FMS reforça serviços de saúde mental durante a pandemia

O isolamento social, medida necessária para conter a disseminação do novo coronavírus, e os medos e inseguranças relativos à doença podem trazer efeitos nocivos na saúde mental da população. Pensando nisso, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) reforçou os serviços de saúde mental, por meio da implantação do teleatendimento para facilitar o acesso sem precisar sair de casa, como as consultas psicológicas do Alô Saúde Teresina e o serviço de saúde mental voltado para servidores da instituição. Além disso, manteve a assistência nos sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e também o Provida, específico para atender pessoas com ideação suicida.

Por meio de uma ligação gratuita para o número 0800 291 0084, os teresinenses podem ter acesso ao serviço de psicologia do Alô Saúde Teresina. Durante os atendimentos, os psicólogos da FMS irão escutar e avaliar quais as principais queixas, sintomas e limitações causadas no indivíduo em decorrência do distanciamento social ou da Covid-19. “Todo o atendimento será sigiloso. Se houver necessidade, os profissionais indicarão a periodicidade da teleconsulta necessária ou poderão fazer encaminhamentos para a rede de saúde mental”, conta Isabel Karine, gerente de Saúde Mental da FMS. Desde o início do serviço, no começo de maio, mais de 900 atendimentos foram realizados.

Já os trabalhadores da saúde, que enfrentam uma carga psicológica muito grande diante da exposição ao risco e gravidade dos casos que atendem, têm ao seu dispor um atendimento específico, feito por plataforma virtual e mediante agendamento. Os interessados podem marcar sua consulta por meio do número (86) 99516-7820, nos horários de 8h às 12h e de 12h às 18h, de segunda a sexta. “Durante o agendamento, basta o servidor informar sua lotação e número de matrícula”, esclarece a gerente de saúde mental da FMS.

Ela explica que a criação desses serviços se deu para evitar o aumento nos casos de transtornos mentais em função do isolamento e dos temores diante das incertezas acerca de uma doença ainda tão desconhecida como a Covid-19. “Estudos apontam que, durante o período de pandemia, cerca de 1/3 da população vai apresentar algum sofrimento psíquico. Temos observado também que as pessoas têm desenvolvido alguns transtornos como TOC, depressão e ansiedade, em função da situação em que vivemos”, comenta.

Os sete CAPS seguem em funcionamento nos dias úteis, das 8h às 11h e das 14h às 17h, e estão voltados para atendimento de pessoas em situação de crise psiquiátrica. Esses locais realizam a triagem e o acolhimento de pacientes que buscam espontaneamente o serviço, além de atendimento ambulatorial nas áreas de psiquiatria e psicologia durante a pandemia. A entrega de medicação também está funcionando.

Há ainda o Provida, ambulatório que conta com psicólogos e psiquiatras para atender pacientes com comportamento suicida e que funciona dentro do Centro de Saúde Lineu Araújo. O serviço funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h, e conta atualmente com três psicólogos e dois médicos psiquiatras. “O atendimento no Provida é por demanda espontânea, ou seja, não precisa de agendamento prévio”, ressalta Isabel Karine.

Em caso de urgências psiquiátricas, como surto psicótico e tentativa de suicídio, é possível chamar uma ambulância do SAMU, por meio do número gratuito 192, ou ir diretamente ao Hospital Areolino de Abreu, que é referência para esse tipo de atendimento e conta com médicos psiquiatras.

Prefeitura de Teresina recebe 10 respiradores mecânicos doados pelo Ministério da Saúde

A Prefeitura de Teresina recebeu, na manhã da última quarta-feira (01), 10 novos respiradores mecânicos doados pelo Ministério da Saúde. Os equipamentos servirão para ampliar leitos de estabilização e de UTI nos hospitais da rede municipal, reforçando o cuidado a pacientes com quadro grave da Covid-19.

A diretora de Atenção Especializada, Jesus Mousinho, afirma que disponibilização desses equipamentos representa um avanço na saúde pública da capital. “Antes da pandemia já tínhamos 100 respiradores na rede. Depois adquirimos mais 119. Esses equipamentos são importantes para dar suporte de ventilação ao paciente, aumentando a possibilidade de sobrevida”, explica.

Estima-se que, aproximadamente, 5% dos pacientes com covid-19 acabam sofrendo a chamada síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) e precisam ser intubados. Nesse sentido, a disponibilização desses equipamentos é fundamental para dar a assistência aos pacientes. Desde o início da pandemia, a Prefeitura tem trabalhado para estruturar a rede de saúde da capital de forma a atender todos os pacientes vítimas da doença.

Além de classificar 25 Unidades Básicas de Saúde exclusivas para atendimentos a pacientes com Síndromes gripais, A Prefeitura de Teresina também estruturou Hospitais de Campanha com leitos clínicos, estabilização e ainda leitos de Unidade de Terapia Intensiva. A disponibilização dessas estruturas com capacidade de atendimento aos pacientes é também uma das condições estabelecidas pela Prefeitura de Teresina para dar início à reabertura das atividades econômicas.

Mais de 100 pessoas com Covid-19 tiveram alta hospitalar no Hospital de Campanha em Teresina

Ascom/FMS

Há mais de um mês em funcionamento, o Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi, administrado pela Prefeitura de Teresina, já registrou a internação de 180 pacientes com Covid-19. Desse total, 111 ficaram recuperados da doença e 42 permanecem internados no local. Houve ainda 20 pessoas que tiveram o quadro de saúde agravado, tendo sido estabilizadas e transferidas para leitos de UTI.

De acordo com a diretora geral da unidade, Gina Nogueira, recentemente a FMS instalou um tanque criogênico para armazenamento de uma maior quantidade de oxigênio para uso no hospital. “A empresa contratada para fornecer gases medicinais para Teresina estava com dificuldade para nos entregar a quantidade de cilindros de oxigênio suficiente. Mas a situação já foi resolvida com aluguel de um tanque que veio do estado do Pará”, explica.

Sediado na quadra de Badminton da UFPI, o Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi é uma estrutura temporária. Nesse local, as vagas de leitos são reguladas e disponibilizadas, exclusivamente, para pacientes vindos de outros hospitais e UPAS de Teresina, em ambulâncias do SAMU, e que se enquadrem em casos de baixa e média complexidades da Covid-19. Se houver necessidade, são transferidos para outros locais de alta complexidade.

Gina explica que o Hospital de Campanha também oferece cuidados voltados para promoção da saúde dos trabalhadores. “O local conta com atendimento psicológico e realiza a busca ativa de profissionais de saúde com sintomas gripais. Diariamente, uma equipe pergunta aos servidores se eles sentem algum sintoma indicativo de Covid-19. Em caso positivo, eles são direcionados para atendimento no Hospital do Satélite. Os profissionais também podem procurar a direção da unidade para agendamento de consultas”.

Isolamento social fica entre 41,9% e 51,22% na quarta-feira

O índice de isolamento social em Teresina ficou entre 41,9% e 51,22%, na última quarta-feira (01), segundo as duas bases de dados usadas pela Prefeitura de Teresina, a startup recifense InLoco e as operadoras de telefonia celular. O percentual está bem abaixo dos 73% tido como o mínimo ideal para conter a disseminação do novo coronavírus, segundo a Organização Mundial da Saúde.

O levantamento da InLoco também mostra a situação do isolamento social por regiões da cidade, segundo o qual a zona centro-norte apresentou o maior percentual de pessoas que ficaram em casa, na última quarta-feira, com 42,96%. Em seguida vem a zona leste, com 42,87%; a zona sudeste, com 40,76%, e a zona sul, com 40,70%.

Segundo os dados da startup, os bairros que mais respeitaram o isolamento social foram Cabral (54,50%), a região da Frei Serafim (49,60%), o Aeroporto (48,60%), o Santa Rosa (47,80%) e Bom Princípio (47,47%). Quem menos respeitou as determinações para ficar em casa foi a população dos bairros Parque Juliana (32,10%), Comprida (33,55%), Acarape (35,70%), Água Mineral (35,75%) e Parque Sul (35,78%).

Com o objetivo de aumentar os índices de isolamento social em toda a cidade, a Prefeitura de Teresina vai intensificar as medidas restritivas a partir desta quinta-feira (02), até domingo (05). Com isso, algumas atividades terão restrição de funcionamento.

Medidas mais rígidas de isolamento social começam nesta quinta-feira

Estão sendo intensificadas, a partir desta quinta-feira (02), até o próximo domingo (05), as medidas de isolamento social em Teresina, restringindo o funcionamento de algumas atividades. O decreto Nº 19.868, assinado na última terça-feira (30), pelo prefeito Firmino Filho, busca conter o avanço da disseminação da Covid-19 e preparar a cidade para a retomada das atividades econômicas.

Dentre as medidas adotadas, foi decretado ponto facultativo nos órgãos públicos municipais nesta quinta e sexta-feira, para aumentar as taxas do isolamento social.

Segundo o decreto, nesta quinta-feira, estão autorizados a funcionar as seguintes atividades e estabelecimentos: mercados, supermercados, hipermercados e congêneres; panificadoras e padarias; borracharias; serviços bancários; casas lotéricas; concessionárias de veículos, exclusivamente o setor de oficina para serviço de manutenção e conserto de veículos; farmácias e drogarias; serviços de saúde; atividades de distribuição e comercialização de combustíveis, biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados do petróleo; serviços de delivery; serviços de segurança e vigilância; serviços de transporte de cargas; órgãos e profissionais de comunicação; situações comprovadas de urgências e emergências.

Já na sexta-feira (03), poderão funcionar os mercados, supermercados, hipermercados e congêneres; panificadoras e padarias; serviços bancários; casas lotéricas; atividades de distribuição e comercialização de combustíveis, biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados do petróleo; farmácias e drogarias, serviços de saúde; serviços de segurança e vigilância; serviços de delivery exclusivamente para alimentação; órgãos e profissionais de comunicação; situações comprovadas de urgências e emergências.

As restrições serão mais rígidas no sábado (04) e domingo (05). Nestes dois dias poderão funcionar apenas farmácias e drogarias; serviços de saúde; serviços de segurança e vigilância; serviços de delivery exclusivamente para alimentação e situações comprovadas de urgências e emergências.

Índice de infectados na zona Sul de Teresina cai 13%

O índice de infectados com a Covid-19 na zona Sul de Teresina apresentou uma redução de 13%, tendo passado de 34% para 21%. Os dados são da 11ª pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina entre os dias 26 a 28 de junho e demonstram o resultado do esforço da população e da gestão municipal para conter a disseminação do vírus.

“Essa redução nos números é positiva, mas sabemos que não é o momento de relaxar. Os cuidados precisam ser os mesmos. Desde o início da pandemia realizamos um amplo trabalho preventivo na região, mas depois que as pesquisas apontaram para um elevado número de casos na zona Sul, intensificamos ainda mais esse trabalho com a colaboração dos moradores”, lembrou o superintendente da SDU Sul, Paulo Roberto.

Entre as ações realizadas pela SDU estão a organização das feiras livres, principalmente no Parque Piauí, a maior da região e uma das maiores da cidade; o controle das filas nas casas lotéricas; fiscalização diária do comércio para garantir o cumprimento do decreto municipal; e sanitização de prédios públicos, veículos e mercados.

Paulo Roberto ressalta que a SDU o apoio da população sobre as medidas de prevenção ao novo coronavírus. “Acreditamos que é fundamental a participação de todos para reduzir o número de infectados, o que vai permitir o sucesso da retomada das atividades econômicas de acordo com o programado pela Prefeitura”, ressaltou.

 

PMT realiza mais 11 mil ações de sanitização em três meses de pandemia

Ascom/ SEMDUH

Há três meses a Prefeitura de Teresina realiza a sanitização de espaços públicos com grande fluxo de pessoas, seguindo o objetivo de evitar que se tornem foco de disseminação da Covid-19. Ao todo, 11.281 ações de higienização foram realizadas por equipes que percorreram agências bancárias e lotéricas, terminais de integração, grandes supermercados e locais de funcionamento essencial no período de pandemia.

“Essa é uma estratégia que vem sendo utilizada em vários países e, por aqui, iniciamos assim que surgiram os primeiros casos confirmados de Covid-19 em Teresina. Por ser uma doença facilmente transmissível por meio de superfícies sólidas, é exatamente onde atuamos fazendo a pulverização de uma solução de água com hipoclorito, utilizando bombas costais, carros pipa e fumaceiros”, explica o Secretario Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marco Antonio Ayres.

De 30 de março a 30 de junho,  2.313 sanitizações foram realizadas em Unidades de Saúde, 2.862 em lotéricas e bancos, 593 em grandes supermercados, 1.808 em paradas abertas e integradas e 202 visitas em mercados municipais. “Outros espaços como CMEIs, campus de universidades, calçadões do Centro, aeroporto, cemitérios e rodoviária também estão recebendo as sanitizações. Quanto maior a circulação de teresinenses, maior a frequência das ações feitas por nossas equipes. Nosso trabalho ainda não terminou e segue acontecendo até que estejamos em uma situação segura para a saúde de toda a população”, conclui.

As ações de sanitização acontecem de segunda a sábado, em uma parceria da SEMDUH, Fundação Municipal de Saúde (FMS) e Águas de Teresina. Por dia, são utilizados 225 Kg de hipoclorito de sódio e 15 mil litros da solução sanitizadora.

“Teresina atingiu platô de circulação do Coronavírus”, diz prefeito Firmino Filho

O prefeito Firmino Filho afirmou que Teresina já atingiu o platô de circulação do novo Coronavírus, de acordo com os dados da 11ª etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada pela Prefeitura de Teresina entre os dias 26 a 28 de junho. O resultado da sondagem apresentado nesta quarta-feira mostra também que a taxa de crescimento do vírus segue caindo, tendo chegado a 7%, e que a taxa de contágio, denominado de R0 (R-zero), continua em torno de 1.

Quanto ao número de infectados, o histórico das pesquisas mostra que o pico da Covid-19 foi entre 05 e 07 de junho, onde o número de pessoas com o vírus ativo foi de 41.340.  De lá pra cá, foi registrado o mesmo patamar de infecção ativa e, essa semana, o número de pessoas com o IgM positivo foi de 37.448. “Esses dados nos induzem a pensar que estamos dentro de um momento de platô. O R0 também vem caindo semana pós semana e estamos muito próximo de 1”, analisou o prefeito.

Durante a videoconferência com a imprensa, Firmino mostrou que, até a etapa nove o crescimento do vírus foi muito elevado e agora percebe-se uma desaceleração, com taxas cada vez menores nas últimas semanas. “Provavelmente, esse número significa o nosso pico e isso nos dá algum parâmetro para que a gente possa estimar as próximas semanas, especialmente para a tomada de decisão quanto à retomada das atividades econômicas”, disse.

O número de casos positivados nesta etapa da sondagem foi de 167.175, o que representa 29 vezes mais que os 5.856 casos confirmados oficialmente divulgados pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Desse total de positivados atestados pela pesquisa, 37.448 estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença.

O prefeito alertou que o pico de circulação do vírus não bate com o pico de internações e de óbitos, sendo necessário um esforço maior de todos para a redução dos números. “A ideia é que possamos fazer, durante todo o mês de julho, essa política de medidas mais restritivas durante os finais de semana para que possamos melhorar os nossos índices de isolamento social, dando continuidade ao nosso planejamento para a retomada das atividades de forma mais segura para a população”, destacou o prefeito, ressaltando que a Prefeitura vem fazendo sua parte e está trabalhando para aumentar a quantidade de leitos de UTI e de enfermaria.

Um dado bastante positivo nesta etapa da sondagem em relação à idade das pessoas positivadas é que os maiores de 70 anos não pontuaram e o índice ficou em 0%.  Outra faixa etária que se mostrou também com baixo índice de infecção foi a de 45 a 54 anos, com 3%.  As pessoas de 55 a 69 anos representam 8% dos positivados. Os jovens de 15 a 24 anos e as crianças e adolescente de 0 a 14 anos aparecem, respectivamente, como 18% dos casos.  Já na idade entre 25 a 34 anos esse índice sobe para 23%.  E os adultos entre 35 a 44 anos foram os mais infectados e aparecem como 31% dos positivados para a Covid-19.

A zona Norte da cidade continua com um aumento preocupante em relação ao número de pessoas positivadas para o novo Coronavírus. Nesta décima primeira etapa da pesquisa sorológica, a zona Norte aparece com 38% dos casos, na sondagem anterior esse número foi de 34%. Já a zona Sul reagiu positivamente no que diz respeito à etapas anteriores e representa agora 21% dos positivados (na sondagem anterior o índice foi de 31%). A zona Leste teve um leve aumento e aparece com 23% dos casos. A zona Sudeste segue a tendência da semana passada e o índice de positivados é de 18%.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

Firmino ressalta medidas de segurança para a retomada da economia na capital

Em participação na live “Caminhos para uma retomada sustentável: Segurança e Saúde no Ambiente de Trabalho”, promovida pelo Plantão Trabalhista, na noite desta terça-feira (30), o prefeito Firmino Filho comentou sobre as medidas adotadas pela gestão pública no enfrentamento da Covid-19 e os parâmetros utilizados pela Prefeitura para a retomada das atividades econômicas em Teresina.

Segundo o prefeito, a situação da capital é confortável em relação a outras capitais do país porque a Prefeitura adotou medidas de controle e propagação da Covid-19 com antecedência, e que os critérios para a retomada econômica no município dependem de vários fatores, que estão sendo avaliados pela equipe técnica da Prefeitura. “Cada cidade está estudando estabelecer suas próprias regras para esse retorno. Estamos investindo em estudos, como as pesquisas sorológicas, que possam nos dar um apanhado de dados sobre a evolução da Covid-19 em Teresina. Através de medidas como a melhoria da qualidade dos testes realizados e o aumento da capacidade de rastreio de pessoas infectadas, nós podemos estabelecer algumas métricas seguras para a volta das atividades econômicas na capital”, ressaltou.

Como uma das medidas que visam conter a propagação do novo Coronavírus no município, a Prefeitura de Teresina determinou aos estabelecimentos comerciais, industriais, de prestação de serviços, órgãos e instituições públicas em funcionamento façam a testagem de diagnósticos para a Covid-19 de seus funcionários. Além dos testes, os estabelecimentos deverão fazer, no mínimo a cada três dias, o preenchimento de formulário de avaliação quanto ao estado de saúde dos seus trabalhadores.

O auditor Fiscal do Trabalho, Marcelo Nascimento, que também participou da live, ressaltou que o Ministério tem realizado fiscalizações nas empresas com o objetivo de proteger os trabalhadores que já se encontram em atividade. “O Plantão Fiscal, onde recebemos denuncias de trabalhadores, está recebendo muitas demandas, principalmente dúvidas em relação a seguranças de quem continua trabalhando em atividades do serviço essencial. É preciso que o poder público esteja junto ao setor empresarial para que seja feita a fiscalização de forma correta para proteger a vida dos trabalhadores e a dos clientes”, disse.

O prefeito Firmino reforçou também importância do cumprimento das medidas de isolamento social para a realização efetiva da retomada do dia 06. “A partir da próxima quinta-feira (02) até domingo, 05 de julho, a Prefeitura de Teresina vai intensificar as medidas de isolamento social na cidade, restringindo o funcionamento de algumas atividades. Essas medidas buscam conter o avanço da disseminação do Coronavirus e preparar a cidade para o retorno das atividades econômicas na próxima segunda (06)”, comentou Firmino.

COE aprova proposta da Prefeitura de Teresina para retomada das atividades no dia 6 de julho

Em carta aberta à população, o Comitê de Operações Emergenciais (COE) da Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS) se mostrou favorável à primeira etapa do planejamento de retomada das atividades econômicas na capital. Segundo o documento, a aprovação foi fundamentada em critérios relacionados à propagação da Covid-19 e à estrutura de atendimento do sistema de saúde, mas faz o alerta de que a colaboração da população é fundamental para evitar aumento do número de infectados e de óbitos, o que obrigaria o município a voltar atrás nas medidas de flexibilização adotadas.

A carta relaciona os principais requisitos atendidos para o início da retomada das atividades em Teresina. “O número de reprodução básico (R0) / efetivo (Rt) da infeção por SARS-CoV-2 manteve-se em torno da unidade (1.0) ao longo das últimas semanas; o número de casos novos notificados manteve-se estável nas duas últimas semanas, a despeito da expressiva ampliação da testagem na população; o número de óbitos registrados também manteve-se estável nas duas últimas semanas; a taxa de ocupação de leitos clínicos (enfermaria e observação) manteve-se abaixo de 70% no mesmo período; a taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva manteve-se em torno de 70% nas duas últimas semanas, considerando-se a rede municipal, estadual e federal, sob grande ampliação da oferta de leitos e com expectativa de maior expansão nos próximos dias”.

O COE também citou outros dados para validar a proposta de retomada das atividades econômicas apresentada pela Prefeitura, como a desaceleração da taxa de crescimento da infecção pelo novo coronavírus nas últimas duas semanas e o número de testes realizados diariamente nas unidades básicas, hospitais e outros serviços de saúde, que alcançou o patamar recomendado pelas autoridades sanitárias internacionais. Também destacou o rastreio e a testagem dos contatos de casos confirmados de Covid-19, que estão em pleno funcionamento, com ampla equipe constituída para realização destas atividades.

A carta divulgada pelo Comitê ressalta, porém, que os dados disponíveis até agora indicam que Teresina está em pleno pico da epidemia, o que permite o surgimento de muitos casos novos a cada dia, com óbitos, e o risco de colapso do sistema hospitalar. “Portanto, é necessário que a população reforce as medidas de distanciamento social, quarentena, higiene pessoal e do ambiente, uso de máscaras e todos os demais cuidados relacionados à prevenção da infecção pelo novo coronavírus”, acrescenta o texto do documento.

De acordo com planejamento da Prefeitura de Teresina, a reabertura das atividades econômicas será de forma gradual, responsável e precisa ter participação da população para que a retomada não tenha retrocesso. “A colaboração da população é fundamental para que a reabertura das atividades econômicas seja viabilizada de forma segura, sem retorno de aumento de casos e óbitos que obrigue retrocesso indesejável nas medidas de flexibilização adotadas. É necessário que todos acatemos as recomendações das autoridades de saúde reforçando medidas de distanciamento social e de prevenção da transmissão; isso possibilitará que a travessia desse período delicado de nossas vidas transcorra com sucesso e tranquilidade”, encerra a carta aberta.

Carta aberta COE