Secretaria da Mulher suspende atendimentos e atende demandas por telefone ou email

Os serviços internos da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM), e de unidades vinculadas como Amor de Tia e Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), foram suspensos nesta segunda-feira (23) como medida preventiva à disseminação do coronavírus. Os atendimentos e demandas solicitadas à SMPM ao longo desses 15 dias devem ser enviados pelo e-mail: smpm.gabinete@gmail.com, ou pelo telefone: (86) 99470-8798.

Para a secretária de Políticas para as Mulheres, Macilane Gomes, são extremamente necessárias as medidas de isolamento social que estão sendo adotadas nesse momento de crise, se tornando um ato de consciência de preservação da própria vida e do outro.

“É uma chamada importante, um ato de consciência, uma atitude radical de isolamento social. Mesmo com as medidas adotadas, sabemos também da importância de alguns serviços estarem funcionando, como o CREG, que atende mulheres em situação de violência. Por isso, estamos disponibilizando todos os contatos para qualquer demanda que possa surgir, não podemos deixar essas mulheres desamparadas”, afirmou a secretária.

Os profissionais que fazem parte do Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), espaço que atende mulheres em situação de violência, estarão disponíveis para os atendimento de segunda a sexta, de 8h às 14h. O contato pode ser feito via whatsapp ou ligação, através do número: (86) 994169451.

Segundo a coordenadora do Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), Roberta Mara, as mulheres que estão em isolamento social e que sentirem necessidade de qualquer tipo de atendimento ou orientação quanto a violência de gênero, devem imediatamente entrar em contato.

“Sabemos que esse isolamento social pode reforçar ainda mais as ocorrências de violência doméstica. Nosso centro não pode parar, por isso nossos profissionais continuam atendendo e orientando caso haja necessidade”, finalizou Roberta Mara.

Semest suspende atendimento para novos clientes do Banco Popular

Para restringir a circulação e aglomeração de pessoas, por conta da pandemia do novo coronavírus, a Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) vai suspender o atendimento para novos clientes do Banco Popular, mantendo a agenda somente para os clientes que já solicitaram empréstimos.

A Semest também vai adiar os próximos dois eventos organizados pela secretaria, que aconteceriam nos próximos dias 23 e 29 de março.

A Secretaria, assim como as demais pastas da Prefeitura de Teresina, está seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenir o avanço do novo coronavírus em Teresina. “Estamos tomando medidas preventivas com o objetivo de impedir o avanço do vírus na capital. Suspender atividades que tenham aglomerações de pessoas é uma atitude acertada da Prefeitura”, ressaltou o secretário Municipal de Economia Solidária, Ricardo Bandeira.

Semcaspi suspende atendimentos no CRAS, CREAS e eventos por 15 dias

Seguindo a diretriz da Prefeitura de Teresina para evitar a transmissão do novo Coronovírus, a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI) suspendeu todo o atendimento coletivo ao público nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), assim como as requisição do Passe Livre e para inclusão em programas de transferência de renda.

“Faremos apenas atendimentos individuais. Todo o esforço da Prefeitura está em evitar que essa pandemia chegue à nossa cidade. Essas medidas são preventivas e têm duração de 15 dias. Além da suspensão ao atendimento ao público, foram suspensas as visitas aos abrigos, casas de acolhimento e centros de convivência”, afirmou o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

Casas de funcionamento 24 horas, como a Casa Reencontro, que atende jovens em situação de vulnerabilidade social, e a Casa de Punaré, que atende adolescentes do sexo masculino em processo de rompimentos de vínculos familiares, estão com visitas suspensas.

Com relação ao Família Acolhedora, que atende crianças que são temporariamente removidos do ambiente nos quais sofrem abuso ou negligência e passam a ser acolhidas por outra família, o projeto segue realizando os acompanhamentos e atendimentos individuais. “Para os interessados em se inscrever no serviço, vamos continuar recebendo as ligações e marcando as entrevistas para depois do prazo determinado pelo prefeito, com proibição para reuniões de grupos”, disse a gerente executiva do Família Acolhedora, Lorena Batista, informando ainda que o telefone projeto é o 3234-1652.

Também por conta das medidas contra o Coronavírus foi adiada a realização da V Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que seria realizada nos dias 24 e 25 deste mês, com participação dos poderes públicos e as organizações da sociedade civil.

O Centro Pop, que presta diversos serviços para a população em situação de rua, segue com suas atividades normalmente. A Casa do Caminho, que abriga pessoas em situação de rua no período da noite, também segue seu funcionamento normal, apenas não permitindo visitas externas, bem como de grupos de voluntários.

As atividades da Guarda Civil Municipal seguem normalmente realizando o monitoramento de prédios públicos da Prefeitura de Teresina, bem como dos corredores urbanos da capital e nos parques e praças da cidade. O monitoramento da Defesa Civil municipal também segue suas atividades diárias de monitoramento e atendimento.

“Essas medidas são emergenciais e vamos acompanhar todas as demandas das pessoas que precisam da assistência social do município. Outras decisões podem ser tomadas ao longo desses 15 dias ou mudadas, de acordo com as permissões e orientações da Fundação Municipal de Saúde”, finalizou Samuel Silveira.

HUT realiza quase mil atendimentos durante o carnaval

Foi grande a movimentação no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) durante o carnaval. De acordo com o relatório emitido pelo setor de estatística, o HUT realizou 991 atendimentos e 230 cirurgias. Se comparado ao mesmo período do ano passado, o número representou um aumento de 9% no atendimento geral.

Com relação aos acidentes de trânsito, o hospital registrou uma queda de 3%, com 195 atendimentos e as agressões físicas apresentaram queda de 9%, com 69 atendimentos. De acordo com o Dr. Rodrigo Martins, diretor geral do HUT, a complexidade dos casos chamou atenção.

“Mesmo com a queda no número de atendimento de vítimas de trauma, foi possível observar que a gravidade dos casos está cada vez maior. Só de vítimas de acidentes com motocicleta foram 169 atendimentos, o que corresponde a 87% do total de acidentes de trânsito. Eles podem causar muitas lesões graves, principalmente se o motociclista não estiver fazendo uso correto do Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s)”, explicou o diretor.

Outro dado preocupante é que mais de 42% das internações durante o carnaval foram de pessoas do interior do Piauí e outros estados. Alcoolizadas e vítimas, principalmente, de acidentes com moto e sem uso de capacete. Esse é o perfil da maioria das vítimas.

Renê Ribeiro, 25 anos, da cidade de Elesbão Veloso, interior do Piauí, que deu entrada no HUT, na segunda-feira de carnaval, vítima de acidente com moto, após ter consumido bebida alcoólica, é um exemplo do tipo de ocorrência que está contribuindo para esse aumento nas estatísticas.

“Eu tinha bebido um pouco e estava voltando pra casa quando um carro, que vinha na direção contraria, bateu de frente comigo. Como o veículo estava com um farol queimado pensei que era uma moto. Só quando estava me aproximando que percebi que não era uma motocicleta. Minha sorte foi que eu estava de capacete. Fraturei o braço direito e a perna esquerda. Fui transferido direto pro HUT. Na minha cidade não tinha médico para fazer a cirurgia”, comenta Renê.

Dr. Péricles Cerqueira, diretor técnico do hospital, explicou que é muito comum receber pacientes com esse perfil. Casos que poderiam ser resolvidos em suas cidades são transferidos para o HUT superlotando e dificultando o fluxo de toda rede de saúde de Teresina. “Não negamos atendimento a ninguém. Porém, precisamos que a rede funcione para que possamos continuar oferecendo um atendimento de qualidade para nossa população”, comentou o diretor.

 

Ambulatório que trata doença de Parkinson realiza 700 atendimentos em Teresina

Ascom/FMS

O ambulatório de Doença de Parkinson e outros Distúrbios de Movimentos, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), completou um ano de existência e atingiu a marca de cerca de 700 atendimentos à população de Teresina. O número compreende consultas a pacientes acometidos de doenças neurológicas que se manifestam com movimentos anormais do corpo.

Nesta sexta-feira (14), para celebrar a data, profissionais de saúde realizaram evento aberto ao público no Parque da Cidadania. Houve palestras e atividades desenvolvidas por neurologistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais, além de musicoterapia em parceria com o Clube da Longevidade, lanches, jogos de memória, coral e exposição de arte.

Uma das pessoas que aprovou a iniciativa do evento foi a usuária Alceste Maria Oliveira, de 59 anos de idade, que foi diagnosticada com doença de Parkinson e recebe atendimento no ambulatório da FMS . “A equipe do ambulatório é muito atenciosa. Antes, sentia muitas dores, tinha dificuldade de caminhar e fazer atividades de casa, mas, hoje, com tratamento, estou me sentimento bem melhor, já consigo caminhar e fazer passeios”, afirmou.

A diretora do Clube da Longevidade, Lidiana Alburqueque, parceira do evento, afirmou que a musicoterapia oferecida contribui para a questão cognitiva, além de contribuir com a diversão. “Neste evento, a população pode manusear os instrumentos, trabalhando também a questão motora. Isso ajuda no processo de tratamento dos pacientes com doença de Parkinson e outras doenças, como as neurodegenerativas”, destacou.

Já Emilia Norberta, que coordenou a atividade envolvendo jogos de memória durante o evento, relembrou que estimular o cérebro a pensar traz benefícios para a saúde. “Quando a gente tira o cérebro da zona de conforto, a gente está o exercitando e aumentando as relações entre os neurônios (sinapses). Isso tem benefícios cientificamente comprovados e é possível quando o nosso cérebro aceita diferentes desafios”, informou.

Conheça o trabalho do ambulatório de doença de Parkinson da FMS

Teresina é pioneira na implantação do ambulatório de Doença de Parkinson e Outros Distúrbios de Movimentos no Piauí. “O acesso da população ao ambulatório é através de encaminhamento de especialistas da rede SUS ou das Unidades Básicas de Saúde. É um trabalho completo, que tem contribuído para melhorar a qualidade de vida e sobrevida dos usuários que sofrem com movimentos anormais”, explicou o presidente da FMS, Charles Silveira.

A médica neurologista da FMS, Denise Cury, explica ainda que a doença de Parkinson se caracteriza pela lentidão de movimentos, geralmente em um lado do corpo. “É uma doença comum em idosos, mas também se manifesta em jovens e não tem cura, mas tem medicamentos eficazes para o controle dos sintomas”, afirmou, relembrando a importância de atividades físicas e da manutenção de dieta saudável para evitar doenças em geral.

UPA’s de Teresina realizaram quase 450 mil atendimentos em 2019

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina mantém três Unidades de Pronto Atendimento na capital (UPA do Renascença, UPA do Promorar e UPA do Satélite). Juntas elas realizaram em 2019 o total de 449.074 atendimentos, sendo 254.303 atendimentos clínicos, 140.671 atendimentos pediátricos, 37.870 atendimentos de cirurgiões, 8.434 atendimentos odontológicos e 7.796 atendimentos de serviço social.

“Inaugurada em setembro de 2015, a Unidade de Pronto Atendimento Pastor da Silva Neto – UPA Renascença – tem capacidade para 350 atendimentos de urgência e emergência por dia, realizados com classificação de risco, onde os casos  mais graves têm prioridade de atendimento”, explica Thamara Evelline, diretora geral da UPA do Renascença.

Todas as Unidades de Pronto Atendimento -UPA’s funcionam 24 horas para assegurar a prestação de serviços assistenciais em caráter contínuo e eficiente. “As UPAS chegaram para  aumentar a capacidade de atendimento e a redução da espera para realização de atendimentos de urgência, promovendo, desta forma, maior qualidade no atendimento ao seu usuário, explica a diretora geral da UPA do Satélite, Celina Tourinho, acrescentando que cada UPA tem uma equipe multiprofissional treinada para atuar no atendimento das urgências e emergências da população.

A UPA consiste em uma estrutura de saúde intermediária, que auxilia na organização do atendimento de saúde da rede municipal, e não possui internação e o paciente poderá ficar no máximo 24 horas e se necessitar de mais cuidados será encaminhado para um hospital da rede de saúde.

As Unidades de Pronto Atendimento inovam ao oferecer estrutura simplificada, com raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação. Nas localidades que contam com a UPA, 97% dos casos são solucionados na própria unidade. Quando o usuário chega às unidades, os médicos prestam socorro, controlam o problema e detalham o diagnóstico. Eles analisam se é necessário encaminhar a um hospital ou mantê-lo em observação por 24 horas.

“Em Teresina, as três UPAS fazem parte do sistema de urgência da cidade e aumentam o acesso da população aos serviços de saúde pública dando maior resolutividade aos casos de urgência de emergência”, disse o presidente da FMS, Charles da Silveira.

Mal súbito e acidente com motocicleta são principais causas de atendimento no HUT

“O mal súbito não é uma doença, mas um sintoma que aparece repentinamente e que pode ser causado por diversos fatores”, explica o Dr. Péricles Cerqueira, diretor técnico do Hospital de Urgência de Teresina (HUT).  “A pessoa pode perder a consciência e necessitar com urgência de atendimento médico. Um mal-estar repentino, sem causa aparente, é classificado como mal súbito. Após a realização dos exames e do fechamento do diagnóstico é possível dar um direcionamento para o tratamento do paciente”, esclareceu.

Em 2019 o mal súbito ficou em primeiro lugar dentre os principais motivos de atendimento no HUT. Foram 11.174 atendimentos, o que corresponde a 19% do atendimento geral do Hospital nesse mesmo período. Em segundo lugar veio o acidente com motocicleta, com 9.074 atendimentos, 16% do atendimento geral. O terceiro motivo foi corpo estranho no olho, com 4.756 atendimentos, o que correspondeu a 8% do atendimento geral.

Dentre esses principais motivos, o acidente com motocicleta chama atenção, pois geralmente são pacientes muito graves que necessitam de um atendimento com um maior número de especialistas envolvidos. De acordo com Dr. Péricles, o HUT possui uma equipe especializada no atendimento de pacientes vítimas de trauma 24 horas por dia.

“Temos equipes especializadas no trauma para atender essa demanda com mais segurança e qualidade. Esses profissionais são preparados para receber esse tipo de paciente e dar agilidade ao atendimento. O tempo nesse tipo de atendimento é crucial para o sucesso da assistência. Além dos profissionais, temos equipamentos que fazem toda a diferença na hora de fechar o diagnóstico”, comentou Dr. Péricles.

Corpo estranho no olho também chamou atenção pela quantidade de atendimentos realizados. O oftalmologista Igor Marcelos disse que as principais demandas atendidas no setor são relacionadas a acidentes de trabalho. “São pessoas que não utilizam equipamento de proteção adequada e apresentam corpo estranho no olho, geralmente metálico. Outras demandas que aparecem bastante são acidentes de moto, com pessoas que não usam capacete e sofrem traumas na região ocular”, afirma.

Já os casos cirúrgicos mais frequentes são relacionados à laceração de córnea. “A córnea é a primeira camada do olho, por isso é muito comum essa camada ser atingida por traumas. O procedimento envolve a reconstrução das estruturas por sutura para evitar que o olho fique aberto, perca conteúdo intraocular ou mesmo sofra uma infecção”, explica o médico.

Para estes casos que necessitam de cirurgia, o HUT possui no seu centro cirúrgico uma sala equipada com um microscópio óptico adequado para atender esse tipo de demanda, especialmente de trauma ocular. O hospital conta com equipamentos modernos e que permitem a realização de procedimentos de alta precisão.

Somente em 2019 foram 6.509 atendimentos de vítimas de queda, um aumento de 2,2%, se comparado com 2018. O HUT realiza por mês uma média de 5 mil atendimentos e 1.200 cirurgias.

 

 

Mais de 100 pessoas foram atendidas pela Fundação Wall Ferraz no The Vejo na Ponte

Ascom/FWF

A última edição do Festival The Vejo na Ponte, especial de Carnaval, foi um sucesso. Promovido pela Prefeitura de Teresina, o evento contou com a animação de diversas atrações culturais e prestação de serviços na Ponte Estaiada. A Fundação Wall Ferraz (FWF) esteve presente e ofereceu diversos serviços, entre eles o de pintura de rosto infantil, maquiagem e minicursos de adereços carnavalescos, atendendo mais de 100 pessoas que visitaram o estande da instituição.

Nesta edição, o estande da Fundação Wall Ferraz realizou um total de 130 atendimentos, sendo 63 pinturas de rostos adultos e infantil, 53 atendimentos no mini curso de adereços e 14 atendimentos de maquiagem. Todos esses serviços foram gratuitos tinham por finalidade a contribuição com o bem social da população teresinense.

A jovem Juliana Sousa, que reside no bairro Renascença I, na zona Sudeste da capital, aproveitou o evento para conferir o minicurso de criação de adereços carnavalesco. “Vim para assistir os shows, mais chegando aqui me deparei com esse cursinho e fiquei maravilhada por ter tido essa oportunidade de aprender a criar meus próprios adereços”, comentou.

Segundo Samara Pereira, superintendente Executiva da Fundação Wall Ferraz, a instituição já confirmou presença nas próximas edições do The Vejo na Ponte. “Esse é um evento que já faz parte do calendário cultural de Teresina, por isso, já fechamos parceria para estarmos com os serviços da FWF em todos os festivais”, afirmou.

O The Vejo na Ponte é realizado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), Fundação Cultural Monsenhor Chaves (FCMC), e com apoio da Fundação Wall Ferraz (FWF).

 

Atenção Básica de Teresina realizou 876.768 atendimentos médicos e de enfermagem

Ascom/FMS

Em 2019, a Atenção Básica da Fundação Municipal de Saúde (FMS) prestou 876.768 atendimentos médicos e de enfermagem à população do município de Teresina. A capital tem 263 Equipes de Saúde da Família distribuídas em 90 Unidades Básicas de Saúde, que juntas realizaram 2.070.395 procedimentos de enfermagem, dentre eles coleta de exames laboratoriais, antropometria, administração de medicamentos, curativos, trocas de sonda vesical; 31.843 coleta de citopatólogico de colo uterino e 23.503 visitas domiciliares por profissional de nível superior (médico e enfermeiro).

A capital possui população de 861.442 habitantes com cobertura de 100% de atenção básica, organizada em quatro regionais de saúde a fim de facilitar o processo de gestão e organização das equipes. Atualmente, 35% do orçamento municipal de Teresina é gasto com saúde. “Segundo a Organização Mundial de Saúde, a atenção básica é um serviço eficaz e age sobre as principais causas de problemas de saúde e riscos ao bem-estar, lidando com os desafios emergentes que ameaçam a saúde das pessoas, constituindo a principal porta de entrada no Sistema Único de Saúde.  Seu objetivo é orientar sobre a prevenção de doenças, solucionar os possíveis casos de agravos e direcionar os mais graves para níveis de atendimento superiores em complexidade”, explica Karoline Alencar Rodrigues, gerente de Informações em Saúde da Atenção Básica da FMS.

A atenção básica funciona, portanto, como um filtro capaz de organizar o fluxo dos serviços nas redes de saúde, dos mais simples aos mais complexos. No Brasil, há diversos programas governamentais relacionados à atenção básica, sendo um deles a Estratégia de Saúde da Família (ESF), que leva serviços multidisciplinares às comunidades por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), por exemplo. Consultas, exames, vacinas e outros procedimentos são disponibilizados aos usuários nas UBSs. A atenção básica também envolve outras iniciativas, como: as Equipes de Consultórios de Rua, que atendem pessoas em situação de rua; o Programa Brasil Sorridente, de saúde bucal; o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS), que busca alternativas para melhorar as condições de saúde de suas comunidades.