Vacinação contra gripe é retomada para atender idosos acamados em Teresina

A partir de terça-feira (31), a vacinação contra gripe em Teresina será retomada para atender exclusivamente idosos acamados em suas residências, idosos em asilos e idosos da zona rural. A medida foi uma estratégia adotada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) após receber do Ministério da Saúde 14 mil doses, quantidade insuficiente para vacinação de todos os idosos e profissionais de saúde.

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) possuem a relação de idosos acamados na cidade, já que realizam trabalho de acompanhamento a esse público por meio das equipes de saúde. “Agora, se tem um idoso que é acamado e não costuma receber visita em casa da nossa equipe de saúde, o responsável por essa pessoa pode ir à Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua casa, para fazer o cadastro”, explica o diretor de Atenção Básica, Kledson Batista.

Kledson Batista esclarece ainda que idoso acamado é a pessoa com idade superior a 60 anos, que não se locomove, não podendo sair de casa em razão da sua condição de saúde. Já os idosos que estão em quarentena e que ainda não foram vacinados deverão aguardar a chegada de mais doses de vacina contra a gripe, para que possam se dirigir aos postos de saúde, escolas e drive-thrus.

O presidente da FMS, Manoel Moura, afirma que assim que chegar a quantidade suficiente de doses, a vacina será disponibilizada para a população-alvo, nos postos de saúde e escolas. “Nós reconhecemos a importância da vacina na proteção à saúde, mas pedimos a compreensão de todos nesse momento. Há um trâmite por trás do fornecimento, para assegurar a qualidade do material, de modo que o Governo Federal adquire e distribui para o Governo do Piauí, que envia para Teresina”.

A vacina não protege a pessoa contra o novo Coronavírus e sim contra a Influenza, doença respiratória infecciosa cuja origem é viral. A transmissão direta de pessoa a pessoa é a mais comum e ocorre por meio de gotículas expelidas pelo individuo infectado com o vírus, ao falar, espirrar ou tossir. Há evidência de transmissão também pelo modo indireto, por meio de contato com a secreção de doentes.

Segundo dados que constam em sistemas de informação da FMS, Teresina já vacinou 55,8% dos idosos contra a gripe. Ao total, cerca de 65 mil doses desta vacina foram aplicadas em idosos e profissionais de saúde, somente nos dois primeiros dias da Campanha. No dia 25 de março, a vacinação foi suspensa em decorrência do desabastecimento de doses por parte do Ministério da Saúde.

Prefeitura fará sanitização de espaços públicos contra coronavírus

Para conter a disseminação do novo coronavírus na capital, a Prefeitura de Teresina irá promover a sanitização de diversos espaços públicos de grande circulação de pessoas em todas as zonas da cidade. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Habitação (Semduh), em parceria com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), está finalizando o plano de ação em combate à COVID-19. A previsão é que o serviço seja iniciado ainda nesta semana.

De acordo com o secretário da Semduh, Marco Antonio Ayres, a ação de sanitização acontecerá de duas a três vezes por semana, com foco na higienização de paradas de ônibus, praças, parques, canteiros centrais de grandes avenidas e áreas públicas com grande fluxo de pessoas.

“A limpeza é feita pela pulverização de uma solução de água com hipoclorito de sódio, por meio de bombas costais, caminhões pipas e carros fumaceiros. Ainda estamos definindo o turno e a rota desse processo, de uma maneira que cause o menor incômodo aos teresinenses. Essa semana, uma empresa local, que presta esse tipo serviço, realizou uma excelente demonstração na Av. Frei Serafim de como funciona esse processo para nos auxiliar a organizar a melhor estratégia no combate à COVID-19. Agradecemos aos empresários e equipe que colaboraram para mostrar como o trabalho é realizado”, destacou o secretário.

Médico critica isolamento vertical e diz que não é hora de retomar atividades

O professor de cardiologia da Universidade Federal do Piauí e presidente da Associação Piauiense de Medicina, Paulo Márcio, criticou neste sábado (28), durante conversa com o prefeito de Teresina, Firmino Filho, o isolamento vertical, que vem sendo incentivado por alguns setores nos últimos dias. O bate papo foi transmitido através de live nas redes sociais do prefeito municipal: Twitter @firmino_filho, Instagram @firminosfilho e Facebook.

O isolamento vertical é aquele em que apenas os grupos de risco, como idosos, pessoas com problemas pulmonares e doenças crônicas, ficariam de quarentena, enquanto as demais pessoas voltariam às suas atividades normais. Para o médico, essa não é uma forma eficaz de conter o avanço do novo coronavírus. “Quando você isola uma pessoa do grupo de risco, mas libera seus netos e filhos para irem à escola e ao trabalho, eles se contaminam e levam o vírus para o local de confinamento do idoso, por exemplo. Se nós afrouxarmos as regras de isolamento social, vai acontecer o que aconteceu em Milão, que agora seu prefeito está pedindo desculpa”, afirmou.

Para o médico, a única forma eficaz de impedir que o coronavírus continue se disseminando é o isolamento horizontal, ou seja colocar em quarentena toda a população. “Nós não temos cura para a doença, não temos vacina, o remédio é se isolar, é isolar todo mundo. Precisamos fazer uma quarentena como a maioria dos países do mundo está fazendo, como todos os países do mundo que tiveram sucesso no combate ao vírus fizeram”, disse.

Paulo Márcio afirmou ainda que os próximos 15 dias serão fundamentais para que possamos definir se teremos ou não bons resultados na luta contra a Covid-19. “Se depois disso vamos voltar a trabalhar, não dá para saber. Precisamos aguardar. O que sabemos é que esses 15 dias serão fundamentais para salvar vidas”, pontuou o médico, afirmando que este não é o momento para que as atividades normais sejam retomadas pela população.

“Nós venceremos esta virose, mas nós venceremos melhor ou pior dependendo da nossa atitude diante do problema. Precisamos agir de forma sincronizada, a minha proteção tem que acontecer porque eu fui protegido por alguém e eu protegi alguém também, nós estamos juntos nessa. Se houver essa compreensão de que eu não serei salvo sozinho, o nosso resultado será espetacular, mas se não compreendermos isso nós podemos viver um momento muito triste no país”, finalizou.

UPA do Satélite instala pia na porta de entrada como medida de prevenção ao coronavírus

Ascom/FMS

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Satélite instalou na entrada da unidade uma pia, com sabão líquido e toalhas para secagem das mãos. Algo simples, mas de extrema importância durante esse período de enfrentamento à COVID-19 (doença causada pelo coronavírus).

“Nosso objetivo é a diminuição dos riscos de contaminação em nossa unidade. Todas as pessoas que entram na unidade devem lavar as mãos. Nos primeiros contatos, com recepção e classificação com os médicos as pessoas já estão com as mãos higienizadas. Nossa prioridade é manter a higiene e diminuir a contaminação entre os pacientes e os profissionais de saúde”, fala a diretora da UPA Satélite, Celina Tourinho.

Lavar as mãos corretamente é uma medida simples, mas que pode nos proteger e várias doenças infecciosas. Saiba como lavar de maneira correta:

1 – comece a lavagem com movimentos circulares dos dedos de uma mão na palma da outra;

2 – entrelace as duas mãos para higienizar as “costas” delas e, principalmente, a região entre os dedos;

3 – repita o processo de dedos cruzados — agora com as palmas juntas;

4 – para assear as unhas, deixe as mãos em forma de concha e faça movimentos verticais uma na outra, juntando-as  em sentido oposto;

5 – com a mão ainda em forma de concha, fechada, desenhe círculos na palma;

6 – use água corrente para tirar o sabão (e as bactérias) de sua pele;

7 – se possível, feche a torneira com um papel ou uma toalha para não se sujar de novo;

8 – por fim, seque bem as mãos com uma toalha limpa ou um pedaço de papel.

Coronavírus: Cuidados com as compras de supermercados são essenciais

Ir ao supermercado se tornou uma das poucas atividades que muitos brasileiros estão fazendo fora de casa, no período de quarentena. E para que os riscos de ser contaminado pelo novo coronavírus sejam minimizados, é necessário que as pessoas tomem alguns cuidados, tanto dentro do próprio estabelecimento como quando chegar em casa.

A gerente de Vigilância Sanitária da Fundação Municipal de Saúde, Jeanyne Seba, conta que os supermercados já foram orientados a higienizar os carrinhos e cestas de compras dentro do estabelecimento, além de disponibilizar pias ou álcool gel 70% para que os clientes higienizem suas mãos. “O primeiro cuidado que é preciso ter, ao chegar no supermercado, é higienizar as mãos e pegar as cestas e carrinhos no lote de higienizados”, disse.

Ela alerta ainda que é importante que apenas uma pessoa por família possa ir ao supermercado, para evitar aglomerações nestes locais. “Se for uma mulher, é importante que se ela tiver cabelo longo, ela saia de casa com ele preso e sem usar qualquer adereço, como pulseiras, brincos, relógios. Para agilizar as compras, é importante que ela leve uma lista, e, ao passar suas compras, é indicado que não fale com o caixa e use cartão de crédito, para evitar que, tanto ela, quanto o funcionário do supermercado tenha contato com o dinheiro”, disse.

Jeanyne ressalta ainda que, ao chegar em casa, os cuidados devem continuar. “Ao chegar em sua residência, a pessoa não deve de maneira nenhuma entrar com calçados, deve deixá-los do lado externo. Todas as compras devem ser colocadas em cima de uma mesa que possa ser higienizada depois. Ela vai tomar um banho, enquanto outra pessoa arruma as comprar. Se ela mesma for arrumá-las, é importante que faça isso depois de banhada. As sacolas precisam ser retiradas, as embalagens, que puderem, devem ser higienizadas com água corrente, aquelas que não for possível necessitam ser pulverizadas, ou seja, limpas com uma solução que deve ser preparada com 3 colheres de sopa de água sanitária para um litro de água. As mercadorias como saco de feijão e arroz, por exemplo, devem ser pulverizadas ou limpas com um pano molhado com esta solução”, disse.

Já no caso das frutas e verduras, elas precisam ser lavadas em água corrente e serem colocadas de molho em uma solução de água sanitária, na proporção de uma colher de sopa para um litro com água. E depois devem ser lavadas.

HUT elabora plano de contingência para a COVID-19

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) não é referência para o atendimento de pacientes infectados com o novo coronavírus (Covid-19). Porém, para garantir que os profissionais do Hospital estejam preparados para receber pacientes com exame positivo para a Covid-19, foi elaborado um Plano de Contingência. De acordo com o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins, o Plano foi apresentado para os profissionais de diversas áreas da saúde, por meio de videoconferência.

“Sabemos que, apesar de o HUT não ser referência para tratar pessoas infectadas com a Covid-19, é possível que elas acabem sendo admitidas, transferidas de outro hospital, para tratamento obedecendo o nosso perfil de atendimento. Portanto, estamos trabalhando para que os pacientes tenham uma assistência de qualidade sem esquecer a segurança dos nossos profissionais de saúde”, declarou o diretor.

O médico infectologista do HUT, João Cantinho, que participou da elaboração do Plano de Contingência, disse que durante o encontro foi apresentado o fluxo de atendimento e o protocolo de manejo clínico para pacientes com suspeita ou com exame positivo para a Covid-19.

“Esse Plano contempla o manejo do paciente desde a entrada, iniciando pelos primeiros procedimentos até a sua chegada na área que estamos isolando exclusivamente para esses casos no HUT. Discutimos também nossa proposta de modelo terapêutico, a formação das equipes multiprofissionais e os protocolos mais adequados à nossa realidade. Foi uma discussão ampla com profissionais de saúde de diversas áreas para uniformizar as condutas e garantir um fluxo seguro, tanto para o paciente como para o profissional de saúde”, explicou.

O HUT é um hospital de urgência e emergência, voltado especialmente para atendimento de vítimas de trauma. Dentre os principais motivos de entrada estão as vítimas de acidentes com motocicleta, ocupando o segundo lugar, com 1.405 atendimentos. Para oferecer um atendimento de qualidade a esse público, o HUT é habilitado pelo Ministério da Saúde em atendimento de alta complexidade nas áreas de ortopedia, neurocirurgia e nutrição.

Teresina está em médio risco para infestação do Aedes aegypti

Teresina está em médio risco de infestação pelo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. É o que indica o segundo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2020, divulgado hoje (26) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). Segundo a pesquisa, o Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – da capital foi de 3,0. A pesquisa, feita entre os dias 16 a 20 de março, foi realizada em todos os bairros da capital, que foram divididos em 32 estratos.

“Nós da Gerência de Zoonoses estamos com nossas atividades normais, intensificando sempre todas as ações relacionadas ao controle do Aedes. Mesmo com a pandemia do coronavírus, as pessoas precisam continuar mantendo os cuidados para não acumular água em casa e também prevenir a proliferação do mosquito causador da dengue, zika e chikungunya”, alerta Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da capital.

Ela reforça que as pessoas precisam abrir a porta para os agentes de endemia, que estão em campo. “Solicitamos que as pessoas recebam os agentes de endemia para vistoria dos imóveis. Mantendo a distância de 2 metros entre o agente e os moradores, e a higiene básica das mãos, o trabalho dos agentes continua. Eliminando os possíveis criadouros e tratando”, diz ela.

Durante o LIRAa, que é feito quatro vezes ao ano, os agentes de endemias da FMS percorrem os imóveis em busca de focos em potenciais criadouros. São enviados os índices de focos por meio da identificação tanto de larvas, como da forma adulta do inseto. Os dados obtidos servirão como base para o desenvolvimento de estratégias de combate ao Aedes aegypti e trabalhos educativos voltados à prevenção da dengue, zika e chikungunya.

FMS convoca profissionais de saúde aprovados em teste seletivo

Um total de 127 profissionais de saúde estão sendo convocados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) hoje (25). Tratam-se de candidatos aprovados no processo seletivo do edital 1/2019, e vêm para reforçar a luta contra a ameaça do COVID-19 em Teresina.

Em função da restrição às aglomerações de pessoas, a orientação é que os convocados devem apresentar a documentação exigida pelo e-mail fms.nprs@hotmail.com. O prazo é de 30 dias, a contar da publicação do Edital de Convocação no Diário Oficial do Município.

Entre as especialidades estão 45 médicos ESF/PMAQ, 55 médicos clínicos gerais, seis médicos urgentistas, um médico intensivista, um técnico em enfermagem, dois técnicos em patologia clínica, dois técnicos em radiologia, sete enfermeiro ESF/PMAQ, sete enfermeiros plantonistas e um médico psiquiatra. “As convocações acontecem de acordo com a necessidade de cada unidade”, explica João Luciano de Castro e Sousa, chefe do Núcleo de Planejamento, Recrutamento e Seleção de Pessoas.

Até o momento, 956 candidatos referentes ao edital 1/2019 já foram convocados.

Veja a lista de convocados