Diretoras de CMEIs da zona Sul estão animadas com reformas anunciados pela Semec

Mais dois Centros Municipais de Educação Infantil de Teresina receberão reparos estruturais para o retorno das aulas 100% presenciais. Nesta segunda-feira (16), o secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso, esteve com sua equipe técnica visitando os CMEIs Renatinha e Luterano, ambos na zona Sul.

O CMEI Renatinha, localizado no bairro Promorar, atende 168 crianças do Maternal ao II Período. Prestes a retomar as atividades de forma total, está recebendo os serviços de capina e poda de árvores, além de pequenos reparos. “É importante não só pela estética, mas para eliminar possíveis focos de dengue. Essa retomada precisa ser segura para toda a comunidade escolar”, afirma a vice-diretora, Jaqueline Amorim.

Em visita ao CMEI Luterano, Nouga anunciou a climatização das salas de aula e uma reforma do piso e do telhado em parceria com a igreja que tem o mesmo nome do CMEI. As duas instituições dividem o amplo espaço e serão beneficiadas com os reparos na infraestrutura. A diretora Ana das Neves conta que a reestruturação do local é um sonho da comunidade, beneficiando 120 crianças. “Ficamos muito felizes com as novidades, também porque em breve ganharemos pintura nova e um parquinho, tudo que as famílias mais querem”, revela a gestora.

Segundo o secretário, o desejo é de atender o quanto antes as necessidades dos gestores, mas há um limite de gastos e prioridades, por isso vem dialogando com os diretores pessoalmente. “Minha equipe e eu avaliamos as principais necessidades para que as aulas sejam retomadas 100% como planejamos, dentro de uma estrutura segura. Tenho anotado todos os pedidos de cada escola percorrida, reivindicações justas, nossos alunos precisam do melhor espaço escolar para que construam suas trajetórias”, conclui o secretário.

Programa Cidade Olímpica Educacional retoma aulas presenciais

Após dois anos, os alunos do Programa Cidade Olímpica Educacional, da Secretaria Municipal de Educação (Semec), retomaram as aulas presenciais. Até então, devido a pandemia de Covid-19, os estudantes estavam na modalidade remota. O retorno ocorreu no último sábado (14), no Centro de Formação Professor Odilon Nunes, zona Norte de Teresina.

Participam do programa 220 estudantes de alto rendimento do 5º ao 8º ano do Ensino Fundamental, divididos em 11 turmas. As aulas são de aprofundamento nas disciplinas de língua portuguesa, matemática, ciências, física, química, astronomia e robótica e acontecem aos sábados.

“Para este retorno presencial, a Semec disponibilizou 10 ônibus para garantir o transporte dos alunos até o Centro de Formação. São adolescentes que nunca pararam de sonhar, de lutar pelos seus objetivos. O programa contribui para o crescimento deles, faz com que o potencial seja aumentado, além de descobrir talentos e melhorar o desempenho deles nas olimpíadas do conhecimento”, garante Elinalva Barbosa, coordenadora do Programa Cidade Olímpica Educacional.

Os alunos estão se preparando para participarem da 25ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e da 16ª edição da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), além da Olimpíada Nacional de Ciências e da Olimpíada Brasileira de Química Júnior.

Para ingressarem no programa os alunos participam de uma seleção, dividida em duas etapas. A última aconteceu em dezembro do ano passado. Criado em 2012, o Programa Cidade Olímpica Educacional tem como objetivo oportunizar aos alunos com desempenho acima da média situações de aprendizagens diferenciadas, visando à preparação para participação em competições acadêmicas de alto nível e reconhecimento nacional.

 

Retomada das formações presenciais de professores da Rede Municipal é considerada tranquila e animadora

O Centro de Formação Professor Odilon Nunes, localizado no bairro Marquês, está ganhando mais vida com a retomada das formações presenciais esta semana. A Secretaria Municipal de Educação (Semec) organizou um cronograma para que os professores participem em formato de rodízio, com disciplinas e anos escolares organizados a cada dia.

Com a maioria participando de forma presencial, é possível aproveitar melhor os recursos tecnológicos disponíveis no CEFOR e retomar o contato mais próximo com os colegas. Nesta sexta-feira (08), transitaram pelos corredores os professores do 1º Período da Educação Infantil, que estiveram em momento formativo com a professora Francisca Santos. Também em sala de aula, os professores de Ciências do 6º e 8º anos trocaram experiências sobre atividades que podem ser realizadas com os alunos nos próximos dias.

“Esse é um momento muito valioso para nós, porque podemos trocar informações, receber sugestões e até incentivo. Geralmente saímos com boas soluções para os desafios. A formação continuada é extremamente importante na nossa profissão, nosso ponto de encontro. E contar com formadores que também estão em sala de aula faz toda a diferença, porque o que dialogamos juntos é baseado na realidade”, declara a professora Ana Paula Borges, da Escola Municipal José Gomes Campos.

Segundo a gerente de Formação da Semec, Hostiza Machado, a primeira semana do retorno foi tranquila e com frequência significativa, por isso o grupo está animado com o planejamento para 2022. “Passamos nas salas para conversar com os professores, falar da alegria dessa retomada, mesmo que aos poucos, e temos recebido um feedback positivo. O pessoal está com vontade de aprender, agregar mais conhecimentos. Durante essa semana tivemos os grupos de Libras, Educação Infantil, Alfabetização, Ciências, Matemática e Língua Portuguesa. Um retorno tranquilo e animador”, avalia.

Hostiza conta que o Centro de Formação receberá novidades este ano. Os professores de História começaram a participar de capacitações, inicialmente das turmas de 4º e 8º anos do Ensino Fundamental. “Em breve também teremos turmas de Geografia e até do Berçário. Já temos todo o planejamento, estamos somente aguardando liberação para que seja tudo bem organizado”, conclui a coordenadora.

Fotos: Ascom Semec

Prefeitura busca alugar imóveis para abrigar famílias alojadas em escolas

Com a volta das aulas presenciais, a Prefeitura de Teresina está buscando alternativas para remanejar as famílias que estão abrigadas nas escolas públicas municipais. Atualmente, são 768 famílias acolhidas, mas apenas 10% estão nas escolas. As demais estão no Programa Cidade Solidária, sendo atendidas pelo Aluguel Solidário ou pela Família Acolhedora.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Edmilson Ferreira, presidente do Comitê Emergencial que monitora as situações de vulnerabilidade causadas pelas chuvas, as equipes da Prefeitura estão realizando avaliações das moradias afetadas pelas inundações e enchentes. As casas que não oferecerem risco serão devolvidas às famílias e as outras serão demolidas.

“Todas as moradias abaixo da cota de inundação serão demolidas por apresentarem risco absoluto. As casas que estão acima da cota de inundação serão avaliadas para saber se há condições de receber as famílias de volta. Certamente, as casas que serão devolvidas passarão por reparos”, afirma o secretário.

O gestor acrescenta que, em paralelo, a Prefeitura procura alugar imóveis para os quais as famílias alojadas nas escolas serão remanejadas, ainda provisoriamente. “Estamos buscando imóveis, especialmente prédios. Temos menos de 70 famílias nas escolas e precisamos resolver essa situação de forma emergencial, mas sem aumentar o sofrimento dessas pessoas”, completa.

O secretário frisa que o prefeito Doutor Pessoa está empenhado em conseguir os recursos necessários para iniciar a construção de casas populares e que já foram mapeados terrenos municipais nas zonas norte e sul de Teresina para as obras.

“O certo é que todas as famílias que estão nos abrigos ou no Cidade Solidária terão suas residências. Ou voltarão para as casas em que estavam, se for seguro, ou irão para novas moradias. Porém, a construção passa por licitação e teremos que cumprir prazos legais. A Prefeitura não pode, simplesmente, mandar fazer as casas, tem que haver o processo legal da licitação, por isso é mais demorado. Mas o processo é contínuo e estamos trabalhando em cima dele. O prefeito entregará essas moradias o mais breve possível”, finaliza.

Veja abaixo um resumo de todas as estratégias da Prefeitura de Teresina para resolver, de forma emergencial, a situação das famílias afetadas pelas chuvas:

– Aluguel Solidário: A família é remanejada para um imóvel e a Prefeitura paga um aluguel de até R$ 300. Além disso, a família recebe cestas básicas, material de limpeza e higiene e é acompanhada por assistentes sociais.

– Família Solidária: A família é remanejada para a casa de parentes ou amigos e a Prefeitura paga uma ajuda de custo para o proprietário da casa. Além disso, a família vulnerável recebe cestas básicas, material de limpeza e higiene e é acompanhada por assistentes sociais.

– Abrigos: Caso a família não consiga um imóvel que se encaixe no Aluguel Solidário ou não tenha parentes e amigos que possam recebê-la, as assistentes sociais a encaminham para os abrigos. Atualmente, os abrigos funcionam em escolas públicas municipais, mas com o retorno das aulas presenciais, as famílias terão que ser remanejadas.

– Aluguel de prédios: a Prefeitura está negociando o aluguel de prédios para alojar as famílias que terão que sair dos abrigos montados nas escolas.

Veja abaixo um resumo de todas as estratégias da Prefeitura de Teresina para solucionar, de forma definitiva, a situação das famílias afetadas pelas chuvas:

– Remanejar imóveis irregulares: a Prefeitura, juntamente com a Caixa Econômica Federal, está monitorando imóveis entregues em antigos programas habitacionais. Aqueles que estiverem desocupados ou ocupados de forma irregular devem ser remanejados para as famílias afetadas pelas chuvas.

– Liberação de casas: a Prefeitura está fazendo uma avaliação de todos os imóveis que foram desocupados por causa das enchentes. Aqueles cujo problema pode ser resolvido sem deixar as famílias em risco serão devolvidos. Esses imóveis passarão pelos reparos necessários. Os demais serão demolidos.

– Construção de moradias: a Prefeitura já mapeou dois terrenos na zona norte e um terreno na zona sul onde é possível construir moradias populares para as famílias vulneráveis. Agora, o prefeito está buscando os recursos necessários e iniciará a licitação para a construção dessas casas o mais rápido possível.

Semec discute retorno das aulas 100% presenciais

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) realizou uma reunião na manhã desta sexta-feira (25), no Centro de Formação Professor Odilon Nunes, para tratar sobre o retorno das aulas 100% presenciais nas unidades de ensino da Rede de Educação de Teresina. Participaram as gerências de Administração, Manutenção e Conservação, Assistência ao Educando, Divisão de Transporte e secretarias executivas de Ensino e Gestão, além da assessoria jurídica e o secretário Nouga Cardoso.

Fotos: Ascom Semec

Na reunião foram discutidas as medidas necessárias para se trabalhar o Decreto Municipal n° 22.200, de 07 de março de 2022, que dispõe sobre a flexibilização gradual das medidas não farmacológica de contenção da Covid-19 em Teresina, dentre elas a não obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes fechados, como é o caso das escolas.

“Cada gerência foi convocada para apresentar os principais desafios a serem sanados até o momento do retorno das aulas totalmente presenciais. Baseado nisso vamos tratar das propostas futuras para este retorno”, afirma o secretário executivo de Ensino da Semec, Kleytton dos Santos.

Na próxima semana os diretores de escola serão convocados para uma reunião e a partir dessas discussões será estabelecido um cronograma de retorno das aulas 100% presencial.

“A Prefeitura de Teresina, por meio da Semec, tem a expectativa de ter em breve toda a comunidade nas escolas e para que isso ocorra todos os setores que promovem a educação devem estar bem articulados, com suas demandas atendidas. Assim, o alunado pode se sentir bem e seguro para esse retorno”, pontua o secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso.

Aulas práticas estão dinamizando aprendizado na Escola Municipal Raimundo Nonato Monteiro Santana

Desde o retorno das atividades presenciais, os alunos da Escola Municipal Raimundo Nonato Monteiro Santana, na Vila Irmã Dulce, estão vivenciando múltiplas experiências de aulas práticas. Além de tornar o conteúdo mais significativo, a prática proporciona momentos de diversão e interação entre os jovens.

Na aula de ciências, a turma do 7º ano foi para o laboratório estudar biodiversidade de organismos e classificação biológica. A professora Clarissa Lessa usou o microscópio para explicar como os seres vivos estão divididos e como funcionam as células. “No laboratório utilizamos microscópios e lâminas para que eles observassem as células dos organismos microscópicos. Foi uma aula bem legal”, disse a professora Clarissa.

E quando o assunto é arte, a professora Valdênia Carvalho planeja mil ideias para conectar os estudantes com as mais variadas experiências sensoriais. Em parceria com o professor de música, Vitalino Luz, está trabalhando ritmos com os alunos. “Eles receberam a ideia com alegria e empolgação, muitos interagindo com um instrumento musical pela primeira vez. Foi gratificante e nos motivou a continuar com a esse trabalho”, conta Valdênia.

A diretora Suzana Sara explica que as atividades são complementos das aulas teóricas. “É na prática que os alunos entendem melhor aquele conteúdo desenvolvido em sala de aula. Durante o planejamento com os professores, conversamos sobre ações nesse sentido, sempre trazer o conteúdo para a realidade, o movimento e a aplicabilidade”, declarou a gestora.

 

Prefeitura de Teresina decreta retorno das aulas presenciais

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, determinou por meio de decreto o retorno das aulas presenciais para o próximo dia 22 de fevereiro. A medida foi tomada levando em consideração as novas recomendações feitas pela Diretoria de Vigilância em Saúde do Comitê de Operações Especiais (COE).

Além da decisão do retorno das aulas presenciais, templos, igrejas, centros espíritas e terceiros estão autorizados a realizar celebrações presenciais seguindo os protocolos de distanciamento, medição prévia de temperatura, uso de máscara e disponibilização de álcool em gel.

“Nós estamos sempre atentos ao cenário da covid-19 no nosso município. Levando em consideração o avanço da vacinação em crianças, a recomendação do Ministério Público e de outras entidades em relação ao ambiente escolar, optamos por retornar com as aulas presenciais para os alunos da rede municipal. Claro, é um retorno responsável, aderindo a todas as medidas de segurança para proteger as crianças de Teresina”, destacou Dr. Pessoa.

Confira o decreto:

Decreto N° 22.150, de 18 de fevereiro de 2022.

Cmei retorna com aulas presenciais para maternal II

Empolgados para reencontrar os amiguinhos depois de um ano e seis meses, as crianças do Centro Municipal de Ensino Infantil – Cmei Thereza Christina emocionaram os pais, professoras, servidores e direção do centro. “É com muita alegria que a gente retorna às aulas presenciais. Estou emocionada. Aqui minha filha recebe toda atenção e carinho. Estávamos ansiosos por este retorno”, afirma a mãe da pequena Valentina, do maternal II, Adélia Barros.

Fotos: Ascom Semec

As crianças foram recepcionadas com brincadeiras, músicas e aplausos das professoras. Todas passaram por um equipamento que mede a temperatura e dispensa álcool, garantindo os protocolos sanitários.

“Antes de iniciarmos o retorno das aulas presenciais, apresentamos ao secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso e equipe técnica, todos os cuidados que temos com nossas crianças. Para ter acesso as salas de aulas, professoras e servidores utilizam um calçado apropriado ou entram com os pés descalços. Além disso, medimos a temperatura constantemente e utilizamos álcool para as mãos e limpeza das mesas e cadeiras”, ressalta a diretora, professora Raimunda Soares, a tia Ray. Segunda ela, mesmo as crianças sendo bem pequenas, elas entendem que não podem abraçar os amiguinhos.

O Cmei atende no período integral, com oferta de lanches e almoço e cuidados especiais. “Falar sobre este retorno é algo emocionante. Não tenho palavras que transmitam minha emoção em trazer o nosso filho Alan Felipe, maternal II, para as aulas presenciais. Hoje é um dia muito feliz e vejo a alegria estampada no rosto do meu filho e de seus amiguinhos. Aqui é um lugar seguro e administrado por pessoas maravilhosas que nos transmitem segurança. O Cmei Thereza Christina está de parabéns com todos os protocolos e segurança contra a Covid-19”, enfatiza a mãe Damira Gomes.

“Realmente, é uma emoção andar pelas escolas e centro infantis e ver a alegria das crianças no retorno às aulas presenciais. Em cada unidade que visitamos temos a certeza do compromisso dos professores, dos pais de alunos e dos próprios estudantes que sabem da importância de seguir os protocolos e segurança. Aqui no Cmei Thereza Christina estou vendo o compromisso de todos”, disse o secretário Nouga Cardoso.

A Semec teve o cuidado de orientar as escolas sobre os procedimentos que devem ter com o retorno das aulas presenciais. “Cada escola adota seu protocolo de segurança sanitária, conforme as orientacões. Além disso, estão retornando os alunos que receberam autorização dos pais e/ou responsáveis que assinam um termo de autorização. Este retorno está sendo de forma gradativa e com todos os professores imunizados com as duas doses da vacina Covid-19. As visitas que estamos realizando é justamente, para analisar o retorno e ver alguma necessidade na estrutura de cada unidade”, acrescenta o secretário executivo de ensino, professor Kleytton dos Santos.

Escolas da Rede Municipal começam a retornar no formato híbrido

O Aniversário de Teresina este ano foi marcado pelo retorno das aguardadas aulas presenciais na Rede Municipal de Ensino. Porém, ainda no formato híbrido, com poucos alunos em sala de aula e uma nova rotina para evitar a disseminação do coronavírus. Para um retorno gradual, nesta segunda-feira (16), apenas quatro escolas municipais deram início às atividades no novo formato, e somente com turmas do 9º ano do Ensino Fundamental.

O secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso, esteve no início da manhã na Escola Municipal José Gomes Campos, zona Norte, recepcionando os alunos. Nouga conferiu os protocolos de segurança, definido por cada unidade escolar e conversou com os estudantes sobre a importância do retorno presencial. “Esse momento foi bastante planejado, vamos em busca de minimizar os impactos causados pela pandemia, mas com segurança em primeiro lugar. Cada escola tem seu planejamento e o retorno está sendo de forma tranquila. A cada dia, mais escolas retornarão”, comentou.

Inicialmente, a unidade de ensino vai receber 36 alunos do 9º ano, divididos em dois grupos. Segundo a diretora Patrícia Leal, a equipe estava preparada desde janeiro e vem reforçando as medidas sanitárias. “Sempre conversamos sobre a melhor forma de retornar, então os professores se engajaram e trabalhamos juntos em um planejamento para que tudo seja feito gradativamente. Nesse primeiro momento, por exemplo, não teremos nenhum tipo de atividade que possa gerar aglomeração. O distanciamento é a principal regra”, explica a gestora.

 

Também voltaram de forma híbrida as escolas municipais Professor Olímpio Castro de Oliveira, no Vale do Gavião; Simões Filho, no Cristo Rei; e Conselheiro Saraiva, zona Rural. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Semec), todas as unidades de ensino estão sendo equipadas com o material de segurança aprovado pela Vigilância Sanitária. O retorno presencial acontecerá com base em um cronograma e os pais podem visitar as escolas para garantir se estão respeitando as medidas.

Na Escola Municipal Olímpio Castro, o secretário executivo de Ensino Kleytton dos Santos passou nas três salas de aula que voltaram à ativa para conversar com os alunos. O primeiro dia contou com 20, dos 119 matriculados nas turmas de 9º ano. Os demais permanecem participando das atividades remotas. “Esse é um momento de muita cautela, mas muito aguardado pelos alunos, porque nada substitui a sala de aula, a presença do professor”, pontuou Kleytton.

O diretor Igor Rafael e a diretora adjunta Morgana Leal acompanharam passo a passo dos alunos no primeiro dia de retorno. As mudanças vão desde a higienização das mãos a cada atividade, passando pelo distanciamento entre as carteiras, até o uso de garrafinhas de água individuais. “A equipe foi treinada para acompanhar cada passo dos alunos, assegurando que os protocolos sejam seguidos e tudo seja realizado com responsabilidade”, disse o diretor.

Gestores das unidades de ensino contribuem com o plano de retorno às aulas presenciais na Rede Municipal

Para construir um plano seguro de retomada das aulas presenciais, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) está dedicada a discussões com grupos diversos, ouvindo sugestões para a reestruturação do plano. Nesta quinta-feira (22), a equipe técnica convidou 15 diretores de escolas da Educação Infantil ao Ensino Fundamental para contribuir com o plano de ação.

O grupo focal é composto por diretores de unidades de ensino com realidades diferentes, tanto da zona urbana quanto rural. Eles conheceram as diretrizes já pensadas pela Secretaria, que trata sobre uma retomada gradual no formato híbrido, e colocaram suas impressões com base na realidade de suas escolas. Também participaram da reunião membros do Conselho Municipal de Educação de Teresina, que acompanha de perto as discussões sobre o assunto.

“As considerações feitas pelos gestores serão importantes na conclusão do documento que norteará as unidades de ensino sobre os protocolos de retomada”, destacou o secretário executivo de Ensino, Kleytton Halley dos Santos.

De acordo com a Semec, 98% dos trabalhadores da educação já tomaram a primeira dose da vacina na capital. A proposta da Prefeitura de Teresina é iniciar o semestre, dia 04 de agosto, ainda no formato remoto, mas começar uma retomada gradual a partir da segunda semana do mês de agosto, inicialmente com as turmas de 1º, 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, também a Educação de Jovens e Adultos. Todas as escolas deverão retornar as atividades com parte dos alunos assistindo aulas presencialmente e os demais no formato online.

Entre as principais medidas estão o distanciamento entre alunos e professores, uso obrigatório de máscara e a restrição de atividades que possam gerar aglomeração.