Prefeitura dobra número de agentes na busca ativa de Covid-19 em Teresina

Ascom/FMS

A Prefeitura de Teresina dobrou a quantidade de agentes comunitários de saúde que estão realizando a busca ativa de casos suspeitos ou confirmados com o novo Coronavírus. Agora, são 1.250 profissionais atuando no Projeto Detetive Covid. Eles já visitaram mais de três mil casas na cidade, orientando sobre medidas preventivas e monitorando os pacientes que testaram positivo para a doença, observando se estão cumprindo o isolamento domiciliar.

A ampliação do projeto tem como objetivo conter a proliferação do novo Coronavírus na capital. “Queremos reduzir o número de pacientes em estado grave e que necessitam dos hospitais.  Outro objetivo é fazer um mapeamento mais consistente de casos e impedir a proliferação do vírus, algo extremamente importante nesse processo de retomada das nossas atividades econômicas”, explica o prefeito Firmino Filho.

Ele ressalta que os agentes de saúde são importantes nessa ação porque trabalham na comunidade onde moram, têm proximidade com a população e conhecem a situação de cada área cadastrada. “Isso facilita o trabalho de rastreamento que estão executando”, afirma.

O presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Manoel de Moura Neto, destaca que, desde o início da pandemia, a gestão se preocupou em garantir o acesso da população ao atendimento e produziu protocolos, realizou treinamentos, adquiriu equipamentos, medicamentos e ampliou a testagem nesses locais. “Nós estamos atuando para dar respostas resolutivas para os problemas de saúde das pessoas e, assim, minimizando os impactos da pandemia”, diz.

Segundo o diretor de Atenção Básica da FMS, Kledson Batista, os profissionais trabalham fardados, utilizando equipamentos de proteção individual e seguindo todos os protocolos de segurança. “Eles averiguam a situação do usuário, se ele faz parte do grupo de risco para Covid-19 e se tem sintomas gripais, e podem orientá-lo a permanecer em isolamento domiciliar ou a buscar atendimento em uma UBS”, informa.

As UBS realizam também outro método de rastreamento de casos de Covid-19. “Se o paciente testar positivo nesses locais, a equipe fica responsável por agendar o teste dos seus familiares em um dos sete Centros de Testagem da cidade. Nós também ligamos para pessoas com Covid-19 que foram notificadas com a doença em outros estabelecimentos e fazemos esse agendamento da testagem, pois essa é uma ótima estratégia para controlar a disseminação do vírus”, explica o diretor.

Atualmente, em Teresina, a Prefeitura mantém 26 UBS para atendimento, de forma exclusiva, de pessoas com sintomas gripais, incluindo Covid-19 e 64 UBS que estão atendendo usuário com outros problemas básicos de saúde que não sejam gripais. Nestas 64 UBS, há oferta de consulta médica e de enfermagem e os serviços de vacina, coleta de exame, curativo e entrega de medicamentos permanecem funcionando.

FMS orienta a população sobre o atendimento em casos suspeitos de Covid-19

Febre, dor de garganta, tosse, falta de ar. Estes são os sintomas mais comuns da Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus, que tem afetado o mundo. Para enfrentar a pandemia, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) organizou seu atendimento em diferentes níveis, de acordo com a gravidade dos casos, e lança orientações à população sobre quais serviços devem ser buscados em cada situação.

Dentro da Grande Teresina, a porta de entrada para pacientes com síndromes gripais – ou seja, que apresentam sintomas semelhantes aos da Covid-19 – é a Atenção Básica. Para isso, a FMS destacou 19 Unidades Básicas de Saúde (UBS) para o atendimento exclusivo desses casos. “Você será atendido por médicos e enfermeiros treinados para avaliar e classificar sua situação como leve, moderada ou grave”, explica Kledson Batista, diretor de Atenção Básica da FMS. “Para os casos leves, o paciente será orientado para o isolamento domiciliar com prescrição medicamentosa. Em casos graves, a equipe acionará o SAMU, que levará o paciente para uma unidade hospitalar dentro da rede do município”, conta.

O diretor prossegue explicando sobre o que o paciente deve fazer em casos mais graves, com sintomas como febre persistente por mais de 48 horas, falta de ar e mal estar intenso. Nesta situação, o paciente deve procurar imediatamente uma unidade hospitalar do município, seja uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou um hospital – com exceção do Hospital do Monte Castelo, que foi designado exclusivamente para internação, referenciado pelos outros locais. “O paciente passará pela mesma classificação feita nas UBS e será internado; em casos graves, haverá a avaliação da necessidade de um leito de observação ou UTI. O Hospital do Monte Castelo é referenciado, isso significa que ele só recebe pacientes vindos de ambulância”, informa Kledson Batista.

Para casos de dúvida, a FMS disponibiliza ainda o serviço Alô Saúde Teresina, pelo número 0800 291 0084. “Neste telefone, estão disponíveis médicos que irão orientar não apenas em relação a assuntos de saúde em geral, como também sintomas de síndromes gripais, para esclarecer sobre qual lugar procurar e em que momento”, completa o diretor de Atenção Básica.