento dos gestores públicos no projeto a fim de fortalecer as políticas públicas já desenvolvidas. “A assinatura do termo de adesão visa a sensibilização dos gestores para ações nas áreas de saúde e autonomia econômica para que possamos potencializar as políticas públicas já existes nos municípios, em especial, Teresina, cidade escolhida para a execução desse projeto piloto”, destacou.

A secretária também enfatizou os motivos do Piauí ser piloto do projeto na América Latina. “O Piauí foi escolhido como um projeto piloto, pois o PNUD reconheceu a ambiência política, o nível de organização e comprometimento dos atores envolvidos na nossa região para que essa política pública de enfrentamento à violência, desigualdade de gênero e de oportunidades de trabalho, de mais educação, ocupação de vozes e espaços de poder, aconteça”, finalizou Macilane.

A oficial de gênero e raça do escritório do PNUD no Brasil, Ismália Afonso, pontuou que o projeto não está pensando somente em políticas públicas das condições de trabalho e inclusão produtiva.

“Fizemos um diagnóstico e vimos alguns desafios que as mulheres enfrentam para que possam conquistar seu empoderamento econômico, autonomia e, consequentemente, sua cidadania plena. Trabalharemos em cinco áreas, que são violência de gênero, saúde integral, educação, políticas públicas de cuidado – que servem para reduzir a carga de trabalho não remunerado das mulheres -, e dotar os entes públicos de uma capacidade de olhar para as mulheres a partir de uma perspectiva de mulheres”, explicou.