Selo Dona Saló contempla empresas de Teresina

Na manhã desta terça-feira (15) ocorreu no Palácio da Cidade, a entrega da  2ª Edição do Selo Dona Saló, realizada pela Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Turismo (SEMDEC).

Fotos: Rômulo Piauilino

O prêmio certifica empresas privadas de pequeno, médio e grande porte localizadas em Teresina, que estabeleçam e atuem com programas e ações em prol da equidade de gênero.

O presidente da Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano – Eturb, João Duarte, o Pessoinha, que durante a solenidade, representou o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, ressaltou a importância das empresas de investir nas mulheres e na equidade de gênero.

“ A construção de uma visão potente que contribua para que as empresas invistam em inclusão passam por dois caminhos o da economia inteligente e do reconhecimento dos direitos e das realidades que estimularam o desenvolvimento da igualdade de gênero, como esse prêmio do selo que é um estímulo a mais para que a gente sempre trabalhe com equidade de gênero”, disse o presidente da Eturb.

A secretária Karla Berger, da SMPM reforçou o impacto da equidade de gênero nas empreas.

“A equidade de gênero dentro das empresas é de fundamental importância, não apenas como forma de justiça social, afinal ações que estimulem essa equidade impactam positivamente no desenvolvimento financeiro das empresas”, afirmou.

Nesta edição 09 empresas foram contempladas, elas apresentaram projetos ou programas baseados nos seguinte critérios: responsabilidade social, enfrentamento a violência, assédio dentro e fora do local de trabalho, incentivo à educação, equidade salarial e valorização das suas atividades

“O Selo é muito importante, pois valoriza as causas em defesa dos direitos das mulheres. Faz-se necessário divulgar e fortalecer a importância deste selo, para que mais empresas sejam contagiadas”, pontua o Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Marcelo Eulálio.

Barbara Melo, gerente de Responsabilidade Social da Agea – Águas de Teresina, disse que fica muito orgulhosa em participar e ganhar o Selo Dona  Saló, pois ele, representa a visão da Águas de Teresina, que é oportunizar a todos igualmente, independente de gênero e entendendo peculiaridade de cada um.

Lista das empresas ganhadoras da 2ª Edição do Selo Dona Saló:

-ÁGUAS DE TERESINA SANEAMENTO SPE S/A –

-ALMAVIVA DO BRASIL – TELEMARKETING E INFORMÁTICA S/A

-BIOANÁLISE LTDA

-BOTICA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO

-CREDISHOP S A ADMINISTRADORA DE CARTÕES DE CRÉDITO

-HOSPITAL DOS OLHOS FRANCISCO VILAR

-HOT SAT TELECOMUNICAÇÕES LTDA

-LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS BIOLAC LIMITADA – LABLIFE

-LABORATÓRIO  DE ANALISES – CLINICAS BIOLAC LTDA

-ULTRA-X LTDA 

SMPM e SEMDEC lançam inscrições para 3° Edição do Selo Dona Saló

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) lançam nesta terça-feira (15) o regulamento para as inscrições da 3° Edição do Selo Dona Saló.

O reconhecimento certifica empresas privadas de pequeno, médio e grande porte localizadas em Teresina, que estabeleçam e atuem com programas e ações em pro da equidade de gênero. As empresas inscritas devem alcançar os seguintes critérios: empregabilidade e liderança de mulheres, igualdade salarial, saúde e qualidade de vida, incentivo à educação e prevenção à violência.

“O Selo Dona Saló é um reconhecimento para impulsionar as empresas a se preocuparem com a equidade de gênero, para garantir que haja um mercado de trabalho na nossa capital que abrace as necessidades e os direitos femininos. É um assunto de muito interesse da Prefeitura Municipal e que mostra a mobilização de mais empresas para participar do prêmio, logo, garantindo mais programas para mulheres”, declarou a secretária da SMPM, Karla Berger.

Para Flaviany Paiva, gerente do setor de Recursos Humanos da empresa CrediShop, uma das empresas ganhadoras do prêmio, a premiação condecora e valoriza empresas que se preocupam com a igualdade de gênero.

“O Selo Dona Saló é um reconhecimento das práticas de equidade de gênero que nos fortalece a continuar nesse propósito, de nos mantermos firmes com ações para mulheres, ser um exemplo em Teresina e incentivar que outras empresa participem do prêmio e estimule mais ainda essas ações na capital”

As inscrições das empresas iniciam a partir das 8h no dia 15 de junho de 2021 e encerram às 23h59 do dia 15 de julho de 2021.

O preenchimento dos formulários disponibilizados nos endereços  http://smpm.teresina.pi.gov.br/http://semdec.teresina.pi.gov.br/ e https://www.ufpi.br/.

Como requisito para as inscrições, as  instituições privadas devem possuir CNPJ ativo, com o mínimo de 10 colaboradores e estejam em dia com as obrigações trabalhistas, não tenha sofrido denúncia de trabalho escravo e infantil, abuso e discriminação de gênero.

SMPM entrega braceletes para mulheres  do Florescer Salobro

O bracelete ajuda a mulher a entender sobre período fértil e infértil, como também monitorar seu fluxo Fotos(Ascom/SMPM)

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM), em parceria com o projeto Plan International Brasil, entregou nessa quarta-feira (9) cerca de 40 braceletes menstruais para mulheres da comunidade Salobro, zona rural Sul de Teresina.

A ação tem como objetivo conscientizar sobre a saúde e higiene menstrual, como também quebrar tabus sobre a menstruação, por meio dos serviços já prestados dentro do projeto Florescer. Durante o evento, foi realizada a oficina para produção do adereço e debatida a importância da saúde da mulher.

De acordo com Thayná Lima, facilitadora de projetos da Plan International, o bracelete ajuda a mulher a entender sobre período fértil e infértil, como também monitorar seu fluxo.

“Muitas meninas e mulheres não discutem sobre menstruação, o que acaba afastando elas do sistema de saúde. A campanha pretende quebrar esse tabu, aproximando elas da sua saúde e seus corpos”, informou Thayná.

Ciente da proposta, a SMPM abraçou a campanha em benefício das mulheres de Teresina. Outras oficinas e palestras estão agendadas para acontecer dentro dos Serviços Florescer Norte e Sudeste.

“É um projeto que informa e empodera mulheres, por isso, é muito importante para a secretaria estar com essa parceria dentro dos nossos serviços”, frisou Nathalie Ciarlini, psicóloga da SMPM.

Como funcionam os braceletes?

O kit é formado por 28 miçangas. A pulseira, que pode ser customizada, mostra todo o ciclo menstrual, desde os dias de sangramento ao período fértil, sendo caracterizado por miçangas vermelhas (período de sangramento), laranjas (período fértil) e rosas (período infértil).

O bracelete pode ser usado por meninas, mulheres, homens trans, pessoas não binárias e interssexuais que menstruam ou que ainda vão menstruar.

O que é a Plan International
 
A Plan International é uma organização humanitária e de desenvolvimento não governamental e sem fins lucrativos, que promove os direitos das crianças e a igualdade para as meninas. Suas estratégias de incidência política e mobilização social pautam as demandas das meninas em novos espaços do Legislativo, Executivo e na sociedade civil, alcançando todo o território nacional.

Em 2021, a Plan e a marca Intimus realizou a doação de absorventes e protetores diários e milhares de cartilhas sobre educação menstrual para mais de 40 mil mulheres e meninas que vivem em situações de vulnerabilidade em comunidades da Bahia, Piauí, Maranhão e São Paulo. Recentemente, junto à SMPM vem realizando oficinas, palestras e eventos sobre saúde e higiene menstrual para meninas e mulheres de Teresina.

SMPM e vereadora discutem destinação de emendas para execução de projetos e serviços

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) esteve reunida nesta quarta-feira (2), com a vereadora Teresinha Medeiros (PSL), para discutir projetos e serviços para a secretaria que podem ser ampliados com o envio das emendas da parlamentar.

Karla Berger, secretária da SMPM, destacou que os serviços já existentes formam um belo trabalho dentro das comunidades que são atendidas e com a destinação de verbas, podendo alcançar mais mulheres na capital.

“É sempre importante estarmos nos articulando com os vereadores para captação de recursos e implementar as atividades nos nossos serviços. Isso faz com que os projetos alcancem cada vez mais mulheres “, disse a secretária.

Além disso, durante o encontro, foi citado a proposta de criação de novos projetos para atingir mulheres em comunidades vulneráveis em Teresina e também associações de bairro nas zonas periféricas da cidade.

“É muito importante para a população teresinense que os poderes públicos estejam articulados, como mulher entendo as necessidades que as mulheres da periferia necessitam, e vou procurar trabalhar em prol desta causa”, afirmou a vereadora Teresinha Medeiros.

No encontro foi dialogado melhorias para as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PIC’s), como danças, atividades físicas e outras atividades dentro do serviço Florescer.

“A gente discutiu a parceria de projetos que já são beneficiados pela vereadora, como também movimentos que já conversamos, como o da Associação das Prostitutas (Aprospi), gerando assim, uma parceria em prol das mulheres da nossa capital”, frisou Karla.

Reunião discute atendimento à mulheres em situação de violência

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas Para Mulheres (SMPM) deu início às reuniões do Fórum Balançando a Rede, nesta segunda-feira (31) para discutir sobre as demandas da Casa Abrigo “Mulher Viva”.

“Discutir ações para a mulher em situação de violência é necessário, para que essa mulher seja atendida de forma humanizada e técnica para esse público”, disse a secretária da SMPM Karla Berger.

Atualmente, a maior demanda do local, que abriga mulheres em situação de risco de morte e em situação de violência doméstica e familiar, é do município de Teresina, por isso a necessidade de dialogar com a rede e articular o atendimento.

“Esse momento se fez de extrema importância para debater as dificuldades do Abrigo, afinal a porta de entrada para as mulheres em situação de violência de Teresina é o Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), através da SMPM, afirmou Ana Cleide.

Estiveram presentes no encontro representantes do Centro de Referência a mulheres em situação de violência Esperança Garcia (CREG), o Serviço Florescer, Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (CMDM), Coordenadoria Estadual de Políticas para Mulheres, Centro de Referência para Mulheres Vítimas de Violência Francisca Trindade, Casa Abrigo Mulher Viva, Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPPI), Ministério Público do Piauí (MPPI), Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica, Polícia Militar do Piauí – Patrulha Maria da Penha, Departamento Estadual de Proteção à Mulher, 5ª Vara Cível e Criminal (Maria da Penha), Guarda Maria da Penha, Gerência de Saúde Mental, Gerência de Proteção Social Especializada.

Sobre o Casa Abrigo “Mulher Viva”

Casa Abrigo Mulher Viva foi criada em 2014. É um serviço de proteção às mulheres em situação de violência domestica e familiar e que encontram-se em risco iminente de morte, funcionando em caráter sigiloso e mantido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (SASC). A Casa possui capacidade para 20 pessoas entre mulheres e seus filhos, durante o período de até três meses em que estejam em situação de violência e risco de morte. Durante sua estada na casa, as mulheres e as crianças recebem atendimento psicossocial, de saúde e jurídicos, além de participar de oficinas.

Atualmente, a maior demanda do local, que abriga mulheres em situação de risco de morte e em situação de violência doméstica e familiar, é do município de Teresina. Foto Ascom (SMPM)

Secretária da SMPM visita instalações da Casa da Mulher Brasileira do Maranhão

A Secretária Municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Teresina (SMPM), Karla Berger, acompanhada da assistente social da secretaria, Caroline Leal, a pedido do prefeito de Teresina Doutor Pessoa, estiveram na capital maranhense para conhecer a Casa da Mulher Brasileira.

“Como vamos administrar em breve a Casa da Mulher Brasileira em Teresina, essa visita é importante para conhecer o funcionamento, entender os desafios que iremos ter”, disse Karla Berger.

A Diretora da Casa da Mulher Brasileira do Maranhão, Susan Rodrigues, ressalta que ficou bastante feliz com a visita e considera que essa troca de informação é essencial e que vai ajudar bastante a SMPM na implantação da casa em Teresina.

Durante a visita, a secretária da SMPM, recebeu o convite da Secretária Estadual da Mulher do Maranhão (SEMU), Nayra Monteiro, para conhecer a sede da SEMU e a rede de atendimento e os projetos executados.

“Essa oportunidade de conhecer o serviço in loco, os instrumentais, conversar com as profissionais e ter essa troca de informação, é muito importante para analisar o que podemos implantar e melhorar, nos serviços desenvolvidos em Teresina”, afirma a assistente social da SMPM, Caroline Leal.

Casa da Mulher Brasileira

Um serviço inovador no atendimento humanizado das mulheres, do Governo Federal, que vai ser administrado pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Teresina, que integra no mesmo espaço diferentes serviços especializados que atendem aos mais diversos tipos de violência contra as mulheres: Acolhimento e Triagem; Apoio Psicossocial; Delegacia; Juizado Especializado em Violência Doméstica e Familiar contra as Mulheres; Ministério Público, Defensoria Pública; Serviço de Promoção de Autonomia Econômica; Espaço de cuidado das crianças – Brinquedoteca; Alojamento de Passagem e Central de Transportes.

Durante a visita, a secretária da SMPM, Karla Berger conheceu a sede da SEMU/MA. Foto: Ascom (SMPM)

Mulheres atendidas pela SMPM recebem Capacitação Profissional

O primeiro curso de Capacitação Profissional para as mulheres atendidas no Florescer Sudeste iniciou na tarde desta segunda-feira (17) através de uma parceria da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) com a Fundação Wall Ferraz (FWF). O curso ofertado é de Balconista de Farmácia e nele será abordado disciplinas de ética, cidadania, direito saúde, qualidade de vida e empreendedorismo.

“Identificamos a necessidades das mulheres do serviço Florescer terem uma capacitação, pensando nisso, dialogamos com fundação, que disponibilizou as vagas para o nosso público”, disse Iara Carvalho, técnica de articulação da SMPM.

Gleiciane de Souza Oliveira tem trinta anos e está a seis meses desempregada. Ela enxerga no curso a possiblidade de dias melhores e já visualiza até a oportunidade de ter a sua carteira assinada. “Quando você não se profissionaliza, é ruim, afinal o mercado de trabalho exige muito mais da gente a cada dia que passa. Eu creio que com essa oportunidade de aprendizado, vou sair daqui trabalhando”, enfatizou Gleiciane.

A parceira com FWF vai ofertar ainda, cursos de Manicure e Pedicure para as mulheres acompanhadas do Florescer Norte, localizado na bairro Matadouro.

“As alunas irão sair dos cursos totalmente capacitadas para participar de seleções de trabalho, multiplicando assim as suas chances de conseguir um emprego”, concluiu Luana Silva, instrutora do curso.

Foto: Ascom/SMPM

SMPM propõe políticas públicas voltadas para incluir população LGBTQIA+ no mercado de trabalho em Teresina

Nesta segunda-feira (17), a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) esteve presente em uma audiência pública da Câmara Municipal de Teresina, realizada de forma virtual, para tratar de programas e serviços para a população LGBTQIA+ em Teresina.

No dia 20 de abril, após reunião da secretária Karla Berger com Joseane Borges, presidente do Conselho Estadual LGBTQIA+, a SMPM enviou um pedido à Câmara Municipal de Teresina para realização da audiência, visando discutir a situação de vulnerabilidade das mulheres travestis e transexuais.

A Secretária Executiva, Marcela Portela, afirmou o compromisso da SMPM durante a reunião, principalmente nesta segunda-feira, que se celebra o dia internacional de combate a LGBTIfobia. Em audiência, ela citou os programas já oferecidos pela Secretaria para combater a violência contra esse público.

“São dados preocupantes, e nesta gestão, a SMPM conta com o serviço do Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência – Esperança Garcia, onde conta com significativas ampliações, passando a acolher mulheres em diversas violências do tipo lesbofobia, bifobia e transfobia”, declarou a Marcela Portela.

Além disso, a Guarda Municipal Maria da Penha, recentemente passou por processo de qualificação para melhor atuar em casos de violência contra mulheres travestis, transexuais, lésbicas e bissexuais.

Durante a reunião, foi sugerido pela SMPM, um em parceria com a Fundação Wall Ferraz, a criação de cursos de capacitação direcionados para o público LGBTQIA+. Como também, um mapeamento junto à comunidade para colher as necessidades e cursos de interesse dessa população em Teresina.

“É uma forma de inserir essas mulheres dentro do mercado de trabalho, mas também, saber o que de fato essas mulheres gostariam e consideram interessantes para que elas possam ter novas oportunidades na sociedade”, informou Marcela.

Na reunião estiveram presentes os vereadores Venâncio Cardoso, Pollyana Rocha, a deputada Flora Izabel, a coordenadora de Diversidade da Coordenadoria de Estado de Políticas Públicas para Mulheres, Brena Félix, a superitendente de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Assistência Social (Sasc), Janína Mapurunga, e Joseane Borges, gerente de enfretamento a LGBTfobia da Superitendência de Direitos Humanos da Sasc.

SMPM lança Campanha de entrega de braceletes menstruais em Teresina

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM), em parceria com o projeto Plan International Brasil, vai realizar no mês de maio uma campanha em função do Dia Internacional da Higiene Menstrual, marcado pelo dia 28 de maio.

A ação visa atender as comunidades Usina Santana, Parque Brasil e Taboca do Pau Ferrado, onde cerca de 1200 meninas, jovens e mulheres serão beneficiadas, assim como as mulheres atendidas pelos serviços da SMPM.

“Sensibilizar essas comunidades e informar sobre pobreza menstrual, o nosso principal objetivo, afinal, muitas meninas por não saberem e não terem conhecimento, passam o dia com um absorvente, o que pode gerar doenças”, informou Thayná Lima, facilitadora de projetos da Plan International.

Nesta quinta-feira (13), a campanha iniciou com a produção dos braceletes dentro da comunidade Árvores Verdes, na área rural da zona Leste de Teresina. A moradora Célia Miranda, que participou do primeiro evento, ressaltou a importância do projeto dentro da comunidade.

“A gente tá aprendendo para poder passar para nossas filhas, que passarão para suas filhas no futuro, é uma nova forma da gente poder se comunicar com nossas meninas sobre isso. Me sinto empoderada e feliz com esse projeto na comunidade”, disse a moradora.

A SMPM ciente como órgão promotor e articulador de políticas para assegurar os direitos integrais das mulheres, abraçou esta campanha em benefício das mulheres de Teresina.

“Enquanto secretaria, vamos realizar atividades de sensibilização sobre a importância da higiene e saúde menstrual para as mulheres atendidas no Florescer e no Centro de Referência das Mulheres em Situação de Violência Esperança Garcia, além promover e divulgar esses serviços para as comunidades”, disse Caroline Leal, assistente social da SMPM.

A campanha teve ínicio com a produção dos braceletes dentro da comunidade Árvores Verdes, na área rural da zona Leste de Teresina. Foto: Ascom (SMPM)

Mães do Florescer ganham manhã de beleza

O Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas crianças – Florescer da zona rural de Teresina promoveu uma ação de cidadania para as mães. A atividade aconteceu na última quinta-feira, 13.

O Florescer é vinculado a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), e desenvolve atividades com as mulheres e suas crianças em Teresina.

“Ter essa proximidade com a comunidade, é necessária para ofertar serviços de acordo com a demanda da comunidade e um espaço para escutar e acolher as demandas das mulheres”, declarou a secretária da
SMPM, Karla Berger.

A atividade ocorreu em parceria com Fundação Wall Ferraz, que disponibilizou as mulheres, uma manhã inteira dedicada a beleza, com direito a design de sobrancelha e manicure.

“Uma ação como a que ocorreu hoje, faz com a mulher em situação de vulnerabilidade, olhe mais para ela e cuide da sua autoestima, além de socializar com a comunidade em geral”, afirmou Caroline Leal, técnica referência do serviço Florescer.

Devido a pandemia, as mães dedicam-se ao lar e ficam sobrecarregadas, Caroline Leal acredita que essas atividades é terapêutica para essas mulheres, pois elevam a sua autoestima e o seu bem estar.

“Essa ação faz com eu tenha outra visão e uma ótima oportunidade para cuidar de mim, disse Catarina Sena, mãe atendida pelo Florescer.

A atividade ocorreu em parceria com Fundação Wall Ferraz. Foto: Ascom (SMPM)