SDU Sudeste intensifica fiscalização para cumprimento do decreto de enfrentamento ao coronavírus

 

Ascom/ SDU Sudeste

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste realizou, nesta sexta-feira (27), ação para fiscalizar o cumprimento do decreto n° 19.540, que determina o fechamento obrigatório de comércios e serviços não essenciais em Teresina.

“Percorremos a região Sudeste verificando os estabelecimentos que estão abertos e orientando os que não estão contemplados no decreto do prefeito a fecharem as portas, visto a gravidade de transmissão do Coronavírus. O não cumprimento das determinações pode gerar busca e apreensão das mercadorias, além de multa ao proprietário”, informa Alexandre Nogueira, gerente de Controle e Fiscalização da SDU Sudeste.

Válida desde o dia 20 de março, a medida suspende, por tempo indeterminado, o funcionamento de bares, restaurantes, cinemas, clubes, academias, casas de espetáculo, clínicas de estética e shopping centers. Também proíbe a realização de eventos esportivos e atividades de saúde bucal/odontológica, exceto os atendimentos emergenciais.

A exceção é para farmácias, supermercados, mercados municipais, padarias, açougues, mercearias, centros de abastecimento e distribuição de alimentos, pet shops e postos de combustível.

“Estamos vivendo um período atípico e que pede a colaboração e compreensão de todos. Pedimos aos donos de estabelecimentos e aos demais cidadãos que obedeçam às determinações da Prefeitura. Ficar em casa e não abrir o comércio neste momento é o melhor para a segurança e saúde na nossa cidade”, ressalta Evandro Hidd, superintendente da SDU Sudeste.

SDU Sudeste continua com cronograma de limpeza urbana nos bairros 

Em meio às medidas preventivas da Prefeitura de Teresina para contenção do novo coronavírus, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano – Sudeste continua executando os serviços de limpeza na região.  

Nesta quinta-feira (26), cerca de 144 colaboradores estarão no Dirceu I, Conjunto Francisco Marreiros, Frei Damião, Loteamento Cidade Verde e outros bairros. Alguns dos serviços executados são: capina, poda, varrição, limpeza de galerias, cemitérios e recolhimento de entulho.  

Além do cronograma habitual, a limpeza urbana atua nos locais solicitados pela população através do aplicativo Colab e da plataforma online Teresinense Digital (https://pmt.pi.gov.br/teresinensedigital/). Por meio do app, o usuário faz a descrição do problema, envia fotos e marca a localização exata para que a equipe responsável seja acionada. 

Isaú Pereira, gerente de Serviços Urbanos, reforça a importância do Colab como ferramenta aliada neste período de quarentena.  

“Com a determinação das organizações de saúde para que o máximo de pessoas fiquem em casa, é essencial que o Colab seja amplamente utilizado como uma ponte entre o cidadão e a Prefeitura. Todas as demandas que chegam para a Gerência de Serviços Urbanos, nós recebemos e organizamos as equipes atender à solicitação do usuário, destaca o gerente. 

 

SDU Sudeste mantém serviços essenciais e de emergência 

Obedecendo às determinações da Prefeitura de Teresina, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste mantém em funcionamento os serviços considerados essenciais à população, como limpeza urbana e habitação. Os demais setores do órgão estão operando em regime homeoffice.

Na limpeza urbana, as equipes seguem com o cronograma de capina, varrição, poda, limpeza de galerias, cemitérios, praças e recolhimento de entulhos. Cerca de 144 colaboradores estão nas ruas executando o trabalho, com a adoção das medidas de segurança e proteção.

Também atua como serviço essencial e de emergência a equipe da Gerência de Habitação. Neste período de chuvas intensas e risco de enchente, as assistentes sociais fazem o pré-cadastro de famílias em situação de vulnerabilidade.

Segundo a gerente de Habitação da SDU Sudeste, Erineude Nunes, o trabalho consiste no condensamento de dados e treinamento das equipes. “Esse é um trabalho essencial para a cidade de Teresina no momento e que estamos realizando com todo o cuidado necessário. São pessoas em situação de risco que precisam e podem contar com o nosso serviço”, destaca a gerente.

O superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, ressalta que o trabalho da Prefeitura continua, mas que a população que puder deve ficar em casa.  “O trabalho das nossas equipes é indispensável porque a cidade e as pessoas precisam de nós. Mas se você tem a possibilidade de ficar em casa, respeite as orientações do Ministério da Saúde e se proteja. Assim estará ajudando a todo mundo”, solicita o superintende.

 

Colaboradores da SDU Sudeste participam de roda de conversa sobre prevenção do coronavírus

Ascom/SDU Sudeste

Para orientar e tirar dúvidas dos colaboradores sobre o novo coronavírus (Covid-19), a Superintendência de Desenvolvimento Urbano – Sudeste realizou, na manhã desta quinta-feira (19), uma roda de conversa com a enfermeira Lígia Cabedo, do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia do Hospital Universitário (HU).

Obedecendo às recomendações para evitar aglomeração, o bate-papo aconteceu em local aberto, com grupos reduzidos de pessoas, além do distanciamento e higienização dos assentos. Na ocasião, a enfermeira falou sobre as formas de contágio, medidas que devem ser adotadas para prevenir a doença, como funciona o período de quarentena, entre outros questionamentos levantados pelo público.

“O momento não é de pânico, mas de atenção às recomendações quanto às medidas de prevenção e controle da Covid-19. A população precisa ser esclarecida e orientada com relação aos cuidados que devem ter em seus ambientes de trabalho, em suas casas, higienização das mãos, etiqueta respiratória e especial atenção ao público de idosos. As medidas preventivas incluem a orientação correta e eficaz”, esclarece Lígia Cabedo.

Para Maria das Graças Carvalho, chefe da Divisão da Gerência de Controle e Fiscalização (GCF) da SDU Sudeste, a roda de conversa foi um importante momento de reflexão sobre os impactos do coronavírus na vida de toda a comunidade. “Achei interessante a parte que ela falou de que precisamos ter responsabilidade com o outro também. Por exemplo, sobre o uso da máscara, que quanto mais consumirmos o produto de forma desnecessária, mais falta haverá nas farmácias e supermercados, prejudicando a quem mais precisa, que são os profissionais de saúde e quem está realmente doente”, declara Maria das Graças.

O superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, também esteve presente na roda de conversa e destacou as medidas adotadas na rotina interna da superintendência. “Nós estamos tomando providências conforme as recomendações da Prefeitura de Teresina, que já decretou estado de emergência. Estamos alterando e flexibilizando os horários de atendimento e serviço, afastando colaboradores com mais de 60 anos e intensificando a higienização do espaço de trabalho. Tudo com o objetivo de minimizar os impactos e tentar garantir a segurança de todos”, finaliza Evandro Hidd.

SDU Sudeste faz monitoramento das chuvas e atua na remoção de famílias em situação de risco

Ascom/Sdu Sudeste

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano – Sudeste realizou na manhã desta terça-feira (18) o monitoramento de áreas afetadas pelas chuvas. Acompanhado de equipes técnicas, o superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, visitou os bairros Vila Verde, Curva São Paulo e Vila Beira Rio e definiu estratégias para evitar possíveis transtornos.

Na Vila Beira Rio foram constatadas situações de alagamento próximo às casas devido ao aumento do nível do rio Poti. Para garantir a segurança e proteção da comunidade, a equipe de assistentes sociais da Gerência de Habitação da SDU Sudeste realizou o pré-cadastro de 28 famílias que serão removidas das residências em situação de risco.

A realocação das famílias será feita através do Programa Cidade Solidária, que possui duas vertentes de atuação: o ‘Família Solidária’ e o ‘Residência Solidária’. No primeiro, a pessoa acolhida indica outra família para lhe receber e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 300. No segundo, a família deve indicar um imóvel, no valor de até R$ 300, para alugar e a Prefeitura arca com o pagamento no prazo de um ano.

Durante o período, a família é devidamente acompanhada pelas equipes de assistência social da SDU Sudeste e Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), sendo fornecido, caso necessário, cesta básica, kit acolhimento e kit limpeza.

“O monitoramento das áreas é um trabalho que fazemos constantemente na SDU Sudeste e adotado por todas as frentes de prevenção da Prefeitura de Teresina. Todas as nossas ações são definidas com o objetivo de evitar os alagamentos e, quando eles ocorrem, de minimizar os seus impactos e perigos à população”, informou o superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd.

Depósitos irregulares de sucatas são alvos de fiscalização da SDU Sudeste

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano  Sudeste está fazendo a fiscalização e notificação de diversos pontos irregulares de sucata na região. A ação visa coibir o depósito de material de ferro velho em áreas proibidas pela Prefeitura de Teresina.

Nos locais notificados foi constatada a instalação inadequada de estabelecimentos de compra e venda de sucatas, violando o Código de Postura do Município. Segundo a Lei 3.610, não é permitida a permanência de veículos destinados ao comércio de ferro velho, bem como sua exposição em calçadas, vias e terrenos públicos.

Em um dos pontos detectados pelos fiscais, diversos veículos se encontram depositados na calçada e em área pública localizada em frente ao estabelecimento. Segundo o gerente de Controle e Fiscalização da SDU Sudeste, Alexandre Nogueira, o proprietário foi notificado e, como não cumpriu a orientação dentro do prazo de 15 dias, será autuado e multado. O valor da multa varia entre R$ 166,00 e R$ 1.665,00 e pode chegar a R$ 10 mil, em caso de reincidência.

Alexandre Nogueira destaca ainda como as sucatas irregulares prejudicam a comunidade. “A sucata proporciona vários desgastes tanto para a Prefeitura quanto para a população, interferindo até mesmo na qualidade de vida do munícipe. Uma sucata estacionada em via pública impede o direito de ir e vir do cidadão e deixa de ser um local ocupado pela comunidade, onde poderia ser feito, por exemplo, uma praça”, pontua o gerente.

Para atuar de forma legalizada, os estabelecimentos de depósito, venda e compra de sucata precisam de licença emitida pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano da região onde estão localizados. A licença está condicionada a que o terreno seja cercado por muro de alvenaria ou concreto, com altura mínima de 2,50m (dois metros e cinquenta centímetros) e pode ser solicitada através do site Construa Fácil.

O superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, enfatiza a importância da fiscalização e cumprimento das normas. “A Prefeitura está fazendo o seu papel de cuidar dos espaços públicos da cidade e do bem-estar da população. O descarte e depósito irregular tanto das sucatas como entulhos no geral, impacta negativamente no ambiente e na saúde das pessoas. Então é essencial que a comunidade nos ajude e tenha em mente esse compromisso com a construção de uma Teresina sustentável e melhor para se viver”, frisa Evandro Hidd.

 

Agência Francesa investirá em programa de melhoria habitacional em Teresina

Ascom/Sdu Sudeste

Representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) estiveram, nessa segunda-feira (2), em reunião com equipes da Superintendência de Desenvolvimento Urbano – Sudeste, após visita a áreas na região onde deve ser implantado um novo programa de melhoria habitacional da Prefeitura de Teresina, como um dos oito setores estratégicos da Agenda 2030.

Tornar a cidade sustentável e com crescente desenvolvimento social e econômico é o objetivo da Agenda 2030, um programa da Prefeitura de Teresina que conta com um investimento de 45 milhões de euros, sendo 36 milhões financiados pela Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e 9 milhões de contrapartida do município.

“Esse é um projeto que está em fase gestacional e que busca dar melhores condições de vida e moradia para a população. Estima-se que 12 mil teresinenses devem ser beneficiados com intervenções de melhorias, trazendo mais conforto e segurança para os moradores”, ressaltou Evandro Hidd, superintendente da SDU Sudeste.

No novo projeto, serão contempladas residências de famílias de baixa renda e que estejam fora de áreas de risco, detectadas após análise das equipes técnicas. De acordo com o programa, essas casas passarão por readequações, como melhorias em instalações sanitárias, pintura, reboco e recuperação de coberturas e telhados.

De acordo com o superintendente, o novo projeto de moradia resgata a cidadania e a autoestima, oferecendo uma moradia mais digna para as pessoas. “O prefeito Firmino e a Prefeitura de Teresina tem um compromisso objetivo e constante com o desenvolvimento humano. Cada obra é pensada para melhorar a vida do cidadão e contribuir para uma cidade mais sustentável e dinâmica. Com a Agenda 2030 em execução, os teresinenses devem esperar por uma grande transformação urbana e social, uma nova fase para Teresina”, frisou Evandro Hidd.

Segundo Guilherme Madrid, consultor da AFD, o objetivo da visita é conhecer mais detalhes sobre as intervenções que devem ser feitas. “A missão é aprofundar o conhecimento sobre os diferentes itens do programa e, principalmente, sobre os subcomponentes que têm maior impacto ambiental e social. Com isso, podermos entender qual o marco de gestão, o arranjo institucional e os processos operacionais que a Prefeitura tem para enfrentar ou amenizar os riscos ambientais do programa”, explicou Guilherme.

Isaac Meneses, superintendente executivo da SDU Sudeste, destaca que as obras devem iniciar ainda no primeiro semestre de 2020. “A primeira licitação já está em andamento. Ao longo dos cinco anos de execução do projeto, cada zona da cidade receberá recursos para a requalificação de 150 unidades habitacionais, totalizando 3 mil imóveis beneficiados.”, finalizou.

 

Construção de galeria no Recanto dos Pássaros vai evitar alagamentos

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste está construindo uma galeria no Residencial Recanto dos Pássaros, no bairro Bom Princípio. O objetivo é amenizar transtornos causados pelas chuvas, como alagamentos e enchentes.

Com investimento de aproximadamente R$ 193 mil, oriundos de recursos do Orçamento Popular, a galeria será coberta, permitindo o trânsito seguro de veículos e pedestres, além da eficiência no escoamento das águas da chuva. A obra está prevista para inaugurar no mês de junho.

Segundo o superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, o projeto é uma reivindicação importante dos moradores do Residencial Recanto dos Pássaros e que, agora, está sendo atendida.

“Esta é uma área em que os moradores sofriam frequentemente com alagamentos e que, com o Orçamento Popular, tiveram sua demanda ouvida. As obras estão bastante avançadas e trarão muitos benefícios a essa comunidade, especialmente nos períodos de chuva, melhorando o escoamento das águas”, finalizou o gestor.