FMS convoca 89 aprovados em teste seletivo

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) está convocando 89 candidatos aprovados no Processo Seletivo Edital 2/2017 para que compareçam, a partir do dia 15 de maio, à sede da instituição para que sejam providenciados os procedimentos para a sua contratação.

 

Um total de 1.067 candidatos aprovados no Processo Seletivo Edital 2/2017 já foram chamados até o momento. Eles estão sendo lotados nas Unidades Básicas de Saúde, hospitais e outras unidades de saúde do município em substituição a profissionais em licença ou afastamentos.

 

Os candidatos devem se dirigir ao Núcleo de Planejamento, Recrutamento e Seleção na sede da FMS, que fica na Rua Governador Artur de Vasconcelos, 3015, bairro Aeroporto, de segunda a quinta-feira, das 8h às 12h30. “Ressaltamos que os atendimentos para a entrega de documentação, perícia médica (a ser realizada no IPMT) e assinatura de contrato, serão agendados respeitando a quantidade de atendimentos estabelecida por dia”, informa João Luciano de Castro e Sousa, chefe do Núcleo de Planejamento, Recrutamento e Seleção de Pessoa.

 

O prazo para que os aprovados comparecerem à FMS é de 30 dias, a contar da publicação do Edital de Convocação no Diário Oficial do Município.

 

Confira aqui a lista dos aprovados.

Confira aqui a documentação necessária para contratação.

Confira aqui a declaração de cargos.

FMS abre nova seleção para preceptores do programa PET-Saúde

A Fundação Municipal de Saúde (FMS), em parceria com a Universidade Federal do Piauí (UFPI), abriu nesta segunda-feira (13) uma nova seleção para preceptores do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde/Interprofissionalidade). As vagas são voltadas a profissionais da FMS e as inscrições podem ser feitas na sede da instituição entre os dias 13 e 20 de maio. (mais…)

Monte Castelo e Árvores Verdes recebem mutirão de combate ao Aedes aegypti

O Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, não escolhe o bairro ou casa para se reproduzir, bastando apenas um recipiente com água parada. Por isso, o cuidado para evitar a sua proliferação deve ser feito por todos e esta colaboração é a estratégia da operação Faxina nos Bairros. A atividade semanal acontece neste sábado (11), a partir das 8h, nos bairros Monte Castelo e Árvores verdes, zona Sul e Leste da capital, respectivamente.

A Faxina é uma atividade de limpeza e educação que tem por objetivo eliminar os criadouros do Aedes aegypti, uma vez que a principal ação de prevenção é evitar sua reprodução. Durante a semana, os moradores são avisados pelos agentes de saúde e endemias para fazer uma limpeza em suas casas e depositar nas calçadas todo o material inservível que será coletado pela equipe de limpeza no sábado, especialmente aqueles de grande porte que não são recolhidos pela limpeza regular.

“Solicitamos aos moradores que a partir de hoje já coloque todo esse material que serve para acumular água e não tenha utilização pelos moradores nas calçadas, para que no sábado a Prefeitura retire todos esses materiais e possa permanecer com os ambientes livres de criadouros”, explica a gerente de Zoonoses da capital, Oriana Bezerra. A ideia é que toda a população dedique um dia da semana para verificar todos os possíveis focos do mosquito, fazendo uma limpeza geral em sua residência e impedindo a reprodução do Aedes.

As equipes se encontram em um local e de lá saem percorrendo um quadrante determinado para a limpeza. Na zona Leste o ponto de encontro será a UBS Onesima Nascimento e o quadrante definido será o formado pela Avenida Nicanor Barreto, Rua Laura Conrado e Rua São Carlos. Já na zona Sul as equipes se encontram na praça do Hospital Monte Cartelo e de lá seguem pelo quadrante formado pela Rua Doutor Arêa Leão e as avenidas Gil Martins, Marechal Castelo Branco, Odilon Araújo e Nações Unidas.

A Faxina nos Bairros é uma parceria entre a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) de cada região.

 

Curso orienta gestantes sobre cuidados com a gravidez e pós-parto

Ascom FMS

A Semana da Gestante da Unidade Básica de Saúde (UBS) Poty Velho segue até esta sexta-feira (10) com a realização da 13ª edição de seu curso sobre cuidados na gravidez e pós-parto. Cerca de 15 mulheres participam da atividade, que acontece nos turnos manhã e tarde no auditório da UBS.

A programação conta com palestras e dinâmicas educativas, orientações sobre cuidados durante a gravidez e com o bebê, além de uma visita à maternidade de referência da região (Buenos Aires) e um ensaio fotográfico na Ponte Estaiada.

Segundo a enfermeira Edna Albuquerque, a ação acontece a cada seis meses e é feita em conjunto pelas três equipes Estratégia Saúde da Família e também o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), proporcionando às futuras mães um apoio multiprofissional em todas as questões relativas a esta fase da vida. “O objetivo é aumentar o vínculo da gestante com a UBS e com a maternidade de referência, acolhê-las nesse momento de fragilidade, culpas, anseios, e trazer toda a equipe para ajudar tanto ela, quanto os familiares”, explicou.

Em sua segunda gravidez, Alexandra de Sousa afirma que mesmo já tendo a experiência da maternidade o curso está sendo proveitoso e trazendo informações novas. “Tem muita novidade para mim. O que eu mais gostei foi de aprender sobre os cuidados com o bebê, inclusive fiquei feliz em ver que na época do meu primeiro filho eu tomei alguns cuidados que nem sabia que estavam certos”, comentou a gestante, que participa desde o início do curso.

A aula desta quinta-feira (09) contou com orientações sobre o trabalho de parto e a importância dos exercícios antes e depois de dar à luz. A enfermeira obstétrica e doula Francisca Salazar trouxe mamas e placenta de crochê, bebês de brinquedo, rebozo, bolas e diversos objetos para demonstração de tudo que a gestante precisa saber. “Eu faço parte do curso, voluntariamente, há dois anos. Aqui ensino a fazer os exercícios, as técnicas de respiração, os tipos de óleos que a gente usa e as massagens. Então eu sempre gosto de mostrar como é feita esta preparação no trabalho de parto”, comentou a doula.

Pré-natal

A UBS Poty Velho segue o protocolo de acompanhamento das gestantes de acordo com sua classificação de risco: o pré-natal nos casos de baixo e médio risco é feito exclusivamente na unidade, com médico e enfermeiro, enquanto os casos de alto risco são acompanhados pela UBS em parceria com a Maternidade Evangelina Rosa.

Quando a mulher suspeita da gravidez, basta procurar a equipe Estratégia Saúde da Família, que vai solicitar os exames e fazer os encaminhamentos necessários, em um trabalho integrado entre médico, enfermeiro e odontólogo. “Se ela já traz o comprovante de que está grávida, a gente encaminha para o dentista, passa o ácido fólico e encaminha para a sala de vacina”, explica Edna Albuquerque. Na oportunidade, é feito ainda o pré-natal masculino, quando o companheiro é convidado a acompanhar a grávida e o médico solicita exames para ver como está a saúde dele também.

 

HUT promove evento sobre prevenção de acidentes de trabalho

Em alusão ao Dia Mundial de Segurança e Saúde (28 de abril) e ao Dia do Trabalhador (01 de maio), o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) promoveu uma palestra sobre prevenção de acidentes de trabalho e valorização da vida. A palestrante foi a psicóloga Sara Ramalho Sá, especialista em análise de comportamento aplicado e MBA em gestão estratégica de pessoas, com atuação na área clínica e empresa organizacional.

Durante o evento, Sara Ramalho destacou como algumas atitudes podem contribuir para melhorar a qualidade de vida no ambiente de trabalho. “É muito importante esse olhar da gestão no ambiente de trabalho dos seus colaboradores. Essa preocupação é essencial para melhorar a qualidade de vida dos servidores, visando inclusive a saúde mental e psicológica. A pessoa quando está bem em todos os campos da vida consegue desenvolve com muito mais qualidade seu trabalho”, ressaltou a psicóloga.

Segundo Miriam Coimbra, presidente da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), durante o mês de maio serão desenvolvidas várias ações educativas direcionadas à prevenção e saúde dos trabalhadores. “Vamos promover ações que possam contribuir para melhorar ainda mais as condições de trabalho dos nossos colaboradores. Com isso, eles estarão aptos para desenvolverem suas atribuições com mais segurança”, explicou a presidente.

Clara Leal, diretora geral do HUT, destacou a importância da realização de eventos voltados à saúde do servidor. “Estamos sempre preocupados com o bem-estar dos nossos colaboradores. São eles que tornam nosso serviço uma referência em urgência e emergência para todo o Piauí e até outros estados”, disse.

A campanha Maio Verde foi sancionada pelo prefeito Firmino Filho em fevereiro de 2018 pela Lei n°5.175 e já faz parte do calendário oficial do município. O evento foi realizado pelo HUT por meio da sua Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), em parceria com a Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema).

 

HUT registra aumento de 64% em acidentes de trabalho graves

No primeiro trimestre deste ano o Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NHE) do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou 146 casos de acidentes de trabalho graves, o que corresponde a um aumento de 64% se comparado com o mesmo período do ano passado, que contabilizou 89 casos. Dentre esses atendimentos 130 foram homens e 16 mulheres. Com relação ao tipo, os acidentes de trajeto correspondem a 54% do total, com 79 notificações, seguido pelo acidente típico, com 63, e os não informados, com 4 notificações.

Durante o ano de 2018 o NHE do HUT notificou 546 casos de acidentes de trabalho graves. De acordo com o enfermeiro Rui Cipriano, gerente do NHE, ter conhecimento sobre o perfil desses pacientes é essencial para ajudar na elaboração de políticas públicas pelos órgãos competentes.

“Quanto mais detalhados forem os dados, mais informações teremos para montar o perfil dessas pessoas. Por exemplo, sabemos que quanto ao tipo de acidente o HUT realizou 79 atendimentos de vítimas de acidentes de trabalho graves durante o deslocamento para o trabalho ou vice versa. Isso representa 54% do total desse tipo de atendimento. A partir dessa informação é possível o planejamento de ações de prevenção e controle de acidentes de trabalho”, explicou o gerente.

No ano de 2018, considerando os acidentes de trabalho graves e não graves, o HUT realizou 4.556 atendimentos. Dentre esses, 3.941 foram homens e 615 mulheres. Com relação aos tipos de acidentes 2.694 foram vítimas de acidentes típicos, ou seja, que ocorrem durante o exercício do trabalho a serviço de uma empresa e 1.791 foram acidentes de trajeto, quando ocorrem no percurso do local de residência para o trabalho ou vice versa.

Luciano Richelly, 43 anos, natural de Campo Maior, é artesão e está internado no HUT após ter os dedos da mão esquerda decepados durante o manuseio de uma lâmina que utiliza para cortar madeira. Segundo Luciano, no momento do acidente ele estava usando os equipamentos de proteção individual, porém, eles não foram suficientes para evitar a perda dos dedos. “Eu estava manuseando uma máquina reta, quando chegou uma cliente me solicitando um serviço, a lâmina da máquina estava cega e de repente ela travou, virou e atingiu meus dedos”, explica Luciano.

Pode ser classificado como acidente de trabalho aquele que ocorre no exercício de uma atividade remunerada que provoque lesão corporal ou perturbação funcional, podendo causar a morte, a perda ou a redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho.

Em três meses, Lineu Araújo realiza quase 50 mil atendimentos

Ascom FMS

Um total de 49.501 atendimentos foram realizados no primeiro semestre de 2019 no Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo (CISLA), espaço ambulatorial de excelência que disponibiliza consultas, exames, procedimentos e programas especializados gratuitamente pelo SUS.

Trata-se de um Centro especializado em atendimento ambulatorial, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), que atende pacientes não só de Teresina como também do interior do Piauí. No Lineu Araújo, são mantidas mais de 30 especialidades médicas, algumas exclusivas no sistema público de saúde: alergologia, angiologia, cardiologia, cirurgia geral, cirurgia de mão, cirurgia plástica, cirurgia pediatra, clínica médica, dermatologia, endocrinologia adulto e infantil, gastroenterologia, geriatria, ginecologia, hematologia, infectologia, mastologia, nefrologia, neurologia, neuropediatria, oftalmologia, ortopedia, otorrinolaringologia, pneumologia adulto e infantil, proctologia, psiquiatria, reumatologia adulto e infantil e urologia.

O Centro oferece ainda sete especialidades não médicas como farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia adulta e infantil social e assistência social. “São 177 médicos e 24 profissionais de saúde em outras especialidades”, informa Mariluce Ferreira, diretora do Lineu Araújo. “Estes profissionais, nos três primeiros meses de 2019, realizaram um total de 43.939 consultas médicas e 5.562 atendimentos de outras especialidades”, diz ela.

Os profissionais de áreas específicas também se organizam em programas para atendimento especializado aos problemas mais pertinentes de saúde pública. Um deles é o Centro de Atenção ao Diabético (CAD), que atende Maria Raimunda Pereira. A aposentada de 62 anos conta que já enfrenta o diabetes há 10 anos, sendo atendida frequentemente no local por profissionais de áreas como endocrinologia e cardiologia. “Gosto do atendimento, estou sempre por aqui”, comenta a paciente. Outras especialidades disponibilizadas pelo CAD são angiologia, nutrição e oftalmologia, além da retaguarda de outras áreas oferecidas nos ambulatórios regulares do Lineu Araújo, como fisioterapia.

Outro programa específico é o de saúde auditiva, responsável pela avaliação multiprofissional das pessoas com deficiência auditiva e distribuição de aparelhos. Profissionais como otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, assistente social e psicólogo estão à disposição para promover o diagnóstico e a reabilitação de pessoas que apresentam deficiência auditiva, colaborando assim para melhorar a qualidade de vida dos mesmos e reinseri-las na sua comunidade. “Antes eu não notava que escutava pouco, e comecei a perceber quando assistia televisão. Percebi que só conseguia escutar direito com o volume mais alto. Desde 2014 faço tratamento aqui no Lineu Araújo e hoje consigo escutar bem”, afirma Raimunda Moraes Machado, 55 anos.

No Lineu Araújo também é possível fazer exames de eletrocardiograma, citologia, colposcopia, biópsia, Raios-X, ultrassonografia, mamografia, e ecocardiografia. No primeiro trimestre de 2019 foram 19.439 exames realizados no total, o que dá uma média de 6 mil por mês. Neste mesmo período de tempo, o centro realizou 3.622 procedimentos como curativos, injeção, retirada de ponto, pequenas cirurgias, outras vacinas, procedimentos ortopédicos, neurotomia e aplicações de DIU.

O Centro de especialidades abriga ainda um Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), dedicado a procedimentos mais complexos que o oferecido nas Unidades Básicas de Saúde, e programas específicos para tratamento de dor, hormônio do crescimento, saúde auditiva (com fornecimento de aparelhos de surdez), fornecimento de bolsas para colostomizados, além do Provida – ambulatório de orientação a pessoas com ideação suicida – e um ginásio para tratamento em fisioterapia para pacientes em pré e pós operatório nas disfunções músculos-esqueléticas, alterações motoras e em pacientes com distúrbios neuro-cinético-funcionais sem complicações.

Para ser consultado no local e ter acesso aos serviços, o usuário precisa de encaminhamento de médico clínico geral da rede pública de saúde. A porta de entrada para consulta com clínico geral são as Unidades Básicas de Saúde, que contam com as Equipes Estratégia Saúde da Família.

Hospital do Promorar realiza mais de mil curativos em pacientes com feridas complexas

Ascom/FMS

Toda pessoa com ferida complexa no corpo e que não cicatriza rapidamente precisa de atendimento especializado de enfermagem (estomaterapia). Para garantir a assistência a este público, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) mantém o Ambulatório de Feridas Complexas, que funciona no Hospital Geral do Promorar, zona Sul de Teresina. Somente de janeiro a março de 2019 foram realizados 1.177 curativos em pacientes com feridas complexas.

De acordo com o presidente da FMS, Charles Silveira, o Ambulatório de Feridas conta com excelente estrutura. “O serviço funciona adequadamente e está preparado para ofertar uma assistência de qualidade às pessoas que sofrem com feridas complexas. Os profissionais são capacitados e, inclusive, utilizam materiais de alto custo. Percebemos que o tratamento apresenta uma boa resolutividade dos casos”, afirmou.

Em Teresina, para que a população tenha acesso ao Ambulatório de Feridas, é necessário que o usuário se dirija à Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua casa. Ali, terá avaliado o estado da ferida, que pode ser tratada pela equipe da Unidade. Se houver necessidade de atendimento especializado, ele será encaminhado ao ambulatório do Promorar. O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) também faz encaminhamento de paciente, quando necessário.

Segundo Raquel Rodrigues, enfermeira do Ambulatório de Feridas, as Unidades Básicas de Saúde estão preparadas para atender diversas patologias, inclusive pessoas com feridas com menor complexidade. “Agora, se a ferida não cicatriza antes de três meses, independentemente do tipo, é preciso que o paciente seja encaminhado para tratamento no nosso ambulatório. O HUT também nos encaminha pacientes que apresentaram feridas em decorrência de uma urgência”, explicou.

Raquel afirma ainda que é perceptível a satisfação do usuário atendido. “Há pessoas que relatam que tinham perdido as esperanças em cicatrizar a ferida. Aqui, conseguimos dar resolutividade para quase 100% dos casos. É feito o diagnóstico de enfermagem, mensuração da ferida e todas as intervenções necessárias. No prontuário do paciente, fica tudo registrado, inclusive fotografias da ferida, para que possamos acompanhar a evolução do tratamento”, informou.

 

SAMU realiza mais de 8 mil atendimentos no primeiro trimestre de 2019

Ascom FMS

No primeiro trimestre de 2019, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina realizou um total de 8.094 atendimentos. O número engloba orientações médicas por meio do número gratuito 192 e deslocamento de ambulâncias para casos de urgência clínica, traumática, obstétrica, psiquiátrica e, ainda, transferência inter – hospitalar de pacientes em estado grave.

Segundo as estatísticas, os casos mais recorrentes são de urgências clínicas de adultos, com 2745 atendimentos. Em segundo lugar ficam os acidentes de trânsito, com registro de assistência a 1.456 pessoas acidentadas. Outras ocorrências comuns são traumas por quedas e outros acidentes (com 381 atendimentos), 365 urgências obstétricas, 235 urgências psiquiátricas e 204 vítimas de agressão física.

Neste período, foram registrados ainda 50 trotes, sendo todos na zona urbana de Teresina. Os trotes trazem muitos prejuízos ao trabalho de salvar vidas, pois uma ambulância é deslocada sem necessidade real e deixa de atender um caso de pessoas que efetivamente necessitam do serviço, como explica a diretora do SAMU Teresina, Francina Amorim. “Nós temos que nos deslocar até o local, o que requer gasto com combustível, além disso toda a equipe, que se prepara para o atendimento, é frustrada ao saber que aquele evento relatado não ocorreu”, relata a diretora.

Para ter acesso ao atendimento do SAMU, basta telefonar para o número gratuito 192 de qualquer telefone. O serviço deve ser acionado sempre que houver acidentes com vítimas, choque elétrico ou acidentes com produtos perigosos, nos casos de problemas cardiorrespiratórios de intoxicação, trauma ou queimadura, de quadros infecciosos, maus tratos, trabalhos de parto ou crises hipertensivas.

O seu primeiro contato é com os telefonistas, que colhem dados como endereço e natureza da ocorrência. Posteriormente, a ligação é repassada para o médico regulador, que avalia o caso informado e classifica se é necessário o envio de ambulância de suporte básico, avançado ou se faz apenas orientações médicas.

O SAMU Teresina possui oito viaturas de suporte básico, três viaturas de suporte avançado e quatro motolâncias para atender a população da capital. Para agilizar o deslocamento das ambulâncias, são mantidos cinco pontos de apoio para deslocamento de ambulâncias: na zona Norte, nos hospitais Mariano Castelo Branco e Buenos Aires, com duas viatura de suporte básico e uma motolância; na zona Sudeste, existe um ponto na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Renascença, com duas viaturas de suporte básico e uma motolância. Outro ponto de apoio do SAMU fica localizado no Hospital do Monte Castelo, com duas viaturas de suporte básico. O Hospital do Promorar também é ponto de apoio do SAMU, com duas viaturas de suporte básico.

Teresina já imunizou mais de 42% do público alvo contra a gripe

Ascom FMS

Em menos de um mês do início da Campanha de Vacinação, mais de 42% do público alvo já foi imunizado contra a gripe. Desde o dia 10 de abril, 95.992 pessoas receberam sua dose, das quais 12.438 foram apenas no dia D, que aconteceu no último sábado (04).

A porcentagem supera a média nacional, que até a manhã de hoje (06), registra cobertura de 41,86%. Para Teresina, a expectativa é vacinar 223 mil pessoas até o fim da campanha, no dia 31 de maio. “É fundamental que a população entenda a importância de se vacinar para que não possam contrair os vírus da influenza H1N1, H3N2 e influenza B, que estão aí no ambiente”, disse o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS) Charles da Silveira. “Por isso, fazemos esse apelo às pessoas dos públicos-alvo que possam comparecer aos postos e efetivar a sua vacina, é importante e é fundamental”, completou o presidente.

Para atingir esta meta, a FMS está mantendo 104 salas abertas todos os dias, em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e hospitais. Têm direito à vacina contra a gripe os idosos, gestantes, crianças de seis meses a menores de seis anos, puérperas (mulheres com até 45 dias de pós parto), trabalhadores da saúde, população indígena, pessoas privadas de liberdade, professores e pessoas com doenças crônicas, além dos funcionários do sistema prisional, presos e policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas.

A diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba, explica que a escolha do público se dá em razão de serem camadas da população mais suscetíveis ao vírus e com mais chances de agravamento da doença, que nestes casos pode levar a internações e até mesmo a morte. “É importante que ela seja tomada todos os anos, pois o vírus está sempre em mutação; a vacina deste ano é diferente da do ano passado, por exemplo”, explica. A diretora ressalta que a vacina é segura, feita com fragmentos do vírus morto e a possibilidade de efeitos adversos é mínima.

A Influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos ou nariz.