Galeria de arte santeira do Parque da Cidadania reúne obras de grandes artesãos

Ascom/Semam

Uma das mais ricas expressões culturais do nosso estado, a arte santeira tem espaço exclusivo no Parque Estação da Cidadania, em uma galeria que reúne aproximadamente 50 obras de grandes artistas da nossa terra, que esculpem traços marcantes de fé e religiosidade. A galeria, idealizada e mantida pela Prefeitura de Teresina, está aberta ao público de terça-feira a domingo, das 8h às 10h e das 16h às 19h, com entrada gratuita.

Dentre as produções expostas estão esculturas no formato de anjos, santos, profetas e outras imagens com significado sagrado, fruto do talento desses artistas santeiros aliado ao suporte direcionado pelo município por meio de diversos projetos.

Conhecido como Mestre Dim, Raimundo Ferreira Lima é um dos artesãos que possui peças expostas na galeria. Ele é um dos grandes representantes da arte popular de esculpir peças em madeira, cuja história nesse ofício foi iniciada há cerca de 40 anos, tendo como incentivador e orientador Mestre Dezinho, um dos maiores expoentes nesse segmento artístico.

Para Dim, a galeria tem contribuído para valorizar e impulsionar o trabalho dos artesãos locais. “Na verdade, o apoio da Prefeitura de Teresina aos artesãos já vem de muitos anos, antes mesmo da criação da galeria de arte santeira no Parque da Cidadania. O espaço foi mais uma forma louvável de coroar esse incentivo, dando visibilidade tanto para os mais experientes, quanto para os mais novos nessa arte. Eu me sinto feliz e realizado em fazer parte desse projeto”, considera o artista santeiro, que possui peças espalhadas em vários estados brasileiros e em outros países.

A beleza e riqueza das obras de artistas como Dim são características que têm contribuído para atrair dezenas de visitantes à galeria. “Mensalmente, cerca de 200 pessoas têm visitado esse espaço, que foi concebido com o propósito de evidenciar e divulgar o talento dos artistas populares da nossa terra, reconhecidos também mundo afora. Então vale muito à pena apreciar esse local valoroso”, pontua o secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), Olavo Braz, pasta que administra a galeria, bem como o parque.

A galeria de arte santeira do Parque Estação Cidadania fica instalada na antiga casa de máquinas e reparo de trens, imóvel tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Por isso, a estrutura foi preservada e passou apenas com pequenas intervenções, que foram devidamente autorizadas e acompanhadas pelo órgão.

Artesãos expõem produtos e alavancam vendas no primeiro Teresina em Ação do ano

Ascom/Semest

Artesãos apoiados pela Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) tiveram ótimos resultados nas vendas e encomendas durante participação no primeiro Teresina em Ação de 2020. O evento, realizado no sábado (01) contou com mais de 160 serviços gratuitos para a comunidade, além de várias atrações culturais.

Mônica Carvalho Lopes, uma das artesãs presentes contou um pouco da sua história e de como os eventos apoiados pela Semest são importantes para ela. “Tive um aneurisma em 2012 e o artesanato entrou na minha vida como forma de terapia, me ajudando a tratar as sequelas do aneurisma. Além de ter superado os meus obstáculos, hoje vejo a arte santeira que faço como uma forma de evangelizar.  Adoro as feiras que a secretaria nos fornece apoio, pois acabo tendo a oportunidade de ter meu trabalho visto e reconhecido por muita gente”, disse.

O secretário da Semest, Ricardo Bandeira, destacou a importância do evento. “Começamos o ano com o pé direito através de mais uma participação no Teresina em Ação com sucesso. O evento é sempre uma porta aberta para nossos pequenos empreendedores e artesãos, e apoiá-los nessa jornada é um dos nossos principais objetivos” ressaltou o secretário.

O Teresina em Ação é uma realização da Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) com a parceria da TV Clube. A Semest também está sempre presente no evento levando cultura e empreendedorismo através de artesões e artistas plásticos. A população pode entrar em contato com a Gerência de Políticas Integradas da Semcaspi para solicitar um Teresina em Ação no seu bairro através do telefone (86) 3131-4714.

Semest envia artesãos para missão técnica em Minas Gerais

Ascom/Semest

Cinco artesãos de Teresina irão para uma missão técnica no Polo de Artesanato em Minas Gerais neste sábado, 30 de novembro. O objetivo da ação é realizar troca de experiências e networking entre os grupos de Teresina e associações de artesanato de Minas Gerais. A missão é idealizada pelo Sebrae com a parceria da Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest).

Entre os escolhidos estão bordadeiras, escultores, dentre outros tipos de artesãos. Francisca Santana é uma das artesãs selecionadas. Ela representa a Associação da Central de Compras das Bordadeiras de Teresina (ACCBT), e fala sobre a importância do projeto.

“Vai ser uma oportunidade única poder levar nosso artesanato para Minas e poder conhecer essa cultura de lá, que também é muito rica.  Estamos imensamente gratos ao apoio da Semest e do Sebrae que está nos levando para outros horizontes e transformando nossa visão sobre o trabalho que fazemos”, concluiu.

De acordo com Ricardo Bandeira, secretário da Semest, a ideia é sempre buscar melhorias para os artesãos.  “Essa missão agrega valor aos produtos dos artesãos e melhora o processo produtivo, abrindo novos mercados para as associações participantes da nossa cidade e de fora. Além de fomentar o empreendedorismo e fortificar o networking desses pequenos produtores”, destacou.

A missão acontecerá em Belo Horizonte nos municípios de Prados, Vilarejo dos Bichinhos, Tiradentes, Santa Cruz de Minas e São João Del Rei, onde serão visitadas lojas de artesanato, pontos turísticos e ateliês. Os artesãos chegam para a missão no sábado 30 de novembro e retornam no dia 03 de dezembro.

Vazanteiros, oleiros e artesãos discutem estruturação das atividades com técnicos do PLN

Um grupo de 12 trabalhadores (vazanteiros, oleiros e artesãos) dos bairros São Joaquim e Olarias, zona norte de Teresina, trataram de soluções para a estruturação de suas atividades com os técnicos do Programa Lagoas do Norte (PLN) e com o secretário municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), José João Braga Júnior. A reunião aconteceu na tarde desta terça-feira (08), na Unidade de Gerenciamento de Projeto do PLN.

Segundo os vazanteiros, as cercas que protegem suas plantações estão danificadas, propiciando a entrada de animais, como as capivaras, que destroem a produção. “A gente trabalha e as capivaras comem nossa plantação, ficamos no prejuízo. Viemos pedir que a Prefeitura possa ver essa situação e faça essa cerca”, afirma seu Valdir Monteiro Marreiros, vazanteiro há mais de 40 anos.

Outros problemas foram relatados na reunião, como o acesso entre a avenida Boa Esperança e o local da plantação. Com o tráfego de carros pesados, a entrada está danificada e também é necessário recompor a piçarra ao longo do trecho.

Os representantes dos oleiros e artesãos que comercializam seus produtos às margens da avenida Boa Esperança também relataram dificuldades pela falta de um espaço adequado tanto para a produção como para a venda. De acordo com a comunidade, cerca de 20 pessoas, hoje, vivem dessa atividade no local.  O pessoal que trabalha com a fabricação de tijolo ecológico também afirmou que necessita de um local propício, reservado, com estrutura para que possa produzir.

“Conversamos com a comunidade e ouvimos os relatos. Nossos técnicos farão o levantamento de toda a estrutura necessária para que esses profissionais exerçam suas atividades. Faremos o orçamento de tudo e buscaremos o financiamento necessário para essas obras”, garante José João Braga Júnior.

De acordo com a diretora geral do Programa Lagoas do Norte, Márcia Muniz, a equipe está indo até a comunidade verificar todas as necessidades. “Estamos dando seguimento ao programa sempre buscando seguir o principal objetivo do Lagoas do Norte, que é garantir a qualidade de vida das pessoas. Para isso, elas precisam ter a estrutura necessária para desenvolver suas atividades”, finaliza.

Artesão muda de vida através de trabalho com papel reciclado

 

 

Pesquisas apontam que o artesanato costuma mudar vidas e pode curar diversas doenças, além de ser um grande gerador de renda para uma boa parte da população. O artesão José Antônio é prova viva da mudança de vida através da arte. Formado em pedagogia, deixou as salas de aula para se dedicar ao artesanato e hoje consegue boa parte da renda através de produtos de papéis recicláveis feitos a mão.

“Morei em Brasília um tempo e quando estive lá um amigo me ensinou a fazer artesanato com papel. Comecei fazendo porta-pratos de papel e logo me apaixonei, depois fui desenvolvendo outras peças”, conta o artesão com mais de 20 anos de experiência.

A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest), auxilia artesãos na exposição e vendas de seus produtos em feiras e eventos públicos ou particulares. José Antônio é um dos apoiados pela Semest. Além de produtos com papéis, o artesão também confecciona colares e bijuterias com tecidos e outros produtos recicláveis.

“Quando estive na faculdade trabalhei bastante tempo na alfabetização de jovens e adultos, mas depois que conheci o artesanato descobri que essa era a minha verdadeira paixão e hoje é a minha principal fonte de renda. Além das encomendas eu exponho em feiras, muitas vezes com o auxílio da Semest. Pretendo continuar buscando mudar de vida e melhorar a vida no planeta através da reciclagem”, afirma.

“A Semest está sempre em busca de divulgar o belíssimo trabalho realizado pelos artesãos e estamos satisfeitos com os resultados que vêm gerando renda, mudando vidas e fazendo a população conhecer mais sobre a nossa arte local”, disse o secretário municipal de economia solidária, Ricardo Bandeira.

A escolha dos artesãos para expor nos eventos públicos e alguns particulares com o apoio da Semest acontece através de inscrições e de trabalhos artesanais destacáveis.  A Prefeitura de Teresina realiza diversos eventos públicos que favorecem a mostra de serviços e produtos que a sociedade muitas vezes não conhece. Eventos como o Teresina em Ação, Viva Meu Bairro e feiras públicas são exemplos do trabalho realizado com esse objetivo.

 

Artesãos expõem e divulgam trabalho no “Meu bairro é vivo”

Ascom Semest

A Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) esteve presente na primeira edição de 2019 do projeto “Meu bairro é vivo, realizado pela Prefeitura de Teresina. O evento tem como objetivo revitalizar as praças dos bairros da cidade e levar animação, lazer e serviços para a população.

A ação do último sábado (08) aconteceu nos bairros mocambinho (Praça da Telemar) e Aeroporto (Praça da Graça). A Semest levou dez artesãos para cada bairro, que expuseram diferentes trabalhos, como bordados, jóias recicláveis, bonecas de pano e biscuit, dentre outros.

“É a primeira vez que participei de uma feira como essa com o auxílio da Semest e obtive bons resultados, além de conseguir divulgar o trabalho que faço com muito carinho através do artesanato”, disse Stella Maris, artesã expositora do evento.

O secretário da Semest, Ricardo Bandeira, ressaltou a importância do evento. “Esse é mais um dos eventos da Prefeitura que revitaliza bairros e traz de volta a cultura e lazer para a sociedade. Nós da Semest estamos cumprindo o papel de levar o artesanato para mais perto das pessoas e assim mudar realidades de nossos artesãos”, concluiu Ricardo.

O “Meu bairro é vivo” também conta serviços da Fundação Wall Ferraz, animação com dança, práticas de ginásticas com a Semel e apresentações musicais e culturais. O evento acontecerá em dois bairros por sábado até novembro.