IPMT participa da Missão Natal 2021 e arrecada alimentos para doações

Alimentos arrecadados no IPMT para doações Fotos(Ascom/IPMT)

No mês de dezembro, o IPMT participou da campanha “Missão Natal 2021”, ação criada pela Prefeitura de Teresina e que envolve todos os órgãos da Administração Pública Municipal. O objetivo foi arrecadar alimentos não perecíveis e brinquedos novos que foram doados às famílias carentes das zonas urbana e rural da capital.

A campanha foi elaborada no formato de gincana solidária com metas pré-estabelecidas, convocando todos os servidores a participarem não com espírito de competição, mas de solidariedade em prol de um bem comum, que é alegrar famílias no período natalino. As doações foram entregues na última sexta (17).

Para o presidente do IPMT, Esdras Avelino, a campanha vai além do objetivo proposto: “quando as pessoas se unem para ajudar quem mais precisa, criam entre si um elo de colaboração e parceria que deve perdurar por toda a nossa vida. Agradecemos aos servidores e parceiros que fizeram doações, elas certamente farão toda a diferença no Natal de muitos lares teresinenses”.

Secretaria da Mulher de Teresina realiza campanha para arrecadar roupas, alimentos e absorventes para mulheres em vulnerabilidade

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), em parceria com o Outlet Diamond Center, vai realizar entre os dias 10, 11 e 12 a arrecadação de roupas, alimentos e absorventes para o projeto da SMPM. A atividade faz parte do projeto Invista-se, a ação foi intitulada Outlet Diamond Solidário, que acontece nos três dias, das 9h às 21h, no Diamond Center, localizado na Avenida Universitária, 750, Fátima.

O projeto, além de serviços sobre conscientização sobre a violência contra a mulher, autoestima e empoderamento, proporciona às mulheres atendidas a experiência de um momento de “compras” das peças doadas. No ambiente, será montada uma loja na comunidade que receberá a doação, através da entrega de vouchers para aquisição de um look completo por elas.

A secretária da SMPM, Karla Berger, a ação tem o objetivo de proporcionar às mulheres, a oportunidade de ressignificar as marcas que a vulnerabilidade social acaba deixando nelas. Para a secretária, é uma forma de reafirmar o compromisso com as mulheres teresinenses, respeitando particularidades e que projetos como o Invista-se vêm para impactar na mudança da realidade de cada uma. “

É incrível poder olhar no rosto de cada mulher que sai do projeto, perceber o brilho no olhar, o sorriso de satisfação e sentir que estamos seguindo no caminho certo. Principalmente, que estamos ouvindo e enxergando cada uma nas suas singularidades”, disse a secretária.

Segundo Socorro Silva, uma das organizadoras do evento, ela sempre quis fazer uma ação social como essa. “Sempre quis fazer algo nos meus eventos. Trabalho há mais de dez anos em feiras como essa e poder ajudar quem precisa deveria ser uma conscientização de todos”, comentou Socorro.

Para Diana Ponte, também organizadora do evento, é uma satisfação fazer parcerias assim. Em uma reunião com nosso marketing e a Karla Berger tivemos essa ideia e ficamos felizes de poder fazer algo que impacte tantas pessoas. Quem doa, se sente bem e que recebe também fica, é bom para todos!”, finaliza Diana.

Atividades da Secretaria da Mulher de Teresina. Fotos: Ascom SMPM

Semcaspi promoverá campanha de arrecadação e doação de alimentos e produtos de limpeza e higiene

A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), com base no decreto nº 20.879, de 28 de abril de 2021, vai promover uma campanha de arrecadação e doação de alimentos e produtos de limpeza e higiene em parceria com a sociedade civil. A campanha tem como objetivo minimizar os efeitos das crises causadas pela pandemia da Covid-19.

A iniciativa trata-se de um programa temporário de arrecadação e doação voluntária de gêneros alimentícios, higiene pessoal e limpeza destinado a população em situação de vulnerabilidade social, público que tem sofrido maior grau de afetação gerado pelas crises, principalmente, a financeira e a de saúde.

Segundo Eliana Lago, secretária da Semcaspi, esta campanha vai iniciar sem um prazo de encerramento, já que será instituída tendo como base a duração do estado de calamidade na capital.

“Estamos elaborando o planejamento desta campanha, fazendo o levantamento de onde ficarão os pontos de coleta e os locais de distribuição. A ideia é facilitar o acesso tanto para quem quer doar, quanto para quem vai receber as doações, levando em consideração todas as medidas de segurança contra a Covid-19, recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”, ressaltou.

Eliana Lago esclarece que o público que terá direito as doações já tem o perfil definido e deverá ser atendido, prioritariamente.

“Definimos o perfil do público que terá direito a estas doações e faremos a entrega de forma organizada e conforme as doações recebidas. Estamos buscando dar celeridade, para que esta campanha seja o mais rápido possível iniciada e as famílias, que estão em situação de vulnerabilidade social, atendidas”, pontuou.

Confira quem poderá receber as doações:

– Famílias que possuem o Cadastro do Programa Bolsa família bloqueados e/ou suspensos para recebimento;

– Famílias que estão em acompanhamento pelo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif) e pelo Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi), cuja avaliação técnica dos profissionais dos equipamentos identifiquem a condição de insegurança alimentar;

– Famílias que possuem, em seu núcleo, pessoas idosas e/ou com deficiência, que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que esteja em condição de insegurança alimentar, cuja avaliação técnica identifique a priorização desta família.

DECRETO Nº 20.879 Programa Temporário de Arrecadação e Doação Voluntária

Eliana Lago: o público que terá direito as doações já tem o perfil definido e deverá ser atendido, prioritariamente Foto(Ascom/Semcaspi)

Mulheres acompanhadas pelo Centro de Referência são beneficiadas com cestas básicas

Cerca de 40 mulheres acompanhadas pelo Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), unidade vinculada à Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM), foram beneficiadas com cesta básicas, kits de higiene e de limpeza. A atividade solidária conjunta aconteceu entre a Ação Social Arquidiocesana (ASA) em parceria com a Fundação Banco do Brasil.

Na próxima terça-feira (16), o serviço contará com uma nova atividade beneficente. Na oportunidade serão entregues nove cartões às mulheres para a realização de compras de alimentos no valor de R$ 50,00 a serem utilizados em uma rede de supermercado específica da capital.

De acordo com a coordenadora do Centro de Referência, Roberta Mara, a ação social acontece num momento muito importante, prestando assistência necessária às mulheres em situação de vulnerabilidade.  “É uma assistência a mais que a gente possibilitou. Além da situação de violência doméstica, muitas estão em situação de vulnerabilidade, então esse benefício vai ajudar bastante”, destacou a coordenadora.

Para M.L*(abreviação do nome por sigilo e segurança), que está sendo acompanhada pelo serviço há dois anos, o benefício veio em um momento ideal, por conta da situação financeira que enfrenta atualmente.

“Sou diarista e estou desempregada, tenho dois filhos para cuidar, eu realmente estava precisando muito dessa cesta básica e demais utensílios. Graças a Deus ainda existem pessoas que ajudam os necessitados, sou muito grata ao CREG, por tudo que já fizeram por mim”, afirma M.L*.

O Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) atende mulheres em situação de violência na cidade de Teresina, oferecendo assistência social, psicológica e jurídica. Durante o período de isolamento por conta da pandemia, a unidade está realizando atendimentos por ligações ou via whatsapp através do número: (86) 99416-9451, agora em dois turnos, manhã e tarde e também aos finais de semana.

Permissionários do Mercado do Satélite recebem curso sobre manipulação de alimentos

Teve início na tarde da última quarta-feira (11) o curso de manipulação de alimentos para os permissionários que irão gerir os boxes de alimentação do Mercado do Satélite. A ação, uma iniciativa da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste, por meio da Gerência de Serviços Urbanos e em parceria com a Fundação Wall Ferraz (FWF), iniciou ontem e se estende até sábado (14).

Os comerciantes que irão trabalhar nos boxes do mercado público estão aprendendo sobre como resfriar os alimentos, que precisam de baixas temperaturas para a efetiva conservação, e como acondicioná-los de maneira correta.

O manual de boas práticas do curso aplicado também está abordando sobre a importância das infraestruturas e instalações no interior dos boxes, a higiene e a saúde dos permissionários.

Para o gerente de Serviços Urbanos da SDU, Renato Lopes, essa é a oportunidade para que os permissionários conheçam mais sobre as boas práticas relacionadas à manutenção de alimentos. “Poder receber essas informações possibilitará a garantia da higiene dos alimentos e que todos eles sejam próprios para o consumo. Além disso, manipular os alimentos da maneira correta contribuirá para o sucesso das vendas e impulsionará o mercado”, ressaltou.

Recentemente, todos os permissionários do mercado receberam o curso “Gestão de Negócios”, que frisou a importância de gerir bem o negócio, aplicando as diretrizes corretas para atrair os clientes, bem como gerenciar o Mercado como um todo.

O Mercado foi construído para receber 27 bancas para venda de carnes, peixes e frangos; hortifruti; lanchonetes; artesanatos; confecções; consertos; temperos e frios.

 

Gerência de Nutrição da Semcaspi oferece curso de boas práticas na manipulação de alimentos

Marília Lima

A Gerência de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) ofereceu hoje (08) o curso de boas práticas na manipulação de alimentos. A capacitação foi voltada aos funcionários das unidades socioassistenciais do município e contou com a distribuição de informativos, aplicação de questionários e a entrega de fardamentos aos colaboradores.

Encontros de natureza educativa como esse acontecem pelo menos uma vez ao ano, com objetivo de assegurar que a alimentação oferecida por meio das unidades seja higiênica e segura. Os colaboradores foram informados sobre a proteção, a conservação e o preparo adequado dos alimentos para que se evite a contaminação.

“É uma forma de estar atualizando os conhecimentos desses colaboradores que estão trabalhando diretamente nas nossas unidades. O nosso objetivo é a segurança alimentar. Fazer com que eles façam um bom trabalho, desde o recebimento até a distribuição da alimentação. Todo esse processo é explicado, para que no final se tenha um alimento produzido com segurança para os nossos usuários”, explica Ana Diva Macêdo, Gerente de Segurança Alimentar e Nutricional da Semcaspi.

A secretaria executiva do Sistema Único de Assistência Social (Suas), Mauricéia Carneiro, esteve presente, auxiliando na distribuição do fardamento que consistiu em aventais, luvas, botas, toucas, entre outros.

Os registros da ação podem ser conferidos no site e nas redes sociais da Semcaspi. Mais informações também podem ser obtidas por meio do 3131-4749.

Feira agroecológica da SDR tem produtos sem agrotóxicos

Ascom SDR

Os teresinenses que passam pela praça Rio Branco tem a opção de comprar  hortaliças, verduras e legumes que são produzidos sem agrotóxicos pelos pequenos horticultores de diversas comunidades rurais. A cada 15 dias e sempre às sextas-feiras pela manhã é realizada a feira agroecológica com o apoio e a supervisão da Superintendência de Desenvolvimento Rural de Teresina (SDR).

Quem fez a opção por produtos saudáveis é o contador Antonio Marcos. Ele faz compras na feira da praça Rio Branco e também na feira realizada na UFPI. “Percebo que as verduras e legumes por serem frescos tem sabor mais acentuado, tem mais durabilidade e estou contribuindo com a saúde da minha família porque os produtos são cultivados sem agrotóxicos”, diz.

A estudante de nutrição Saira Alves  da Silva estava na feira para desenvolver trabalho acadêmico que pode contribuir com melhor aproveitamento principalmente de frutas com a produção de doces. “É um estudo que se for executado pode incentivar a produção de novos produtos”, diz.

O horticultor Francisco Alves da Costa, da localidade Serra do Gavião, além de frutas e legumes vende doces de frutas. “É uma produção com as frutas da época e também fazemos cajuína”, diz.

Projeto vai aumentar produção

Serão beneficiadas 1.396 famílias de horticultores com o projeto de Apoio ao Desenvolvimento da Agricultura Agroecológica e Produção Orgânica de Hortaliças. Nesse sentido dia 29 de março passado foi assinado convênio entre a Fundação Banco do Brasil (FBB) e a Prefeitura de Teresina por meio da Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR). O valor é de R$ 2.301.659,87, sendo R$ 2 milhões da FBB e R$ 331.659,87 de contrapartida do município.

Por meio desse projeto os horticultores de Teresina receberão benefícios com obras de estruturação, aquisição de equipamentos e cursos de capacitação para facilitar e expandir a produção.

Feira Agroecológica acontece nesta sexta-feira (12) na Praça Rio Branco

Hortaliças, verduras, legumes e frutas sem agrotóxicos estarão à venda nesta sexta-feira (12) na Praça Rio Branco, durante a Feira Agroecológica. A comercialização dos produtos, sob a coordenação da Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR), terá início às 7h seguindo até 13h.

De acordo com Carlota Rosal, engenheira agrônoma da SDR, a feira tem o objetivo de vender alimentos saudáveis de alta qualidade e já se consolidou, pois a cada dia aparecem mais consumidores interessados em adquirir produtos agroecológicos.

“Há dois anos, a feira proporciona um bom mercado para os agricultores, pois é um espaço com grande circulação de pessoas, bem no Centro de Teresina. Outra vantagem é a oferta aos consumidores de produtos saudáveis, que oferecem inúmeros benefícios para a saúde”, destaca a engenheira acescentando que também são colocados à venda mel e lanches veganos.

Os produtos comercializados são cultivados em hortas e campos agrícolas das comunidades da Serra do Gavião, Ave Verde, Vale da Esperança, Alegria e Soinho. Todos eles são mantidos pela Prefeitura de Teresina através da SDR.

A feira é realizada todas as sextas-feiras em dois locais alternados: uma sexta-feira na Praça Rio Branco, no Centro; e a sexta seguinte na Universidade Federal do Piauí (UFPI), no espaço Rosa dos Ventos, próximo a Biblioteca Central.