Semec: chamada pública para pesquisa de preço de gêneros alimentícios da agricultura familiar encerra amanhã (11)

A chamada pública para aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar para atender as unidades de ensino da Rede Municipal de Educação de Teresina no ano letivo de 2022 se encerra nesta terça-feira (11). O edital de convocação foi publicado no Diário Oficial do Município no último dia 07 e estabelece o prazo de três dias úteis para o recebimento das propostas.

A pesquisa de preço é realizada com empreendedor familiar rural por grupos formais, grupos informais de agricultores familiares e fornecedores individuais. Essa etapa é para obtenção de preço especificamente dos gêneros cebola branca, pimentão verde e melão japonês. Os itens serão destinados ao preparo das refeições diárias servidas nas escolas municipais.

“A proposta deverá ser redigida em papel timbrado, datada e assinada pelo representante legal da Associação ou Cooperativa, contendo prazo de validade de, no mínimo, 60 dias. E deverá ser enviada para o e-mail nutricaogae@gmail.com”, explica Neusa Camilla Cavalcante, da Divisão de Nutrição da Semec.

Aviso de Convocação: CLIQUE AQUI

Semec lança chamada pública para pesquisa de preço de gêneros alimentícios da agricultura familiar

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) está realizando chamada pública para aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar para atender as unidades de ensino da Rede Municipal no ano letivo de 2022. A pesquisa de preço será com empreendedor familiar rural por grupos formais, grupos informais de agricultores familiares e fornecedores individuais.

Essa etapa é para obtenção de preço especificamente dos gêneros cebola branca, pimentão verde e melão japonês. Os itens serão destinados ao preparo das refeições diárias servidas nas escolas municipais.

“A proposta deverá ser redigida em papel timbrado, datada e assinada pelo representante legal da Associação ou Cooperativa, contendo prazo de validade de, no mínimo, 60 dias. E deverá ser enviada para o e-mail nutricaogae@gmail.com”, explica Neusa Camilla Cavalcante, da Divisão de Nutrição da Semec.

SEI_00044.015162_2021_46 (1)

Foto: Ascom Semec

 

Povoado Santa Luz recebe a 1ª Feira de arte e agricultura familiar rural

Neste sábado (24) aconteceu a primeira feira de arte e agricultura familiar rural. A inauguração aconteceu no povoado Santa luz e movimentou a comunidade. A feira contou com venda de produtos artesanais, de agricultura familiar, exposição de animais, campeonatos de futebol masculino e feminino, além de comidas típicas.

Durante o evento, houve apresentação de zumba, instruções da Defesa Civil para evitar queimadas durante o período de BR-O-bró, Leilão e apresentação musical com muito forró pé de serra. A feira segue até às 17h desse sábado e no domingo (26) acontece das 8:00h às 17:00h.

Foto: Lucas Dias / Semcom

A idealização do projeto partiu da Primeira Dama Samara Conceição, que pretende realizar o evento uma vez ao mês, em forma de rodízio por toda a zona rural.

“Estávamos vendo muitas feiras acontecendo na zona urbana, e pensamos em trazer para zona rural, que tem grandes produtores e muitas riquezas. O nosso projeto é expandir para todas as localidades da zona rural. O próximo evento ainda não tem localidade definida, mas será realizada no mês de outubro”, disse a Primeira Dama.

Foto: Lucas Dias / Semcom

Elimar Pereira, artesã e moradora do povoado, ressaltou a felicidade em poder estar expondo os seus produtos para a própria comunidade.

“É muito importante para nós. A prefeitura está de parabéns por dar esse grande incentivo a nós que somos pequenos e micro produtores. A pandemia nos prejudicou muito, e todo evento realizado para movimentar a economia local é uma grande ajuda. Estou muito feliz”, pontuou.

A feira contou com o apoio da Secretaria Municipal de Produção Agropecuária (SEMP), Fundação Municipal Chaves (FMC), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEMDEC), Fundação Wall Ferraz (FWF), Fundação Municipal de Saúde (FMS), SAAD RURAL, Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEMEL) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM).

O secretário municipal de Produção Agropecuária, Edvaldo Marques, falou sobre a importância de promover qualificação para os produtores da zona rural.

“Estamos reunindo todos os produtores da localidade e estamos trabalhando para organizá-los para que a gente possa oferecer a eles cursos para qualificar a produção agrícola e melhorar a comercialização desses produtos”, destacou.

A Fundação Wall Ferraz, esteve presente com uma equipe oferecendo diversos serviços para a comunidade.

“É uma alegria participar de momentos como esse. Momentos de dignidade e esperança para o povo. É nítido o olhar diferenciado da prefeitura para a zona rural e por isso a Fundação Wall Ferraz não poderia ficar de fora. Estamos oferecendo serviços de cidadania e de beleza, como design de sobrancelha e corte de cabelo para a população”, ressaltou o presidente da FWF, Maikon Silva.

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, falou sobre a importância da Zona rural de Teresina e que muito mais será feito durante a sua gestão.

“Eu e meu secretariado temos como obrigação olhar para o todo. A zona Rural estava esquecida, e nós vamos dar a assistência necessária para essas comunidades. Queremos trazer condições dignas para esse povo, como ambulâncias, água e energia de qualidade. Precisamos dar condições de cultivo para os produtores das zonas rurais, que são muito importantes para a nossa Teresina, e é isso que vamos fazer”, concluiu o Prefeito.

Foto: Lucas Dias / Semcom

FMS leva serviços para a Feira de Arte e Agricultura Familiar Rural

Equipes da saúde municipal estarão presentes na Feira de Arte e Agricultura Familiar Rural, que acontece no Povoado Santa Luz de Baixo amanhã (25) a partir das 8h. A proposta do evento é levar música, feira de agricultura familiar, arte e artesanato à população da zona rural, além de serviços disponibilizados pela Prefeitura de Teresina.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) disponibilizará para a população diversos serviços, focando na prevenção e educação em saúde. Profissionais da Atenção Básica municipal estarão realizando aferição de pressão arterial e promovendo sessões de auriculoterapia e atividade corporal, conscientizando sobre a importância da atividade física para a melhoria na qualidade de vida.

Haverá também a distribuição de material educativo sobre a importância da lavagem das mãos e informações acerca de diversas doenças, como tuberculose, hanseníase, sífilis, leishmaniose e as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. O combate ao mosquito será foco de um espaço para as crianças e também de uma exposição de materiais feitos com resíduos sólidos que poderiam virar criadouro do mosquito.

Haverá ainda um espaço de orientações sobre procedimentos de higienização da caixa d’água e higienização de frutas e verduras, com distribuição de hipoclorito de sódio.

A saúde bucal também terá destaque no evento com uma ação educativa de orientação e demonstração de higiene bucal, com distribuição de kits para a comunidade. A educação das crianças também será foco deste espaço, com a instalação de um ponto lúdico para recreação com tema educativo sobre Odontologia.

O presidente da FMS, Gilberto Albuquerque, destaca a finalidade do evento. “É um local para exposição da cultura, de prestação de serviços e a FMS vai oferecer serviços e apresentar projetos que realiza. É uma ação em benefício da comunidade e convidamos as pessoas para comparecerem”, destaca.

Comissão da Agricultura Familiar inicia os trabalhos do ano com pesquisa de mercado

A Comissão da Agricultura Familiar da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) realizou a primeira reunião do ano para ajustar as atribuições do grupo. As demandas prioritárias são de organização da chamada pública para a aquisição dos gêneros alimentícios escolares, conforme pauta elaborada pela equipe de Nutrição da Secretaria.

Novos membros passaram a integrar a Comissão em 2021, formada por representantes da SEMEC, Conselho de Alimentação Escolar (CAE), além de instituições e entidades ligadas aos agricultores, como a Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR), o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Piauí (EMATER), e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

O trabalho do grupo é garantir que os alunos tenham na escola uma rotina alimentar de qualidade, incluindo no cardápio alimentos provenientes da agricultura familiar. Assim, a próxima tarefa é realizar uma pesquisa de mercado para definição dos preços que constarão no edital da chamada pública, previsto para ser lançado em março.

O trabalho do grupo é garantir que os alunos tenham na escola uma rotina alimentar de qualidade Foto(Ascom Semec)

Prefeitura deve celebrar termo com a Emater para beneficiar a agricultura familiar

O prefeito de Teresina, Doutor Pessoa visitou na manhã deste domingo (24) a horta comunitária do povoado Ave Verde, na zona rural da capital. O prefeito esteve acompanhado do secretário de Desenvolvimento Rural, Ricardo Monteiro, do secretário de comunicação Lucas Pereira e do diretor-geral da Emater, Francisco Guedes.

De acordo com o líder comunitário, Raimundo Nonato Neri, a comunidade conta com 460 famílias, sendo que 33 delas dependem diretamente da horta do povoado. A comunidade apresentou uma série de reivindicações ao prefeito.

“Ficamos muito felizes com a visita do prefeito e do secretário hoje aqui em nossa comunidade, isso mostra o compromisso dele com a agricultura familiar, queremos uma integração maior com todos os órgãos que fazem a agricultura na nossa cidade”, disse o líder comunitário.

O diretor-geral do Emater (Empresa de Assistência Técnica e Produção Rural do Piauí), Francisco Guedes, propôs a elaboração de um termo de cooperação técnica com SDR (Superintendência de Desenvolvimento Rural) de Teresina. Para Guedes, o termo vai possibilitar uma maior integração entre as demais instituições, o que vai beneficiar a produção agrícola de Teresina.

“Esse termo vai facilitar a viabilização das demandas das comunidades rurais, uma união de esforços para solucionar os problemas. São quase 3 mil famílias que atuam na agricultura familiar, ou seja, são mais de 3 mil empregos diretos, então essa junção de esforços vai dar vazão a esse setor”, afirmou Francisco Guedes.

Em conversa com os produtores, o prefeito destacou que seu desejo é eliminar a figura do atravessador, que segundo ele, reduz que pela metade os ganhos do homem do campo ao vender seus produtos agrícolas.

“Grande parte do alimento que vai para a mesa do cidadão são produzidos pelos pequenos produtores, isso vem da agricultura familiar e a nossa gestão quer priorizar e dar todos os incentivos para esses produtores, pois além de desenvolvermos a agricultura vamos dar renda ao trabalhador” declarou o prefeito.

 

Produtores rurais participam da Feira de Agricultura Familiar nesta sexta-feira (28)

Ascom/Semcaspi

“Antes a gente lutava muito. Produzia, mas se acabava ali na areia porque não tinha como a gente sair para vender. Depois que começou a feira, melhorou muito”, afirma Rosinete Pinheiro de Sousa, de 60 anos. Ela participa da Feira da Agricultura Familiar do Município desde 2016, mas trabalha com horticultura há 15 anos no Povoado Ave Verde. Em março, a feira completa quatro anos de existência e, ao longo destes anos, tem sido a principal fonte de renda para muitas famílias teresinenses que residem na zona rural.

Toda sexta-feira, o dia de trabalho da Francisca Ribeiro de Araújo Lima, de 47 anos, começa bem cedo. A horticultora acorda às 3h da manhã para finalizar a organização da sua mercadoria e aguardar o carro da Prefeitura de Teresina, que vai buscá-la no Assentamento Alegria. “A gente começa a se organizar na praça 5h30, 6h os clientes já estão chegando. Dependendo do que a gente traz, eu faço R$400 ou R$500 por feira. Eu tenho dois filhos e meu marido que trabalha comigo. Da feira eu sustento minha família”, afirma Francisca.

As feiras têm como objetivo incentivar a comercialização dos produtos agroecológicos produzidos nas comunidades rurais que integram o Projeto de Transição de Produção Convencional para Produção Orgânica no município de Teresina e gerar renda para as famílias. O cronograma do evento é dividido em dois locais. Na segunda e na última sexta-feira do mês acontece na Praça Rio Branco e na primeira e penúltima sexta-feira é a vez da Universidade Federal do Piauí receber os agricultores.

A presidente da Comissão Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica (CMAPO), Carlota Joaquina de Sousa Rosal, destaca que a realização das feiras livres possibilita desenvolvimento sustentável e maior segurança alimentar para os consumidores. “As feiras de base agroecológica, na Praça Rio Branco e na UFPI, se configuram como um espaço de comercialização, de troca de experiência e de acesso à cultura. Essas feiras contribuem muito para a melhoria de vida das famílias agricultoras de nosso município e dos consumidores teresinenses, pois oferece produtos de isentos de agrotóxicos”, explica.

A assistente social Conceição Andréa Lopes Teixeira, da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) e coordenadora da CMAPO, explica que o trabalho realizado nas comunidades utiliza metodologias participativas que buscam o envolvimento dos produtores de modo mais consciente na transição da forma tradicional de produzir alimentos para a forma agroecológica.

“Nós fomos vendo quais as comunidades que tinham potencialidades, pois a legislação de orgânica não permite produção em área urbana por conta da condição da área, como índices de contaminação do solo, presença de esgotos e poluição do ar. Também foi utilizada uma metodologia de diagnóstico rápido-participativo; com o processo, eles percebem que são seres participantes e sujeitos da ação. Nós os incentivamos e, hoje, todas as comunidades têm associações formalizadas e mantém um caixa para terem independência financeira”, afirma.

O trabalho da assistência social junto às famílias que trabalham com agroecologia em Teresina engloba diversas áreas que envolvem diretamente sociedade, sustentabilidade e alimentação saudável, visando garantir direitos que dão dignidade à vida dessas pessoas e trabalha com a perspectiva de promover relações sociais justas e saudáveis. Conceição Andréa Lopes ainda destaca que a agroecologia é um posicionamento político que se preocupa com as relações sociais e o meio ambiente.

“A agroecologia preza pela preservação da saúde dos trabalhadores e pela não existência de exploração de trabalho, por isso apoia a produção familiar. A agroecologia é regida por princípios. Um deles trata diretamente das relações, entre horticultores e horticultoras, agricultores e agricultoras, em que as condições individuais e de grupo têm que ser respeitadas. A alimentação saudável e a preservação do meio ambiente possibilitam que os agricultores produzam mais, dessa forma, eles terão uma condição financeira melhor e também uma melhor qualidade de vida”, finaliza a assistente social.

Há mais de 20 anos trabalhando com cultivo no Assentamento Alegria, Domingos Mariano de Sousa participa do projeto há quatro anos. Para ele, a produção agroecológica é muito importante tanto para quem consome como para quem produz e também para o meio ambiente. “Hoje trabalhamos de forma mais saudável, bom para a natureza, bom para se alimentar e bom para quem trabalha porque a gente trabalha com segurança. Somos responsáveis por alimentar as pessoas com um alimento saudável, que é muito bom para quem produz como para quem vai consumir um produto limpo”, declara o agricultor.

Recentemente, o prefeito Firmino Filho entregou a obra de revitalização do campo agrícola com sistema de irrigação do Assentamento Alegria, e há mais dois campos sendo revitalizados. Na ocasião, o prefeito também oficializou a entrega de 10 triciclos e materiais de plantio, por meio de convênio com a Fundação Banco do Brasil, que irá beneficiar todas as comunidades assistidas pelo projeto. As comunidades rurais que fazem parte do Projeto são: Vale da Esperança, Camboa 1, Camboa 2, Ave Verde, Assentamento 17 de Abril, Cerâmica Cil, Alegria, Soim 1, Soim 2 e Serra do Gavião.

A Feira da Agricultura Familiar é organizada pela Comissão Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica (CMAPO), órgão vinculado administrativamente à Superintendência de Desenvolvimento Rural de Teresina (SDR), e pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), através da Gerência de Segurança Alimentar e Nutrição (GSAN), em parceria com o Ministério da Agricultura, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Feira da Agricultura Familiar acontece na Praça Rio Branco

Ascom/Semcaspi

Nesta sexta-feira (14), está acontecendo mais uma edição da Feira da Agricultura Familiar de Teresina. A feira é realizada quinzenalmente na Praça Rio Branco, das 8h às 14h, e reúne diversos produtores de comunidades da zona rural do município para expor e vender produtos agroecológicos, como folhagens, legumes e derivados da macaxeira. O objetivo do projeto é incentivar a produção de base agroecológica, desenvolvimento sustentável e gerar renda para pequenos produtores, além de incentivar o consumo de alimentos saudáveis.

Ana Diva Macêdo, gerente de Segurança Alimentar e Nutricional (GSAN) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), explica que os alimentos são cultivados sem nenhum tipo de agrotóxico em compromisso com a segurança alimentar. “As feiras são uma ótima oportunidade para que os pequenos produtores que trabalham no projeto de transição agroecológica possam comercializar seus produtos e também para que a população possa ter acesso a alimentos de qualidade por um preço acessível. Acreditamos que esse projeto pode contribuir para uma sociedade mais justa e sustentável”, afirma a gerente.

A Feira da Agricultura Familiar é uma realização da Coordenação da Comissão Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica de Teresina (CMAPO). O projeto da comissão desenvolve atividades voltadas para o processo de transição agroecológica com 10 comunidades rurais de Teresina, dentre as quais estão Serra do Gavião, Soim, Ave Verde, Vale da Esperança e Camboa. A CMAPO é formada por servidores da Semcaspi, Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR) e colaboradores do Governo Federal como INCRA, MAPA, UFPI e outras instituições do Estado.

Ascom/Semcaspi

Alimentação escolar: divulgado resultado parcial de chamada pública para agricultura familiar

Ascom/Semec

A Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) divulgou hoje (10) o resultado parcial da chamada pública para aquisição de gêneros alimentícios provenientes da agricultura familiar, destinados ao preparo das refeições oferecidas aos alunos matriculados na Rede Municipal durante o ano letivo de 2020.

Além de garantir uma alimentação mais saudável para os estudantes, a ação incentiva à geração de renda entre fornecedores individuais, grupos formais ou informais de agricultores familiares e do empreendedor familiar rural. A lei determina que 30% da alimentação escolar seja proveniente deste tipo de cultivo, mas em Teresina 49,65% dos alimentos que compõem o cardápio dos alunos vêm da agricultura familiar.

O processo é conduzido pelo Conselho de Alimentação Escolar (CAE) em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR), Emater/PI e técnicos da Divisão de Nutrição da SEMEC.

Os fornecedores selecionados passam por uma rigorosa fiscalização do Conselho de Alimentação Escolar de Teresina. O grupo confere desde a documentação à entrega dos alimentos nas escolas, garantindo a qualidade de cada produto que compõe o cardápio. Os agricultores devem fornecer alimentos sempre frescos e bem acondicionados, cumprindo todas as regras exigidas no edital.

Segundo a equipe de Nutrição da SEMEC, responsável pela elaboração do cardápio dos estudantes, a aquisição de gêneros alimentícios provenientes da agricultura familiar enriquece a alimentação diária das crianças e jovens nas escolas. O cardápio inclui alimentos regionais e ricos em nutrientes, como batata doce, macaxeira, abóbora e feijão verde.

Veja o resultado parcial