Mais de 8,6 mil pessoas já se cadastraram para transitar pelas barreiras sanitárias

A Prefeitura de Teresina já registrou cadastro de mais de 8.650 pessoas que solicitaram autorização para transitarem pelas barreiras sanitárias montadas entre as cidades de Teresina e Timon durante a quarentena. O cadastro, que pode ser feito pela internet, é uma forma que a PMT encontrou para agilizar o fluxo de veículos.

As barreiras sanitárias, localizadas nas três pontes que unem as cidades de Teresina e Timon, são compostas por profissionais de saúde, trânsito e segurança. Elas têm o intuito de monitorar o tráfego e orientar as pessoas que estejam apresentando algum sintoma do novo coronavírus.

Segundo o coronel John Feitosa, comandante da Guarda Civil Municipal, neste final de semana prolongado por conta do feriado de Nossa Senhora da Conceição, que foi antecipado pela Prefeitura, o decreto do Governo do Estado que estabelece mais rigor nas entradas e saídas da cidade estará valendo. Por conta disso, a Prefeitura de Timon já informou que a Ponte Metálica será fechada, só reabrindo na madrugada da próxima segunda-feira (25). “Nesse período, a partir de 24h desta quinta, a Ponte estará fechada nos dois sentidos. As pessoas só terão acesso pelas pontes José Sarney e ponte Nova”, explica.

As barreiras sanitárias entre Teresina e Timon funcionam 24h. Com as adequações estabelecidas nesta semana, o trânsito tem tido mais fluidez. Todas as pessoas que pretendam ingressar no município de Teresina deverão apresentar documentos de identificação pessoal, documento de habilitação do condutor e comprovante de endereço residencial, assim como documentos referentes ao veículo, como Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo.

Além disso, é necessária a comprovação da necessidade de trafegar entre os dois municípios, seja por motivos de saúde, trabalho, ou qualquer outro. Está permitido o tráfego para servidores e empregados públicos, trabalhadores de empresas privadas, funcionários que atuem em serviços essenciais que morem no Maranhão e trabalhem em Teresina. Alguns casos de atendimentos de saúde também serão permitidos, além de outros casos especificados no decreto.

As pessoas que se enquadrem nos critérios do decreto e que necessitem de acesso frequente ao município de Teresina, poderão se cadastrar em site público (http://barreiracovid19.fms.pmt.pi.gov.br) para obter documento digital comprobatório a ser apresentado sempre que passar no controle das barreiras.

 

Barreiras sanitárias terão ampliação de equipes para agilizar trânsito

Os órgãos que atuam nas três barreiras sanitárias nas pontes que ligam Teresina e Timon definiram reforço nas equipes de trabalho com o intuito de dinamizar a fiscalização. As definições ocorreram em reunião entre representantes da Semcaspi – Secretaria Municipal da Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Vigilância Sanitária, Strans, Guarda Municipal e Fundação Municipal de Saúde. As equipes fizeram as primeiras avaliações do trabalho.

A instalação das barreiras sanitárias entre as duas cidades foi uma medida tomada pelo poder público como forma de conter a disseminação do novo coronavírus na capital. No Estado vizinho já são 14.198 casos confirmados da doença, com 604 óbitos, segundo boletim do Ministério da Saúde.

O Secretário Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, explicou que o encontro buscou avaliar a participação de cada órgão nas barreiras ocorridas nos últimos dias e a intensificação dos trabalhos das equipes para que todos os veículos sejam fiscalizados, independente do congestionamento que possa ocorrer. “Definimos que todos os órgãos vão dobrar os seus efetivos para que as fiscalizações ocorram na sua totalidade e também maior agilidade”, disse o secretário.

Pelo novo decreto, todas as pessoas que pretendam ingressar no município de Teresina, a partir de agora, deverão apresentar, perante as autoridades de fiscalização presentes nas barreiras sanitárias, documentos de identificação pessoal, documento de habilitação do condutor e comprovante de endereço residencial, assim como documentos referentes ao veículo, como Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo. Além disso, é necessária a comprovação da necessidade de trafegar entre os dois municípios, seja por motivos de saúde, trabalho, ou qualquer outro. Está permitido o tráfego para servidores e empregados públicos, trabalhadores de empresas privadas, funcionários que atuem em serviços essenciais que morem no Maranhão e trabalhem em Teresina. Alguns casos de atendimentos de saúde também serão permitidos, além de outros casos especificados no decreto.

As pessoas que se enquadrem nos critérios do decreto e que necessitem de acesso frequente ao município de Teresina, poderão se cadastrar em site público (http://barreiracovid19.fms.pmt.pi.gov.br) para obter documento digital comprobatório a ser apresentado sempre que passar no controle das barreiras.

As barreiras sanitárias estão montadas nas proximidades das três pontes que ligam Teresina a Timon desde o mês passado. Elas são necessárias para controlar a entrada de pessoas em Teresina e monitorar o estado de saúde delas. Desde o início, está sendo medida a temperatura corporal de quem trafega entre as duas cidades.

Equipes de saúde monitoram pessoas que pretendem entrar em Teresina

Equipes da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina estão atuando nas barreiras sanitárias montadas nas pontes que ligam Teresina ao município de Timon (MA). Elas fazem o monitoramento das pessoas com sintomas relativos à Covid-19 e orientam os pacientes a procurarem atendimento no sistema de saúde do seu Estado de origem, a fim de serem inseridos na Regulação do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Os enfermeiros e técnicos de enfermagem que estão atuando nas barreiras avaliam as pessoas que estão vindo do Estado do Maranhão e de outros locais. A temperatura é aferida e são verificados outros possíveis sintomas que essas pessoas estejam apresentando. A orientam para que retornem ao seu município de origem e procurem atendimento no SUS, a fim de entrarem no sistema, por regulação, que é a forma adequada. Aproveitamos também o momento da abordagem da população para orientar sobre como prevenir a Covid-19, utilização correta da máscara, higienização das mãos e sair de casa somente quando for necessário”, explica Emanuele Dias, da Gerência de Atenção Básica da FMS.

A abordagem obedece ao Decreto nº 19.760, assinado nesta segunda-feira (18) pelo prefeito Firmino Filho, que endurece a fiscalização nas barreiras entre Teresina e Timon. Essa é mais uma medida para tentar diminuir a disseminação do novo Coronavírus na capital.

De acordo com o decreto, está permitido o tráfego para servidores e empregados públicos, trabalhadores de empresas privadas, funcionários que atuem em serviços essenciais que morem no Maranhão e trabalhem em Teresina. Alguns casos de atendimentos de saúde também serão permitidos, além de outros casos especificados no decreto.

“Nós orientamos as pessoas que precisam se deslocar de Timon para que se cadastrem no site público, a fim de obter documento digital comprobatório a ser apresentado sempre que passar pelo controle das barreiras. Orientamos também que as pessoas que irão fazer tratamento de saúde em Teresina precisam estar reguladas via Sistema SUS para poderem passar pela barreira. Aqueles que não estiverem regulados precisam procurar uma unidade de saúde na cidade onde moram para atendimento”, enfatiza o comandante da Guarda Municipal de Teresina, coronel John Feitosa.

As pessoas que se enquadrem nos critérios do decreto e que necessitem de acesso frequente ao município de Teresina, poderão se cadastrar em site público (http://barreiracovid19.fms.pmt.pi.gov.br) para obter documento digital comprobatório a ser apresentado sempre que passarem pelo controle nas barreiras.

Decreto endurece fiscalização nas barreiras entre Teresina e Timon e prevê punições

Um novo decreto assinado pelo prefeito de Teresina, Firmino Filho, nesta segunda-feira, endurece a fiscalização nas barreiras sanitárias montadas nas pontes que ligam Teresina ao município de Timon (MA). Além disso, o documento prevê punições para quem desrespeitar o decreto, como pagamento de multas e apreensão de veículos. Essa é mais uma medida para tentar diminuir a disseminação do novo coronavírus na capital.

Pelo novo decreto, todas as pessoas que pretendam ingressar no município de Teresina, a partir de agora, deverão apresentar, perante as autoridades de fiscalização presentes nas barreiras sanitárias, documentos de identificação pessoal, documento de habilitação do condutor e comprovante de endereço residencial, assim como documentos referentes ao veículo, como Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo. Além disso, é necessária a comprovação da necessidade de trafegar entre os dois municípios, seja por motivos de saúde, trabalho, ou qualquer outro.

Está permitido o tráfego para servidores e empregados públicos, trabalhadores de empresas privadas, funcionários que atuem em serviços essenciais que morem no Maranhão e trabalhem em Teresina. Alguns casos de atendimentos de saúde também serão permitidos, além de outros casos especificados no decreto.

As pessoas que se enquadrem nos critérios do decreto e que necessitem de acesso frequente ao município de Teresina, poderão se cadastrar em site público (http://barreiracovid19.fms.pmt.pi.gov.br) para obter documento digital comprobatório a ser apresentado sempre que passar  no controle das barreiras.

Em relação ao deslocamento de pessoas com sintomas relativos à Covid-19, os pacientes deverão ser orientados a procurar atendimento no sistema de saúde do Estado do Maranhão, a fim de serem inseridos na Regulação do Sistema Único de Saúde, no município de Teresina.

Os veículos flagrados trafegando em Teresina, em desacordo com o estabelecido no decreto, estarão sujeitos a multa no valor de R$ 195,23, por cada passageiro transportado. Além disso, está autorizada a apreensão de qualquer veículo ou meio de transporte, inclusive fluvial, que esteja transportando passageiros em desacordo com o decreto. O veículo ou meio de transporte apreendido será conduzido ao local adequado e ficará sob a tutela dos órgãos do poder municipal.

As barreiras sanitárias serão coordenadas e orientadas pela Fundação Municipal de Saúde – FMS, Vigilância Sanitária, Guarda Civil Municipal – GCM, Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito – STRANS e/ou Polícia Militar do Piauí – PMPI.

As barreiras sanitárias já estão montadas nas proximidades das três pontes que ligam Teresina a Timon desde o mês passado. Elas são necessárias para controlar a entrada de pessoas em Teresina e monitorar o estado de saúde delas. Desde o início, está sendo medida a temperatura de quem trafega entre as duas cidades. Timon tem hoje, segundo o último boletim divulgado pela Prefeitura do município, 95 casos confirmados, 272 casos suspeitos e dois óbitos.

Sobrecarga de leitos

Dados do Censo Hospitalar apontam que a quantidade de leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) começam a ficar reduzidos. Os 165 leitos de UTI destinados exclusivamente para os pacientes com sintomas de Covid-19, 110 já estavam ocupados, um percentual de 66,67% do total. O percentual de ocupação dos leitos de UTI geral também já está em 71,13%, quando 202 dos 284 leitos já estão ocupados com pacientes.

Os números revelam uma preocupação, sobretudo, quando se leva em consideração o aumento dos casos confirmados da doença na capital, que já atingiu 1.260 casos e 39 mortes. Na tentativa de reduzir a velocidade de propagação do vírus é que a Prefeitura vem adotando um conjunto de medidas que incentivem o aumento nos percentuais de isolamento social.

Decreto nº 19.760, de 15.05.2020 – Barreiras Sanitárias

Monitoramento em barreiras sanitárias entre Teresina e Timon será intensificado

Por determinação do prefeito Firmino Filho, as barreiras sanitárias entre Teresina (PI) e Timon (MA) serão intensificadas nos próximos dias e o monitoramento será fortalecido. A medida leva em consideração o aumento no número de óbitos e de pessoas infectadas no estado do Maranhão.

Segundo o prefeito, o número de óbitos em São Luís é nove vezes maior do que o de Teresina. “Temos mais de 85 atendimentos de pacientes do Maranhão somente com Covid-19 e no Estado do Maranhão tem explodido o número de casos da doença, inclusive já foi determinado até lockdow. Então é importante que a gente possa fazer, junto com o Rio Parnaíba, uma barreira para que o vírus não venha com a mesma intensidade para o Piauí, especificamente, para Teresina”, disse.

O prefeito informou ainda que existe uma pactuação na área da saúde com 17 municípios maranhenses. “Temos a pactuação com 17 municípios e através do SUS existe uma solidariedade entre os municípios. Nós vamos respeitar a pactuação e os pacientes poderão vir devidamente regulados, mas não de forma espontânea como esses 85 casos já testemunhados e recebidos em Teresina. O secretário de saúde do Maranhão informou que o Estado tem autossuficiência em relação ao Covid-19, portanto, vamos intensificar as barreiras sanitárias para evitar a vinda do vírus e para que não tenhamos que atender sem necessidade as pessoas que vêm do Maranhão”, acrescentou.

Teresina registrou 85 atendimentos de pacientes oriundos de cidades do interior do Maranhão com sintomas de Covid-19, de 22 de fevereiro, quando se iniciou a vigilância epidemiológica do novo Coronavírus na capital, até a última sexta-feira (08). Desses, 45 tiveram o diagnóstico confirmado e 26 ainda estão em análise. Segundo registros do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COE Covid-19 Teresina) da Fundação Municipal de Saúde de Teresina, 13 casos foram descartados, entre eles, um óbito, e foi registrado um caso de H1N1.

BARREIRAS

As barreiras sanitárias entre Teresina e Timon acontecem desde o dia 27 de abril nas três pontes que ligam a capital ao município de Timon, no Maranhão (Ponte Metálica, Ponte da Amizade e Ponte Nova). Durante a ação é realizada a medição de temperatura de quem trafega entre as duas cidades, com o objetivo de fazer um controle do estado de saúde das pessoas que entram em Teresina. A barreira envolve vários órgãos municipais, como a Fundação Municipal de Saúde (FMS), Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) e Guarda Municipal.

Barreiras sanitárias: quase 2500 veículos foram abordados

Em quatro dias de operação, 2497 veículos foram abordados nas barreiras sanitárias que foram montadas pela Prefeitura de Teresina nas três pontes que ligam a capital ao município de Timon, no Maranhão. Juntos, os veículos traziam 2752 pessoas, das quais nove delas apresentaram quadro febril.

O objetivo das barreiras é fazer o controle do estado de saúde das pessoas que entram na capital. Segundo o levantamento, 110 dos veículos abordados, vieram de outras cidades. No entanto, 1607 veículos, o correspondente a 65% do total, são oriundas de Timon e apenas 30% eram de Teresina.

A barreira, que está montada por tempo indeterminado, acontece nos turnos da manhã, tarde e noite. O trabalho envolve agentes da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (STRANS) e da Guarda Municipal. Segundo o comandante da Guarda Municipal, Coronel John Feitosa, os trabalhos estão sendo realizados a contento. “O trabalho tem surtido efeito. A FMS tem colhido os dados que são necessários para a continuidade da operação. Estamos buscando obter resultados para verificar a necessidade da mudança ou não de horários e o aumento do quantitativo de pessoas envolvidas”, ressaltou.

A ação está orientando as pessoas que transitam entre as duas cidades sobre o novo coronavírus, além de ajudar a identificar e encaminhar possíveis casos da doença à rede de atendimento de saúde. As barreiras sanitárias estão montadas na Ponte Metálica, na Ponte da Amizade e na Ponte Nova. Além de sinalizar as vias próximas às pontes, a STRANS está coordenando a saída e entrada dos veículos durante a abordagem, priorizando as recomendações da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

“Todas as pessoas são abordados estão recebendo orientações também, quanto ao uso das máscaras, higienização das mãos, sobre os serviços de saúde, alertando sobre os sintomas e também orientações sobre evitar aglomerações, não andar com carro lotado, manter os vidros abertos”, completou Emanuelle Dias, enfermeira da Gerência de Ações Estratégicas da FMS.