Teresina registrou o pior índice de isolamento social nesta sexta-feira (12)


A capital registrou nesta sexta-feira (12) apenas 39,3% de índice de isolamento social. A marca é a pior desde o início do levantamento feito pela Prefeitura de Teresina, a partir de março, para avaliar o cumprimento das medidas que pretendem diminuir a disseminação do casos de Covid-19 na cidade.

Segundo dados do Boletim Epidemiológico da Fundação Municipal de Saúde, Teresina já conta com 4227 casos da doença, com 186 mortes. O isolamento social continua sendo uma forma de evitar a contaminação da doença.

O levantamento feito pela Startup InLoco, com base no monitoramento de celulares na capital, aponta que entre as regiões da cidade, o maior descumprimento das medidas de isolamento social foi registrado nos bairros da zona sudeste, ficando em 38,8%. O bairro Itararé, localizado na região, já contabiliza o maior número de casos da doença, sendo 143 pessoas infectadas. Já em uma comparação geral entre os bairros, o Parque Juliana e Santa Rosa, marcaram os piores índices, com apenas 20,70 % e 29,90 % de teresinenses em casa, respectivamente. Os dados levantados pelas operadoras de telefonia ABRTelecom apontaram um  índice de  51,44%.

O prefeito de Teresina Firmino Filho relembra que o isolamento social é uma das principais formas de salvar mais vidas na luta contra o coronavírus. “ Sabemos que todos querem voltar para as suas atividades, visitar um amigo ou familiar, passear e sentir-se mais livre. Este também é o nosso desejo! Mas, ainda não é a hora. Ficar em casa, manter o distanciamento e isolamento social é um ato de responsabilidade coletiva para preservarmos vidas em nossa cidade”, reforça.

Média de isolamento aumenta 1% em Teresina mas ainda é muito abaixo da ideal

No período de 19 a 25 de abril, a média de isolamento social em Teresina aumentou 1%, registando que apenas 53,43% dos teresinenses ficaram em casa durante esta semana. O índice ainda está muito abaixo da taxa de 73% recomendada pelos órgãos de saúde.

Na semana passada, a média do isolamento social ficou em 52,43%. Neste sábado, 25, o índice foi de 51%. O levantamento é feito pela Prefeitura, através da startup recifense InLoco. Os números são observados diariamente através de um sistema de georreferenciamento que atua monitorando a localização de 217 mil celulares na cidade.

A empresa também utiliza ferramentas de marketing para enviar alertas para aparelhos das pessoas que moram nas regiões que mais vêm descumprindo o isolamento social.

Na sexta-feira (24), a capital confirmou a oitava morte e recorde diário por COVID-19. Teresina contabiliza 223 casos confirmados da doença em 62 bairros da cidade e oito óbitos. A Prefeitura, há cerca de um mês, vem implantando medidas para que as pessoas possam ficar em casa.

O prefeito Firmino Filho reforça que o isolamento social é a forma mais eficaz de conter o avanço do novo coronavírus. “O momento requer cautela. É sempre bom lembrarmos que estamos lutando contra um inimigo invisível. Infelizmente, ainda não temos remédio, nem vacina e nossa forma de combater o vírus é evitar aglomerações. Por isso, vamos ficar em casa”, pediu.

Levantamento indica baixo risco de infestação do Aedes aegypti em Teresina

Teresina está em baixo risco para uma epidemia de dengue, zika ou chikungunya. É o que diz o quarto e último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti divulgado hoje (10) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

A pesquisa, realizada entre os dias 30 de setembro e 04 de outubro, registrou um Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – de 0,2% na capital. “O resultado servirá de base para que o Ministério da Saúde faça uma análise e divulgue quais cidades estão em situação de risco para uma eventual epidemia de dengue, zika e chikungunya”, explica a gerente de Zoonoses da FMS, Oriana Bezerra.

Para Oriana Bezerra, a boa classificação ratifica o trabalho intenso que a FMS tem realizado no combate ao Aedes aegypti. “Ela é fruto do trabalho de rotina dos agentes de endemias, bem como das ações de intensificação que são realizadas durante todo o ano, como a Faxina nos Bairros”, diz a gerente, referindo-se à atividade semanal de limpeza e educação que a Prefeitura de Teresina promove em diferentes zonas da cidade.

A gerente de Zoonoses chama atenção para que a população não deixe de tomar os cuidados básicos de combate ao mosquito, mantendo assim os bons índices. “Não podemos, de forma alguma, deixar de lembrar a importância da manutenção de nossos ambientes, sejam de trabalho, de lazer ou então residencial e espaços públicos, para que não tenham potenciais criadouros ou os próprios criadouros do Aedes. Temos que manter essa vigilância com objetivo de iniciarmos 2020 sem problemas nos nossos ambientes”, finaliza a gerente.