Isolamento social é responsável por queda de 33% no número de vítimas de trânsito

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou uma queda de 33% no número de atendimentos de vítimas de acidentes de trânsito desde o início do primeiro decreto municipal que determina o fechamento do comércio e serviços não essenciais em Teresina. A variação está diretamente relacionada às ações de distanciamento social recomendadas por órgãos de saúde.

Os dados do relatório, emitido pelo setor de estatística do HUT, apontam que nos primeiros quinze dias de março foram atendidas 438 vítimas de acidentes de trânsito. Já na segunda quinzena do mesmo mês foram 293 pessoas acidentadas. Uma queda de 33%. Ao todo, no primeiro trimestre deste ano, a unidade de saúde contabilizou 2.359 registros.

De acordo com o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins, o distanciamento social é uma medida importante nesse momento de pandemia da Covid-19. “Ficar em casa também reflete na menor quantidade de veículos circulando pela cidade. Isso é importante para reduzir os acidentados e deixarmos mais leitos disponíveis aos pacientes, caso nosso hospital venha a receber casos confirmados da doença”, avalia o diretor.

Outro dado importante divulgado pelo HUT aponta que, no ano passado, 10.632 pessoas deram entrada na unidade de saúde vítimas de acidentes de trânsito. No dia 3 de março, o prefeito Firmino Filho anunciou um novo decreto que suspende o funcionamento de estabelecimentos comerciais, como lojas de material de construção e peças automotivas. As restrições de convívio social no município foram reforçadas pela insistência de alguns cidadãos em desobedecer o que recomenda organizações de saúde.

 

Strans registra redução de mais de 85% no número de acidentes nesta semana

 A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) registrou uma queda de 85,7% no número de acidentes, no período de 23 a 27 deste mês, com apenas cinco ocorrências e sem vítimas fatais. A redução é observada quando comparados esses dados aos dos dias 13 a 22 deste mês, em que ocorreram 35 acidentes.

Esse período de redução corresponde ao início do fechamento do comércio e de outros estabelecimentos e funcionamento apenas de serviços essenciais, conforme decreto municipal em relação à pandemia da Covid-19.

O supervisor geral dos agentes de trânsito, Torquato Neto, cita que as vias estão quase sem tráfego nesta última semana. “Houve muita redução no fluxo de veículos. A Strans registra os acidentes sem vítimas fatais porque quando existem vítimas, o registro deve ser feito pela Ciptran”, informa.

Com a determinação do prefeito Firmino filho de suspender vários tipos de serviços, houve a redução significativa de deslocamento das pessoas e também do fluxo de veículos. O prefeito e autoridades da saúde continuam com o mesmo pedido para as pessoas ficarem em casa e assim impedir a contaminação pelo novo coronavírus.

Para atender possíveis necessidades da população, a Strans pode ser acionada pelos fones 118 e 3122 7617, das 6h às 23h.

Teresina tem redução de 18,5% no número de vítimas fatais em acidentes com motociclistas

Ascom/Strans

Teresina registrou redução de 18,5% no número de vítimas fatais em acidentes com motociclistas, no terceiro trimestre de 2019. Nesse período, foram 22 vítimas fatais (61% do total), cinco a menos do que o que foi registrado no mesmo período de 2018, quando se foram contabilizadas 27 mortes (75%).  Os dados são do Programa Vida no Trânsito (PVT), que faz a compilação de informações envolvendo vários órgãos de fiscalização de trânsito e de saúde.

A gerente de Educação de Trânsito da Strans, Samyra Mota, analisa que ainda são os motociclistas as principais vítimas de acidentes de trânsito, tanto para os fatais (61,1%) como para os graves (83,3%).

“Mesmo ainda sendo muito alto o índice de vítimas fatais e graves envolvendo motociclistas, ficamos satisfeitos com o resultado desse trimestre que mostra a redução de cinco mortes, pois esse é o grupo de maior risco. Para nós, uma vida que conseguimos salvar mostra que as nossas ações estão tendo resultados positivos”, analisa a gerente.

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) alerta que outro grupo de risco que tem chamado atenção é o de idosos, que também teve redução de 40% na quantidade de vítimas fatais. Nos meses de julho a setembro de 2018, foram cinco vítimas fatais, esse número caiu para três no mesmo período de 2019.

O superintendente da Strans, Weldon Bandeira, analisa que os resultados positivos  se devem em grande parte à intensificação de ações educativas e de sinalização. “A redução dos limites de velocidade, juntamente com a intensificação da sinalização das vias contribuem para que os condutores andem mais devagar, o que permite aos idosos, que têm mobilidade reduzida, mais segurança no trânsito e a redução do número de acidentes”, declara.

Conforme os dados dos 3º trimestres de 2018 e 2019, presentes no relatório do PVT, verifica-se que não houve alteração no número de óbitos, mas teve redução de 10,7% no número de vítimas graves e de 7,6% no número total de vítimas.

Outro dado observado é que, entre as vítimas fatais e graves, o maior percentual é do sexo masculino, respectivamente, 91,7% e 81,2%. No grupo dos fatais, as faixas etárias com maiores percentuais foi de 18 a 25 anos e de 46 a 59 anos (com 27,8% cada) e na segunda colocação estão as vítimas de 26 a 35 anos (19,4%). Considerando o grupo das vítimas graves, o maior percentual foi em relação a faixa etária de 26 a 35 anos (27,2%), seguido da faixa etária de 18 a 25 anos (23,3%).

HUT realiza quase mil atendimentos durante o carnaval

Foi grande a movimentação no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) durante o carnaval. De acordo com o relatório emitido pelo setor de estatística, o HUT realizou 991 atendimentos e 230 cirurgias. Se comparado ao mesmo período do ano passado, o número representou um aumento de 9% no atendimento geral.

Com relação aos acidentes de trânsito, o hospital registrou uma queda de 3%, com 195 atendimentos e as agressões físicas apresentaram queda de 9%, com 69 atendimentos. De acordo com o Dr. Rodrigo Martins, diretor geral do HUT, a complexidade dos casos chamou atenção.

“Mesmo com a queda no número de atendimento de vítimas de trauma, foi possível observar que a gravidade dos casos está cada vez maior. Só de vítimas de acidentes com motocicleta foram 169 atendimentos, o que corresponde a 87% do total de acidentes de trânsito. Eles podem causar muitas lesões graves, principalmente se o motociclista não estiver fazendo uso correto do Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s)”, explicou o diretor.

Outro dado preocupante é que mais de 42% das internações durante o carnaval foram de pessoas do interior do Piauí e outros estados. Alcoolizadas e vítimas, principalmente, de acidentes com moto e sem uso de capacete. Esse é o perfil da maioria das vítimas.

Renê Ribeiro, 25 anos, da cidade de Elesbão Veloso, interior do Piauí, que deu entrada no HUT, na segunda-feira de carnaval, vítima de acidente com moto, após ter consumido bebida alcoólica, é um exemplo do tipo de ocorrência que está contribuindo para esse aumento nas estatísticas.

“Eu tinha bebido um pouco e estava voltando pra casa quando um carro, que vinha na direção contraria, bateu de frente comigo. Como o veículo estava com um farol queimado pensei que era uma moto. Só quando estava me aproximando que percebi que não era uma motocicleta. Minha sorte foi que eu estava de capacete. Fraturei o braço direito e a perna esquerda. Fui transferido direto pro HUT. Na minha cidade não tinha médico para fazer a cirurgia”, comenta Renê.

Dr. Péricles Cerqueira, diretor técnico do hospital, explicou que é muito comum receber pacientes com esse perfil. Casos que poderiam ser resolvidos em suas cidades são transferidos para o HUT superlotando e dificultando o fluxo de toda rede de saúde de Teresina. “Não negamos atendimento a ninguém. Porém, precisamos que a rede funcione para que possamos continuar oferecendo um atendimento de qualidade para nossa população”, comentou o diretor.

 

SDU Centro Norte faz podas em árvores para evitar acidentes

Ascom/SDU Centro Norte

Durante o período chuvoso, é importante que sejam feitas as podas das árvores para evitar que elas caíam e causem algum transtorno para as pessoas. Na zona Norte, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro Norte através da Gerência de Serviços Urbanos faz a poda das árvores em via pública, mas em terreno particular o proprietário deve fazer esse trabalho. Entretanto para podar as árvores é necessária a solicitação da licença ambiental junto à Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMAM).

O gerente de Serviços Urbanos da SDU Centro Norte, José Neto, explica que quando a poda é em via pública a Prefeitura providencia a licença ambiental, mas em caso de área particular a pessoa deve ir à Semam. “Em área privada o proprietário deve contratar a pessoa para fazer a poda, e é necessário ter a licença ambiental”, explicou.

Caso a árvore que necessite ser podada esteja próximo à rede elétrica, a Superintendência faz o ofício para a Equatorial Energia solicitando que a distribuidora faça a poda, mas o restante do corte deve ser feito pela equipe da SDU. “As nossas equipes trabalham diariamente fazendo esse tipo de serviço a fim de evitar transtornos para a população”, disse.

Todos os dias as equipes de podas da superintendência estão em campo. Neste período chuvoso, os esforços são redobrados, uma vez que aumentam as demandas e as árvores estão muito frondosas.

Para ajudar no trabalho da SDU, com reclamações, sugestões e informações, a população pode usar os números (86) 3215- 7451 ou ainda através do aplicativo C

olab. O horário de funcionamento do órgão é de 7h30 às 13h30, de segunda à sexta.

Strans alerta que pedestres idosos estão em situação de risco no trânsito

Chama a atenção a quantidade de acidentes de trânsito envolvendo pedestres com idade a partir de 60 anos nas ruas de Teresina. Somente no primeiro semestre deste ano foram 109 acidentados, sendo 13 vítimas fatais e 86 graves. Os dados são do Relatório do Programa Vida no Trânsito.

Em 2018 foram 208 acidentados, com 30 vítimas fatais e 178 graves. Em 2017 foram 177 pedestres idosos vítimas de acidentes, com 28 mortes e 149 vítimas em estado grave. As estatísticas apontam que os pedestres ocupam a segunda colocação na quantidade de acidentes, perdendo apenas  para a categoria dos motociclistas.

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) alerta para a necessidade de um trânsito mais harmônico, com respeito às necessidades dos pedestres idosos, considerados a parte mais sensível por enfrentarem muitos obstáculos nas ruas, como dificuldade de locomoção, o excesso de velocidade dos veículos e a condução imprudente.

A gerente de Educação no Trânsito da Strans, Samyra Motta, explica que os idosos são a parte mais sensível por terem mobilidade reduzida e outras dificuldades como a visão, por isso a necessidade de mais atenção por parte de todos que fazem o trânsito. “O idoso tem dificuldade de perceber a velocidade dos veículos na via, de caminhar mais rápido, além da distração com mais frequência e muitos se deslocam sozinhos”, avalia.

Luiz de Sousa Santos tem 60 anos e nunca sofreu um acidente. Ele conta que está sempre atento à sinalização, além de ter muito cuidado nas travessias. “Existe boa sinalização na cidade, mas é preciso ter muita atenção e eu sempre levanto o braço para mostrar que eu quero atravessar a rua”, relata.

Samyra orienta que é necessário pensar no outro e respeitar as limitações do idoso. Sugere ainda que o familiar acompanhe a pessoa idosa e que os condutores de veículos respeitem o tempo para o idoso atravessar a via. “Não temos leis especificas para o idoso no trânsito, mas os condutores de veículos precisam ter a sensibilidade de respeitar as necessidades dessa parcela da população”, diz.

 

Cuidados para o idoso

Usar calçado fechado e adequado para caminhar;

Para atravessar a via, o idoso deve acenar com o braço perpendicular ao corpo para avisar que fará a travessia;

Aguardar o sinal do pedestre ficar verde e, se for necessário, pedir ajuda para outra pessoa;

Atravessar a via em linha reta;

Se estiver andando pela calçada, evitar ficar próximo ao meio-fio, pois alguma queda pode levar o idoso a cair na via, perto dos carros.

HUT registra aumento de 34% nos acidentes envolvendo motocicleta e 33% nas agressões físicas

O atendimento às vítimas de trauma no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) nesse último final de semana bateu um novo recorde. Somente nos dias 23 e 24 de novembro (sábado e domingo) o HUT atendeu 75 vítimas de acidentes envolvendo motocicletas e 32 vítimas de agressão física. Se comparado com o final de semana anterior, esses números representam um aumento de 34% e 33%, respectivamente.

Rodrigo Martins, diretor geral do HUT, explicou que para agilizar ainda mais o atendimento para esses pacientes considerados graves, o HUT disponibiliza um acesso exclusivo para a sala vermelha. Essa entrada facilita o acesso do paciente e diminui o tempo de resposta das equipes.

“Essa porta agiliza o atendimento desses pacientes mais graves e otimiza o fluxo. Quando um paciente grave chega ao HUT, na ambulância de suporte avançado do SAMU, ele tem acesso direto à sala vermelha. Nesse local ficam de plantão, 24 horas, profissionais especializados com capacidade de realizar todos os procedimentos necessários para estabilizar o paciente de forma otimizada”, destaca o diretor.

No último feriado prolongado (Proclamação da República) o HUT realizou 607 atendimentos, ou seja, um aumento de 9%, se comparado com o mesmo feriado do ano passado. Com relação ao atendimento de vítimas de acidentes de trânsito foram realizados 132 atendimentos, um aumento de 19% também se comparado ao mesmo feriado do ano passado. Dentre os atendimentos, 103 foram de vítimas de acidentes envolvendo motocicletas, 16 atropelamentos e 13 de carro.

O HUT é o único hospital do Piauí que oferece à população atendimento de urgência e emergência em 30 especialidades médicas, 24 horas por dia. Esses profissionais são especialistas em assistência ao trauma e esse ano essas equipes já realizaram 47.699 atendimentos e 11.273 cirurgias.

Motociclistas jovens são os que mais morrem no trânsito

No trânsito de Teresina, a maioria de vítimas fatais é do sexo masculino, com 88%, e o percentual de acidentados graves chega a 80%. O aumento entre os motociclistas foi de 4,8%, porém, teve redução de 44% no número de óbitos de pedestres. Nesse contexto, a maior incidência de vítimas é na faixa etária de 26 a 35 anos, com 30,3%, e o maior percentual de casos graves foi de 18 a 25 anos, com 21%.

Esses dados são dos três primeiros meses de 2019 em relação ao mesmo período de 2018 e constam no relatório do Programa Vida no Trânsito (PVT). Em Teresina, no primeiro trimestre deste ano, foram contabilizadas 2.495 pessoas que sofreram acidentes de trânsito, sendo 596 de feridos graves e 33 óbitos.

Em relação ao meio de locomoção, foi registrado que 40% dos pedestres foram atropelados por motociclistas e foi de 9,1% o número de acidentes entre duas motos. Quanto aos dias da semana, destaca-se com a maior quantidade de óbitos o sábado, com 21,2%, o domingo, com 18,2%, e os feriados prolongados, como o carnaval. As vias com maiores ocorrências são as BRs 343 e 316, Rua Rui Barbosa, Avenidas Henry Wall de Carvalho, Joaquim Nelson, Noé Mendes e Maranhão.

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STRANS) implementou uma série de medidas para organizar o trânsito. Dentre elas, o diretor de Trânsito e Sistema Viário da Strans, José Falcão, ressalta a redução do limite de velocidade de várias avenidas e reforço na sinalização. “Fizemos este ano a redução do limite de velocidade em 13 ruas e avenidas. Em algumas, melhoramos a estrutura através do recapeamento asfáltico e fizemos reforço na sinalização horizontal e vertical para garantir mais segurança”, diz.

A gerente de Educação no Trânsito da Strans, Samyra Motta, diz que o motociclista é o que mais se envolve em situações que poderiam ser evitadas se fosse respeitada, por exemplo, a legislação que obriga o uso do capacete e o limite de velocidade.

“O motociclista é o nosso foco maior nas ações educativas, porque as estatísticas apontam alto índice de acidentes graves e fatais, mas sem deixar as demais categorias de condutores de lado. No Prêmio de Educação no Trânsito desse ano, reforçamos essa temática para a produção de trabalhos de estudantes, professores, profissionais da comunicação e de outras categorias”, diz.

O relatório Programa Vida no Trânsito é elaborado com dados do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRE), Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (CIPTRAN), Hospital de Urgência de Teresina (HUT), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Samu, Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) e diversos parceiros.

 

Este ano, as vias que tiveram redução de limite de velocidade são as seguintes:

Avenida dos Expedicionários – Sudeste

Av. Doutor Pires Chaves –Saci

Av. Camilo Filho – Todos os Santos

Avenida Horácio Ribeiro – Zona Leste

Av. Aquiles Wall Ferraz – Morada do Sol leste

Avenida José Soares – Angelim

Av. Emanuel Aires – Parque Sul

Av. Agricolandia – Parque Sul

Rua 13 de maio – Centro Sul

Rua Capitão Vanderley – Satélite

Av. Homero Castelo Branco – Leste

Av. Valfrido Salmito – Parque Piauí

Rua Jaime da Silveira – Satélite

HUT registra aumento de 19% no atendimento de acidentes de trânsito durante o feriado

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou um aumento de 19% no número de atendimento de vítimas de acidentes de trânsito durante o feriado da Proclamação da República, em comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo a diretora geral do HUT, Dra. Clara Leal, mesmo com o aumento, o Hospital conseguiu atender a todos sem prejuízo.

“Sempre registramos aumento durante os feriados prolongados. O HUT recebe os mais graves e consegue dar a resolutividade necessária para não deixar ninguém sem atendimento. Os acidentes de trânsito estão cada vez mais graves e suas vítimas já chegam ao Hospital com prognóstico bastante reservado, ou seja, com quadro de saúde bem delicado”, explicou a diretora.

Em relação ao atendimento geral, o HUT realizou durante o feriado 607 atendimentos, ou seja, um aumento de 9%, se comparado com o mesmo feriado do ano passado.  Dentre os atendimentos foram 103 vítimas de acidentes com motocicletas, 16 atropelamentos e 13 de carro.

Os atendimentos às vítimas de acidentes com motocicleta ocupam o segundo lugar na lista de motivos de entrada no Hospital, representando 15,9% do atendimento geral. Somente este ano, foram atendidas 7.466 vítimas de acidentes com motocicleta. “Esse dado é muito preocupante, principalmente, se levarmos em consideração que a maioria dessas vítimas recebe alta com algum tipo de sequela”, destaca a diretora do HUT.

Dentre as vítimas de acidentes com motocicleta, os homens representam 75% do total e, destes, quase 60% têm entre 21 e 40 anos de idade. João Figueiredo, 27 anos, deu entrada no HUT após sofrer um acidente com motocicleta. Ele explicou que saiu de casa para visitar um amigo no bairro vizinho. No percurso ele desequilibrou a moto numa curva. “Foi tudo muito rápido. A moto derrapou e cai batendo a cabeça na calçada. Minha sorte que eu estava de capacete. Fraturei minha perna, mas já passei por cirurgia”, comentou João.

O HUT é o único hospital do Piauí que oferece a população atendimento de urgência e emergência em 30 especialidades médicas, 24 horas por dia. Esses profissionais são especialistas em assistência ao trauma e esse ano essas equipes já realizaram 47.699 atendimentos e 11.273 cirurgias.