Prefeitura retoma atendimentos pelo 0800 para atender demandas de iluminação pública

O antigo número do Disque Iluminação da Prefeitura de Teresina voltou a funcionar.  As demandas relacionadas ao setor poderão ser feitas por meio do 0800-280-4712, que está disponível 24h, todos os dias da semana.

A administração do serviço agora é gerida por uma empresa através de Parceria Público-Privada (PPP). O novo contrato permite que a população informe sobre problemas de iluminação na cidade também através do site https://teresina.notificacao.gestoriluminacaopublica.com.br/municipio/4047, que já está em funcionamento, e ainda por aplicativos específicos que serão lançados em breve, bem como através de mensagens via Whatsapp.

O coordenador de Iluminação Pública, Augusto César Monte, explica que os números divulgados anteriormente eram provisórios devido à transição de uma empresa para a outra. “Agora estamos divulgando novamente o 0800 que a população já conhece para atender as demandas de iluminação pública. As pessoas podem ligar a qualquer hora, em qualquer dia da semana”, declara.

 A PPP de Iluminação é a primeira da Prefeitura e coloca a capital piauiense como uma das pioneiras no país a implantar esse tipo de contrato no setor. A nova empresa será responsável pela modernização, expansão e manutenção da iluminação municipal pelo prazo de 20 anos, com investimentos estimados em R$ 400 milhões, que trarão maior eficiência energética e menor consumo no serviço, resultando na economia de gastos.

UBSs não gripais reforçam equipes e registram aumento nos atendimentos durante a pandemia

Entre os meses de abril e agosto foi verificado um aumento de mais de 40% nos atendimentos pelas equipes Estratégia Saúde da Família. Isso foi possível porque, mesmo com o direcionamento das ações de saúde para o enfrentamento à Covid-19, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) reforçou as Unidades Básicas de Saúde (UBS) para o atendimento de demandas gerais na atenção básica.

Segundo dados da FMS, as UBSs do município realizaram um total de 34.176 atendimentos no mês de abril. Já no mês de agosto foram registrados 79.746 atendimentos, o que representa um aumento de 43% neste período de tempo. “Estes números contemplam todas as demandas da atenção básica, como clínica médica, pediatria, pré-natal, acompanhamento de doenças como tuberculose e hanseníase e também doenças crônicas como hipertensão e diabetes”, informa Kledson Batista, diretor de Atenção Básica da FMS.

O gestor também explica que, com o deslocamento de 26 UBSs para o atendimento exclusivo de síndromes gripais, a FMS promoveu um reforço nas unidades restantes para atender a demandas das comunidades atendidas nestas áreas. “Estendemos o horário de atendimento de 60 UBSs, sendo as 26 gripais e 34 não-gripais. Agora elas funcionam das 7h às 19h”, afirma o diretor.

Para suprir esta ampliação de horário, bem como para substituir aqueles que estavam afastados por serem grupos de risco para a Covid-19, a Prefeitura de Teresina promoveu um reforço no quadro de profissionais de saúde. “Tivemos um salto no número de médicos da atenção básica: de 260 para 332 profissionais em atendimento. Essa oferta garante à população o acesso à porta de entrada da saúde, evitando adoecimento precoce e internações desnecessárias”, ressalta Kledson Batista.

Ele garante ainda que este reforço será mantido mesmo com a retomada das atividades, pois com elas vêm um novo desafio para a saúde municipal: o “novo normal”, em que surgem demandas que ficaram represadas no período da pandemia. “Assim a atenção básica garante o acesso e permanece forte neste novo normal, como esteve forte contra o novo coronavírus”, disse o diretor.

Atualmente, em Teresina, a FMS mantém 64 UBSs que estão atendendo usuários com outros problemas básicos de saúde que não sejam gripais. Nestes locais, há oferta de consulta médica e de enfermagem, além de serviços de vacina, coleta de exame, curativo e entrega de medicamentos.

 

 

Centros de Atenção Psicossocial já realizaram mais de 35 mil atendimentos em 2020

Mesmo durante a pandemia de Covid-19 os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) mantiveram seu atendimento às pessoas com transtornos mentais. Somente em Teresina, no primeiro semestre de 2020, já foram realizados 35.348 atendimentos nestes Centros, que são gerenciados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Até julho deste ano, foram realizados 25.161 atendimentos individuais e 10.187 atendimentos familiares. As equipes realizaram ainda 372 visitas domiciliares a pacientes que necessitaram um acompanhamento junto à família.

A gerente de Saúde Mental da FMS, Isabel Karine, avalia o período como de grande demanda em função da reorganização do serviço durante o período mais crítico da pandemia, em que os ambulatórios estiveram fechados. “Os CAPS fizeram uma readaptação das atividades para atender pacientes em crise e fazer triagem e acolhimento a todos que venham a precisar dos serviços de saúde mental da capital”, comenta.

“Mesmo com todo transtorno que essa pandemia nos trouxe, o CAPS não parou de funcionar, pelo contrário, o atendimento ficou mais rápido. Isso prova o comprometimento de sua equipe com a saúde de seus usuários”, relata Lourdes Almeida, que cuida de seu irmão Nilson, usuário do CAPS II Norte. Ela conta que o atendimento da equipe foi importante para superar um período muito difícil para a família, quando seu irmão passou por várias internações sem apresentar melhora. “Foi no CAPS que encontramos apoio, pessoas solidárias e preocupadas com o bem-estar de seus usuários. Meu irmão teve uma melhora significativa e sinto que esse acompanhamento fez a diferença. Hoje em dia costumo dizer que o CAPS é a segunda casa do meu irmão”, afirmou.

A Rede de Atenção Psicossocial conta também com sete CAPS, voltados ao acolhimento de usuários com transtornos mentais severos e persistentes, oferecendo atendimento médico e psicossocial, além de desenvolver outras atividades em grupo. Os Centros são divididos em CAPS infanto-juvenil, CAPS II, CAPS III (com acolhimento noturno) e CAPS Álcool e Drogas.

Os sete CAPS funcionam em dias úteis, das 8h às 11h e das 14h às 17h. Para ter acesso, o usuário pode ir diretamente sozinho ou acompanhado devendo, preferencialmente, procurar o CAPS que atende na região onde mora. “Qualquer cidadão, pessoas com transtornos mentais, têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direito a receber cuidado e tratamento, sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadão. Por isso, nossos serviços estão de portas abertas”, disse Isabel Karine.

 

Casa Reencontro registra 50 atendimentos durante a pandemia

A Casa de Acolhimento Reencontro, instituição que abriga crianças de 0 a 12 anos que foram vítimas de violações de direitos, registrou, desde o mês de março até julho deste ano, 50 atendimentos. O espaço oferece acolhimento temporário para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, que foram afastadas do convívio familiar por medida protetiva judicial e é administrado pela Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Para evitar o contágio da Covid-19, a direção do espaço adotou o sistema de acolhimento provisório nas residências de funcionários, visto que eles são cadastrados como padrinhos afetivos.

“Achamos mais prudente realizar o acolhimento familiar dessas crianças junto aos funcionários da casa, que estão com a carga horária reduzida e em home office. Foi uma medida para evitar a aglomeração na casa tanto deles, quanto das crianças. Isso fez com que a gente evitasse o risco de surto no abrigo, e não tivemos nenhum caso infantil positivado para Covid-19”, explicou a coordenadora.

No momento que as crianças estão com os funcionários, ambos são acompanhados semanalmente por uma psicóloga, que também entra em contato com a família de origem e atua como intermediário. Além disso, os colaboradores recebem toda a assistência material para manter a criança através de alimentos, fraldas, materiais de higiene pessoal e medicação. Esse acolhimento foi viabilizado por portaria da 1ª Vara da Infância, tendo como base as resoluções do Conselho Nacional de Justiça.

Os relatórios de atendimento da casa detalham que, durante o período de quatro meses, foram feitas 12 inserções no programa de acolhimento temporário do Família Acolhedora. Os números apontam ainda que foram executadas 04 adoções, 19 reintegrações e 06 destituições familiares.

Para diminuir o impacto do isolamento social, os funcionários que permaneceram trabalhando de forma presencial foram orientados a desenvolver atividades lúdicas e educativas com as crianças que estão no espaço.

“Estamos fazendo oficinas de pintura e de desenho, dança e brincadeiras. Como as crianças não estão indo à escola, é importante que eles tenham essa compreensão da importância do lúdico, de estar em contato com os amigos e desenvolvendo atividades de interação, não apenas estar na casa, mas também interagindo”, reforça a coordenadora.

A Casa de Acolhimento Reencontro está localizada na Rua Professor Odilo Ramos, 1501, bairro Morada do Sol.  Os encaminhamentos para a Casa são realizados por meio do Conselho Tutelar, Polícia Militar e 1ª Vara da Infância e Adolescência. O telefone para contato é 3232-7929.

Alô Mulher Teresina registra 230 atendimentos em um mês

Em um mês de funcionamento, o serviço Alô Mulher Teresina realizou 230 atendimentos.  A plataforma, criada pela Prefeitura de Teresina e coordenada pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, disponibiliza atendimentos também na área de saúde mental, assistência social e protagonismo feminismo.

 Entre o total de atendimentos realizados, os serviços mais procurados foram do atendimento ao enfrentamento à violência com 51%, seguido do serviço de saúde mental, correspondendo 25% das ligações recebidas. Já o serviço direcionado ao protagonismo feminino registrou 17% de solicitações e assistência social com 6% dos atendimentos.

 De acordo com a gerente de Enfrentamento à Violência da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM), Lidiane Oliveira, é necessário reconhecer que o fenômeno de violência contra as mulheres existe, por isso é muito importante proporcionar um maior suporte às vítimas.

  “O Alô Mulher Teresina, uma experiência inovadora no país, é uma ferramenta tecnológica de atendimento gratuito destinado às mulheres em situação de violência e/ou vulnerabilidade da capital. Os dados revelam que o serviço de saúde mental também está sendo muito solicitado dentro da plataforma, por isso a importância de um canal que ofereça toda essa rede de atendimento”, explica Lidiane Oliveira.

 O teleatendimento poderá ser feito em até três fases, dependendo da gravidade da situação de cada mulher. Ela poderá ser atendida por especialista por meio de ligação de voz ou vídeo. Esse serviço também contar com um ramal de emergência que poderá ser acionado pelas mulheres em caso de alguma urgência.

 Para ter acesso ao serviço, a pessoa deve ligar para o número 0800 033 0302. O atendimento está disponível todos os dias, inclusive aos finais de semana, das 08h às 20h.

Teresina registra queda no atendimento de síndromes gripais por sete semanas

Rômulo Piauilino

Teresina apresentou, por sete semanas consecutivas, uma queda no número de atendimentos por Síndromes Gripais (SG), infecções respiratórias causadas por diversos agentes, entre eles o novo coronavírus. No período de 21 a 27 de junho, foram registrados 20.016 atendimentos. Já entre os dias 9 e 15 de agosto, o número caiu para 11.875, sinalizando diminuição de 41% desses casos em Teresina.

Os dados foram extraídos do Painel de Dados Covid-19 da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, que contabiliza dados da rede pública e privada da capital piauiense. “Houve redução nos atendimentos por Síndromes Gripais, de forma gradual, desde a 26º semana até a 33° semana. No caso da 34º semana, que só irá se encerrar no dia 22 de agosto,  iremos observar se continua essa tendência de queda”, explica o médico infectologista do Comitê de Operações em Emergências (COE) da FMS, Kelsen Eulálio.

Ele informa ainda que fenômeno semelhante de queda foi observado na quantidade de pessoas que morreram em decorrência de complicações da Covid-19 e eram residentes em Teresina. Na 29º semana, foram registradas 87 mortes e na 33° semana, o número caiu para 43, o que representa diminuição de 50% de óbitos.

Segundo Kelsen Eulálio, essa alteração na curva pode ser um sinal de que o número elevado de casos aconteceu no mês de junho em Teresina. “Podemos inferir que estamos saindo do pico devido à queda expressiva no número dos atendimentos de Síndrome Gripal e dos óbitos pela doença, além da taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19, que tem se mantido sempre igual ou inferior a 70% nas últimas semanas”, informa.

O médico infectologista ressalta, entretanto, que, com a abertura das atividades econômicas, é importante que a população mantenha as medidas de higiene e de distanciamento social, além do uso de máscara, sob risco de haver uma segunda onda da doença.

Tranquilidade marca retorno dos atendimentos presenciais nos órgãos públicos

Rômulo Piauilino

O retorno dos atendimentos presenciais nos órgãos da Prefeitura de Teresina transcorreu de forma tranquila nesta segunda-feira (10). Funcionando das 7h30 às 13h30, as secretarias estão seguindo rígido protocolo de segurança para evitar a disseminação do novo coronavírus.

“Após cerca de quatro meses funcionando apenas com os serviços essenciais, demos início ao processo de retomada dos atendimentos presenciais nos órgãos do município. Tudo está ocorrendo conforme nossas expectativas, sem aglomerações e com todos os cuidados necessários”, pondera o secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Nonato Moura.

Nesta etapa, os órgãos estão autorizados a funcionar com 50% do seu quadro de servidores. O uso de máscara é obrigatório, assim como o distanciamento físico de dois metros entre os servidores e entre estes e os cidadãos. Também estão sendo disponibilizados, nas dependências dos órgãos, todos os materiais para higienização das mãos, como água, sabão e álcool 70%.

Exceção

As Centrais de Atendimento ao Público (CAP) da Secretaria Municipal de Finanças (Semf) seguem com os atendimentos presenciais suspensos. Os espaços estão passando pelos últimos ajustes de reestruturação física para poder retomar suas atividades com segurança, tanto para os servidores quanto para os cidadãos.

Todas as demandas relativas à Semf podem ser resolvidas através do Teresinense Digital, na aba de Finanças (pmt.pi.gov.br/teresinensedigital). Lá, o usuário encontra uma lista de serviços disponíveis e o passo a passo de como protocolar seu pedido.

Atendimento às vítimas de acidentes de trânsito cresce 20% no HUT

O Hospital de Urgência de Teresina registrou aumento de 20% na entrada de vítimas de acidentes de trânsito em julho de 2020. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (4) e apontam ainda que, a cada dez pessoas acidentadas, oito delas estavam em motocicletas.

O levantamento encaminhado pelo Setor de Estatística do HUT compara a primeira e a última semana do mês passado. No período de 29 de junho a 5 de julho, foram atendidas 146 vítimas de acidentes de trânsito. Já entre 27 de julho e 2 de agosto, foram 175 acidentados. Ao contabilizar todos os registros de acidentes no mês de julho, deram entrada no HUT, 783 pessoas, 88% delas estavam em motos.

Os números preocupam a unidade de saúde, já que a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) está acima de 90%. “Com a possibilidade de mais pessoas circulando, teremos um aumento de vítimas de acidentes de trânsito. Em tempos de Covid, diminuir essa taxa de ocupação tem sido um desafio”, explicou o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins.

Preocupada com esse cenário, a Prefeitura de Teresina tem adotado a retomada gradual das atividades para não comprometer as estratégias implementadas no enfrentamento à Covid-19. “Precisamos manter o alerta para que o cidadão evite relaxar nas medidas de proteção. Se precisar sair de casa, utilizar os itens de segurança, como máscara, capacete e cinto de segurança”, reforçou Rodrigo.

Strans segue com atendimentos pela plataforma Teresinense Digital

Uma das estratégias da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) para continuar oferecendo serviços ao público externo durante a pandemia da Covid-19 é o atendimento online pela plataforma Teresinense Digital. Os serviços presenciais foram suspensos no dia 20 de março para evitar a propagação da doença infecciosa na capital.

Requerimentos, consultas e recursos de infrações também devem ser realizados online. Os serviços de renovação, alteração do veículo, transferência da permissão e solicitação de cadastro de 2º operador (para táxi e mototáxi) devem ser realizados somente pela plataforma online Teresinense Digital.

Alyne Costa, gerente de Gestão de Trânsito da Strans, pontua que o atendimento online, que já estava disponível antes da pandemia, tem preservado a saúde tanto do público externo, como dos próprios funcionários da Strans. “Os serviços online têm sido essenciais para que os nossos trabalhos continuem. Nossas equipes estão trabalhando para que a população continue tendo atendimento sem precisar sair de casa e expor sua saúde neste momento”, afirma.

Para o cadastro na plataforma o usuário deve acessar o site da Prefeitura de Teresina (pmt.pi.gov.br/teresinensedigital) no Menu > Trânsito > Clicar em um dos serviços. O aplicativo Teresinense Digital também está disponível em aparelhos Android e IOS.

O cidadão pode realizar os seguintes procedimentos pela plataforma Teresinense Digital:

– Consulta de infrações

– Recurso de infrações

– Requerimento de pagamento dos fornecedores da Strans

– Serviços para permissionários de Táxi

– Serviços para permissionários de Mototáxi

– Serviços para permissionários de Transporte Escolar

– Localização de radares

– Horários dos transportes coletivos

Para mais informações sobre o cadastro de usuários, basta clicar no link abaixo e baixar a Cartilha do Usuário Externo:

https://docs.google.com/document/d/13QZ4ZPbLV_SZpn0v9r5UtvV8r0yIuhO8aFG5K0B0GDw/edit

 

UPA do Promorar realizou quase 50 mil atendimentos no primeiro semestre

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Promorar realizou, de janeiro a junho de 2020, 47.534 atendimentos, sendo 33.844 em clínica geral e 8.598 em pediatria, além de 5.092 atendimentos com cirurgião geral. De 1º de março a 30 de junho, foram 4.700 atendimentos a pessoas com suspeita de COVID-19. Na unidade existem 27 leitos, sendo que 15 são exclusivos para casos de pessoas com o novo coronavírus. As UPAs devem ser procurar por pessoas com quadro intermediário de saúde.

Os casos leves devem se dirigir para as Unidades Básicas de Saúde mais próxima de onde a pessoa mora. A UPA faz parte da Rede de Atenção às Urgências e tem como objetivo concentrar os atendimentos de saúde de complexidade intermediária, compondo uma rede organizada em conjunto com a atenção básica, atenção hospitalar, atenção domiciliar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192.

“A UPA oferece estrutura com raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação. Se necessário o paciente é encaminhado para um hospital da rede de saúde, para realização de procedimento de alta complexidade”, explica Danilo Soares, diretor da UPA Promorar.

As UPAs funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, e podem atender grande parte das urgências e emergências. Presta atendimento resolutivo e qualificado aos pacientes acometidos por quadros agudos ou agudizados de natureza clínica e presta o primeiro atendimento aos casos de natureza cirúrgica e de trauma, estabilizando os pacientes e realizando a investigação diagnóstica inicial, de modo a definir a conduta necessária para cada caso, bem como garantir o referenciamento dos pacientes que necessitarem de atendimento

Mantém pacientes em observação, por até 24 horas, para elucidação diagnóstica ou estabilização clínica, e encaminham aqueles que não tiveram suas queixas resolvidas com garantia da continuidade do cuidado para internação em serviços hospitalares de retaguarda, por meio da regulação do acesso assistencial.

Veja exemplos de quando procurar uma UPA 24h: febre alta acima de 39ºC; falta de ar intensa; dores fortes no peito; vômito constante; fraturas e cortes com pouco sangramento; infarto e derrame; queda com torsão e dor intensa ou suspeita de fratura; cólicas renais e crises convulsivas.