Assistente social e psicóloga da Semec percorrem escolas municipais para diálogo com os pais

Uma profissional de psicologia acaba de integrar a equipe da Divisão de Assistência ao Educando da Secretaria Municipal de Educação (Semec). O objetivo é agregar Geysa Santos ao trabalho de diálogo com as famílias em encontros nas unidades de ensino da Rede Municipal.

Desde 2019, é lei que psicólogos e assistentes sociais estejam diretamente ligados às redes públicas de educação básica, oferecendo amparo às escolas, às famílias e toda a comunidade. Geysa Santos passou a contribuir com o projeto “Escola Família”, que percorre as unidades de ensino para falar sobre direitos, deveres e colocar a equipe multidisciplinar à disposição dos educandos.

“Estamos conversando com os pais, entendendo a dinâmica das escolas e acolhendo suas demandas, para então traçar a melhor forma de contribuir com o bem estar do aluno, levando à melhoria da qualidade de vida e desempenho escolar”, explicou a psicóloga.

Geysa e as assistentes sociais da Semec já passaram pela Escola Municipal Padre Ângelo Imperialli e Escola Municipal Lindamir Lima. Com um cronograma mais restritivo, as especialistas pretendem percorrer o maior número de escolas possível, dentro das limitações impostas pela Covid-19, a fim de evitar aglomerações.

Fotos: Ascom Semec

Serviço Social do HUT inaugura novas instalações

O Serviço Social do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) está de cara nova. As novas instalações passam a contar com um espaço mais amplo e adequado para cumprir o seu papel.

Na equipe do HUT, a assistente social é responsável por identificar, com um olhar sensível, situações de vulnerabilidade e a realidade social em que o paciente está inserido, com vistas a garantir o atendimento integral de suas necessidades.

Osfrany Martins, assistente social responsável pelo Serviço Social do HUT, explica que no novo espaço “Os usuários já podem ser atendidos com mais conforto.” O setor já pode fazer atendimentos individualizados com mais privacidade e em um ambiente refrigerado. “Os casos de denúncias de atendimentos necessitam de sigilo, com a nova instalação, um dos espaços é particular, permitindo assim maior privacidade tanto da assistência social quanto da psicologia.”

(Foto: Ascom/HUT)

Osfrany aproveitou o momento para agradecer o apoio diretoria geral, médico Fábio Marcos de Sousa e do administrativo, Fernando Correia, pela realização do novo espaço que fica localizado próximo a entrada principal do Hospital, facilitando assim o acesso de pacientes e acompanhantes que necessitam de orientações sobre os seus direitos.

“São essas profissionais que atuam no atendimento direto da população para que tenham acesso aos direitos essenciais que podem salvar vidas. Em meio a tantas desigualdades presentes durante a pandemia, essa categoria tornou-se ainda mais essencial especialmente para os mais vulneráveis”, ressalta Fábio Marcos, diretor geral do HUT.

(Foto: Ascom/HUT)

(Foto: Ascom/HUT)

Semcaspi realiza programação em comemoração ao dia do (a) assistente social de Teresina

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) preparou um cronograma de ações para celebrar o dia 15 de maio, o dia do/a assistente social. A programação tem início neste sábado, (15/05), com a live “Orgulho de ser assistente social, sem medo de lutar e resistir”, que será transmitida pelo canal no YouTube TV Semcaspi.

O dia do (a) assistente social foi escolhido nesta data por causa do Decreto n° 994/62, editado em 15 de maio de 1962, que regulamentou e oficializou a profissão no Brasil, criando os conselhos federais e regionais, que regimentam as atividades da categoria.

Segundo Eliana Lago, secretária da Semcaspi, a programação foi pensada para que estes profissionais da assistência social sejam prestigiados da melhor forma.

“Para que tenhamos uma ótima assistência social, é preciso ter ótimos profissionais, que compreendam a política do SUAS e, ao mesmo tempo, tenham a sensibilidade e o empenho em necessários para atender as pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social. Neste quesito, a Semcaspi é privilegiada e temos em nossa secretaria grandes profissionais, que lutam diariamente para aprimorar o seu trabalho e oferecer o melhor para o público assistido”, pontuou.

Para Villar Neto, coordenador do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV), a homenagem para o dia do assistente social se faz importante por ajudar a fortalecer os profissionais, que atuam atendendo os mais vulneráveis.

“A Semcaspi realiza essa programação, com as homenagens, para os assistentes sociais na perspectiva de valorização profissional, destes que contribuem, diariamente, na transformação da sociedade. O assistente social atua no enfrentamento das violências, das vulnerabilidades sociais e também na construção junto com a política pública de uma assistência social para um município, promovendo a proteção social daqueles que mais precisam”, declarou.

Os dados do Conselho Federal de Serviço Social (CFESS) apontam que, atualmente, o Brasil possui mais de 120 mil profissionais registrados. Esses profissionais possuem um vasto campo de atuação, seja em Conselhos Tutelares, Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e em demais centros onde se encontram pessoas em vulnerabilidade social.

Confira a programação

– 15 de maio de 2021, às 19h: Live “Orgulho de ser assistente social, sem medo de lutar e resistir” no canal do Youtube TV Semcaspi, com a palestrante Luciene Carvalho, assistente social da Aeronáutica, mediada pela secretária da Semcaspi, Eliana Lago;

– 17 de maio de 2021, às 9h, no Palácio da Música (com transmissão pelo canal TV Semcaspi): Solenidade de homenagem da Semcaspi para os/as assistentes sociais;

– 21 de maio de 2021, às 9h, na Câmara Municipal de Teresina (CMT), a entrega do selo “assistente social: resistências e presença”, com transmissão ao vivo pelo canal do Youtube da CMT.

Assistente social Janaína Carvalho assume a Semcaspi

Com a saída de Samuel Silveira do cargo de secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, quem assume é assistente social Janaína Carvalho. Ela exercia a função de chefe de gabinete da secretaria e agora encara o desafio de continuar coordenando as principais ações da pasta.

Janaína tem formação de assistente social pela Universidade Federal do Piauí e é servidora efetiva da Semcaspi desde 2010. Também possui mestrado em Políticas Públicas pela mesma instituição de ensino e já exerceu cargos de gerente de proteção social básica e assessora técnica. Além disso, já presidiu o Conselho Municipal de Assitência Social entre 2013 e 2015.

“Estar à frente da Assistência Social como gestora é um grande desafio que assumo com todo compromisso entendendo a relevância dessa política pública para a população de Teresina. Significa, também, dar continuidade ao trabalho que foi desenvolvido pelo gestor anterior, Samuel Silveira. Dentro dessa conjuntura, assumimos com muito zelo a pasta da Assitência Social e nos colocamos à disposição do projeto de uma Teresina cada vez melhor”, diz Janaína.

Durante a pandemia do novo coronavírus, a Semcaspi tem sido a secretaria que está coordenando todas as ações de atendimento da população no que diz respeito à assistência social, cidadania e também responsável pela fiscalização do cumprimento dos decretos estabelecidos pela Prefeitura para a manutenção do isolamento social, principal arma de enfrentamento à disseminação do vírus.

Em dia comemorativo, assistentes sociais de Teresina refletem sobre desafios da pandemia

Ascom/Semcaspi

Um novo contexto surge no exercício da atividade da assistência social. “É preciso ter coragem em meio a dor e ao medo para construir ações que garantam dignidade, respeito e valorização da pessoa humana. Assim estamos enquanto assistentes sociais, nos ressignificando na luta por direitos em meio a pandemia que vivemos”, é o que diz Marfisa Mota, assistente social que desenvolve um trabalho de assessoria técnica na Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Nesta sexta-feira, 15 de maio, data em que se comemora do Dia do Assistente Social, Teresina tem muito do que se orgulhar dos profissionais que lhe assiste. Nas mais diversas frentes de atuação, eles têm mostrado que a dedicação e o amor ao que escolheram abraçar como profissão são fundamentais para desempenharem bem a missão.

“Os assistentes sociais têm o desafio de assegurar proteção social às famílias teresinenses para que no mundo pós-pandemia não haja um fosso ainda maior de desigualdades, especialmente em relação à população mais vulnerável. No geral, ver o acesso efetivo da população aos direitos é a parte mais gratificante, seja tanto dos que fazem parte da Política de Assistência Social, quanto dos demais direitos como saúde, habitação, convivência familiar, entre outros”, afirma Dannylo Cavalcante Alves, que trabalha no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) Sudeste III – Casa da Cidadania.

Além dos CRAS, todas as instituições e entidades que integram a rede socioassistencial na capital tiveram que adaptar os serviços a uma nova forma de contato com as comunidades onde estão inseridas por conta da conjuntura imposta pela pandemia do novo coronavírus. Exemplo disso, é trabalho desenvolvido para o atendimento à população em situação de rua no Estádio Lindolfo Monteiro. São novas medidas frente à realidade de distanciamento físico, protocolos e regras, mas uma coisa não mudou: o cuidado.

“Estamos com muitos procedimentos que se voltam para o enfrentamento ao coronavírus, que  vão desde a orientação e acompanhamento de implantação de serviços emergenciais para atendimento à população em situação de risco, população idosa e em situação de rua;  produção e análises de portarias, minutas e decretos; orientações para as entidades parceiras do SUAS (Sistema Único de Assistência Social) sobre ajustes dos planos de trabalho, funcionamento dos serviços essenciais, situação de trabalho e proteção dos servidores, entre outros”, explica Marfisa Mota.

A assistência social realiza-se de forma integrada com as demais políticas setoriais, visando ao enfrentamento da pobreza, garantia dos mínimos sociais, provimento de condições para atender contingências sociais e universalização dos direitos sociais. “O profissional da assistência social tem um papel fundamental na nossa sociedade. É papel da política da assistência social suprir as diversas vulnerabilidades, dar encaminhamento necessário juntamente com as demais políticas públicas, para melhorar a qualidade de vida das pessoas; portanto, a atuação do assistente social tem um impacto fundamental para a construção de uma sociedade digna e verdadeiramente sustentável”, diz o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira.

O Dia do Assistente Social homenageia os profissionais que atuam empenhados em minimizar as desigualdades sociais e econômicas. A data 15 de maio, em alusão ao dia em que a profissão foi regulamentada em 1957, celebra a importância destes agentes, que têm como missão promover o acesso da população aos direitos básicos de forma plena.

“O assistente social é um profissional que tem ocupado espaços importantes na intervenção e na produção do conhecimento. Sua competência profissional está pautada em um projeto que se insere em uma realidade com inúmeros desafios para o provimento e defesa de direitos sociais. Atualmente, estamos vivendo um momento assim. Dessa forma, devemos agradecer a todos os profissionais que estão na construção de uma sociedade mais justa e garantidora de direitos sociais”, afirma Mauricéia Carneiro, secretária executiva do SUAS da Semcaspi.

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) é o órgão do poder executivo municipal responsável legalmente pelo planejamento, coordenação e execução da Política de Assistência Social, fundamentada nas leis que atualmente regulamentam o direito da assistência no Brasil, como Lei Federal nº 8.742/93 (LOAS), Política Nacional de Assistência Social/PNAS, Norma Operacional Básica do SUAS/NOB, Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, entre outras.

UPA do Renascença realizou mais de 10 mil atendimentos em Teresina

Créditos: Ascom/ FMS

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Renascença revela que, em fevereiro de 2019, realizou 10.264 atendimentos, seguindo o protocolo internacional de classificação de risco. Deste total, 66% foram usuários classificados com quadro de saúde pouco urgente ou não urgente, tendo condições clínicas de aguardar pelo atendimento médico; 30,33% com gravidade moderada; 3,28% graves e 0,19% eram emergências, nas quais os usuários com quadro gravíssimo foram imediatamente atendidos.

“Diferente do modelo assistencial antigo, em que o usuário só se consultava com o médico, na UPA ele é classificado pelo enfermeiro, que  o examina e verifica os sinais vitais para determinar a gravidade do caso. Se for constatado caso grave, é atendido pelo médico rapidamente. Já os usuários pouco urgentes ou não urgentes têm condições clínicas de aguardar pelo atendimento médico. Essas pessoas com caso simples também poderiam ter  buscado atendimento em Unidades Básicas de Saúde”, segundo diretor clínico Rogério Araújo.

Segundo o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Charles Silveira, os casos trazidos à Unidade são resolvidos com eficiência. “Teresina conta com três UPAS que funcionam como elo entre as Unidades Básicas de Saúde e os Hospitais. As estruturas são magníficas e permitem atendimento de casos de urgência e emergência em qualquer dia e hora. Todos os usuários têm as suas necessidades de saúde resolvidas: ou permanecem nessas Unidades por até 24horas e tem alta ou, se necessitarem de mais cuidados, são encaminhados para hospitais da rede”.

Recentemente, a UPA do Renascença foi estruturada para acolher a demanda vinda do Hospital do Dirceu, cujo prédio passa por reforma. É o que explica Jesus Mousinho, diretora de Assistência Especializada da FMS: “Foi tudo bem planejado para que a população não fosse prejudicada e, então, redirecionamos o serviço de urgência para a UPA do Renascença, que conta com capacidade física instalada e recebeu reforço de profissionais. Todos que buscam essa Unidade estão sendo atendidos”, afirma.

Na UPA, os usuários têm também a sua disposição profissional assistente social. “Nós verificamos também as demandas sociais. Se for identificado vítima de violência sexual infantil, por exemplo, comunicamos ao Conselho Tutelar. Há ainda o serviço “Posso Ajudar” para esclarecer dúvidas da população. Tudo isso contribui com a humanização do serviço. O nosso esforço está voltado para acomodar o usuário da melhor maneira possível, pois ele merece ser tratado com amor e dedicação”, informa a diretora geral Sabrina Tajra.

O motorista Gustavo Lopes acompanhou o atendimento da sua filha de 4 meses, Alice Lemos, e avalia como satisfatória a assistência prestada pela UPA do Renascença, nessa última semana. “Se todo lugar fosse assim, era bom. As acomodações são ótimas, é tudo higiênico e organizado. A minha filha foi diagnosticada com pneumonia, tomou as medicações prescritas pelo médico de lá e depois foi encaminhada para o Hospital do Buenos Aires, para continuar com o tratamento.”