SAMU atende 17 vítimas de acidente de trânsito por dia no carnaval

Ascom/FMS

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) realizou 425 atendimentos no carnaval, no período entre sábado (21) e quarta-feira de cinzas (26). Desse total, 167 corresponderam a pessoas em situação de urgência clínica, 16 eram vítimas de agressão física, e 86 se envolveram em acidentes de trânsito, revelando uma média de 17 acidentados por dia. O dado foi divulgado nesta quinta-feira (27), pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina.

O levantamento mostrou o perfil das pessoas vítimas de acidente de trânsito, atendidas pelo SAMU nesse período carnavalesco. A maioria dos atendimentos (28%) correspondeu a pacientes do sexo masculino, com idade entre 20 e 34 anos de idade. “Essas pessoas jovens, em idade reprodutiva, podem ficar com sequelas e ter a sua vida profissional e pessoal comprometida ou mesmo irem a óbito. É preciso a colaboração de todos para mudar essa realidade”, afirma o presidente da FMS, Charles Silveira.

Segundo a diretora geral do SAMU, Francina Amorim, uma das medidas para reduzir os acidentes é a conscientização das pessoas quanto ao cumprimento da legislação. “O uso de equipamentos de proteção, por exemplo, pode evitar danos irreversíveis ou mesmo o óbito. É necessário utilizá-los sempre, mesmo que os condutores façam pequenos trajetos no trânsito”, informou. Ela explica ainda que, caso ocorra acidente de trânsito, deve-se manter a calma e acionar o Serviço.

Neste período do carnaval, a FMS informa que o SAMU também registrou atendimento a 29 pessoas em situação de urgência psiquiátrica, 17 gestantes em urgência obstétrica e 30 pessoas que levaram queda da própria altura. Houve ainda uma pessoa vítima de afogamento, um de choque elétrico e duas vítimas de envenenamento. As ambulâncias de suporte avançado também realizaram a transferência de paciente com quadro de saúde grave entre hospitais da rede de saúde da capital.

O SAMU é um programa do Governo Federal, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) e que presta atendimento em casos de urgência clínica, traumática, obstétrica e psiquiátrica. Atualmente, são 11 ambulâncias que ficam estrategicamente distribuídas na cidade, sendo oito de suporte básico e três de suporte avançado, além de quatro motolâncias, que são motos pilotadas por técnicos de enfermagem. Para acionar o serviço, basta a população ligar para o número gratuito 192.

Mal súbito e acidente com motocicleta são principais causas de atendimento no HUT

“O mal súbito não é uma doença, mas um sintoma que aparece repentinamente e que pode ser causado por diversos fatores”, explica o Dr. Péricles Cerqueira, diretor técnico do Hospital de Urgência de Teresina (HUT).  “A pessoa pode perder a consciência e necessitar com urgência de atendimento médico. Um mal-estar repentino, sem causa aparente, é classificado como mal súbito. Após a realização dos exames e do fechamento do diagnóstico é possível dar um direcionamento para o tratamento do paciente”, esclareceu.

Em 2019 o mal súbito ficou em primeiro lugar dentre os principais motivos de atendimento no HUT. Foram 11.174 atendimentos, o que corresponde a 19% do atendimento geral do Hospital nesse mesmo período. Em segundo lugar veio o acidente com motocicleta, com 9.074 atendimentos, 16% do atendimento geral. O terceiro motivo foi corpo estranho no olho, com 4.756 atendimentos, o que correspondeu a 8% do atendimento geral.

Dentre esses principais motivos, o acidente com motocicleta chama atenção, pois geralmente são pacientes muito graves que necessitam de um atendimento com um maior número de especialistas envolvidos. De acordo com Dr. Péricles, o HUT possui uma equipe especializada no atendimento de pacientes vítimas de trauma 24 horas por dia.

“Temos equipes especializadas no trauma para atender essa demanda com mais segurança e qualidade. Esses profissionais são preparados para receber esse tipo de paciente e dar agilidade ao atendimento. O tempo nesse tipo de atendimento é crucial para o sucesso da assistência. Além dos profissionais, temos equipamentos que fazem toda a diferença na hora de fechar o diagnóstico”, comentou Dr. Péricles.

Corpo estranho no olho também chamou atenção pela quantidade de atendimentos realizados. O oftalmologista Igor Marcelos disse que as principais demandas atendidas no setor são relacionadas a acidentes de trabalho. “São pessoas que não utilizam equipamento de proteção adequada e apresentam corpo estranho no olho, geralmente metálico. Outras demandas que aparecem bastante são acidentes de moto, com pessoas que não usam capacete e sofrem traumas na região ocular”, afirma.

Já os casos cirúrgicos mais frequentes são relacionados à laceração de córnea. “A córnea é a primeira camada do olho, por isso é muito comum essa camada ser atingida por traumas. O procedimento envolve a reconstrução das estruturas por sutura para evitar que o olho fique aberto, perca conteúdo intraocular ou mesmo sofra uma infecção”, explica o médico.

Para estes casos que necessitam de cirurgia, o HUT possui no seu centro cirúrgico uma sala equipada com um microscópio óptico adequado para atender esse tipo de demanda, especialmente de trauma ocular. O hospital conta com equipamentos modernos e que permitem a realização de procedimentos de alta precisão.

Somente em 2019 foram 6.509 atendimentos de vítimas de queda, um aumento de 2,2%, se comparado com 2018. O HUT realiza por mês uma média de 5 mil atendimentos e 1.200 cirurgias.

 

 

Projeto UPA na Comunidade discute acidentes de trânsito e suicídio

Ascom/FMS

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Satélite, localizada na zona leste de Teresina, tem atendido, frequentemente, pacientes vítimas de acidente de trânsito e tentativa de suicídio. Por isso, passou a levar informações sobre estes assunto para instituições, escolas e população, através de palestras ministradas por uma equipe de diretores da Unidade. Essa é uma forma que o projeto batizado de “UPA na Comunidade” encontrou para aproximar a UPA da sociedade.

Somente entre junho e dezembro de 2019, a UPA do bairro Satélite atendeu, a cada três dias, um caso de pessoas que tentaram suicídio, totalizando 109 atendimentos. Além disso, foram atendidas 1.053 pessoas vítimas de acidentes de trânsito, nesse período. “Nós desenvolvemos um cronograma de palestras para abordar essas temáticas, que são demandas frequentes atendidas na UPA”, explica a diretora da Unidade, Celina Tourinho.

Para ter acesso às palestras da “UPA na Comunidade”, instituições, escolas ou comunidade devem realizar a solicitação formal à coordenação da UPA do Satélite. “O projeto conta com psicólogo, médico e assistente social e irá abranger, inicialmente, cerca de 600 jovens. Essa abertura do canal de diálogo com a comunidade é muito importante e é também uma oportunidade de explicar o funcionamento da UPA”, ressalta Celina.

Celina Tourinho também destacou que o suicídio é um grave problema de saúde pública, que pode ocorrer por vários fatores e, segundo a Organização Mundial de Saúde, 90% dos casos estão atrelados a transtornos mentais. “Precisamos falar de suicídio de maneira correta e útil. A gente não pode divulgar casos isolados, mas pode falar sobre doenças mentais e locais nos quais as pessoas podem buscar tratamento gratuito”.

Já o diretor médico da UPA Satélite, Thybério Giorgy, destacou que são inúmeros os problemas de saúde decorrentes de acidentes de trânsito. “Geralmente, são jovens que se envolvem nestes casos. Quando ficam com sequelas, podem ficar incapacitados e precisarem da assistência do SUS de forma contínua. Diante desse cenário, queremos unir forças para alertar às pessoas sobre os perigos de um acidente e, então, reduzir esses casos e proteger vidas”.

A UPA do Satélite é gerenciada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) e atende casos de urgência e emergência 24 horas por dia. A Unidade conta com seis consultórios médicos, 16 leitos de observação, quatro leitos de estabilização e dois de isolamento. O atendimento das pessoas não é por ordem de chegada e sim por classificação de risco. Se houver necessidade, o usuário é estabilizado e transferido para outros hospitais da rede.

Criança acompanhada há mais de dois meses pelo HUT recebe alta

Ascom/HUT

Roxele Santos tem nove anos e gosta muito de brincar. Um dia, brincando de “cabra cega” com seu primo, subiu na grade de casa e sofreu um acidente, sendo internada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Depois de mais de dois meses, Roxele vai passar o Natal em casa com sua família, pois recebeu alta do longo tratamento na Clínica Pediátrica do hospital.

A garota, que mora no município de José de Freitas, caiu com o muro da casa, e sofreu uma lesão no dorso do pé com exposição óssea. Ela passou por cinco cirurgias, todas realizadas no HUT, incluindo a amputação de um dedo e enxertos de pele. “No começo foi difícil, ela chorava muito querendo ir para casa e tinha acompanhamento da psicóloga. Quando ela estava começando a se recuperar veio a perda do dedo, exatamente no dia das crianças”, conta a mãe, Roxana Maria da Silva. “Com o tempo fomos nos acostumando, ela melhorou e agora podemos voltar para casa e levar nossa vida normal. Eu agradeço muito a equipe do hospital por isso”, relata ela.

Para o acompanhamento de Roxele e as outras crianças, a equipe da clínica pediátrica do HUT realiza um trabalho de atendimento humanizado, de forma a tornar o processo de internação mais alegre e menos doloroso. “É um desafio diário, porque diferente do adulto a criança não tem entendimento, ela vê o profissional de branco e já chora, por exemplo. Então a gente tem que trabalhar de forma diferenciada, e com o passar dos dias eles passam a nos ver com outros olhos”, conta a gerente da Clínica Pediátrica do HUT, Carla Janaína. Ela explica que este processo contribui para a recuperação da criança, graças à influência dos momentos de alegria e bem estar.

Foi assim que Roxele fez de seu cantinho na enfermaria um pedaço de sua casa: com brinquedos, casa de boneca e desenhos. “A gente fez artesanato com as enfermeiras, rezamos o terço todos os meses, participamos das festinhas aqui no hospital”, conta a mãe, referindo-se aos eventos lúdicos que regularmente acontecem na clínica. A equipe promove festas de datas comemorativas como dia das crianças e natal, além de rodas de conversa com as mães e o Cine Pipoca, projeto mensal que reúne as crianças internadas para assistirem um filme juntas.

A menina inicialmente não queria sair da cama, mas após uma conversa com a equipe ela mudou de ideia, e desde então passeava pelos corredores, brincando, tirando fotos e fazendo novas amizades. Agora, ela faz planos para aproveitar o fim do ano junto com sua família em sua cidade natal. “Tô com saudades dos meus amigos da escola, quero ver meu irmãozinho e meu priminho que nasceu e só vi por foto”, comemora a menina.

O HUT oferece atendimento de urgência e emergência pediátrico 24 horas por dia. “O setor de pediatria conta com 34 leitos e 54 profissionais, entre médicos e enfermeiros, que atendem especialidades como clínica e cirurgia pediátrica, ortopedia e cirurgia plástica”, informa o diretor técnico Péricles Cerqueira. O espaço conta ainda com uma brinquedoteca com livros e brinquedos para as crianças.

HUT pede ajuda para encontrar família de paciente sem identificação

A direção do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) pede ajuda à população para encontrar a família de um paciente sem identificação, internado desde o último domingo (25), vítima de acidente com motocicleta.

O rapaz, que aparenta ter em torno 35 anos de idade, foi encontrado pelo SAMU desacordado no bairro Gurupi, BR 343. Ele é do sexo masculino, tem pele de cor parda, cabelo castanho escuro e, aproximadamente, 1,70 m de altura.

De acordo com a gerente do Serviço Social, Annalzira Soares, a vítima tem um sol tatuado na mão esquerda. “Não temos muitas informações sobre ele. Precisamos ter notícias de parentes ou amigos que possam responder por ele”, explicou a gerente.

Quem tiver qualquer informação que possa ajudar a encontrar a família desse paciente pode procurar o serviço social do HUT ou ligar para 3218 3944.

Seção de Acidentes de Trânsito registra mais de 180 atendimentos desde o mês de julho

A Seção de Acidentes de Trânsito, serviço disponibilizado pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) registrou 185 atendimentos e 70 solicitações de perícia do dia 1º de julho até a última terça-feira (13). A seção funciona das 6h às 23h e após esse horário os atendimentos ficam por conta da Companhia Independente de Trânsito (CIPTRAN).

Os atendimentos são feitos por meio do número 3122-7617, no qual a população entra em contato com um agente. Ao todo, são 28 agentes que se dividem em três turnos para atender os chamados. Torquato Neto, agente de trânsito, explica como funciona o serviço.

“Em uma situação de acidente de trânsito, as pessoas ligam para o número para que possam fazer uma triagem. São feitas algumas perguntas, como a presença de vítimas no local ou se o veículo pertence a algum órgão. Nestes casos, a Polícia Civil deve ser acionada. No caso de acidentes, sem vítimas, apenas com prejuízos materiais, uma equipe da Strans é deslocada até o local do acidente e analisa a necessidade de uma perícia. As medições são feitas e os dados dos envolvidos são registrados. Na superintendência, é emitido um boletim e um laudo dando causa ao acidente”, explicou o agente.

HUT promove evento sobre prevenção de acidentes de trabalho

Em alusão ao Dia Mundial de Segurança e Saúde (28 de abril) e ao Dia do Trabalhador (01 de maio), o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) promoveu uma palestra sobre prevenção de acidentes de trabalho e valorização da vida. A palestrante foi a psicóloga Sara Ramalho Sá, especialista em análise de comportamento aplicado e MBA em gestão estratégica de pessoas, com atuação na área clínica e empresa organizacional.

Durante o evento, Sara Ramalho destacou como algumas atitudes podem contribuir para melhorar a qualidade de vida no ambiente de trabalho. “É muito importante esse olhar da gestão no ambiente de trabalho dos seus colaboradores. Essa preocupação é essencial para melhorar a qualidade de vida dos servidores, visando inclusive a saúde mental e psicológica. A pessoa quando está bem em todos os campos da vida consegue desenvolve com muito mais qualidade seu trabalho”, ressaltou a psicóloga.

Segundo Miriam Coimbra, presidente da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), durante o mês de maio serão desenvolvidas várias ações educativas direcionadas à prevenção e saúde dos trabalhadores. “Vamos promover ações que possam contribuir para melhorar ainda mais as condições de trabalho dos nossos colaboradores. Com isso, eles estarão aptos para desenvolverem suas atribuições com mais segurança”, explicou a presidente.

Clara Leal, diretora geral do HUT, destacou a importância da realização de eventos voltados à saúde do servidor. “Estamos sempre preocupados com o bem-estar dos nossos colaboradores. São eles que tornam nosso serviço uma referência em urgência e emergência para todo o Piauí e até outros estados”, disse.

A campanha Maio Verde foi sancionada pelo prefeito Firmino Filho em fevereiro de 2018 pela Lei n°5.175 e já faz parte do calendário oficial do município. O evento foi realizado pelo HUT por meio da sua Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), em parceria com a Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema).