Prefeito solicita apoio do Exército no combate ao coronavírus

O prefeito Firmino Filho solicitou apoio do Exército para cumprimento do decreto que impõe medidas restritivas para evitar a proliferação do coronavírus na capital. Neste sábado, o secretário de Governo, Fernando Said e o presidente da FMS, Manoel Moura Neto, estiveram com o comandante do exército, tenente-coronel Márcio Costa no 25BC para tratar do assunto.

O pedido é de apoio na segurança e também na orientação dos trabalhos das unidades de saúde. “Teresina está passando por um momento difícil. Por isso, contactamos o Exército para que coloque a disposição da cidade de Teresina o seu efetivo, buscando garantir as condições de segurança dos serviços essenciais, especialmente na questão da saúde e, ao mesmo tempo, colaborando com outras forças para que possamos ter a garantia de ordem na nossa cidade”, destacou o prefeito.

Em Teresina já há, até a manhã deste sábado (21), quatro casos confirmados do novo coronavírus. Dezenas de casos estão notificados e outros suspeitos. Em pronunciamento nas redes sociais, o prefeito também anunciou novas medidas restritivas que deverão ser adotadas na capital, como a suspensão do funcionamento de todos os estabelecimentos comerciais, de serviços e industriais, bem como as atividades de construção civil.

Mercados, supermercado, farmácias, padarias, postos de combustíveis, distribuidoras de água e gás, e estabelecimentos que produzem produtos de limpeza e higiene podem ser mantidos. Bares e restaurantes devem ser fechados e funcionar apenas os serviços de delivery. “O Exército sabe da gravidade do momento. Sei do altruísmo e grandeza do nosso Exército. Temos certeza que ele não deixará de atuar em prol da nossa gente”, finalizou o prefeito.

SDU Centro Norte e FMS realizam ação para combater Aedes Aegypti

Com o objetivo de combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro-Norte está realizando todos os dias limpeza em locais indicados pela Fundação Municipal de Saúde como áreas identificadas com risco para a proliferação do mosquito.

As equipes de limpeza atuam em diferentes bairros da região executando ações de capina, retirada de transbordo e limpeza de galerias. No período chuvoso as equipes estão atentas aos focos de mosquito da dengue, já que o maior volume de chuvas facilita a reprodução do mosquito. Todos os dias mais de 300 homens trabalham de forma contínua e programada na área central da cidade e na zona norte.

O gerente de Serviços Urbanos, José Neto, explica que o trabalho em parceria com a FMS é essencial no combate aos focos de proliferação dos mosquitos. “A Fundação nos envia as localizações que precisam de uma atenção redobrada para que sejam combatidos os focos. Com isso, estamos conseguindo eliminar a proliferação”, pontua.

Neto reforça que além dos trabalhos feitos pelas equipes é importante que a população colabore. “Precisamos contar com a parceria dos moradores no sentido de evitar jogar lixo em locais inadequados. Essa atitude pode gerar novos focos de mosquitos da dengue. Se a população identificar pontos de descartes irregulares podem denunciar através do aplicativo Colab”, completa.

Nesta sexta-feira (28) as equipes fazem limpeza nos seguintes bairros: Leonel Brizola, Pirajá, Vila Mocambinho III, Real Copagre, Cabral, Parque Alvorada, Poti Velho, Mocambinho, Buenos Aires, Ilhotas, Santa Maria, Centro. Além disso, equipes de manutenção de área verde atuam no Parque da Cidadania, nas Praças da Bandeira, Rio Branco, Fripisa, no canteiro central da Avenida Frei Serafim e ainda no terminal rural, próximo ao Estádio Lindolfo Monteiro.

 

FMS divulga fluxo de atendimento para possível combate ao Coronavírus

Ascom/FMS

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina divulgou, recentemente, o fluxo de atendimento a ser seguido nos estabelecimentos de saúde diante de possíveis casos suspeitos de Coronavírus, família de vírus que causa infecções respiratórias e que se alastrou na China. Nessas situações, a equipe de saúde notificará a FMS, observando o quadro clínico e o roteiro de viagem do paciente nos últimos 14 dias.

O fluxo de atendimento elaborado pela FMS leva em consideração as normas do Ministério da Saúde. Assim, o paciente com suspeita dessa infecção ficará em local isolado e deverá utilizar máscara de proteção. Na assistência, o estabelecimento de saúde colherá amostra de secreção respiratória, para realização de exames. Se o caso for grave ou o paciente precisar de internação, o Hospital de referência é o Natan Portela.

No Piauí, não há nenhum caso suspeito do novo Coronavírus. “Estamos discutindo ações que esperamos que não se efetivem, mas sabemos que existe uma possibilidade de haver casos e temos que estar preparados. Na FMS, a nossa equipe elaborou notas técnicas de apoio aos profissionais, plano de contingência e está organizando capacitações para um possível enfrentamento ao vírus”, explica o presidente da FMS, Charles Silveira.

A diretora de vigilância em saúde da FMS, Amariles Borba, explica que ainda não há vacina ou medicamento específico para combater o Coronavírus, mas há medidas de suporte que devem ser implementadas. “No atendimento, deve-se levar em consideração, por exemplo, os demais diagnósticos diferenciais pertinentes e o adequado manejo clínico. Antes de considerar caso suspeito, é preciso que a equipe de saúde descarte primeiro doenças respiratórias comuns”.

Médico infectologista alerta para sintomas e prevenção

De acordo com o médico infectologista da FMS, Kelsen Eulálio, essa nova doença e os seus sintomas ainda são alvo de estudo pelos pesquisadores. “Mas os dados mais atuais apontam que os sintomas envolvem, principalmente, problemas respiratórios. A pessoa pode apresentar tosse, febre, dificuldade de respirar. É preciso que a população fique atenta para os sinais, principalmente se esteve na China ou tiver tido contato com alguém que veio desse país”.

O médico infectologista alerta a população sobre as medidas de prevenção, que incluem higienizar mãos com água e sabão ou com álcool em gel; cobrir nariz e boca ao tossir ou espirrar; não tocar nos olhos, nariz e boca com mãos sujas; manter cartão de vacina atualizado; e fazer limpeza e desinfecção de superfícies. “Já no ambiente hospitalar, se tiver algum caso suspeito, a equipe deve usar todos os equipamentos de proteção individual”, elenca.

Ação de prevenção ao Aedes é realizada no Mário Covas e Todos os Santos neste sábado (30)

A reprodução do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, não escolhe bairro ou casa: ele precisa apenas de locais com água parada. Por isso, o cuidado para evitar a sua proliferação deve ser feito por todos. Em uma ação de colaboração com a população a Prefeitura de Teresina promove a Faxina nos Bairros, atividade semanal que neste sábado (30), a partir das 8h, visita os bairros  Mário Covas e Todos os Santos, zonas Sul e Sudeste da capital.

A Faxina nos Bairros é uma atividade de limpeza e educação organizada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) em parceria com as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) de cada área. “A ideia é que toda a população dedique um dia da semana para verificar todos os possíveis focos do mosquito, fazendo uma limpeza geral em sua residência e impedindo a reprodução do Aedes”, comenta Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS.

Durante a semana os moradores são avisados pelos agentes de saúde e endemias a fazerem uma limpeza em suas casas e depositarem nas calçadas todo o material inservível para que seja coletado pela equipe de limpeza, especialmente aqueles de grande porte que não são recolhidos pela limpeza regular.

As equipes se encontram em um local e de lá saem percorrendo um quadrante determinado para a limpeza. Neste sábado, na zona Sul, será o quadrante formado pelas quadras T e S da Rua João Soares. Já na zona Sudeste o quadrante percorrido será aquele formado pela estrada da Usina Santana, estrada de Ferro, Rua Linha de Ferro e Rua João Felinto.

A Faxina nos Bairros tem o objetivo de incrementar as ações de controle vetorial da FMS e desde então contribuiu para redução em torno de 50% da incidência de casos de dengue, chikungunya e zika em Teresina. A principal ação para a prevenção dessas doenças é evitar o nascimento do mosquito da dengue, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação.

 

Enfrentamento ao feminicídio será tema de roda de conversa nesta quarta (20)

A lei define feminicídio como o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino. Para falar mais sobre a temática será realizada uma roda de conversa nesta terça-feira (19), no  Amor de Tia da zona Sudeste, localizada na Rua Santa Luzia, no Alto da Ressurreição. A atividade terá programação a partir das 10h da manhã. No turno da tarde, o evento acontece às 16h.

A assistente social da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Caroline Leal, e a Coordenadora do Centro de Referência Esperança Garcia, Roberta Mara, irão mediar a roda. A ação já faz parte do projeto de 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, que tem início no dia 25 de novembro, dia internacional da não violência contra à mulher.

“Na oportunidade vamos falar sobre as formas de enfrentamento ao feminicídio, um problema que tem sido alarmante na nossa capital, e sobre a campanha do Laço Branco, que é em referência ao dia 06 de dezembro, dia internacional de erradicação da violência contra a mulher”, explicou a assistente social da SMPM, Caroline Leal.

Laço Branco

O Dia Mundial de Erradicação da violência contra as mulheres foi escolhido em alusão a um episódio que aconteceu numa escola do Canadá no dia 06 de dezembro, onde um homem entrou armado na unidade e assassinou 14 mulheres, se suicidando logo em seguida. Entre as primeiras campanhas que aconteceram no Canadá, foram distribuídos milhares de laços brancos para os homens como forma de protesto pelo direito das mulheres.

Cerca de 140 escolas participam de campanha de combate à hanseníase e verminoses

Ascom/FMS

Manchas suspeitas, sem sensibilidade, são sinais de hanseníase, doença silenciosa que pode trazer consequências graves. Em uma ação para combater a doença, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) lançou hoje (18) a Campanha Municipal de Combate à Hanseníase e Verminoses, na Escola Municipal Cristina Evangelista, zona Sul da capital.

A campanha contempla crianças e adolescentes entre os seis anos e menores de 15 anos de cerca de 140 escolas do município. Como informa Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS, a detecção de casos nesta faixa etária leva à busca também entre familiares e adultos próximos, uma vez que a transmissão se faz por meio de gotículas de saliva e são proeminentes entre pessoas de convívio íntimo e familiar.

“Ninguém nasce com hanseníase, então se a criança tem é provável que exista um portador que contaminou. Por isso, é importante que tanto a governança das escolas como os pais e responsáveis façam adesão a essa campanha, para que possamos diminuir em breve o número de casos em Teresina”, disse a diretora.

Para isso, é adotado o chamado “método do espelho”, em que as crianças levam para casa uma ficha com um mapa do seu corpo. “É preciso que os pais examinem a criança sem roupa de frente e de costas, para ver se tem alguma mancha. Se tiver, assinalar no papel para que ela possa ser examinada pela equipe Estratégia Saúde da Família”, explica Amariles Borba. “Se existe uma consistência de que é uma suposição de hanseníase, ela será encaminhada para um especialista para fechar ou não o diagnóstico”, completa a diretora.

Já o combate às verminoses é feito com a distribuição do medicamento Albendazol 400 mg, via oral, dose única, que é tomado pela criança na escola sob a supervisão de um profissional da Estratégia de Saúde da Família. A realização dessa ação de profilaxia e de diagnóstico de hanseníase em escolares está em conformidade com as recomendações de Órgãos Internacionais como a OPAS/OMS.

A parceria entre saúde e educação é fundamental para a realização de ações pelo bem-estar dos estudantes. “A hanseníase é doença ainda com alguns preconceitos, mas nessa parceria a gente pretende avaliar as crianças de mais de 100 escolas, vendo com a participação da família se existem algum indicativo da doença para o tratamento”, disse Madalena Leal, gerente de Assistência ao Educando da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC). “Então é muito importante essa parceria, porque nem a saúde faz só nem a educação faz só, então é uma ação intersetorial de grande importância para a erradicação desta doença”, completou a gerente.

Teresina ocupa a 8ª posição nacional em casos de Hanseníase em menores de 15 anos. Em 2018, o número de casos novos diagnosticados nesta faixa etária em nossa capital foi 26 casos, o que corresponde a um coeficiente de detecção de 12,7 casos por 100.000 habitantes. Nas últimas cinco campanhas realizadas nas escolas, 39 casos da doença foram diagnosticados.