Cidade Junina recebe campanha “Não te dei liberdade”

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres vai levar a campanha “Não te dei liberdade” para o Cidade Junina. De 15 a 22 de junho, a SMPM estará no Shopping Rio Poty falando sobre o enfrentamento ao assédio e importunação sexual, além de expor produtos feitos pelas mães do Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas Crianças – Amor de Tia.

O stand da SMPM está pronto para receber o público. A Secretaria vai distribuir brindes para quem compartilhar a hashtag #nãotedeiliberdade nos dias do evento. É só mostrar a publicação no stand e ganhar uma camiseta, um copo ou um botton de divulgação da campanha. Segundo a gerente de Empoderamento Feminino e Enfrentamento à Violência contra a Mulher da SMPM, Lidiane Oliveira, o stand está de portas abertas. “Temos um stand interativo, feito com muito carinho, convidamos a todos para publicar a nossa hashtag e curtir esse evento tão animado conosco”, disse.

Este ano, será a 25ª edição do evento. O Cidade Junina tem entrada gratuita e acontece durante oito noites, com uma programação diversificada para todos os públicos com apresentações culturais, shows musicais e de humor, festival de quadrilhas, praça de gastronomia, parque de diversões, exposições de artesanato e ações sociais que envolvem, atendimento médico emergencial e serviços de beleza.

Mulheres terão rede integrada para enfrentamento à violência

Rômulo Piauilino

O Inthegra Mulher vai unificar a rede de enfrentamento à violência contra a mulher. A novidade foi anunciada hoje (14) durante reunião do prefeito Firmino Filho e equipe da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Secretaria de Planejamento e Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul com a Secretaria de Segurança do Estado e Tribunal de Justiça do Piauí.

Previsto para entrega em 2020, o Inthegra Mulher também abriga o Centro de Referência Esperança Garcia, a Secretaria da Mulher, a Defensoria Pública, o Ministério Público e terá academia, piscina, biblioteca e diversas atividades para as mulheres teresinenses.

Enquanto não fica pronto, as instituições estão discutindo o primeiro passo do projeto, que será reunir o Centro de Referência Esperança Garcia, a Delegacia da Mulher do Centro de Teresina e parte da Vara da Mulher em um único local. Para o prefeito Firmino Filho, a integração dos órgãos é importante na efetivação das políticas públicas para mulheres.

“Chamamos vários parceiros para construir esse projeto importante para garantia de direitos as mulheres . É importante a participação da Secretaria de Segurança Pública, do Ministério Público, da Defensoria e do Tribunal de Justiça com a Secretaria Municipal da Mulher. Queremos fomentar essa integração para que possamos não apenas fazer um projeto importante em um prédio no qual todos esses órgãos estarão representados, mas que já tenhamos  uma comunicação e integração destes órgãos nessa rede de proteção já no presente. O secretário Fábio Abreu colocou à disposição um prédio do governo do Estado e ele vai abrigar todos estas entidades na busca pela garantia de direitos”, declarou.

Para Macilane Gomes, Secretária da Mulher, a reunião foi um movimento de articulação para implementação do projeto. “No que remete a etapa um, propusemos que os serviços já pudessem ter uma experiência piloto para implementação de fluxo, encaminhamento, e condução de protocolos para o exercício integrado para quando na etapa de implementação da construção do prédio próprio já estarmos antenados. O encaminhamento de hoje foi que a gente pudesse ver um espaço que contemplasse todos esses serviços, uma vez que o Centro de Referência Esperança Garcia é um espaço pequeno para compor toda a equipe”, afirmou.

O titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, José Olindo Barbosa, aprovou a ação. “É uma ótima iniciativa por parte da Secretaria da Mulher e o poder judiciário, mais especificamente a Coordenadoria da Mulher e o Juizado. Estamos pontos para fazer essa integração e acredito que será uma ótima perspectiva de atendimento à mulher, principalmente no nosso caso a mulher vítima de violência doméstica”, finalizou. O Coordenador da Mulher do TJ-PI, José James, também esteve presente.

SMPM apresenta projetos e programas para vereadora

Ascom/SMPM

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres esteve em reunião com a vereadora Pollyana Rocha na manhã desta quarta-feira, 12 de junho. A secretária, Macilane Gomes, apresentou os serviços, programas e projetos da secretaria para a vereadora, com o intuito de receber emendas para financiamento das ações da SMPM.

A vereadora Pollyana Rocha ficou contente com a visita. “É excelente estar com a SMPM. É uma equipe técnica muito séria e que visa sempre resgatar e orientar as mulheres da cidade de Teresina. Então é um trabalho muito preciso, consistente e que agrega valor dentro da nossa cidade”, disse.

Além disso, Macilane conversou com a vereadora sobre o projeto Inthegra Mulher – um prédio de 04 andares que irá unir toda a rede de enfrentamento à violência. “A importância do Integra Mulher é também barrar a naturalização da violência e incentivar o empoderamento a essas mulheres para que elas saibam reconhecer a violência que sofrem diariamente”, finalizou a secretária.

Laboratório Maria da Penha tem sua aula inaugural na Assembleia Legislativa

Ascom/SMPM

Na manhã de hoje (12) foi realizada a aula inaugural do Laboratório Maria da Penha, no Cine Teatro da Assembleia Legislativa do Piauí. A palestra abordou o tema “Mulher Negra na Sociedade” e foi ministrada pela professora Luciana Farias, presidente do Conselho dos Direitos da Mulher. Estiveram presentes coordenadores e alunos dos cursos de Enfermagem, Direito e Psicologia. A aula inaugural teve o objetivo de discutir questões sobre a violência que a mulher sofre diariamente.

O Laboratório é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), em parceria com o Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID). Tathyana Bernardes, apoio à Gerência de Empoderamento Feminino e Enfrentamento à Violência contra a Mulher, destacou em sua fala a importância de reconhecer quais fatores estruturais fazem algumas pessoas como mulheres negras, por exemplo, serem socialmente excluídas ou inseridas à margem da sociedade.

“Em que momento nós lemos homens negros e mulheres negras na faculdade? Eu lembro que eu tive um contato com Paulo Freire, em uma ou duas disciplinas, mas o contato é pouco. Então espero que o laboratório instigue vocês e a gente que está dentro de uma política pública a esses questionamentos, e que sirva para posteriormente, quando estivermos no campo de trabalho, refletirmos sobre essa desigualdade social”, ressaltou Tathyana.

De acordo com Francisco de Jesus, promotor de justiça NUPEVID, o projeto acarreta uma importante responsabilidade social para todos os envolvidos. “Como futuros profissionais, temos que saber que curar a dor dessa mulher que sofre violência não é a única solução, mas buscar saber as causas dessa violência e encaminhá-la à rede de proteção é o que realmente importa. Se a cada 15 segundos uma mulher é vítima de violência, nós enquanto sociedade, família, poder público, temos o poder de fazer afirmativas contra a violência”, afirmou.

I Ciclo de Palestras Equidade de Gênero no Trabalho acontece na UFPI

Ascom/ SMPM

Dando continuidade ao Selo Dona Saló: Empresa Promotora da Equidade de Gênero, teve início na última quinta-feira (06), o I Ciclo de Palestras Equidade de Gênero no Trabalho, na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Essa é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), dos Estudos em Sistemas de Produção (GESP) e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC). O Ciclo continua hoje (07) das 14h às 18h30.

Empregabilidade, liderança de mulheres e equidade salarial foram os temas abordados no primeiro dia das palestras, ministradas pelas advogadas Karine Canabrava e Noélia Sampaio, a superintendente executiva da Fundação Wall Ferraz, Samara Pereira e a analista de gestão pública da SMPM, Ana Régia Nolêto.

Samara Pereira levou uma perspectiva do lugar da mulher no mundo do trabalho.  “As mulheres estão concentradas nas áreas em que os rendimentos são menores. Por mais que a mulher busque se qualificar, e superam os homens no quesito educação, ainda recebem menos. Apesar de todas as discussões, nos últimos 5 anos, a gente não avançou na ocupação de cargos de chefia”, apontou Samara.

Para Ana Régia Nolêto a procura pela equidade salarial é um dever de todos. “Não adianta dizer que é a favor da equidade e fechar os olhos para o que acontece na sua empresa”, afirmou Ana Régia.

SMPM participa de roda de conversa no Centro de Reintegração Familiar

Ascom/SMPM

O Centro de Reintegração Familiar e Incentivo a Adoção (CRIA) visa o reconhecimento do acolhimento familiar como melhor medida de proteção às crianças e adolescentes afastados de suas famílias por violação de direitos. A equipe da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) conversou nesta quarta-feira (05) com famílias participantes do Projeto Unir para Cuidar do CRIA. (mais…)

Selo Dona Saló reconhece ações de empresa que desenvolve o potencial das mulheres

Ascom

Cursos, rodas de conversa, formações profissionais e treinamentos especializados na área de liderança. A realização destas e outras ações garantiu a La Vertu o “Selo Dona Saló: Empresa promotora da Igualdade de Gênero”. Por investir no crescimento profissional das mulheres, a empresa foi condecorada pela Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) e da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM).

A honraria, entregue a La Vertu e mais oito empresas, certifica as empresas privadas localizadas em Teresina que atuam ou estabeleçam projetos, programas ou ações em prol da igualdade de gênero nas relações de emprego, qualidade de vida no ambiente de trabalho, ações de enfrentamento à violência contra a mulher e valorização da mulher no ambiente de trabalho.

De acordo com a gerente de Recursos Humanos e Departamento Pessoal da La Vertu, Ana Brito, só em 2018, foram investidos pela empresa mais de R$ 100.000 em treinamentos voltados para a área de liderança. Estes investimentos possibilitaram o crescimento de algumas funcionárias dentro da empresa.

Aurilene Ferreira começou a trabalhar na La Vertu em 2011 pregando botões. Graças aos treinamentos, foi promovida em 2014 para o cargo de cronoanalista – planejamento, controle e programação da produção. “Foi uma oportunidade que a empresa cedeu, ela me treinou, me capacitou e me classificou. Eu me sinto muito grata pela oportunidade de crescimento”, afirma Aurilene.

Dentre as ações, a La Vertu também organiza uma roda de conversa mensal para incentivar o debate e inspirar os funcionários a melhorarem no ambiente de trabalho. Um desses momentos teve como tema a Inteligência e o poder da autorresponsabilidade, que aguçou nos profissionais um lado mais sensível, tanto na vida pessoal quanto profissional de cada funcionário.

A recepcionista Lucia Maria Vieira Leal trabalha na empresa há 11 anos e diz que a La Vertu cuida e valoriza a mulher. “A La Vertu, além de se preocupar em levar o seu projeto de investir em costura e roupa, ela pensa no amor, na mulher produtiva, guerreira, inserida no mercado de trabalho, e também sempre preza para que elas se sintam amadas, empoderadas e possam lutar por tudo que elas querem, para que elas entendam que são capazes de chegar muito além do que elas imaginam”, disse.

A gerente Ana Brito acrescenta que a La Vertu acredita no potencial das mulheres, por isso investe em ações que promovem um pensamento mais sensível sobre igualdade de gênero. “A nossa empresa é 80% feminina. De sete gerentes, apenas um é um homem, e a gente tem como supervisoras de produção, duas mulheres. Este foi um prêmio voltado para o empoderamento da mulher, dentro do trabalho, para as empresas que reconhecem isso” disse Ana ao acrescentar que a empresa dá assistência as suas profissionais em diversas áreas.

“Sempre chamamos profissionais da segurança pública para uma palestra sobre violência contra a mulher, para alertar sobre a importância delas denunciarem, se sentirem livres para isso. Já em outubro, nós trouxemos um mastologista para explicar coisas que muitas vezes você não consegue adquirir só com as propagandas, elas tiraram dúvidas. O objetivo é, além de promover o debate, passar a mensagem de que todas as mulheres são importantes na empresa, completa.

Selo Dona Saló
O Selo Dona Saló foi entregue as empresas durante solenidade realizada no dia 25 de abril. Além da La Vertu, foram agraciadas as empresas: Águas de Teresina, Bioanálise, Botica Farmácia de Manipulação, Credishop, C2 Transportes, FATESP, Studio Iara Vaz e Tv Rádio Clube. Todas as escolhidas cumpriram os seguintes critérios: responsabilidade social, empregabilidade e liderança de mulheres, igualdade salarial, saúde e qualidade de vida, educação e prevenção à violência.

Mães do Amor de Tia Sudeste fazem curso de bolos

Ascom SMPM

O Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e Suas Crianças: Amor de Tia Sudeste está realizando até a próxima semana um curso de bolos com as mães que frequentam o serviço. A culinarista Tuane Fonseca ensina o preparo das massas, recheios e decorações dos bolos.

Segundo a coordenadora do Amor de Tia, Maria de Lourdes Mendes, as mães ficaram muito animadas com o curso. “Quando elas fazem os cursos e começam a ganhar uma renda extra, se sentem mais encorajadas e motivadas. Houve uma procura tão grande, que tivemos que dividir o curso em dois turnos para que todas pudessem aproveitar melhor e colocar a mão na massa”, comemorou Maria de Lourdes.

Drille Rodrigues, mãe da Maria Luisla de 2 anos, já trabalha com lembrancinhas para aniversários e vender bolos vai abrir uma nova possibilidade para aumentar a renda da família. “Estou aproveitando muito. Eu nunca tinha feito um curso assim porque não tenho condição de pagar. Foi um bom presente”, disse.

 

Secretaria reúne instituições selecionadas no Laboratório Maria da Penha

Ascom/SMPM

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) realizou, manhã de hoje (24), uma Conferência com os Institutos de Ensino Superior – IES selecionados para o Laboratório Maria da Penha 2019.

O programa Laboratório é elaborado em parceria entre a 5º Promotoria de Justiça/Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar –NUPEVID, órgão do Ministério Público do Estado do Piauí – MPPI e a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, órgão da Prefeitura Municipal de Teresina – PMT.

Tathyana Bernandes, psicóloga da SMPM, que coordenou a Conferência, ressaltou que este ano o laboratório vai entregar uma premiação. “O momento hoje era pra discutir como o Laboratório será executado no final do ano. Tem as quatro fases de execução do programa e também o regulamento da premiação. Neste ano, a IES que tiver a melhor ação compartilhada, de acordo com os critérios de avaliação do regulamento e a melhor prática, receberá um valor de 3.000 reais”, disse.

A coordenadora do curso de Direito da CESVALE, Virna Nunes,  uma das IES selecionadas para o laboratório, ressaltou a importância do programa para a comunidade da CESVALE. “O laboratorio Maria da Penha é um projeto de grande valor dentro do cenário piauiense, e o CESVALE se sente honrado em ter sido selecionado pela primeira vez para atuar em parceria com o Ministério Público e a SMPM”, comemorou.

Um dos principais objetivos do programa é abordar o tema sob a perspectiva de gênero, enxergar os fatores da crescente estatística da violência doméstica e familiar contra a mulher, os direitos adquiridos antes e após a aplicação da Lei Maria da Penha, bem como as conquistas e desafios nos âmbitos político, social, cultural e jurídico. Desta forma, capacitar os acadêmicos por meio do LMP, permitirá potencializar novas estratégias de promoção do enfrentamento às práticas de violência contra a mulher.

Segundo Virna, as expectativas são boas. “Daqui pra frente, recebemos o cronograma de ação proposto pelo laboratório e a partir desse cronograma, vamos dar prosseguimento às atividades. Primeiro com uma capacitação teórica com profissionais que atuem na área para que possam dar aos nossos estudantes uma base sólida e em seguida trabalhar num projeto onde a gente possa colocar essa teoria em prática fazendo a diferença na comunidade aqui, nas redondezas da faculdade”, finalizou.