Semel promove lives com programação voltada para adultos e crianças

Com o objetivo de oferecer atividade física para a população durante o período de isolamento social, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) promove, através de suas redes sociais, uma programação diversificada para adultos e crianças todos os dias da semana com aulas de dança e treinamento funcional.

De acordo com Francinelio Ribeiro, secretário executivo da Semel, para as crianças a Secretaria oferece a “Semel Kids”, com atividades voltadas para o público infantil. “Antes essa live acontecia diariamente, mas agora ela passa a ser realizada somente aos sábados. Inclusive neste sábado agora, dia 04 de julho, teremos uma edição, das 10h às 11h, com transmissão pelo nosso Instagram. É uma boa opção para colocar a meninada para gastar energia no final de semana”, afirma o gestor.

Já para o público de jovens, adultos e pessoas da terceira idade as lives são de segunda a sábado, das 18h às 19h, sempre com transmissão ao vivo pelas redes sociais da Secretaria. “Para esse público oferecemos aulas de treinamento funcional e dança com os educadores físicos da Semel. Essas atividades são importantes, pois ajudam a combater o estresse e a ansiedade, provendo bem-estar e relaxamento”, diz o secretário.

Francinelio explica também que as aulas acontecem obedecendo as recomendações dos órgãos de saúde, para que todos os envolvidos trabalhem com segurança. “Como as academias e parques estão fechados, resolvemos criar essa opção para quem gosta de se exercitar. O objetivo é manter as pessoas em movimento, até porque, comprovadamente, a prática de atividade física melhora a imunidade e ajuda a manter a saúde mental, tão importante nesse período de pandemia”, disse.

A programação completa das atividades encontra-se no Instagram @semelteresina e no Facebook @semelteresina. “Deixamos esse convite à população para que venham se exercitar com a gente. Nossas aulas são elaboradas de forma a contemplar a todos, sendo uma boa opção para afastar o sedentarismo e manter a saúde em alta”, finaliza Francinélio.

 

FMS realiza atividade alusiva ao Janeiro Branco para os servidores da sede do órgão

Ascom/FMS

Uma palestra com o tema “Casas que Curam” foi ministrada hoje, 17, no auditório da sede da Fundação Municipal de Saúde (FMS). A atividade levou a todos a uma imersão em neurociência aplicada à arquitetura, design biofílico,  psicologia ambiental, psicodinâmica das cores e nas nossas memórias.

O momento foi desenvolvido pensando no Janeiro Branco, uma campanha dedicada a convidar as pessoas a pensarem sobre suas vidas, o sentido e o propósito das suas vidas, a qualidade dos seus relacionamentos e o quanto elas conhecem sobre si mesmas, suas emoções, seus pensamentos e sobre os seus comportamentos.

“O ambiente em que estamos inseridos muitas vezes refletem nossas emoções. Em qualquer fase da vida que esteja, a arquitetura pode ajudar você a viver num ambiente energeticamente harmonizado”, diz Hociomara Lis, gerente de Desenvolvimento de Pessoas da FMS. A palestra “Casas que Curam” foi ministrada pela arquiteta Ana Carolina Nogueira, criadora do tema “Morar afetivo”, que é uma expressão definidora da linguagem de seus projetos.

Projeto de dança une mulheres pelo fim da violência de gênero

Quando o grupo de mulheres acompanhadas pelo Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) reúne-se para atividade de dança, as transformações acontecem além do que os olhos podem ver. A prática tem sido uma forma de reinventar a vida, dando para elas novas cores, sons, movimentos múltiplos de singularidade para o enfrentamento da violência de gênero.

A atividade denominada “Mulheres que dançam” é um projeto de iniciativa do CREG em conjunto com a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) e acontece uma vez ao mês. O Projeto busca proporcionar alegria, interação e bem-estar às mulheres atendidas, procurando ajudar também, cada vez mais, no fortalecimento e no rompimento do ciclo de violência sofrido.

A voluntária e professora, Ana Lídia, afirma que a dança é uma atividade que tem contribuído com a autoestima e empoderamento dessas mulheres. “Estamos no quinto mês da atividade e percebo que elas gostam muito, pois a dança ajuda na situação de enfrentamento da violência que elas vivenciaram. Além de ajudar na melhora da autoestima, desenvoltura, timidez, percebo que elas se já se soltam mais durante as aulas. É um momento agradável e de alegria para elas”, considera.

A.S, desempregada, de 32 anos, que frequenta a unidade há cerca de um ano, afirma que mesmo com a limitação de uma deficiência se sente bastante motivada em participar do momento. “Mesmo com a deficiência que tenho em um braço e perna, muitas vezes chego com dores, e com as atividades de alongamento e dança acaba passando todas as dores, e além de contribuir com a autoestima a gente sai com as energias renovadas para enfrentar o dia e o momento ruim que passei desaparece cada vez mais. Mesmo com a minha deficiência eu consigo dançar, no meu limite, mas eu consigo. E a mesma determinação que estou tendo na aula de dança procuro levar para minha vida”, pontua.

Já a segurança particular, D.S, por considerar o momento bastante atrativo e com diversos benefícios avalia que a atividade deveria ser realizada mais vezes.  “A dança contribui de várias formas. É uma atividade que nos traz alegria e benefícios para o corpo, além de me ajudar a esquecer toda violência sofrida. Uma distração e eu até preferia que fossem mais dias e não apenas uma vez por mês”, relata.

O Centro de Referência Esperança Garcia oferece atendimento social, psicológico e jurídico para mulheres em situação de violência em Teresina e desenvolve diferentes práticas integrativas complementares.  Entre janeiro e novembro de 2019 o Centro acompanhou 384 mulheres que sofreram algum tipo de violência na cidade de Teresina. Segundo levantamento realizado pela SMPM, juntamente com o CREG, dessas mulheres 125 foram inseridas no serviço no ano de 2019 e 259 já realizam acompanhamento na unidade. Através do atendimento especializado e trabalho de conscientização, somente nesse ano 15 mulheres conseguiram romper o ciclo de violência.

“O propósito da dança é reunir, esclarecer, descobrir todos os aspectos da vida. No dia de hoje, a usamos especialmente para enaltecer a mulher, que precisa se redescobrir, se aceitar, se respeitar. Por isso, procuramos essa harmonia. A atividade funciona também como mais um dos momentos de fortalecimento para que ela consiga cada vez mais romper esse ciclo de violência,” finaliza a gerente de enfrentamento a violência da SMPM, Lidiane Oliveira.

Mais informações sobre os serviços oferecidos pelo Centro podem ser obtidas por meio do telefone: (86) 3233-3798.

 

 

 

Projeto Dançando na Praça promove saúde e qualidade de vida em Teresina

Realizado há 10 anos na capital, o Projeto Dançando na Praça, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel), leva aos teresinenses atividades de lazer através da dança obtendo resultados significativos de promoção da saúde e qualidade de vida dos participantes. Nesta semana, as atividades do Projeto foram retomadas em todas as zonas de Teresina e a programação disponibilizada para a população.

A ciência comprova que dançar pode trazer inúmeros benefícios, sendo terapêutico, cultural, social, por exemplo. A realização de atividade física faz o cérebro libera serotonina, substância que traz a sensação de alívio, melhorando o humor e o sono. Além disso, faz bem ao corpo, ao coração e à mente e, não demanda nada mais do que tempo e disposição.

Com isso, o Projeto Dançando na Praça tem ganhado mais adeptos que tem uma oportunidade de perder peso, aumentar o condicionamento físico, fortalecer a musculatura do corpo, bem como controlar taxas de diabetes. A Semel comemora a boa participação da comunidade nos encontros

“O resultado é percebido pela comunidade que ganha todos estes benefícios para a saúde e bem estar. E a Semel cse alegra com a grande presença de pessoas que aumenta a cada dia. Em locais como o Parentão, na zona sul, e o Mocambinho, na zona norte, começamos com uma quantidade de 20 pessoas e atualmente em alguns dias chegamos a quase 200 participantes. Assim temos certeza que o Projeto traz resultados positivos para a qualidade de vida dos teresinenses”, pontua Francimélio Ribeiro, secretário executivo da Semel.

 

Programação do Projeto Dançando na Praça:

Segunda-feira

Morada Nova – 19h às 20h

Praça da Água Mineral – 18h30 às 19h30

CEU Norte Parque Estael – 18h30 às 19h30

Matinha (em frente ao Iate) – 19h às 20h

Av. Centenário – Praça G. Leocádio – 19h às 20h

 

Terça-feira

Lagoas do Norte – Praça dos Orixás – 18h às 19h

Mocambinho – Praça da Telemar – 19h às 20h

Parque da Cidadania – 18h30 às 19h30

Parentão – 19h às 20h

Praça do Planalto Uruguai – 19h às 20h

 

 

Quarta-feira

Lagoas do Mocambinho – 19h às 20h

CEU Sul do Porto Alegre – 18h às 19h

CEU Sul do Porto Alegre – 18h às 19h

Praça da Água Mineral – 18h às 19h

Praça do Renascença III – 19h às 20h

Praça do Conjunto Santa Fé – 19h às 20h

Praça Vermelha – J. W. Batista – 19h às 20h

 

Quinta-feira

Mocambinho – Praça da Telemar – 19h às 20h

Todos os Santos – Novo Milênio – 19h às 20h

Parentão – 19h às 20h

Parque da Cidadania – 18h30 às 19h30

Praça do Planalto Uruguai – 19h às 20h

 

Sexta-feira

Lagoas do Norte – Bicicletário – 18h às 19h

Praça do Poti Velho – 19h às 20h

Praça do Conjunto Santa Fé – 19h às 20h

Parque Ambiental Macaúba – 19h às 20h

Planalto Ininga   – 19h às 20h

 

Sábado

CEU Zona Sul – Porto Alegre – 17h30 às 18h30

Equipe da UBS Alto da Ressurreição realiza atividade de prevenção ao suicídio

A Academia da Saúde da Unidade Básica de Saúde (UBS) Alto da Ressurreição realizará nesta sexta (27), a partir das 7h, uma atividade alusiva ao Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio. O evento contará com exercícios físicos, dinâmica abordando a valorização da vida, conversa sobre alimentação saudável e distribuição de informativos referentes à saúde. (mais…)

Estudantes participam de atividade sobre conscientização ambiental

Ascom/Semec

Os estudantes da Escola Municipal Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no Povoado Cerâmica Cil, zona Sul de Teresina, receberam a equipe de Educação Ambiental do Consórcio Teresina Ambiental (CTA), que realizou uma palestra através do teatro com a temática ‘Coleta seletiva de resíduos domésticos’ para as turmas de 1º ao 4º ano do ensino fundamental. (mais…)

Estudantes aprendem sobre capitalismo e impactos ambientais

Ascom Semec

Os alunos da Escola Municipal Professor Ubiraci Carvalho participaram de uma vivência interdisciplinar com a temática do capitalismo e impactos ambientais. A iniciativa foi do professor de geografia, Francivaldo dos Santos, que propôs uma pesquisa comparativa do entorno da escola com outros espaços da cidade para que os alunos observassem a relação sociedade-natureza, descrevendo os principais contrastes espaciais e suas configurações sociais, sob o prisma do Capitalismo.

A ideia contagiou outros professores e a ação foi, também, analisada pelas disciplinas de Ciência, analisando o impacto ambiental nas diferentes paisagens urbanas; Artes onde constataram sobre as diferenças na urbanização, considerando o contexto capitalista e Inglês, estudando os termos em inglês como base da comunicação nos diversos ambientes da cidade.

Os espaços visitados pelos alunos e professores foram o Mercado do bairro Renascença, Shopping Rio Poty, Universidade Federal do Piauí e a Avenida principal do Dirceu.

“Participamos da pesquisa de campo e observamos o espaço, as desigualdades e as variações linguísticas de cada um. Foi um momento muito bom, pois interagimos com as pessoas e fizemos perguntas sobre o local”, conta Camilly Victoria, aluna que participou da atividade.

O projeto interdisciplinar envolveu os componentes curriculares de geografia, com o professor Francivaldo dos Santos, ciências, professor responsável José Airton, artes com o professor Jonilson Oliveira e inglês com o professor Marcos Vinicius, objetivando a interação dos alunos com a vivência prática, onde foi possível identificar a leitura espacial da cidade e as contradições do consumismo, que reflete as desigualdades e a crise de valores, a poluição por meio do consumo e a influência estrangeira no cotidiano, que de certo modo, estão inseridos na vida de todos.

“A realização desta atividade teve uma grande relevância, pois os alunos puderam vivenciar a possibilidade das conquistas e realizações dos seus sonhos bem como acreditar que é possível sim chegar onde se deseja. Durante as aulas aconteceu o afloramento do desejo no coração de cada aluno de superação, da vontade de evoluir, da expectativa de dias melhoras”, explica Francivaldo dos Santos.

Para Jonilson Oliveira, professor de artes, sair da sala de aula para ver e fazer este paralelo do conteúdo de sala com a prática, faz com que o entendimento do conteúdo aconteça com mais facilidade. “O aprendizado jamais será esquecido por todos que foram envolvidos na atividade. Participar desta atividade é reafirmação da vocação de ser educador e ter a certeza que tudo vale a pena sim, basta amar o que se faz, pois os objetivos serão atingidos e tudo acontecerá”, finaliza o professor.

CMEI Chico Xavier monta um restaurante para ensinar leitura e escrita

Ascom/SEMEC

A hora do lanche é uma das preferidas das crianças, com isso a direção do Centro Municipal de Educação Infantil Chico Xavier, zona Sudeste, teve uma ideia diferente para envolver os alunos no mundo da leitura. A escola lançou hoje (6) o Projeto Restaurante da Leitura, que brinca com palavras e alimentos, estimulando as habilidades de alfabetização.

O projeto abrange todas as 368 crianças do Maternal ao II Período da Educação Infantil. Na mesa do restaurante montado no pátio do CMEI, o cardápio oferece variedades como a farofa de palavras e a sopa de letras. As frutas de verdade fazem parte da atividade, onde os alunos são desafiados a ler e escrever cada nome.

“O foco é o processo da leitura, mas também trabalhamos a alimentação saudável, a música, a matemática, enfim, uma rede de aprendizados múltiplos. Pensamos em algo que fosse realmente significativo, diferente, e as crianças estão adorando”, disse a diretora Cristiane Vieira.

A atividade faz parte do Alfabetiza Teresina, uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação (Semec) para intensificar as ações de leitura e escrita nas unidades de ensino. O CMEI Chico Xavier também envolve as famílias ao enviar fichários de palavras para serem lidas em casa e socializadas em sala de aula.

“Estamos sempre envolve as famílias, premiando o bom desempenho dos alunos e encontrando formas lúdicas de incentivar a leitura em todas as turmas”, afirmou a diretora. Segundo ela, os resultados podem ser ainda melhores. “Buscamos estar entre os melhores, nossas crianças merecem, então não medimos esforços para melhorar suas habilidades”, conclui a gestora.