Cidade Solidária cadastra mais 45 famílias após fortes chuvas

As famílias que foram prejudicadas em consequência das chuvas, na última semana, já estão sendo atendidas pelo Programa Cidade Solidária. Atualmente, o programa atende a 296 famílias. Foram inseridas mais 45 famílias, após o acompanhamento feito pelas equipes técnicas dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), Defesa Civil Municipal e Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDU) nos últimos dias.

“Foram realizados 45 novos cadastros e as famílias que tiveram suas residências comprometidas por conta dos alagamentos passarão a ter apoio financeiro da Prefeitura”, informa Poliana Tavares, assistente social e técnica de gestão de benefícios eventuais da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

A assistente social explica que há duas modalidades da assistência habitacional, que são Residência Solidária e Família Solidária, em que é ofertado o valor de um aluguel. Os beneficiários inseridos no programa são acompanhados continuamente pelos CRAS e recebem cestas básicas a fim de suprir as necessidades imediatas das famílias.

“As unidades realizam avaliação técnica para possíveis outros benefícios, como exemplo cesta básica, caso a família se encontre dentro dos critérios de vulnerabilidade socioeconômica, como foi o caso recente das famílias afetadas pelos alagamentos na capital”, explica Poliana.

Após atendimento da Defesa Civil, é realizada uma avaliação técnica pelas SDUs que, por sua vez, encaminham um processo contendo os relatórios técnicos para que a Semcaspi realize a triagem de possíveis beneficiários do programa.

Para mais informações sobre o Cidade Solidária, a população pode entrar em contato por meio do número (86) 3215-7593 ou pelas redes sociais da Semcaspi (@semcaspi.teresina).

A Defesa Civil também segue em plantão para assegurar que as famílias possam entrar em contato em situações de emergência, a população pode solicitar atendimento através de ligação gratuita para o 153.

Famílias recebem cestas básicas e participam de roda de conversa sobre Setembro Amarelo

As famílias do Parque Rodoviário afetadas pela tragédia que atingiu a região em abril deste ano seguem recebendo atendimento da Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). O Programa de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) realizou nessa quinta-feira (05) um momento de entrega de 62 cestas básicas que contou com roda de conversa em alusão ao Setembro Amarelo.

A ação fez parte de um trabalho que ocorre mensalmente, em que as famílias recebem os benefícios inclusos no programa de acolhimento Cidade Solidária. Além disso, durante a entrega de cestas realizada no mesmo dia, pelo Centro de Referência em Assistência Social Sul IV (Cras Sul IV), são realizadas palestras e rodas de conversa relacionadas a temas sociais pertinentes e relacionados aos serviços socioassistenciais do município.

Segundo dados divulgados pela Semcaspi hoje (06), 64 famílias permanecem acolhidas pelo Cidade Solidária. As obras que buscam reconstruir a região já estão sendo finalizadas pela Prefeitura de Teresina, por meio da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul (SDU Sul). Ao todo, serão entregue 55 casas, sendo 25 novas construções e 30 recuperadas. As famílias que ainda estavam em áreas de risco também já foram realocadas, após a desapropriação de um terreno próximo.

Sobre o programa Cidade Solidária

O Cidade Solidária possui duas linhas de atuação: o ‘Família Solidária’ e o ‘Residência Solidária’. No primeiro, a pessoa acolhida indica outra família para lhe receber e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 300. No segundo, a família deve indicar um imóvel, no valor de até R$ 300, para alugar e a Prefeitura arca com o pagamento no prazo de um ano. Sistematicamente, a família também é acompanhada pela Semcaspi, por meio Cras, sendo fornecido, caso necessário, cesta básica, kit acolhimento e kit limpeza.

Prefeitura mantém atendimento para 518 famílias vítimas do período chuvoso em Teresina

As famílias afetadas pelo período chuvoso em Teresina seguem recebendo assistência e acolhimento oferecidos pela Prefeitura de Teresina. O atendimento se dá por meio do programa Cidade Solidária, voltado a famílias desabrigadas. As vítimas são removidas da área de risco com o auxílio do aluguel social. O último levantamento mostra que 518 famílias estão inclusas no programa. Dessas, 204 famílias foram incorporadas ao programa depois do período chuvoso.

 

“O programa é fundamental para a garantia de um atendimento digno às famílias que perderamm suas residências, porque ele faz com que situações de calamidades públicas sejam resolvidas de forma mais digna. Antes, havia um cenário onde as pessoas eram colocadas em creches, galpões, muitas vezes todos amontoados. Hoje, você pode ser acolhido por um parente ou alugar uma casa, com o auxílio do município”, destaca Celene dos Santos, chefe da Divisão de Articulação da Rede Socioassistencial da Semcaspi.

 

O Cidade Solidária atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos, em consequência das chuvas, infortúnios, incêndios, alagamento, transbordamento de rios ou lagoas ou ainda, situações de vulnerabilidades temporárias. O trabalho é executado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDU’s) e Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).

 

A população pode tirar dúvidas sobre o Cidade Solidária entrando em contato com a Gerência de Proteção Social Básica (GPSB), por meio do 3215-7593.

 

Prefeitura continua prestando assistência às famílias do Parque Rodoviário

A Prefeitura de Teresina vem acompanhando de perto a situação de todas as famílias do Parque Rodoviário, através de equipes da Defesa Civil e assistentes sociais da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Fundação Municipal de Saúde (FMS) e da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul (SDU-Sul). Todas as famílias já foram acolhidas através do Programa Cidade Solidária. O pagamento do aluguel será feito na próxima semana, uma vez que já foram cumpridas todas as etapas burocráticas exigidas por lei.

A Prefeitura também realizou um cadastro das famílias atingidas pela enxurrada e está buscando alternativas para assentar aquelas que perderam suas casas. As residências que ficam no canal de passagem das águas também serão retiradas.

Uma das possibilidades estudadas pela Prefeitura é a utilização de um terreno que fica ao lado do Parque Rodoviário. A Prefeitura também está buscando uma forma de ajudar as famílias que tiveram pequenos danos na estrutura das casas para que possam retornar para o local onde residiam.

As equipes de limpeza da Prefeitura continuam trabalhando no local e já recolheram cerca de 600 toneladas de entulho. A SDU Sul também já executou os serviços emergenciais de recomposição dos aterros das ruas que foram atingidas pela força das águas, inclusive com a reconstrução de sarjetas, lajes da galeria, descidas de água e dos calçamentos danificados.

Outra ação adotada pela SDU foi a limpeza de fossas de aproximadamente 140 famílias que tiveram problemas com as águas.

Por outro lado, a Prefeitura criou uma Comissão formada por técnicos do município e da sociedade civil organizada para identificar a causa do problema. Os estudos estão em andamento.

Parque Rodoviário: Mais de 40 famílias já foram inclusas no Cidade Solidária

Ascom/Semcaspi

Mais de 40 famílias vítimas da enxurrada que atingiu moradores do Parque Rodoviário, zona Sul de Teresina, já foram inclusas no Programa Cidade Solidária. Os dados são da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). O programa realoca essas famílias em casas apropriadas para moradia, de parentes ou vizinhos da vítima.

Esse tipo de acolhimento permite um atendimento mais digno às famílias da região e que foram acometidas por essa tragédia, oferecendo a eles as modalidades de ‘Família Solidária’ e ‘Residência Solidária’. “Na primeira modalidade, são famílias que acolhem outras famílias que, por ocasião de chuva, não podem mais ficar em suas residências. Já na segunda modalidade, estão residências que são alugadas para receber famílias que, em decorrência do infortúnio sofrido, também precisam deixar suas casas”, resume a coordenadora do Programa, Selene dos Santos.

Em decorrência das fortes chuvas, na última quinta-feira (4), uma lagoa se formou e transbordou, rompendo uma parede de contenção. A enxurrada destruiu cerca de 40 casas e deixou cerca de 30 feridos. A tragédia vitimou fatalmente duas pessoas, uma idosa identificada como Maria das Graças Bacelar, de 71 anos e uma criança, Flávio Josiel Alves da Silva, de três anos. O prefeito de Teresina, Firmino Filho, esteve no local acompanhando os primeiros atendimentos as famílias vítimas da enxurrada. O secretário da Semcaspi, Samuel Silveira, reforçou que as equipes de assistência do município, concentradas na região do Parque, estão promovendo uma maior rapidez no atendimento da população.

“Estamos desde a noite de quinta-feira, no momento do ocorrido, prestando toda a assistência para as famílias atingidas, atuando na redução dos riscos e claro, nos danos causados pela enxurrada. A Prefeitura de Teresina está fortalecendo ainda mais a rapidez nos encaminhamentos para que as famílias possam ser acolhidas o mais breve e para que sejam minimizados os transtornos causados aqui para a população dessa região”, enfatiza o secretário.

Além do encaminhamento para o Cidade Solidária, as equipes de assistência social da Prefeitura de Teresina estão distribuindo cestas básicas, kits de limpeza e kits de acolhimento para os moradores que necessitam da ajuda emergencial do município. Para o recebimento dos kits, é necessário que os moradores façam um cadastramento prévio feito por assistentes sociais no stand montado pela Semcaspi. O local, que fica na Praça Rita de Menezes, mais conhecida como Praça do Parque Rodoviário, também está recebendo a doação voluntária de populares e instituições que desejam colaborar com as famílias.

Doações no Parque Rodoviário

Além do ponto de recolhimento da Semcaspi, na praça do bairro, o CMEI Nossa Senhora Maria Imaculada está recebendo as doações da população, que vão de alimentos, a roupas e produtos de higiene pessoal. A Igreja Matriz da Morada Nova também é ponto de arrecadação desses produtos.

Famílias do Parque Rodoviário são atendidas pelo Programa Cidade Solidária

Rômulo Piauilino

As famílias vítimas da enxurrada que aconteceu na noite dessa quinta-feira (4) no Parque Rodoviário, zona Sul da capital, foram cadastradas pelas equipes de Assistência Social da Prefeitura de Teresina no programa Cidade Solidária. Das 94 famílias desabrigadas, 38 já estão acolhidas em casa de parentes, amigos e vizinhos, que receberão o aluguel solidário por parte da Prefeitura, mas todas serão beneficiadas.

“Estamos garantindo um atendimento digno para essas famílias que perderam suas residências. As equipes da Prefeitura de Teresina têm trabalhando incansavelmente para garantir o auxílio necessário às pessoas que precisam. Portanto, as famílias que estão acolhendo as vítimas da enxurrada receberão o auxílio da Prefeitura”, afirmou Samuel Silveira, secretário da Semcaspi.

O Programa Cidade Solidária possui duas linhas de atuação: o ‘Família Solidária’ e o ‘Residência Solidária’. No primeiro, a pessoa acolhida indica outra família para lhe receber e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 250. No segundo, a família deve indicar um imóvel, no valor de até R$ 250, para alugar e a Prefeitura arca com o pagamento no prazo de um ano.

O “Cidade Solidária” atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos, em consequência das chuvas, infortúnios, incêndios, alagamento, transbordamento de rios ou lagoas ou ainda, situações de vulnerabilidades temporárias. O trabalho é executado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbanos e Habitação (SEMDUH),  das Superintendências de Desenvolvimento Urbano e Rural.

Mais de 220 famílias de áreas de risco estão inclusas no “Cidade Solidária”

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) divulgou, nesta segunda-feira (25), os números atualizados de atendimento do Programa Cidade Solidária. Segundo a secretaria, atualmente, 224 famílias estão incluídas no programa e recebem o auxílio emergencial da Prefeitura de Teresina.

Parte deste número se deve à incidência de chuvas na capital, que gerou riscos de desabamentos de casas e/ou alagamentos em algumas regiões de Teresina, em 2018 e início de 2019. As solicitações de inclusão no Cidade Solidária chegam após a identificação de riscos em residências, feita pela Defesa Civil Municipal, órgão também vinculado à Semcaspi. As famílias vítimas das últimas chuvas na capital também estão sendo incluídas no programa.

“O programa é fundamental para a garantia de um atendimento digno às famílias que perdem suas residências porque ele faz com que situações de calamidades públicas sejam resolvidas de forma mais digna. Antes havia um cenário onde as pessoas eram colocadas em creches, galpões, muitas vezes todos amontoados. Hoje você pode ser acolhido por um parente ou alugar uma casa com o auxílio do município”, destaca Selene dos Santos, chefe da Divisão de Articulação da Rede Socioassistencial da Semcaspi.

O “Cidade Solidária” é executado em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbanos e Habitação (SEMDUH), por meio da SDU ou SDR. O programa atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos, em consequência das chuvas, infortúnios, incêndios, alagamento, transbordamento de rios ou lagoas ou ainda, situações de vulnerabilidades temporárias.

“Com a oferta do aluguel social, a Prefeitura de Teresina fomenta a solidariedade por meio da própria família ou de residentes da mesma comunidade, que recebem outra família. Com as constantes e fortes chuvas que atingem a capital a importância desse programa é reforçada. Não vemos mais pessoas alojadas em galpões ou em escolas, como antigamente”, reforça Samuel Silveira, secretário da Semcaspi.

Como ter acesso ao programa

Para ser incluso no Cidade Solidária, a Defesa Civil de Teresina precisa identificar a situação, através de atendimento que pode ser solicitado pelo número 153. Notando o risco na área, o órgão repassa a demanda para a Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) da região ou Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR). Em seguida, a SDU/SDR se dirige ao local, avalia a situação e, sendo necessária a inclusão da família no Cidade Solidária, encaminha a demanda à Semcaspi, que fica responsável pela assistência através da ajuda financeira.

O Programa possui duas linhas de atuação: o ‘Família Solidária’ e o ‘Residência Solidária’. No primeiro, a pessoa acolhida indica outra família para lhe receber e a prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 250. No segundo, a família deve indicar um imóvel, no valor de até R$ 250, para alugar e a Prefeitura arca com o pagamento no prazo de um ano. Sistematicamente, a família também é acompanhada pela Semcaspi, por meio do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), sendo fornecido, caso necessário, cesta básica, kit acolhimento e kit limpeza.