CMEIs comemoram o Dia Nacional do Livro Infantil

Para comemorar o Dia Nacional do Livro Infantil, criado em alusão ao nascimento do escritor Monteiro Lobato, os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) realizaram uma série de atividades de forma criativa e com muita diversão.

Os personagens do livro ”Sítio do Pica Pau Amarelo” desembarcaram diretamente no CMEI Jonas Pereira da Silva, localizado na zona Sudeste, para comemorar esse dia especial. Coordenado pela diretora Anathalia Lins, o centro que atende crianças de até 3 anos de idade, teve o pátio como cenário para a dramatização e contação da clássica história do Monteiro Lobato, protagonizada pela equipe de professoras.

“Foi um momento divertido para as crianças, tudo pensado com muitas cores e atrativos para os pequenos. Datas como essas não podem deixar de ser comemoradas, principalmente na Educação Infantil”, pontua a diretora do CMEI Jonas Pereira.

Os CMEIs Noronha Filho, Valquíria Ferraz, Teresinha de Jesus, entre outros, também vivenciaram a data com atividades coordenadas pelas equipes pedagógicas, incentivando a leitura, brincadeiras e muita confraternização entre os pequenos.

CMEIs na zona Sudeste serão reestruturados com retorno das aulas totalmente presenciais

Nouga conversou com as diretoras para fazer um levantamento das principais necessidades das CMEIs Fotos(Ascom/Semec)

O mês de abril começou com visitas do secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso, a Centros Municipais de Educação Infantil na zona Sudeste de Teresina. Nesta sexta-feira (01), o secretário, acompanhado do coordenador do Grupo de Trabalho Programa de Desenvolvimento da Educação, Reinaldo Ximenes, esteve nos CMEIs Chico Xavier e Vila Poty II.

Nouga conversou com as diretoras para fazer um levantamento das principais necessidades. Também conferiu a infraestrutura dos prédios e passou nas salas de aula para avaliar a quantidade de alunos frequentando as atividades presenciais. As unidades de ensino seguem em sistema de rodízio das turmas, com 50% das crianças em aulas presenciais e a outra parte com atividades em casa.

No CMEI Chico Xavier, a diretora Cristiane Vieira agradeceu a presença do secretário e afirmou que já tem o planejamento para o retorno 100% presencial. “A comunidade quer, a equipe da escola está organizada e logo estaremos com todas as crianças em sala de aula novamente, de forma segura e responsável”, disse a gestora. A escola atende 358 alunos do bairro São Sebastião e região.

O CMEI Vila Poty II funciona em um prédio de estrutura pequena, onde Nouga anunciou uma ampla reforma, começando por melhorias na parte externa. São atendidas 131 crianças do Maternal ao II Período. “Somos como uma família, trabalhando sempre com muito carinho por essas crianças, por isso a reforma nos deixa ainda mais animados. É muito bom poder receber um gestor como o secretário Nouga em nossa escola, gente como a gente, que nos dá liberdade para falar sobre as dificuldades e esperança em busca de avanços”, declara a diretora Maria José Alves.

Novos Cmeis passam por avaliação para garantir pleno funcionamento

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) está fazendo um acompanhamento das principais necessidades dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) inaugurados nos últimos dois anos. Apesar de novas, algumas unidades de ensino apresentam problemas estruturais e precisam de uma avaliação da equipe técnica, sobretudo porque ficaram fechados durante a pandemia de Covid-19.

“Estamos indo aos Cmeis construídos nos anos de 2020 e 2021 buscando identificar as principais demandas para que eles tenham condições de funcionamento pleno. Saber o que ainda há de necessidade de recursos e/ou equipamentos para serem encaminhados a estas unidades e assim garantindo todo o funcionamento da Rede Municipal de Educação”, explica o secretário executivo de Ensino, Kleytton dos Santos.

Durante esta semana foram vistoriados os Cmeis Eduardo Campos e Professora Noélia Maranhão da Costa e Silva. Nos próximos dias o cronograma da Secretaria prevê o acompanhamento de outras unidades de ensino.

“Nestas visitas técnicas e pedagógicas a gente analisa o funcionamento destes Cmeis, que são de tempo integral. Alguns passaram a funcionar na modalidade presencial neste ano de 2022 e ajustes precisam ser feitos para que atendam da melhor forma possível aos alunos e profissionais da educação”, diz a coordenadora das Escolas de Tempo Integral da Semec, Regina Amorim.

Prefeitura vai beneficiar cinco mil crianças com implantação de 20 novas CMEIs em Teresina

Reunião discutiu a concepção da modelagem do projeto de implantação e operação de 20 novos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) Fotos(Ascom/Semplan)

A Prefeitura de Teresina, por meio da Coordenação Especial de Concessões e Parcerias, vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), discutiu, nesta quarta-feira (9), a concepção da modelagem do projeto de implantação e operação de 20 novos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), além de atualizar as próximas etapas deste trabalho.

Com a aplicação deste projeto, o município busca beneficiar cerca de cinco mil crianças que atualmente não possuem acesso a este tipo de serviço, sendo um investimento de mais de R$ 160 milhões na educação do município. No final do prazo da concessão, todas as unidades, incluindo os bens e mobiliários, permanecerão com a Prefeitura.

Representando o prefeito Dr. Pessoa, o secretário de Governo, André Lopes, participou do encontro. “Sem dúvidas, esse projeto tem uma concepção muito positiva, são quase cinco mil crianças com oportunidade de entrar na escola. Esse é um trabalho que vem de encontro ao Plano de Governo do Prefeito Dr. Pessoa e que, com certeza, ele verá com bons olhos”, explicou André.

Durante o encontro, foram pautadas modelagens para se adotar na implantação dos Centros de Educação Infantil. O objetivo é beneficiar áreas estratégicas da cidade de forma simultânea. O regime de operação de cada creche será definido anualmente pela Secretaria Municipal de Educação (SEMEC).

A oferta de novos CMEIs proporcionará às famílias de baixa renda a oportunidade de deixar seus filhos em espaços educacionais, que funcionem em dois turnos adequados para o desenvolvimento integral de suas crianças. Dessa forma, o município também proporciona a ampliação de oportunidades de emprego para a população.

“Hoje nós apresentamos à equipe da Prefeitura os pontos que estão sendo trabalhados pela equipe do BNDES. Já avançamos bastante nesse diálogo e temos o objetivo de trazer essa modelagem a outras capitais. É um projeto importante, não só pelos investimentos no município, mas pela prioridade em investir em educação. É uma meta nossa concluir esse projeto junto ao município e entregá-lo ainda na gestão do prefeito Dr. Pessoa”, explicou Robson Hermes, representante do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Os projetos de arquitetura entregarão soluções de sustentabilidade, além de remediar importantes passivos ambientais que possam ser detectados nos espaços de implantação desses novos Centros Municipais de Educação. Projetos similares a esse já funcionam com êxito em outras capitais, como Belo Horizonte (MG), sendo um sucesso há mais de 10 anos.

“Tivemos uma explanação do andamento desse projeto por parte da equipe do BNDES. O município hoje trabalha para a conclusão dos trâmites dos terrenos onde devem ser implantadas essas CMEIs. Esse é um projeto inovador e de excelentes resultados em Belo Horizonte, referencia no país, e que vai transformar a educação de Teresina e será uma grande conquista da gestão do Prefeito Dr Pessoa”, concluiu Karita Allen, secretária executiva de Planejamento Estratégico e Gestão (Seplag/SEMPLAN), representando o Secretário de Planejamento João Henrique Sousa.

A Prefeitura busca, por meio deste encontro, avançar com as tratativas referentes aos próximos passos, como a divulgação para Consulta Pública, um mecanismo de transparência utilizado para obter informações, sugestões e opiniões sobre o tema junto à sociedade.

Semec e Plan Internacional selam parceria

O secretário de Educação, Professor Nouga Cardoso e o secretário Executivo de Ensino, Professor Kleytton Santos receberam a apresentação do projeto Cambalhota. O projeto que busca promover os direitos das crianças e a igualdade para meninas, idealizado pela organização Plan Internacional, que tem como coordenadora no município por Aline Xavier.

Com o foco nas escolas e Centro Municipal de Ensino Infantil – CMEIs da zona rural de Teresina, o projeto Cambalhota tem como objetivo o fortalecimento da dentro da metodologia dos professores, da Educação Infantil e Educação Básica, temáticas que visem a autoproteção das crianças para que as mesmas consigam identificar casos de violência e exploração sexual.

“Ficamos muito felizes de ter a possibilidade de desenvolver projetos como esses que promovem proteção e segurança para as nossas crianças para além dos muros da escola”, ressalta o Secretário de Educação, professor Nouga Cardoso.

SOBRE A PLAN INTERNATIONAL BRASIL

Fundada em 1937, A Plan International é uma organização humanitária e de desenvolvimento não governamental e sem fins lucrativos, que promove os direitos das crianças e a igualdade para as meninas. No Brasil desde 1997, implementa projetos no Maranhão, Piauí, Bahia e São Paulo. Suas estratégias de incidência política e mobilização social pautam as demandas das meninas em novos espaços do Legislativo, Executivo e na sociedade civil, alcançando todo o território nacional.

Encontro reúne Superintendentes e gerentes de ensino da Semec

Na manhã desta quinta-feira (03), no auditório do Centro de Formação Odilon Nunes, superintendentes e gerentes de ensino da Secretaria Municipal de Educação (Semec) estiveram reunidos para alinharem as ações pedagógicas para o ano letivo de 2022.

Apresentação de novas ideias e a troca de vivências dos profissionais e as perspectivas para o início do ano letivo de 2022, nortearam os conteúdos apresentados durante o encontro. Vários profissionais apresentaram suas propostas e objetivos a serem alcançaram no novo ano letivo municipal, destacando as conquistas já alcançadas e no que pode melhorar mais, atendendo aos estudantes da rede municipal.

O início do ano letivo é sempre muito desafiador, especialmente pelo momento vivido pela sociedade com o aumento dos números de casos de covid na cidade de Teresina. Contudo eventos proporcionados pela Semec junto à toda comunidade escolar demonstram o esforço e compromisso da Secretaria em manter a qualidade do ensino ofertado pela rede.

“Os projetos desenvolvidos pela secretaria devem estar alinhados com as superintendências e gerências para ofertar melhores informações para a comunidade sobre os projetos e ações desenvolvidas para o início das aulas”, disse o secretário executivo de Ensino, professor Kleytton dos Santos.

Para a superintende da Educação Infantil dos Centros Municipais de Ensino Infantis – Cmeis da zona Sul de Teresina, professora Célia Rejane, os encontros são de extrema importância, pois há a necessidade de troca de experiências e ter mais interatividade entre os profissionais. Também uma oportunidade para avaliar o passado e decidir as ações a serem implementadas.

Semec disponibiliza 1.641 novas vagas para alunos do Maternal I e II

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) anunciou nesta quarta-feira (02) novas vagas para alunos do Maternal I e Maternal II da Rede Municipal de Educação de Teresina. Serão ofertadas mais 1.641 vagas em 44 Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) das zonas sul e sudeste da capital.

Fotos: Ascom Semec

“A procura por vagas para crianças de 2 e 3 anos de idade nos Cmeis é crescente e a Secretaria está buscando atender, na medida do possível, essa demanda. Essas novas vagas se somam às mais de 3.400 já anunciadas na semana passada, chegando a um total de aproximadamente 5.100”, afirma o secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso.

Os pais ou responsáveis devem inscrever os alunos levando a documentação ao CMEI mais próximo de casa. É necessário apresentar carteira de trabalho ou recibo de pagamento ou contracheque ou declaração do empregador (cópia) ou autodeclaração de empregado; comprovante de residência, de preferência conta de água, com nome e endereço da mãe (cópia); cartão do Programa Bolsa Família (cópia) e certidão de nascimento da criança (cópia).

Depois da análise da documentação, a Semec divulgará a relação nominal dos alunos aptos à matrícula e fará a efetivação. O início das aulas acontece no dia 14 de fevereiro.

Confira quantitativo das novas vagas por escola: Quantitativo de vagas por escola

 

Semec anuncia matrículas para alunos do Maternal I e II com mais de 3 mil vagas

Será nos dias 31/01 e 01/02 o período de inscrições para crianças de 2 e 3 anos de idade nos Centros Municipais de Educação Infantil. A Secretaria Municipal de Educação (Semec) anunciou nesta quarta-feira (26) o quantitativo de vagas para as turmas de Maternal I e Maternal II em 78 CMEIs da capital.

“A divulgação das vagas aconteceu após a efetivação das matrículas dos anos escolares prioritários e um monitoramento das escolas que estão prontas para receber crianças nessa faixa etária, com sala de aula adequada e professores”, pontua o secretário executivo de Ensino da Semec, Kleytton dos Santos.

São 3.175 novas vagas em todas as zonas da cidade. Os pais ou responsáveis devem inscrever os alunos levando a documentação ao CMEI mais próximo de casa. É necessário apresentar carteira de trabalho ou recibo de pagamento ou contracheque ou declaração do empregador (cópia) ou autodeclaração de empregado; comprovante de residência, de preferência conta de água, com nome e endereço da mãe (cópia); cartão do Programa Bolsa Família (cópia) e certidão de nascimento da criança (cópia).

Após a análise da documentação, a Semec divulgará, no dia 03 de fevereiro, a relação nominal dos alunos aptos à matrícula. A efetivação acontece dia 04 e o início das aulas no dia 14 de fevereiro.

 

Confira o quantitativo de vagas por escola

Vagas Maternal I e II-2022

Famílias desabrigadas serão transferidas para duas CMEIs na zona Norte

O Comitê emergencial do período chuvoso, em reunião realizada na manhã desta terça-feira, (25), decidiu que as famílias em situação de desabrigo que estão em escolas municipais serão transferidas para duas CMEI localizadas na zona Norte de Teresina. As famílias acolhidas na Escola Municipal Dilson Fernandes serão transferidas para a CMEI Tia Jane e as famílias da Escola Municipal Iolanda para a CMEI Helena Medeiros.

O secretário da Semcaspi, Allan Cavalcante, ressaltou que as transferências terão início nesta quinta-feira, (27) e seguirão até sexta-feira, (28).

“Tendo em vista, o retorno das aulas e a aplicação de provas para o concurso público da Polícia Militar, que acontecerá neste final de semana, das três unidades escolares que estão servindo para abrigar famílias duas serão desocupadas e irão para outras unidades bem próximas. Para não ter problemas em relação a distância. A gente construiu este entendimento também com as famílias, na base do diálogo e democracia”, pontuou.

Allan Cavalcante alerta para as famílias que estavam em áreas de risco e estão sendo acolhidas na casa de familiares ou mesmo de aluguel devem buscar as SAADs para efetuar cadastro aos benefícios sociais.

“Todas as famílias que moram em situação de risco e que estão acolhidas ou que passaram a viver de aluguel, é importante realizar o cadastro junto das SAADs da região onde mora. Com este cadastro, as famílias terão acesso aos benefícios do Programa Cidade Solidária, como o valor do aluguel social de R$300, o kit acolhimento, kit limpeza e kit higiene”, ressaltou.

As famílias que moram em áreas de risco devem, em caso de emergência, acionar a Defesa Civil Municipal por meio do 199, para que ocorra o monitoramento da residência e o cadastro inicial. O atendimento da Defesa Civil Municipal é 24h.

 

Serviço Florescer é símbolo de acolhimento às mulheres e suas crianças em Teresina

Nativa do nordeste, o mandacaru é uma planta encontrada no semiárido nordestino. Sobrevivendo a longas temporadas de secas e repleta de espinhos, ela floresce. Com essa lição e símbolo, a Prefeitura de Teresina, através da Secretaria de Políticas Públicas Para Mulheres (SMPM), aperfeiçoou um dos programas da casa e renomeou como “Florescer”, onde acolhe e empodera mulheres e suas crianças em situação de vulnerabilidade em Teresina. Com três unidades, localizadas na zona Sudeste, Norte e zona Rural de Teresina, o serviço possui previsão de inauguração de mais uma unidade na região Sul, até o fim deste ano.

Fundado em 2015, o Florescer inicialmente foi pensado para mulheres e crianças de um a dois anos e onze meses, com 100 vagas em cada unidade. “Antigamente o serviço funcionava apenas para mães. No entanto, após uma série de estudos e pesquisas, percebemos a necessidade de fazer o serviço ser voltado para vez mais para mulher”, explica a secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Karla Berger. “Por conta disso, após a reformulação na atual gestão da Prefeitura de Teresina, através do Doutor Pessoa, o serviço funciona de portas abertas para toda e qualquer mulher de Teresina em situação de vulnerabilidade”, ressalta a secretária.

Ao completarem três anos, as crianças são encaminhadas para as CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil). Hoje, o Florescer funciona de portas abertas para todas as mulheres dos bairros que estão em situação de vulnerabilidade. “Foi um passo muito positivo no serviço, ele se tornou verdadeiramente mais acolhedor para a mulher teresinense que mora em comunidade, que vive vulnerabilidades econômicas, sociais, psicológicas e outras violências”, ressalta Nathalie Ciarlini, psicóloga da SMPM.

Nathalie ainda explica que o local não configura como creche. Enquanto a mãe está em atividades do serviço ou indo ao trabalho, a criança fica no local realizando atividades educativas e socioemocionais. Ainda assim, quando completa três anos, a criança possui uma vaga garantida em uma escola do município. “É outra vantagem do programa, uma vez que garante a inserção educacional das crianças”, pontua a psicóloga.

Um ponto de começo e recomeço

O trabalho desenvolvido no Florescer segue pilares de cidadania e dignidade à mulher de Teresina. Visando o empoderamento financeiro são ofertados cursos como manicure e pedicure, balconista de farmácias e atendimento. Todas as capacitações são realizadas em parceria com a Fundação Wall Ferraz, entre outros.

“São oportunidades que essas mulheres nunca tiveram para além do lar. Elas se empoderam, se enxergam como capazes. É o benefício da qualificação: atribuir poder para elas”, conta Maria Lourdes, a Malu, coordenadora do Florescer Sudeste.

Benildes Machado, uma das mulheres atendidas pelo serviço, reforça o que foi dito pela coordenadora. A dona de casa, que não tem emprego fixo e possui um filho atendido pelo Florescer, se formou como manicure profissional e pretende ter um empreendimento para sua liberdade financeira. “Abracei o curso como todas as amigas atendidas. Olha, é empoderador saber que podemos exercer um trabalho feito com as nossas mãos. Dignifica-me”, conta a mulher.

Outro ponto trabalhado dentro do projeto de aperfeiçoamento do Florescer é a introdução do atendimento psicológico nas unidades. Nas três unidades, as coordenadoras relataram que a terapia foi bem aceita entre as mulheres.

“Saúde mental é um tema de urgência. Na zona Rural, ainda há um estigma sobre apoio psicológico, por ser algo cultural e do machismo, claro. A mulher é construída para ser forte, um pilar da família, que não pode demonstrar ‘fraqueza’. Mas elas receberam muito bem, querem participar e estão assíduas nas sessões, o que mostra que o cuidado não é apenas com o corpo, mas com a mente”, contou a coordenadora do Florescer Salobro, Layse Oliveira Leal.

O Florescer é um ponto de começo. Dentro dos programas, as mulheres criam amizades e vínculos com as atendidas e funcionárias. Grupos de danças, como os realizados pelo Florescer Norte, foram iniciativas das próprias mulheres para estarem cada vez mais conectadas.

Em Teresina, serviço da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres desenvolve atividades para integrar mulheres e crianças em situação de vulnerabilidade. Foto: Divulgação (SMPM)

Grupos de aplicativo WhatsApp, compostos por mulheres estão presentes em todos os núcleos, são uma forma de comunicação externa para compartilhar fotos dos momentos, prestar depoimentos e agradecimentos. As Sun Flowers, mulheres mães que construíram o grupo de dança do Florescer Norte, criaram o Instagram das atividades das dançarinas. Na biografia da rede social, se identificam como trabalhadoras, empoderadas e lindas.

“É um ponto de começo e recomeço para muitas delas. O serviço tem muitos dos símbolos que carrega, o mandacaru que floresce, apesar dos seus espinhos, são como essas mulheres, com dores, mas reconhecem sua beleza, sua força, seu poder feminino. As ações do serviço abrem essas oportunidades. Ela floresceu de verdade, tudo se conecta, funciona. Muda vidas de verdade e para melhor”, afirma Maria Lourdes, coordenadora do Florescer Sudeste.

Ainda por conta da comunicação, foi que Francilene Cavalcante, de 48 anos, conseguiu montar seu próprio negócio. A mulher, que era atendida pelo Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência – Esperança Garcia (Creg), outro serviço oferecido pela SMPM, passou a ser acompanhada pelo Florescer e realizou um curso de artesanato.

Ela começou a frequentar o serviço sem compromisso, através de amigas pelo WhasApp, mas desde que foi inserida, é uma das mulheres mais assíduas do Florescer. Através das amigas que conquistou no serviço, é motivada diariamente a fabricar seus produtos e vender para comunidade. “Aqui sinto vontade de viver”, conta emocionada. “Fiz amigas, faço acompanhamento psicológico e sou muito bem tratada. Sou uma nova mulher”, finaliza.

Foto: Divulgação (SMPM)