Criança acompanhada há mais de dois meses pelo HUT recebe alta

Ascom/HUT

Roxele Santos tem nove anos e gosta muito de brincar. Um dia, brincando de “cabra cega” com seu primo, subiu na grade de casa e sofreu um acidente, sendo internada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Depois de mais de dois meses, Roxele vai passar o Natal em casa com sua família, pois recebeu alta do longo tratamento na Clínica Pediátrica do hospital.

A garota, que mora no município de José de Freitas, caiu com o muro da casa, e sofreu uma lesão no dorso do pé com exposição óssea. Ela passou por cinco cirurgias, todas realizadas no HUT, incluindo a amputação de um dedo e enxertos de pele. “No começo foi difícil, ela chorava muito querendo ir para casa e tinha acompanhamento da psicóloga. Quando ela estava começando a se recuperar veio a perda do dedo, exatamente no dia das crianças”, conta a mãe, Roxana Maria da Silva. “Com o tempo fomos nos acostumando, ela melhorou e agora podemos voltar para casa e levar nossa vida normal. Eu agradeço muito a equipe do hospital por isso”, relata ela.

Para o acompanhamento de Roxele e as outras crianças, a equipe da clínica pediátrica do HUT realiza um trabalho de atendimento humanizado, de forma a tornar o processo de internação mais alegre e menos doloroso. “É um desafio diário, porque diferente do adulto a criança não tem entendimento, ela vê o profissional de branco e já chora, por exemplo. Então a gente tem que trabalhar de forma diferenciada, e com o passar dos dias eles passam a nos ver com outros olhos”, conta a gerente da Clínica Pediátrica do HUT, Carla Janaína. Ela explica que este processo contribui para a recuperação da criança, graças à influência dos momentos de alegria e bem estar.

Foi assim que Roxele fez de seu cantinho na enfermaria um pedaço de sua casa: com brinquedos, casa de boneca e desenhos. “A gente fez artesanato com as enfermeiras, rezamos o terço todos os meses, participamos das festinhas aqui no hospital”, conta a mãe, referindo-se aos eventos lúdicos que regularmente acontecem na clínica. A equipe promove festas de datas comemorativas como dia das crianças e natal, além de rodas de conversa com as mães e o Cine Pipoca, projeto mensal que reúne as crianças internadas para assistirem um filme juntas.

A menina inicialmente não queria sair da cama, mas após uma conversa com a equipe ela mudou de ideia, e desde então passeava pelos corredores, brincando, tirando fotos e fazendo novas amizades. Agora, ela faz planos para aproveitar o fim do ano junto com sua família em sua cidade natal. “Tô com saudades dos meus amigos da escola, quero ver meu irmãozinho e meu priminho que nasceu e só vi por foto”, comemora a menina.

O HUT oferece atendimento de urgência e emergência pediátrico 24 horas por dia. “O setor de pediatria conta com 34 leitos e 54 profissionais, entre médicos e enfermeiros, que atendem especialidades como clínica e cirurgia pediátrica, ortopedia e cirurgia plástica”, informa o diretor técnico Péricles Cerqueira. O espaço conta ainda com uma brinquedoteca com livros e brinquedos para as crianças.

Saúde realiza mais de 3 milhões de procedimentos de média e alta complexidade em Teresina

Ascom/FMS

A Rede de Saúde de Teresina realizou, apenas na sua área especializada, 3 milhões, 520 mil e 56 procedimentos de média e alta complexidade, no primeiro semestre de 2019. O dado consta no relatório de prestação de contas da saúde referente ao 2º quadrimestre deste ano e foi apresentado nesta quinta-feira (03) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) aos vereadores, na Câmara Municipal.

O quantitativo abrange 48 mil e 218 internações hospitalares e 3 milhões, 472 mil e 342 procedimentos ambulatoriais, que englobam ações de prevenção em saúde, procedimentos de finalidade diagnóstica, clínicos, cirúrgicos, transplantes e, ainda, fornecimento de materiais especiais às pessoas com deficiência. O documento também reúne dados relativos ao atendimento realizado na atenção básica e área psicossocial.

Segundo o Relatório, a Prefeitura de Teresina investiu, entre janeiro e agosto de 2019, 34,86% da sua receita própria para cobrir gastos com ações e serviços de saúde. “Esse percentual corresponde a mais do que o dobro do exigido em lei, que é de 15%. O alto investimento representa o nosso esforço em qualificar a rede de saúde da capital, que é extensa e complexa”, afirma o presidente da FMS, Charles Silveira.

“O documento possibilita um maior controle da gestão, possui informações qualificadas e que permite tanto ao cidadão quanto aos órgãos de controle aferirem a qualidade dos serviços prestados pelos estabelecimentos públicos e conveniados ao SUS. É importante dizer que o conteúdo do relatório será disponibilizado para acesso público por meio do DigiSUS”, afirma a diretora de planejamento da FMS, Cláudia Glauciene.

Durante a apresentação, Cláudia Glauciene também informou que, atualmente, a rede física de serviços de saúde de Teresina conta com um total de 305 estabelecimentos públicos e privados conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS). Desse total, 150 correspondem a estabelecimentos de saúde municipais, 25 estaduais, 2 federais e 128 privados conveniados ao SUS.