Semec e diretores planejam retorno às aulas no dia 1° de março

Capacitação de professores da Prefeitura de Teresina / Fotos : Ascom Semec

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) encerra nesta segunda-feira (15), as reuniões com os diretores de escolas, para apresentação das diretrizes adotadas para o retorno às aulas na Rede Municipal de Teresina. Os gestores participaram das discussões divididos por zona de atuação, contemplando todas as 317 unidades de ensino.

A secretária executiva de Ensino, professora Valtéria Alvarenga, apresentou o planejamento construído pela equipe da Semec e aprovado por diversos órgãos ligados à segurança sanitária. O Centro de Operações Emergenciais (COE) e o Conselho Municipal de Educação estão entre as entidades que deram parecer favorável para a retomada no formato híbrido.

A Semec retorna com às aulas no próximo dia 1° de março, no formato hibrido para os alunos do 2°, 5° e 9° ano, alternando entre aulas presenciais e remotas Os demais alunos continuarão com as aulas remotas. “O retorno às aulas foi decido com a participação de várias autoridades. A secretária procurou ouvir representantes de vários setores, principalmente, profissionais que lidam com vidas, dentre eles, médicos infectologistas. Estamos tomando todos os cuidados recomendados pela Vigilância Sanitária. Além disso, a formação que estamos concluindo hoje, teve como um de suas pautas, a discussão sobre o protocolo a ser seguido”, ressaltou o secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso.

O secretário disse aos diretores que toda a Semec está compromissada em retornar com muita responsabilidade. “Vivemos momentos bem difíceis, onde cada um de nós tem o compromisso de lutar por sua vida e pela do seu próximo. A cada dia temos um novo desafio e uma nova conquista a ser alcançada. A saúde de nossas crianças depende de todos, de forma integrada. Estamos sempre abertos para o diálogo, por que assim, alcançamos um melhor desempenho de nossas funções. Temos o compromisso de buscar sempre o melhor”, enfatiza Nouga.

Secretário Nouga Cardoso e a secretária executiva de Ensino, professora Valtéria Alvarenga

A professora Valtéria Alvarenga apresentou aos gestores o calendário escolar para o ano de 2021, com o cumprimento dos 200 dias letivos e 800 horas para as Unidades de Ensino de tempo parcial, e 1.400 horas, para as escolas de tempo integral.

Professores em capacitação para a volta as aulas

 

Alunos em alfabetização na Rede Municipal de Teresina assistem aulas de reforço na TV

Alunos do ciclo de alfabetização das escolas da Prefeitura Municipal de Teresina estão recebendo aulas de reforço no regime de atividades não presenciais. A programação é do Alfa e Beto na TV, que oferece apoio aos alunos do II Período da Educação Infantil e 1º e 2º ano do Ensino Fundamental, que ainda estão na condição de “não leitores”. A transmissão acontece diariamente através da Rede Vida Educação.

Na Educação Infantil, cerca de 2 mil alunos de 178 unidades de ensino participam das atividades. Nas turmas do Ensino Fundamental, 305 alunos, de 28 escolas, assistem às aulas com acompanhamento direto dos Assistentes de Alfabetização do município. Todos os dias, os assistentes motivam as crianças para que participem ativamente das ações no contraturno escolar. O objetivo é oferecer mais uma oportunidade aos alunos que não conseguiram desenvolver as habilidades básicas de leitura e escrita.

“O reforço na alfabetização não é novidade em Teresina, mas pela primeira vez temos essa ação acontecendo totalmente de forma virtual”, conta a coordenadora de Alfabetização da Secretaria Municipal de Educação (Semec), Carmem Portela. Segundo ela, já é uma prática na Rede Municipal de Teresina oferecer atendimento aos alunos por meio de intervenções individualizadas, realizadas pelo Assistente de Alfabetização, com o propósito de reforçar o trabalho pedagógico nas dificuldades vivenciadas pelos alunos. “Isso acontecia no ensino presencial e não poderia ser negligenciado no ensino remoto”, completa Carmem.

As aulas tiveram início em outubro e seguem até o fim do ano letivo, em fevereiro. A programação inclui vídeos didáticos, jogos e atividades que motivam a participação dos alunos. Os mais desmotivados são chamados individualmente pelos Assistentes de Alfabetização e estimulados a continuar tentando.

Novo projeto do Lagoas do Norte vai oferecer aulas de circo e teatro para crianças e adolescentes

O Programa Lagoas do Norte, desenvolvido pela Prefeitura de Teresina, iniciou licitação para implementar o projeto Circo Social, que tem como objetivo oferecer aulas de circo, teatro e dança para crianças e adolescentes da região, principalmente aquelas que integram famílias beneficiadas diretamente pelo programa. O processo licitatório é necessário para contratação de empresa especializada.

“O projeto Circo Social de Teresina foi pensado como uma alternativa de fortalecimento das ações de prevenção da violência, estimulando as habilidades de crianças, adolescentes e jovens que estejam passando por situações de risco na escola, na comunidade e no contexto familiar. Trata-se de um belo projeto, que vai levar cultura e o ensino de arte a esse público que precisa de mais oportunidades”, destaca Márcia Muniz, diretora geral do Programa Lagoas do Norte.

Ela explica que a proposta é abrir, inicialmente, 250 vagas para cursos de circo, dança e teatro com carga horária de 20 horas semanais. Cada aluno poderá escolher duas modalidades a serem desenvolvidas no período de um ano.  A iniciativa está sendo articulada diretamente através de parceria com a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas.

A inovação na proposta do projeto é a integração da modalidade Circo Escola, que oferece cursos para quem deseja ter formação como técnico de iluminação, técnico de som para espetáculos e shows, além de gestão cultural.

Márcia ressalta que a iniciativa faz parte de uma das áreas de atuação do Programa Lagoas do Norte, que também tem forte presença com ações para desenvolvimento econômico e social da região. “Temos, por exemplo, diversas ações referentes à segurança pública e de gênero. Entre elas, destacam-se algumas já realizadas, como a elaboração e implantação do Plano Municipal de prevenção da Violência e a revisão e implementação do Plano Municipal de Políticas para Mulheres”, explica Márcia Muniz.

Strans libera passes estudantis para alunos que comprovarem retorno das aulas presenciais

Após a liberação de parte das atividades educacionais pelo Governo do Estado, a Prefeitura de Teresina vai determinar que os passes estudantis sejam liberados para os alunos que comprovarem retorno das aulas presenciais, por meio de declaração da instituição de ensino. O processo de desbloqueio se dará mediante o retorno das instituições e deverá ser disponibilizado nos postos do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

“O transporte público de Teresina vem se adequando as flexibilizações, por isso, os estudantes com atividades presenciais comprovadamente retomadas poderão solicitar o desbloqueio do passe. As medidas de segurança dentro dos ônibus seguirão sendo feitas e pedimos a colaboração dos estudantes para que também sigam as recomendações”, enfatiza Weldon Alves, gestor da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans).

O monitoramento diário da quantidade de passageiros, por meio da bilhetagem eletrônica, continuará sendo feito pela Strans, que irá determinar adequações na frota conforme o aumento de usuários. Até o momento, seguem as recomendações do decreto 20.027, que determina a circulação somente de passageiros sentados e aumento das viagens em até 40% nos horários de pico.

As atividades educacionais liberadas a partir desta terça-feira (22), correspondem ao terceiro ano e turmas preparatórias para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); oitavo período em diante no ensino superior somente para atividades complementares e atividades práticas educacionais de saúde; cursos de formação na área de segurança pública para aprovados em concursos públicos, assim como treinamentos para profissionais da área. A liberação se dará mediante apresentação do Plano de Segurança Sanitária e Contenção da COVID-19 pelas instituições.

Aulas da rede municipal ainda não têm previsão de retorno

Mesmo com a volta às aulas autorizadas pelo Governo do Estado para alunos do Ensino Médio, a rede municipal de ensino ainda não tem data fechada para o retorno das suas atividades. De acordo com o prefeito de Teresina, Firmino Filho, há várias questões sendo analisadas e o momento ainda não é considerado seguro para a retomada das aulas presenciais.

“Estamos observando a evolução do quadro do retorno da educação em outras cidades para que possamos nos posicionar. Existe ainda muita insegurança em relação à doença. Temos 92 mil alunos no ensino infantil e fundamental, e uma mudança brusca dessa deve ser tomada com muito cuidado, porque coloca em risco a meninada, professores e gestores da educação da nossa cidade”, destaca.

O prefeito declarou ainda que os protocolos de segurança nas escolas estão sendo feitos, juntamente com algumas adequações físicas destes espaços. “As escolas estão sendo preparadas e estamos providenciando a observância dos protocolos e processo de pesquisa sorológica junto aos alunos, para ver em que situação está a doença entre aqueles que fazem a nossa educação”, acrescentou.

Com relação as escolas particulares, o prefeito considera que elas podem retornar suas atividades, se eventualmente os pais concordarem com esse retorno. O Governo do Piauí autorizou retorno de aulas presenciais para alunos do 3º ano do Ensino Médio, Pré-Enem e estágios na área da saúde no estado. A medida vale tanto para a rede pública quanto privada de ensino.

FWF abre inscrições para oficinas profissionalizantes

Estão abertas a partir desta segunda-feira (21) as inscrições para 13 oficinas profissionalizantes do projeto “Profissionalizar Teresina”, da Fundação Wall Ferraz (FWF). O objetivo é capacitar jovens e adultos para que ingressem no mercado de trabalho formal e informal.

De acordo com Heline Silva, superintendente executiva da FWF, estão sendo ofertadas 455 vagas para oficinas nas áreas de gestão, atendimento, artesanato e mídias digitais. “Por conta da pandemia as aulas acontecerão de forma remota, através da plataforma Google Meet. São 35 vagas por oficina, com carga horária que varia entre 16 e 50 horas/aulas, sendo realizadas de setembro a dezembro deste ano, algumas com início agora em setembro e outras em outubro, nos turnos manhã, tarde e noite”, explica a gestora.

Os interessados devem ter idade mínima de 16 anos e nível de escolaridade compatível com a especificidade de cada curso. As inscrições devem ser realizadas através do preenchimento de formulário online disponibilizado no site da Fundação Wall Ferraz. “As inscrições acontecem até esta sexta-feira (25) ou até o preenchimento total das vagas em cada oficina”, afirma Heline.

Projeto Dançando na Praça retorna nesta terça-feira (08) com duas turmas

As atividades do Projeto Dançando na Praça serão retomadas nesta terça-feira (08), no Complexo Esportivo Parentão, zona sul de Teresina. Para evitar aglomerações, as aulas serão divididas em duas turmas: a primeira é das 18h às 19h e a segunda, das 19h às 20h. A iniciativa, desenvolvida pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel), busca levar até a população ações de lazer através da dança, promovendo saúde e qualidade de vida para quem participa.

O projeto retorna seguindo todas as recomendações e protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias para o combate à disseminação da Covid-19, como o uso obrigatório de máscaras e higienização das mãos. “Também teremos demarcações no local indicando o distanciamento entre as pessoas, e as equipes da Semel estarão presentes para orientar e organizar os participantes. Faremos ainda a medição de temperatura de todos os alunos antes da aula”, ressalta Mateus Chaves, coordenador do Dançando na Praça.

Mateus explica ainda que os professores foram capacitados para que possam ministrar aulas respeitando o espaço individual de cada aluno, de forma que o distanciamento não seja violado. “Os instrutores também vão focar em atividades simples que possam ser feitas com a máscara, sem prejudicar a resistência física dos alunos”.

Esta semana, extraordinariamente, as aulas do Dançando na Praça acontecem na terça, quinta e sexta-feira. “Nossas atividades na verdade vão acontecer toda segunda, quarta e sexta, mas por causa do feriado que caiu na segunda-feira dia 7, resolvemos mudar os dias das aulas esta semana. Manteremos um retorno gradual, com apenas três dias na semana por enquanto”, comenta.

Antes da pandemia do novo coronavírus, o projeto era executado em vários bairros da cidade, mas no momento o retorno acontecerá apenas no Lourival Parente. “Nessa primeira fase retomaremos as atividades apenas no Parentão. Posteriormente, nossa segunda fase levará o projeto aos parques ambientais de Teresina e por fim, na terceira fase, voltaremos a todos os bairros. Mas não há data definida para essas ações, por enquanto vamos apenas monitorar o retorno gradual e a partir daí decidimos os próximos passos”, destaca Mateus.

Por meio do Projeto Dançando na Praça são ofertadas, de forma gratuita, aulas de aeróbica, ginástica e dança para toda a população de Teresina. O objetivo é sensibilizar as comunidades sobre a importância da atividade física para a saúde e bem-estar, além de proporcionar lazer e maior interação entre as pessoas.

Elementos cotidianos de casa ajudam no aprendizado com as aulas à distância

Surpreender com aulas criativas é uma das principais estratégias utilizadas pelos professores das escolas da Prefeitura de Teresina para manterem os alunos focados na aprendizagem, especialmente quando não estão fisicamente em sala de aula. Após dois meses do regime de atividades não presenciais na Rede Municipal de Ensino, todas as tarefas passaram a ser o famoso “para casa” e os alunos encontram formas de utilizar esse ambiente como laboratório.

Um exemplo são os alunos do 7º ano da Escola Municipal Parque Itararé, que foram desafiados pela professora de história, Maria Eunice, a montarem uma espécie de feirinha em casa. A ideia era praticar o conteúdo aprendido sobre as feiras medievais, que marcaram a história econômica e cultural de diversos povos.

“Essa atividade oferece aos alunos a possibilidade de aprender história de forma instigante e dinâmica. Mesmo à distância, podemos criar aulas diferentes, que tornem o aprendizado significativo”, disse a professora.

Após estudar o conteúdo e realizar pesquisas, cada aluno buscou em casa produtos que poderiam ser utilizados na simulação da feira. Até os pais viraram clientes. Os vídeos compartilhados entre a turma rendeu muitos elogios da professora. “Brincaram com a imaginação, usando elementos cotidianos, como produtos de beleza, potes descartáveis, alimentos e plantas, entre outros. Foi diversão e aprendizado sem sair de casa”, destacou.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Semec), mais de 90 mil alunos estão acompanhando diariamente a programação de aulas não presenciais. Para alunos do Ensino Fundamental, as atividades são transmitidas pela TV e ficam disponíveis na plataforma online hospedada no site da Secretaria, além de grupos de WhatsApp e material impresso para os alunos que não possuem acesso à internet. Na Educação Infantil as tarefas são impressas e entregues aos pais. Todas as atividades estão sendo registradas pelas escolas para serem contabilizadas no calendário escolar deste ano.

 

PMT vai aplicar mais de 100 mil testes de Covid-19 em alunos e professores

A Prefeitura de Teresina está adquirindo 110 mil testes de diagnósticos de Covid-19 para aplicar em todos os alunos, professores e funcionários da rede municipal de ensino antes da retomada das aulas. A ação faz parte de uma série de medidas que estão sendo adotadas pelo município, que ainda não fixou data para a abertura das escolas. O objetivo é garantir segurança de todos os envolvidos nesse processo.

Na prática, os alunos deverão seguir medidas como distanciamento mínimo de 2 metros durante toda a rotina escolar, inclusive na sala de aula. Em sistema de rodízio, apenas 30% da turma vai assistir aula presencial, com máscaras de proteção e sem atividades em grupo. A Secretaria Municipal da Educação (Semec) também vai utilizar um aplicativo de celular para dar suporte ao acompanhamento diário sobre a condição de saúde dos profissionais e dos alunos.

As unidades de ensino passarão por sanitizações frequentes e serão equipadas com álcool 70% e lavatórios de mãos na entrada, além de termômetros para medição da temperatura. Quadras esportivas, playground e aulas passeio continuam proibidos, enquanto serão estimuladas práticas ao ar livre, e com menor quantidade de crianças.

Segundo Kátia Dantas, secretária municipal de Educação, os estudantes do Ensino Fundamental devem ser os primeiros a retornar. “Voltaremos apenas no momento certo, quando as autoridades de saúde autorizarem e quando for prudente para garantir mais proteção aos nossos alunos. Estamos em fase de conclusão do planejamento. A ideia é voltar aos poucos, mantendo também as aulas não presenciais. Sabemos a opinião dos pais, professores, diretores e pedagogos, alinhamos com as medidas restritivas e logo iniciaremos a preparação das escolas”, afirma.

O planejamento para a retomada das atividades escolares foi elaborado por um comitê com representantes de todos os setores da Secretaria Municipal de Educação, além do Conselho Municipal de Educação e da Fundação Municipal de Saúde.