Ação de rua do Balé da Cidade de Teresina fala sobre distanciamento social

Apresentação em praça de Teresina. (Fotos: Claryanna Alves)

A flexibilização do isolamento social é uma realidade em meio a essa pandemia. A população já voltou a sair de casa para trabalhar e realizar outras atividades. No entanto, para muitos, isso criou uma falsa sensação de que não estamos mais em alerta de saúde. Pensando em testar essa saída do isolamento e a vontade de estar próximo, o artista da dança e coreografo do Balé da Cidade de Teresina Adriano Abreu propôs a ação de rua “Comensura”.


“A proposição veio de uma necessidade de estar junto de novo, de testar essa primeira saída em um mundo vivendo com uma pandemia. É vontade de estar próximo, de viver o novo mundo, sabendo que existe uma medida exata que nos distancia”, explica Adriano Abreu.


A ação de rua Comensura já ocupou as praças Rio Branco e João Luís Ferreira em dias distintos. Os bailarinos da Companhia estiveram nesses locais públicos e com grande fluxo de pessoas com o objetivo de criar uma reflexão e conscientização de que ainda estamos em alerta de saúde e que cuidados devem ser tomados. Protegidos dos pés à cabeça, com instrumentos que criam distâncias físicas, os bailarinos nos lembram que a pandemia ainda existe e está novamente ganhando força.
“Comensura representa essa primeira saída nesse novo mundo que permitiu novamente ter o contato e realizar a vontade de estar próximo. Só que essa junção, de sair e de estar próximo, agora tem uma medida exata. Estamos o tempo todo calculando, percebendo e sentindo, mas agora de uma medida certa para se ter de um para o outro”, finaliza Adriano.

Sobre a Companhia
O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de Dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Vem aproximando a dança da cidade através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada.
O Balé da Cidade de Teresina conta com 18 bailarinos e é mantido pela Prefeitura Municipal de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves (FMC) e da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina. Tem direção geral de Chica Silva, coordenação artística de Janaína Lobo e ensaios de Carla Fonseca.

Painéis de energia solar vão reduzir em 25% conta de permissionários do Shopping da Cidade

A instalação do primeiro lote de painéis de captação de energia solar do Shopping da Cidade vai permitir uma redução de 25% no consumo de energia do local. Na manhã desta quarta-feira (30) o prefeito Firmino Filho inaugurou a obra, que vai beneficiar diretamente os permissionários que trabalham no espaço.

“Esse é um projeto pioneiro na cidade, no qual foram usados 375 placas de energia em apenas um dos dois blocos do Shopping. O investimento vai reduzir em até 25% a conta de energia de todos aqueles microempreendedores que trabalham no local e o objetivo é que, com o passar do tempo, esse percentual seja aumentado”, disse o prefeito.

A obra foi iniciada este ano, durante a pandemia, com projeto orçado em mais de R$ 750 mil, recursos próprios do município e de emenda parlamentar do vereador Gustavo Carvalho. A previsão é que o retorno do investimento ocorra em um período de dois anos.

Alexandre Machado, engenheiro da SDU Centro/Norte, órgão responsável pela obra, explica que, com a implantação dos kits fotovoltaicos, os permissionários do Shopping passem a pagar somente a taxa de serviço cobrado pela Equatorial. “Com isso, eles terão uma redução considerável de gastos”, ressaltou.

 

Alunos medalhistas das escolas da Prefeitura são premiados com smartphones

Os alunos da Rede Municipal de Educação de Teresina que conquistaram medalhas em olimpíadas de conhecimento este ano foram premiados hoje (17) com smartphones como forma de reconhecimento pelas vitórias. O prefeito Firmino Filho entregou 54 aparelhos para os alunos de matemática, no Centro de Formação Odilon Nunes.

Os premiados são medalhistas de ouro, prato e bronze em competições do ano de 2019. A turma foi aplaudida de pé por professores e familiares, recebendo os celulares também das mãos da secretária municipal de Educação, Kátia Dantas, e da deputada estadual Lucy Soares.

“As escolas da Prefeitura nunca ganharam tantas medalhas como em 2019”, destacou Valdete Silva, coordenadora do Programa Cidade Olímpica Educacional. A ação é de aprofundamento em disciplinas específicas com aulas aos sábados, responsável pela conquista de 1.031 medalhas nos últimos sete anos.

Segundo Firmino, o Cidade Olímpica é um farol que mostra o que é possível realizar na vida dos alunos e da cidade. Nos próximos dois dias, mais 83 alunos receberão smartphones como prêmio por suas conquistas nacionais nas disciplinas de astronomia, física, ciências, química e língua portuguesa.

Wiviane Cassimiro é aluna da Escola Municipal Antilhon Ribeiro e uma das premiadas. Esse já é o segundo smartphone que conquista, o primeiro foi ao vencer a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas em 2017.

“Eu achei uma experiência incrível. É sempre uma emoção saber que nosso esforço durante todo o ano foi reconhecido, principalmente essa ação da Prefeitura, porque em outros locais não é assim que acontece. Aqui temos essa motivação, nos fazendo acreditar que sempre vai valer a pena. Aproveito para agradecer toda a contribuição dos professores e amigos”, declara a jovem, que já coleciona um ouro na OBMEP, prata na Olimpíada Canguru de Matemática e dois bronzes na Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa e Olimpíada Brasileira de Astronomia.

 

Inicia hoje (20) segunda etapa da Fase 1 da reabertura econômica da cidade

A partir de hoje (20), dando continuidade às fases de retomada das atividades econômicas em Teresina, estão autorizados funcionar os setores de concessionárias, vendas de peças e automotivo, utilizando o sistema de delivery ou drive-thru. Com isso, a Prefeitura de Teresina conclui a segunda etapa da Fase 1 do processo de reabertura econômica da cidade.

Segundo o prefeito Firmino Filho, é importante que a população siga todos os protocolos e medidas de segurança nesse processo. “Estamos avançando na reabertura da cidade e precisamos ter consciência sobre o compromisso de cada um para que Teresina não sofra uma nova onda de contaminação pelo vírus. Portanto, todas as medidas de higiene e de proteção como uso de máscaras, ficar em casa sempre que possível e utilizar esses serviços apenas quando necessário, além de seguir as medidas de isolamento social, são estritamente necessárias para que possamos avançar e não retroceder nas fases de abertura da cidade”, alertou.

Os setores que estão autorizados a funcionar devem obedecer aos protocolos de segurança, com redução de trabalhadores, carga horária reduzida, uso da máscara e testagem dos funcionários, além de outras regras presentes nos protocolos voltadas tanto para trabalhadores, como para os clientes.

“A reabertura não significa dizer que a Prefeitura de Teresina está “liberando geral”. Estamos fazendo esse processo de forma planejada, lenta e gradual, e tudo está sendo estudado para que a vida das pessoas não seja colocada em risco. O vírus ainda existe, não temos vacina e as medidas de prevenção precisam ser respeitadas. Estamos voltando aos poucos as atividades e sabemos que precisaremos conviver ainda por muito tempo com o risco da doença. Desse modo, precisamos estar unidos nessa batalha pela vida”, acrescentou.

A Vigilância Sanitária de Teresina orienta como protocolos básicos de proteção a serem adotados caso seja necessário utilizar alguns dos serviços que estão em funcionamento evitar cumprimentar as pessoas com apertos de mãos, abraços, beijos ou outro tipo de contato físico; evitar tocar a boca, nariz e rosto com as mãos; ficar em casa sempre que possível e utilizar os serviços online e delivery.

“Além disso, é importante planejar as atividades antes de sair de casa; sempre ficar a uma distância mínima de dois metros de qualquer pessoa dentro da empresa; realizar a higienização das mãos ao entrar e sair de estabelecimentos, ao acessar balcões de atendimento e “caixas”; evitar conversar, manusear telefone; ao realizar as compras, reduzir o manuseio de produtos e realizar pagamentos de preferência por meios eletrônicos”, destaca a gerente da Vigilância Sanitária de Teresina, Jeanyne Seba.

Curso online da Agenda Teresina 2030 ensina como a cidade pode reagir a desafios

As duas primeiras edições do Curso de Ensino à Distância (EAD) da Agenda Teresina 2030 instigou diversos urbanistas, servidores públicos, estudantes e o público em geral sobre questões relacionadas à resiliência urbana. Com o tema “Tornando Teresina resiliente aos desafios: de pandemias às mudanças climáticas”, os participantes refletiram como a gestão pública pode se preparar para estresses corriqueiros e até problemas graves e inesperados, como a pandemia do Coronavirus.

O curso teve quatro módulos, sendo os dois primeiros mais básicos, abordando alguns conhecimentos e conceitos sobre as mudanças climáticas e os acordos feitos por governos ao redor do mundo para combater estes problemas. Os dois últimos módulos abordarão as estratégias urbanas adotadas em relação a estas questões e a análise de riscos, que envolvem choques, estresses e desafios, incluindo a pandemia de Covid-19.

Naelle Galvão, uma das participantes do curso EAD, relata sua experiência e conta que a divulgação desses conhecimentos torna a cidade mais preparada. “Eu adorei o curso, a forma de abordagem foi bastante didática e acessível. Eu acredito que tudo parte do conhecimento e da educação, e a medida em que cursos como esse são ofertados para a população, nós podemos nos preparar melhor para enfrentar desafios, como os que temos enfrentado. Minhas expectativas foram atendidas, e me sinto muito grata por ter tido essa oportunidade de aprender”, relata a participante.

Lorena Moura, arquiteta, urbanista e professora universitária, mostra a mesma opinião. “Vi no curso uma oportunidade de atualização e de entender um pouco melhor a relação crise climática, cidades, cidadãos e pandemia. Foi além do que eu esperava: a construção das aulas nos fez ter uma visão do macro ao micro – da situação do planeta até a realidade da cidade de Teresina. Estamos caminhando para uma cidade mais resiliente, mas é claro que depende muito dos cidadãos e o curso é uma oportunidade de disseminação de conhecimento. Nós, os alunos, podemos impactar mais pessoas e essa rede só aumenta”.

Agenda 2030

A Agenda 2030 é o departamento da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN) responsável pela promoção e monitoramento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU na Prefeitura de Teresina.

Assistentes sociais da SDU Sudeste continuam atendimento a famílias em situação de risco 

Devido às constantes chuvas em Teresina durante este período, a equipe de assistentes sociais da Gerência de Habitação da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste continua em atuação. Diariamente são realizadas visitas domiciliares e cadastro de famílias em situação de risco.

Entre os moradores atendidos estão os da Vila Washington Feitosa. Foi detectada no local uma erosão causada pela passagem das águas pluviais. Segundo a Defesa Civil, ela não oferece riscos às residências, mas deve passar por aterro para contenção.

Para quem está com as residências comprometidas, a SDU Sudeste faz a remoção e inclui as famílias nos programas sociais da Prefeitura de Teresina. Um deles é o Cidade Solidária, com duas vertentes de atuação: o Família Solidária e o Residência Solidária.

No primeiro, a pessoa acolhida indica outra família para lhe receber e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 300,00. No segundo, a família deve indicar um imóvel, no valor de até R$ 300,00, para alugar e a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), arca com o pagamento no prazo de até um ano.

“O atendimento às famílias em situação de risco é um trabalho que não pode parar. Portanto, a equipe de habitação continua atuando com base nas políticas públicas de proteção social do município, especialmente neste momento onde as pessoas de baixa renda estão mais vulneráveis às dificuldades enfrentadas em meio à pandemia de coronavírus”, destaca Erinelde Nunes, gerente de habitação da SDU Sudeste.

O superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, explica que alguns serviços continuam em funcionamento devido ao seu caráter essencial. “Mediante o decreto do prefeito Firmino Filho, muitas atividades de trabalho estão suspensas como forma de combate à propagação do coronavírus. Contudo, algumas consideradas essenciais para a população devem continuar em operação, como é o caso das equipes de habitação e de limpeza urbana da SDU. Visto essa necessidade, temos o cuidado de instruir os profissionais a tomarem todas as precauções e adotarem os protocolos de segurança na execução do trabalho”, enfatiza Evandro.

 

Mais de 230 famílias teresinenses recebem apoio através do Programa Cidade Solidária

Famílias acometidas por enchentes, incêndios, alagamentos e outros infortúnios seguem contando com atendimento emergencial por parte do Programa Cidade Solidária. Segundo o mais recente levantamento divulgado pela Gerência de Proteção Social Básica (GPSB) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), 231 famílias estão inclusas em um dos dois eixos de atuação do projeto de acolhimento: Residência Solidária e Família Solidária. Devido às circunstâncias atuais de pandemia, o plano de trabalho da articulação, que busca evitar as situações de aglomeração causadas pelo acolhimento coletivo vem assumindo nova relevância.

Segundo Kania Brito, coordenadora da GPSB da Semcaspi, os números correspondem à última folha de pagamento do mês de fevereiro. A previsão é que estes se elevem ainda mais, em decorrência das fortes chuvas que vêm acometendo a capital. “Estamos aguardando os cadastros das novas famílias atendidas, que serão enviados pelas Superintendências de Desenvolvimento Urbano”, explica Kania.

As novas famílias poderão ou indicar uma família para realizar o seu acolhimento, mediante recebimento de bolsa, ou direcionar auxílio-aluguel para família locadora de uma nova residência segura. O período de quarentena vem dando preferência a operacionalização do segundo caso. O cadastro pode ser realizado após solicitação de visita da Defesa Civil Municipal, que identifica as situações de risco e realiza as remoções, juntamente com a equipe dos CRAS e das SDUs.

Os Centros de Referência em Assistência Social fazem parte da equação identificando as demais necessidades do grupo familiar; caso se identifique o cenário das mesmas, também são oferecidas cestas básicas, kits acolhimento e kits de limpeza. Embora os servidores da Semcaspi e suas unidades, entre elas os CRAS, cujos atendimentos de natureza coletivas estão em suspensão, estejam funcionando em escala de trabalho para manutenção dos serviços essenciais à população, as equipes que operam o Cidade Solidária seguem trabalhando na normalidade, sendo tomadas as devidas medidas de segurança.

“Nossas equipes seguem em atividade, articuladas com as SDUs, para oferecer o atendimento essencial que essas famílias precisam. Estamos garantindo sua dignidade frente a esses infortúnios, adotando as medidas de higienização e distanciamento necessárias para que nossos colaboradores e usuários estejam seguros”, explica o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira. “Pedimos que o resto da população continue cumprindo as medidas de quarentena, de forma que aqueles que têm de continuar na rua, atendendo à população, corram menos risco”.

A Defesa Civil também segue suas atividades, em plantão, para assegurar que as famílias possam seguir a quarentena em residências seguras. A população pode solicitar a Defesa através de ligação gratuita para o 153. Também se pode conhecer mais sobre o Cidade Solidária por meio do número (86) 3215-7593 ou do site e das redes sociais da Semcaspi e da Prefeitura de Teresina

 

Professores do Cidade Olímpica aprendem com astrofísico a fazer foguetes mais potentes

 

Os professores de astronomia da Rede Municipal de Ensino participaram de uma oficina, nesta quinta-feira (17), para aprimorar as técnicas da confecção de foguetes artesanais. Eles fazem parte do Programa Cidade Olímpica Educacional, desenvolvido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), e atuam junto com os alunos na fabricação e lançamento dos foguetes. A atividade faz parte das aulas de astronomia e ajuda no aprendizado dos conteúdos, praticando teorias.

Quem ministrou a oficina foi o astrofísico Alberto Alves, da Universidade do Vale do Paraíba. O professor, que é piauiense mas reside em São Paulo, compartilhou com a equipe do Cidade Olímpica seus conhecimentos sobre a fabricação de foguetes de dois estágios, com água e ar pressurizado.

“É uma evolução desse foguete simples que nosso Piauí já é fera em trabalhar. Estamos realizando um treinamento com os professores para alcançar o melhor desempenho. E para isso os alunos precisarão dominar a física e a matemática, mas também trabalhar muito em equipe”, detalha Alberto.

O professor Rafael Ramon deu uma pausa nas férias para participar da oficina e aprender mais sobre o assunto. Ele conta que as aulas práticas empolgam os estudantes.

“Essa interação entre a abstração e a utilização de material concreto para explicar alguns fenômenos físicos têm tornado o aprendizado mais interessante. Vamos aprimorar nossas técnicas e chegar ainda mais longe nas competições este ano”, conclui Rafael.

Aparentemente fácil de montar, mas com alto grau de complexidade no mecanismo para que funcione bem, o foguete utiliza materiais simples em sua estrutura. Durante a oficina, o grupo aproveitou garrafas descartáveis, canos e cola.

Segundo a coordenadora de astronomia do Programa, Regina Ibiapina, os estudantes começarão as produções logo nas primeiras semanas de aula, no mês de fevereiro. As aulas do Cidade Olímpica acontecem aos sábados, no Centro de Formação Odilon Nunes.

“No ano passado demos um show de lançamentos na Mostra Brasileira de Foguetes, mas conquistamos apenas medalhas de bronze. Este ano já estamos nos preparando para o ouro”, anuncia Regina. “É um novo desafio e contamos com a ajuda do professor Alberto para montarmos foguetes ainda mais eficientes”, completou.

 

 

Programa Cidade Olímpica Educacional divulga classificados para 2020

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) divulgou nesta sexta-feira (20) o resultado do teste seletivo para o Programa Cidade Olímpica Educacional para 2020. A coordenação do Programa ofereceu 185 vagas para estudantes de escolas municipais de Teresina, nas disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, Física, Química e Astronomia. Ao todo, 183 alunos, dos 960 candidatos, foram aprovados no teste.

Os alunos medalhistas na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP/2019 e que não participaram do Programa Cidade Olímpica Educacional em 2019 foram convidados a participarem do Programa no ano letivo de 2020.

O estudante Victor Manoel Ribeiro de Sousa, que cursa o 5º ano na Escola Municipal Barjas Negri, se revelou como um grande talento ao fechar todas as questões do teste seletivo.

Victor Manoel disse estar muito feliz com o resultado. “Já conhecia o programa Cidade Olímpica por conta do meu irmão Éric, que sempre fala muito bem das aulas e que foi medalhista de ouro duas vezes na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Fiquei muito feliz em saber que conquistei o primeiro lugar. Espero que o Cidade Olímpica me ajude a abrir um novo horizonte de conquistas”, conta o estudante empolgado para o início das aulas.

Segundo a coordenadora Valdete Silva, a cada ano ela percebe que os alunos da Rede Municipal de Ensino de Teresina estão mais preparados. “Foram 960 estudantes inscritos para participarem do teste seletivo. Esse ano foi um recorde de alunos: tivemos 183 alunos aprovados. Foi uma dificuldade chegar a esse resultado pela qualidade deles. Percebemos que a cada ano esses estudantes estão cada vez mais preparados, com mais habilidades e com mais competências”, explica.

Valdete destaca o aluno Victor Manoel, da Escola Municipal Barjas Negri, que acertou todas as questões objetivas e subjetivas do teste. “É um prazer muito grande se deparar com um aluno com tanto conhecimento. Quero deixar o recado que estamos aqui para acolher essa nova turma. Seremos o suporte para visualizar um futuro melhor para esses jovens. Vamos prepará-los de todas as formas”, concluiu a coordenadora.

Participam do Programa Cidade Olímpica Educacional estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, somando um total de 270 jovens. As aulas para veteranos e novos alunos têm início no dia 08 de fevereiro de 2020.

O Programa oferece aulas aos sábados no Centro de Formação Professor Odilon Nunes e é destinado a alunos com altas habilidades, aprofundando os conhecimentos em disciplinas específicas.

A iniciativa da Prefeitura de Teresina vem sendo elogiada em todo o país ao incentivar a participação dos jovens em olimpíadas de conhecimento, o que já rendeu à turma centenas de medalhas e títulos nos últimos anos.

Veja aqui o resultado

 

SDU Leste finaliza pavimentação em paralelepípedo em quatro ruas do bairro Cidade Leste

Os moradores do bairro Cidade Leste foram contemplados com a pavimentação de quatro ruas. A ação foi executada pela Prefeitura de Teresina, por meio da atuação da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste (SDU Leste) e corresponde aos trechos das ruas Cajuí, Jabulani, Jataí e Quintana.

Com recursos provenientes do Orçamento Popular e recursos próprios do município, o investimento é de R$ 164.903,75 responsáveis pela execução dos seguintes trechos: Rua Cajuí (entre a Avenida Brasil e Rua Onda Verde); Rua Jabulani (entre as ruas Jataí e Cajuí, Cidade Leste), Rua Jataí (entre as ruas Serra Dourada e Onda Verde, Cidade Leste) e Rua Quintana, nas proximidades da Rua Jataí.

O superintendente João Pádua afirma que a SDU tem planejado e executado ações na região com o objetivo de melhorar o fluxo de veículos e de pessoas, além de proporcionar uma melhor qualidade de vida aos moradores da região.

“Por entendermos que o calçamento é fundamental para a comunidade, vamos continuar trabalhando para concluir as obras oriundas de recursos próprios do município, assim como de emendas parlamentares, investimentos federais e do Orçamento Popular. Nosso maior objetivo é proporcionar melhores condições de mobilidade urbana para a população”, afirmou o gestor.

Para o superintendente executivo da SDU, Ângelo Cavalcante, o órgão procura atuar com frentes de trabalho. “Nosso maior objetivo é promover a pavimentação em novas ruas da zona leste, priorizando o aprimoramento da mobilidade urbana da região”, disse.