Programa AABB Comunidade volta em formato não presencial

Ascom/Semec

As atividades do Programa AABB Comunidade 2020, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação (Semec), foram retomadas por meio de videoaulas, nas quais os alunos têm acesso a revisões de matemática e língua portuguesa, além de esportes e jogos para diversão. A programação no novo formato é uma estratégia para dar continuidade às atividades, estimulando os estudantes a movimentarem corpo e mente.

O Programa beneficia estudantes da Rede Municipal de Ensino e, além de reforço escolar, oferece esporte, arte, cultura e lazer, promovendo o desenvolvimento integral das habilidades cognitivas, físicas e sociais dos jovens.

De acordo com a coordenadora do AABB Comunidade no município, Nívia Coelho, a ideia é ampliar propostas para uma melhor qualidade de vida dos alunos e seus familiares. “Estamos utilizando a internet para a interação, levando dicas de exercícios e uma rotina de atividades para fazer em casa. São ações que tínhamos no Programa, como alongamentos, circuitos e práticas esportivas”, conta Nívia.

Os professores também estão reforçando a importância do cuidado com a saúde, higiene pessoal, equilíbrio emocional e integração familiar. Ao todo, 100 alunos das escolas municipais José Ommati e O.G Rêgo de Carvalho estão conectados com as atividades não presenciais.

Novo ministro da Educação já esteve em Teresina atraído pelo modelo de educação do município

Foto: Ascom Semec

Nomeado como novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, esteve em Teresina no ano passado para conhecer de perto o modelo de educação que ganhou destaque ao alcançar os melhores resultados entre todas as capitais do país.

Na época, presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Decotelli conversou com técnicos da Secretaria Municipal de Educação (Semec) sobre as práticas de ensino, modelo de gestão, formação de professores e até sobre os desafios encontrados durante a trajetória da educação municipal. Seu objetivo era compartilhar as estratégias de sucesso com outras redes de ensino, replicando o modelo de Teresina pelo Brasil.

Em sua fala, destacou Teresina como exemplo para o país principalmente pelos resultados alcançados a partir da boa gestão dos recursos e muito trabalho. “Deve ser motivo de orgulho para toda a cidade. Queremos compartilhar essas estratégias com redes de ensino que estão abaixo do esperado, inspirando os gestores”, disse Carlos Alberto Decotelli na época.

Na passagem por Teresina, participou também da inauguração do Centro Municipal de Educação Infantil João Paulo dos Reis Veloso, que teve parte da sua construção financiada pelo FNDE, e conheceu o projeto da Escola de Tempo Integral “Palácio da Educação”, com provável sede no Parque Lagoas do Norte.

Alunos com deficiência recebem material e acompanhamento para atividades em casa

Mais de 90 mil alunos da Rede Municipal de Teresina estão realizando suas atividades pedagógicas em casa, desde a suspensão das aulas presenciais como medida de proteção contra o coronavírus. Nesse novo contexto de aulas não presenciais, a Prefeitura de Teresina encontrou uma forma de continuar apoiando os alunos com deficiência no desenvolvimento de suas habilidades.

A Divisão de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal de Educação (Semec) e as unidades de ensino enviaram para casa dos alunos especiais kits escolares com material concreto para que sejam executadas as atividades sugeridas. Esse é o mesmo tipo de material utilizado por eles nas escolas, sendo uma importante ferramenta de aprendizagem.

A turma também participa das atividades online, responde as tarefas impressas e assiste as aulas transmitidas pela TV. A ideia é oferecer a maior quantidade de plataformas para acesso aos conteúdos e garantir um ritmo de aprendizagem. A educação inclusiva oferece, ainda, o acompanhamento dos professores de AEE (Atendimento Educacional Especializado), que orientam as famílias no uso do material dourado, jogos e outros elementos que foram enviados nos kits.

Segundo Samara Moura, chefe da Divisão de Educação Inclusiva, cada criança recebeu um material adaptado para sua condição, mas os pais também estão recebendo dicas de tarefas para realizar com material que têm em casa.

“Mantemos nas escolas da Prefeitura um planejamento para o desenvolvimento cognitivo desses alunos, e mesmo em meio às dificuldades causadas pela pandemia, tentamos levar para eles exercícios complementares ao regime de atividades não presenciais, de acordo com suas individualidades. Passamos dicas de tarefas que podem ser feitas com o que tem em casa, como garrafas, folhas, carvão, cerâmica e etc, tudo com intencionalidades ligadas às habilidades. Os pais e professores são nossos grandes aliados”, disse Samara.

A professora Leila Santos acompanha 18 alunos da Rede Municipal, todos com autismo. Ela conta que têm sido um grande desafio, mas o retorno é positivo. “Tenho contato online com as famílias e com as crianças, orientando sobre como organizar a rotina e conciliar as atividades pedagógicas com as terapias. Tivemos mesmo que nos reinventar para utilizar a tecnologia a nosso favor, e eles se dão muito bem, recebo depoimentos emocionantes dos pais”, afirma a professora.

 

Ponte Estaiada receberá campanha do Hemopi pela doação de sangue

Ascom/Semdec

O estacionamento do Complexo Turístico Ponte Estaiada será palco de uma campanha pela doação de sangue, organizada pelo Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí (Hemopi). O local receberá uma unidade móvel de coleta de sangue para facilitar o acesso de doadores. A ação terá início nesta quarta-feira (24) e terminará na sexta-feira (26), com atendimento de 8h às 16h30.

Com a pandemia do novo coronavírus, houve uma diminuição drástica no número de doações registrada em todo o país. No Piauí, de acordo com o Hemopi, a queda foi de cerca de 50% nas doações, em especial no mês de maio. A campanha que já fazia parte do calendário de ações do mês de junho, por ser o mês do doador, também chega como apelo por mais doações.

Para Raul Ferraz, gestor da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), órgão responsável pelo Complexo Turístico Ponte Estaiada, a campanha chega em um momento delicado, por isso é tão especial. “A Semdec claramente iria apoiar essa iniciativa que também salva vidas. Convido a população de Teresina que compareça ao estacionamento da Ponte Estaiada, com documento com foto, para doar sangue. Qualquer tipo de sangue é importante”, comenta.

De acordo com o diretor-geral do Hemopi, Jurandir Filho, a campanha faz parte das ações do Junho Vermelho, iniciativa com o intuito de sensibilizar ainda mais os brasileiros para a doação de sangue. “Aqui no Piauí, estamos inseridos nesse movimento realizando uma série de ações para trazer a população para doar. Por isso, de quarta a sexta-feira, dias 24, 25 e 26 estaremos com nosso ônibus de coleta na Ponte Estaiada, na Avenida Raul Lopes, buscando mais um reforço no nosso estoque. Temos enfrentando uma série de dificuldades desde o mês de março por causa da pandemia no novo coronavírus em termos de doadores de sangue. Como tivemos essa redução significativa nas doações durante esse mês de junho, nós estamos ainda mais sensibilizados no intuito de promover mais ações como esta”, explicou.

Decisão do STF sobre homossexuais

O Supremo Tribunal Federal (STF) extinguiu as restrições à doação de sangue por homens homossexuais no último dia 8 de maio. Por maioria dos votos, os ministros decidiram que as normas do Ministério da Saúde (MS) e da Anvisa que impediam o recebimento de doações eram inconstitucionais. Por causa disso, no dia 12 de Junho, o Hemopi atualizou os critérios para a triagem de doadores de sangue, possibilitando assim que homossexuais que desejam fazer uma doação possam ser submetidos à triagem clínica habitual. Os critérios habituais são: ter entre 16 e 69 anos, pesar acima de 50kg, estar saudável, bem alimentado e apresentar um documento oficial com foto.

Diretores de escolas da Rede Municipal organizam eleições virtuais para conselhos escolares

Imagem: Ascom/Semec

Cada escola da Prefeitura de Teresina conta com um colegiado que acompanha todas as questões político-pedagógicas, administrativas e financeiras da unidade de ensino: os conselhos escolares. Hoje (18), diretores de 50 escolas municipais participaram de uma reunião virtual com a equipe da Secretaria Municipal de Educação (Semec) que acompanha o processo de formação dos conselhos. O objetivo é planejar as eleições dos conselheiros, que este ano acontecerão online.

Os colegiados são formados por representantes da comunidade escolar e local. Participarão do processo de eleição nesse momento as unidades de ensino que tiveram seus estatutos reformados e precisam atualizar os membros do conselho escolar. Por conta do momento de pandemia, todo o processo será virtual, desde a assembleia para convocação da comunidade, eleição da comissão eleitoral, votação e até a posse dos eleitos.

A técnica da Semec, Zilmara Seabra, acompanhou os gestores durante a reformulação dos estatutos e agora dá suporte nesse novo processo. Durante a videoconferência, explicou aos diretores o passo a passo formal, que exige transparência e ampla divulgação na comunidade.

“O conselho escolar cumpre um papel fundamental nas unidades de ensino e deve estar atualizado com todos os processos democráticos de eleição. Portanto vamos nos adaptar a esse novo formato e realizar tudo de forma online, sem abrir mão da transparência e do que é exigido por lei”, explica Zulmira.

Cada escola deve elaborar seu cronograma para as eleições de acordo com a realidade que vivencia. Todos os passos serão divulgados na internet, utilizando principalmente as redes sociais das escolas. A Semec criou um sistema exclusivo para a votação, com autonomia para a comissão eleitoral organizar o acesso dos votantes.

Para a diretora da Escola Municipal Angelim, Karla Patrícia Santos, a iniciativa é importante para manter os processos escolares e garantir a participação da comunidade em todas as decisões.

“Nosso conselho venceu em abril e precisamos renovar, elegendo um grupo plural como parte fundamental da escola. O formato virtual é algo novo, que exige responsabilidade e ampla divulgação, por isso já estamos trabalhando na elaboração da portaria. A Secretaria nos forneceu meios para realizar o processo online e estamos confiantes de que tudo ocorrerá bem”, finaliza a gestora.

 

CMEI Júlio Romão cria projeto para um São João diferente

Com o objetivo de manter a tradição das festas juninas entre os alunos, o Centro Municipal de Educação Infantil Júlio Romão está realizando o Projeto “São João do Júlio Romão: eu recito daqui, você daí”. A partir desta iniciativa, foi montada uma programação repleta de atividades pedagógicas com a temática junina, para serem desenvolvidas durante todo o mês de junho, sem que as crianças precisem sair de suas casas.

Na prática, os alunos gravarão vídeos em casa recitando quadrinhas, que são fragmentos de um poema escrito. A temática central é a situação atual que o mundo enfrenta com a pandemia do novo coronavírus.

“Queremos manter essa tradição das festas juninas com as crianças, destacando as manifestações culturais nordestinas e ainda refletir sobre o difícil momento no qual estamos. O projeto é uma forma de adequar-se à nova modalidade de ensino de aulas não presenciais, mantendo o ensino de conteúdos importantes para nossos alunos”, informou a diretora Andreia Coelho.

A ideia é promover a valorização da cultura nordestina, envolvendo elementos importantes da educação infantil, como identidade, autonomia, música, arte, matemática, linguagens oral e escrita, movimento, natureza e sociedade.

Distribuição de atividades impressas é alternativa para estudo dos alunos em casa

Ascom/FMS

Para garantir o acesso dos alunos às atividades pedagógicas em meio a pandemia, as escolas da Prefeitura de Teresina estão desenvolvendo uma série de estratégias. Além dos recursos digitais, como a internet e as aulas pela televisão, as unidades de ensino disponibilizam aos pais atividades impressas para serem realizadas em casa.

No Centro Municipal de Educação Infantil Thereza Cristina, os pais buscam na escola um caderno de atividades quinzenal preparado pelas professoras. Cada vez que devolvem um respondido, levam para casa outra série de atividades novas. O material também é enviado online, caso as famílias prefiram fazer a impressão.

“Está dando certo, combinamos com os pais a melhor forma para cada um, e vamos acompanhando a execução das tarefas. Todos os dias recebemos fotos e vídeos lindos das crianças estudando em casa”, comentou a diretora Raimunda Soares.

A equipe gestora do CMEI Vila Bandeirante entregou aos pais todo o material didático necessário para as atividades em casa, como livros, material escolar, paradidáticos e tarefas impressas para os próximos 15 dias. Também uma agenda com orientações sobre a organização da rotina diária, ajudando os pais a manterem um ritmo parecido com o que as crianças tinham na escola.

“Mais do que nunca precisamos trabalhar em conjunto, então oferecemos todo o apoio aos pais, monitoramos as tarefas e dividimos a equipe de forma a estar sempre presente na rotina dos alunos”, disse a diretora Nordely Noronha. Ela conta que o CMEI montou um plantão exclusivo para tirar dúvidas dos pais. “Para aqueles que não possuem acesso à internet, os professores ficam disponíveis pelo telefone fixo da escola, em sistema de plantão”, concluiu.

A distribuição de material impresso é uma das alternativas descritas pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) no regime de atividades pedagógicas não presenciais, necessário para minimizar os prejuízos causados pela pandemia do Coronavírus.

Alunos da Rede Municipal criam rotina de estudos com aulas transmitidas pela TV

A sala de aula agora é em casa. Desde a suspensão das aulas presenciais nas unidades de ensino da Rede Municipal por conta da pandemia do novo coronavírus, os alunos precisaram se adaptar a uma nova realidade na rotina de estudos. O celular, o computador e agora a televisão viraram as principais ferramentas de aprendizagem em tempos de isolamento social, onde a educação precisou ganhar novos formatos.

Nesta semana, mais de 60 mil alunos matriculados no Ensino Fundamental das escolas da Prefeitura passaram a assistir aulas pela TV. A transmissão por meio de quatro canais locais é uma das estratégias para alcançar os estudantes e manter o ritmo de aprendizado.

Amanda Costa é tia do estudante João Felipe e tem acompanhado as atividades pedagógicas do sobrinho, que faz o 2º ano. Segundo ela, o segredo para conseguir a concentração da criança é montar uma rotina como na escola. “Todos os dias ele segue uma programação, veste a farda, tem o lugar certo para estudar e assiste a TV como em sala de aula, depois vamos fazer juntos as atividades propostas. Não conseguimos muito essa concentração pela internet, então o conteúdo pela TV tem sido a melhor opção para ele”, explica a tia.

Yudi Carvalhedo, aluno do 7º ano da Escola Municipal Jornalista João Emílio Falcão, conta que sente falta da escola, mas tem gostado de acompanhar as atividades pela televisão. “Na escola é bem melhor, claro, mas com as aulas da TV consigo aprender bem. Fecho a porta do quarto e ninguém me atrapalha. No final da tarde respondo os exercícios e envio para os professores pelo aplicativo. É por lá que nos comunicamos todos os dias”, conta.

Os professores e as plataformas online dão suporte para o aprendizado. Além dos aplicativos de troca de mensagens e videoconferência, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) mantém a plataforma “Em casa eu aprendo” hospedada em seu site. São vídeos produzidos por professores, dicas de leitura, atividades para responder em casa e conteúdo direcionado para cada ano escolar.

De acordo com diretora da Escola Municipal Thereza Noronha, Simone Barbosa, a escola foi encontrando mecanismos para alcançar cada aluno segundo suas necessidades. “Estamos utilizando todas as ferramentas possíveis, vencendo os obstáculos para tornar essa nova forma de educação cada vez mais ampla e acessível. Tudo isso é novidade para nós gestores, professores e também para os alunos e as famílias, mas acreditamos que podemos fazer o melhor juntos. A televisão trouxe uma oportunidade de maior de alcance, outra alternativa importante para o acesso do aluno aos conteúdos. Tenho recebido retornos positivos quanto a isso. A expectativa é de que em breve possamos voltar de forma presencial, mas por enquanto vamos fazer dar certo com o que temos”, concluiu a diretora.

 

Prefeito assina termo de cooperação com TV Assembleia para transmissão de aulas

Iniciou nesta terça-feira (16) a transmissão de conteúdo educativo pela TV Assembleia para alunos do 1º ano do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Teresina. A assinatura do termo de cooperação técnica entre o executivo municipal e o legislativo aconteceu nesta manhã entre o prefeito de Teresina, Firmino Filho, e o presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, Themistocles Filho. Agora, 70 alunos do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino são contemplados com aulas exibidas por canais de televisão

O sistema de aulas à distância exibidas por meio de canais de televisão foi uma das estratégias adotada pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) para retomar o calendário letivo e ainda manter as medidas de isolamento social em decorrência da pandemia do novo Coronavírus.

Para o prefeito Firmino Filho, a parceria com a TV Assembleia Assembleia é uma forma criativa e solidária de manter a qualidade do ensino municipal. “Temos um grande desafio ao enfrentar essa pandemia e buscamos fazer isso de forma criativa. Na educação, a busca por novas tecnologias é fundamental para que a gente possa manter a ensino das nossas crianças. Portanto, agradecemos ao deputado Themistocles Filho por entender a nossa demanda e ter demonstrado essa solidariedade com a meninada de Teresina e com a gestão municipal, que quer continuar construindo uma escola de qualidade para todos”, afirmou.

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado Themistocles Filho, esse termo de cooperação técnica é uma contribuição do poder legislativo com a educação de Teresina. “Estamos colocando a TV Assembleia à disposição dos nossos jovens para que eles possam continuar estudando e aprendendo, e o que é mais importante, sem nenhuma contrapartida financeira para a Prefeitura de Teresina. Entendemos a importância desse meio de comunicação nesse momento em que os estudantes estão em casa e precisam de um canal para continuar com as suas atividades sem prejuízos”, destacou o deputado.

Com o início da transmissão das aulas hoje pelo canal 16, TV Assembleia, contemplando os alunos do 1º ano, agora os conteúdos passam a ser transmitidos para todo o Ensino Fundamental. No último dia 10 de junho já tinham sido iniciadas as aulas para alunos do 6º ao 9º ano por meio de quatro canais locais.

“A televisão tem um grande alcance e assim pretendemos levar para todos os nossos alunos essas atividades que todas as escolas estão organizando e planejando durante esse período de isolamento. Com essa estratégia de transmissão de conteúdo educativo pela televisão iremos contemplar cerca de 70 mil alunos com aulas, diminuindo o impacto da distância causado pela pandemia”, ressaltou Kátia Dantas, secretária municipal de Educação.

Os alunos e professores se encontram por meio da programação diária preparada pela Secretaria Municipal de Educação. As aulas são transmitidas de 8h às 17h30, pela TV Antena 10 (Canal 10.2), TV Assembleia (Canal 16), TV Vinte Ponto Dois (Canal 20.2) e TV O Dia (Canal 23.1).