Teresina registra 5 mortes por Covid-19

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) registrou no sistema a morte de cinco pessoas vítimas da Covid-19 em Teresina, nesta segunda-feira (30). Houve ainda 333 novos casos confirmados da doença. Desde o início da pandemia, no mês de março, até agora, a capital piauiense contabiliza o total de 1.165 óbitos. Os dados apontam ainda 43.207 infectados pelo novo Coronavírus e 16.740 recuperados da Covid-19.

Os óbitos registrados ontem aconteceram dias 30/09, 26/10, 21/11, 29/11 e 30/11. Foram de dois homens e três mulheres, eles tinham entre 59 e 85 anos. Apenas um não tinha comorbidade, os demais sofriam de doença renal, diabetes, fibrose pulmonar, neoplasia de fígado e artrite reumatoide.

Os órgãos de saúde recomendam várias medidas para evitar a propagação da Covid-19: lavar as mãos com frequência, usando sabão e água ou álcool em gel; manter uma distância segura das pessoas; usar máscara em locais públicos; não tocar nos olhos, nariz ou boca; cobrir o nariz e boca com o braço dobrado ou um lenço ao tossir ou espirrar; ficar em casa se estiver indisposto e procurar atendimento médico ao apresentar qualquer sintoma de síndrome gripal.

A médica infectologista do Centro de Operações em Emergências (COE) da FMS, Amparo Salmito, ressalta que a vigilância não pode parar. “O mundo assiste, em alguns países bem mais desenvolvidos que o Brasil, o retorno de confirmação de casos e, mais recentemente, as suspeitas de possíveis reinfecções”, diz.

Teresina não registra óbitos por Covid-19 neste domingo (29)

Teresina mais uma vez não notificou mortes por Covid-19 em 24 horas. É o que informa o Painel epidemiológico da Fundação Municipal de Saúde (FMS), que registrou até este domingo (29) 42.874 casos e 1160 óbitos desde o início da pandemia, além de 16.733 pessoas recuperadas da doença.

A capital segue com tendência de queda nos números de mortes por Covid-19 nas últimas semanas. De acordo com o boletim da FMS, a média móvel atual, que é calculada a cada sete dias, está em 1,57 óbitos, o que representa uma redução de 15,38% em comparação com a média móvel calculada há 14 dias (1,86).

Já a taxa de ocupação de leitos de UTI estava em 50% no dia 28 de novembro, o que representa um total de 72 internações em 144 leitos disponíveis exclusivamente para casos de infecções pelo novo coronavírus. Foi verificada uma redução de 5,15% na taxa de ocupação, comparando-se o valor calculado atual (50,0%) com o valor calculado há 14 dias (52,72%).

Apesar dos bons números, a FMS alerta que os hábitos de prevenção devem ser mantidos, para que assim o quadro de estabilidade seja mantido. Os especialistas do Centro de Operações em Emergência do município (COE) alertam para que as pessoas continuem usando máscara sempre que sair de casa e mantenham o hábito de higienizar as mãos frequentemente, além de outros cuidados, como o distanciamento social sempre que possível.

A máscara, em especial, tem se mostrado extremamente eficaz no controle da doença, como explica o infectologista da FMS e membro do Centro de Operações em Emergência (COE), Walfrido Salmito. “A OMS e todas as outras autoridades demonstraram que o uso de máscaras especificamente e isoladamente é capaz de diminuir o número de infectados pela Covid-19. Ela retém as gotículas de saliva, principal via de propagação do novo coronavírus, impedindo a transmissão da doença”, disse Salmito, pedindo à população que mantenha o acessório em todas as situações, inclusive se já estiver doente.

Walfrido Salmito ressalta que a manutenção destes hábitos permitirá que Teresina evite o aumento do número de casos. “Temos visto que, em alguns países do mundo, está acontecendo uma segunda onda de Covid, com muitos óbitos. Por isso pedimos a colaboração de todos para que isso não aconteça na nossa cidade. Tudo depende do nosso comportamento”, ressalta o infectologista.

Teresina registrou dois óbitos por Covid-19 e 280 novos casos da doença na sexta-feira

Na última sexta-feira (27), houve registro de duas mortes por Covid-19 e mais 280 novos casos confirmados da doença em Teresina. O dado é da Fundação Municipal de Saúde (FMS), que alerta para a necessidade da população seguir as recomendações de higiene e de distanciamento social para evitar a proliferação do Coronavírus.

Agora, a capital contabiliza um total de 1.158 óbitos por Covid-19, 42.312 infectados pelo novo Coronavírus e 16.726 recuperados da doença. As mortes registradas no sistema ocorreram nos dias 26 e 27 de novembro: um homem de 82 anos de idade, com doença cardiovascular e que residia no bairro Esplanada, e um homem que possuía 86 anos e tinha câncer, diabetes e doença cardíaca. Ele morava no bairro Vermelha.

“Nós lamentamos os óbitos e alertamos que, apesar da estabilização dos casos na capital, a Covid-19 ainda é uma doença nova, alvo de estudos no mundo e que a transmissão do vírus é rápida e fácil, o que faz surgir a necessidade de intensificação dos cuidados e atenção ao que falam as autoridades sanitárias”, afirmou o presidente da FMS, Manoel de Moura.

Teresina registra um óbito por Covid-19 e mais 198 casos confirmados da doença

Teresina registrou um óbito por Covid-19 e 198 novos casos confirmados da doença, nesta terça-feira (25). Agora, o município possui um total de 1.150 mortes e 41.705 infectados pelo novo Coronavírus. Os dados foram divulgados pelo Comitê de Operações Emergenciais em Saúde Pública (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Sobre o óbito registrado, a vítima faleceu no dia 23 de novembro. Tratava-se de uma senhora, de 77 anos, que tinha doença cardiovascular, considerada fator de risco para a Covid-19. Ela residia no bairro Extrema e estava internada no Hospital Universitário.

O médico infectologista do COE da FMS, Walfrido Salmito, lamenta o óbito e alerta que é grande a quantidade de pessoas com Coronavírus que não apresentam sintomas. “Ainda que a pessoa esteja assintomática, ela está infectada e é transmissora do vírus. Por esse motivo, é preciso considerar que todos estão infectados e adotar as medidas de prevenção: lavar as mãos, usar máscara e manter distanciamento”.

Teresina teve isolamento social de 38,7% na terça-feira

Teresina registrou, na terça-feira (25), isolamento social de 38,7%, segundo levantamento da startup InLoco, que faz o monitoramento diário na cidade. Com isso, Teresina ocupou a 14ª posição entre as capitais do país.

O monitoramento também mostra o desempenho por regiões da cidade, segundo o qual a zona Leste de Teresina foi a que teve o maior índice de isolamento social, com 40,42%; seguida pela zona Sul, com 38,44%, pela zona Sudeste, com 37,49%, e pela zona Centro-Norte, com 36,44%.

Quando analisados por bairros, os dados mostram que quem mais respeitou as determinações para ficar em casa foram Noivos (56,80%), São João (55,20%), Ininga (54,50%), Pedra Miúda (54,30% ) e São Sebastião (52,20%).

Na outra ponta da tabela, os bairros que registraram os menores índices de isolamento social foram Real Copagre (23,10%), Alegre (25,00%), Saci (25,40%), Recanto das Palmeiras (25,90%) e Aeroporto (26,30%).

Teresina registra 110 casos de Covid-19 nesta segunda-feira (23)

Teresina notificou ontem (23) mais 110 pacientes positivos para Covid-19, além de três mortes. O boletim diário, divulgado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) contabiliza até o presente momento um total de 41.507 casos e 1.149 óbitos pela doença desde o início da pandemia na capital, no mês de março.

Dentre as três mortes, uma ocorreu ontem (23), outra no domingo (22) e mais uma no dia 20. Foram três homens de 62, 75 e 82 anos, moradores dos bairros Lourival Parente, Saci (zona Sul) e Uruguai (zona Leste). Todos eles portavam alguma comorbidade, como diabetes, doenças cardiovasculares, pulmonares e renais.

O boletim registra ainda um total de 16.465 pessoas recuperadas da doença, entre altas hospitalares e do isolamento domiciliar. Pensando nas potenciais consequências da doença para a saúde destes pacientes, a Prefeitura de Teresina criou um novo ambulatório especializado para o atendimento de sequelas de Covid-19. O serviço funciona em dias úteis, nos turnos manhã e tarde, no Centro de Saúde Lineu Araújo. Há oferta de consultas e exames nas áreas de cardiologia, nefrologia, neurologia, pneumologia, fisioterapia, nutrição e psicologia, consideradas especialidades que contribuem para a completa recuperação do indivíduo.

Para receber atendimento no ambulatório, os pacientes que ficaram com sequelas após infecção por Covid-19 podem se dirigir às 68 Unidades Básicas de Saúde (UBS). Eles são avaliados por médicos nesses locais e, se houver necessidade, são encaminhados para o ambulatório. Já os pacientes com Covid-19 que estão internados nos Hospitais da Prefeitura, no momento da alta, podem também ser direcionados ao Centro de Saúde Lineu Araújo.

O médico infectologista e coordenador médico do COE da FMS, Walfrido Salmito, alerta que a Covid-19 pode trazer sequelas a curto, médio e longo prazos. “A Covid-19 é uma doença nova, que ainda é alvo de estudos científicos pelo mundo, mas sabe-se que a lista de sequelas dessa infecção é extensa e pode comprometer o funcionamento de diversos órgãos. Os pacientes podem, por exemplo, desenvolver pneumonia, ter disfunção renal, além de problemas neurológicos, cardíacos e pulmonares”.

Teresina tem isolamento social de 49,8% no domingo

Teresina registrou, no último domingo (22), isolamento social de 49,8%, segundo levantamento da startup InLoco. Com isso, a cidade ocupou a 13º posição entre as capitais do país. O percentual foi superior ao que foi registrado no domingo anterior e foi o maior da última semana.

Quando analisado por regiões da cidade, o isolamento social foi maior na zona Sul de Teresina, com 50,85%; seguido da zona Leste, com 48,95%; da zona Centro-Norte, com 48,46%, e da zona Sudeste, com 47,61%.

O levantamento é feito diariamente pela startup recifense e também mostra os dados por bairros da capital. Neste caso, quem mais respeitou as determinações para ficar em casa foi a população do bairro Ininga (63,85%), Distrito Industrial (61,45%), Parque Piauí (60,90%), Uruguai (60,05%) e Matinha (59,60%).

Na outra ponta da tabela, quem menos respeitou o isolamento social foi a população dos bairros Bom Princípio (34,50%), Pedra Mole (36,20%), Pedra Miúda (36,70%), Comprida (38,90%) e Embrapa (39,30%).

Lineu Araújo passa a atender pessoas com sequelas da Covid-19 a partir desta segunda-feira

A partir de hoje (23), o novo ambulatório criado pela Prefeitura de Teresina para atender pessoas que ficaram com sequelas da Covid-19 inicia o atendimento à população. O serviço passa a funcionar em dias úteis, nos turnos manhã e tarde, no Centro de Saúde Lineu Araújo. Há oferta de consultas e exames nas áreas de cardiologia, nefrologia, neurologia, pneumologia, fisioterapia, nutrição e psicologia, consideradas especialidades que contribuem para a completa recuperação do indivíduo.

Para receber atendimento no ambulatório, os pacientes que ficaram com sequelas após infecção por Covid-19 podem se dirigir às 68 Unidades Básicas de Saúde (UBS). Eles são avaliados por médicos nesses locais e, se houver necessidade, são encaminhados para o ambulatório. Já os pacientes com Covid-19 que estão internados nos Hospitais da Prefeitura, no momento da alta, podem também ser direcionados ao Centro de Saúde Lineu Araújo.

Segundo a médica pneumologista do Centro de Operações em Emergências (COE) da FMS, Tatiana Nunes, o ambulatório promove melhor qualidade de vida para quem sofre com as sequelas da Covid-19. “Tem pessoas que tiveram Covid-19 e os sintomas persistem mesmo após o término dos 10 dias de isolamento. O acompanhamento da saúde dessas pessoas é necessário e agora o município está viabilizando o atendimento sequencial desses indivíduos”, explica.

O médico infectologista e coordenador médico do COE da FMS, Walfrido Salmito, alerta que a Covid-19 pode trazer sequelas a curto, médio e longo prazos. “A Covid-19 é uma doença nova, que ainda é alvo de estudos científicos pelo mundo, mas sabe-se que a lista de sequelas dessa infecção é extensa e pode comprometer o funcionamento de diversos órgãos. Os pacientes podem, por exemplo, desenvolver pneumonia, ter disfunção renal, além de problemas neurológicos, cardíacos e pulmonares”, informa.

Teresina registra 38,3% de isolamento social e mantém média de dias anteriores

Teresina vem mantendo a média nos índices de isolamento social. Nesta quinta-feira (19), segundo dados da statup InLocu, a capital piauiense registrou uma taxa de 38,3% das pessoas seguindo as orientações de permanecerem em casa. O número coloca a cidade na décima quinta colocação entre as capitais. Já o Piauí apresentou 39% de isolamento, ficando na nona posição entre os Estados.

Os índices registrados durante essa semana oscilam entre 37% e 39%. Quando se faz o comparativo com os dados registrados nas semanas anteriores à pandemia, houve um incremento de mais de 16,8%. Com isso, é possível constatar que, mesmo com a liberação das atividades econômicas e sociais, muitas pessoas ainda continuam cautelosas e adotando as medidas de distanciamento social que foram recomendadas pelas organizações sanitárias e de saúde.

Segundo a startup Inlocu, nos monitoramentos feitos via telefone celular, a zona Leste continua liderando os percentuais da região que mais cumpre as recomendações, com 38,76%. Em seguida vem a região Centro/Norte com 37,62%. Na sequência vêm as zonas Sul (37,25%) e Sudeste (36,89%).

Enquanto alguns bairros chegaram a ultrapassar 50% do índice de isolamento social nesta quinta-feira, outros registraram percentuais inferiores a 20%. Os bairros São João (56,5%), Santa Cruz (53,1%), Novo Uruguai (51,3%), Brasilar (50%) e Santa Rosa (50%), foram os que registraram os melhores percentuais de distanciamento. Na outra ponta da tabela estão os bairros Alegre (18,9%), Bom Princípio (27,5%), Vila São Francisco (28,2%), Pedra Miúda (29%) e Ininga (31%). O distanciamento social é uma das principais medidas de combate a proliferação do novo coronavírus, juntamente com o uso da máscara e do álcool em gel.

Teresina registra 198 novos casos confirmados de Covid-19

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) registrou no sistema a morte de duas pessoas vítimas da Covid-19 em Teresina, nesta quinta-feira (19). Houve ainda 198 novos casos confirmados da doença. Desde o início da pandemia, no mês de março, até agora, a capital piauiense contabiliza o total de 1.145 óbitos. Os dados apontam ainda 41.053 infectados pelo novo coronavírus e 16.434 recuperados da Covid-19. Os óbitos registrados ontem foram de dois homens, um de 63 e outro de 74 anos. Eles tinham doenças pré-existentes como hipertensão, diabetes e doença renal crônica.

Os números de atendimentos gripais em Teresina estão estáveis. No período de 28 de abril a 17 de novembro foram atendidos 10.483 pacientes com síndrome respiratória aguda grave (SRAG), aquela que leva à internação. A média móvel atual de sete dias é de 23,29 pacientes. Verifica-se uma redução significativa de -20,49% entre a média móvel atual (23,29) e a média móvel calculada há 14 dias (29,29).

“A qualquer sintoma gripal a pessoa deve procurar uma Unidade Básica de Saúde para ser atendida pela equipe médica. Não pode-se esperar o quadro gripal se agravar para procurar o médico. A melhor alternativa é acompanhar de perto e monitorar o quadro de cada paciente”, diz a infectologista Amparo Salmito. A FMS mantém, durante toda a pandemia da Covid-19, um grupo de profissionais que monitoram a doença na cidade. Eles compõem o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE).

Um dos fatores que é monitorado pelo COE é a ocupação de leitos nas unidades de saúde. Atualmente são disponibilizados 291 leitos clínicos Covid, dos quais 133 estão ocupados. No período de primeiro de maio a 17 novembro a taxa de ocupação média desses leitos é de 55,53%, sendo que a taxa de ocupação atual é de 45,70%. Verifica-se uma redução significativa de -16,30% na taxa de ocupação comparando-se o valor calculado atual (45,70%) com o valor calculado há 14 dias (54,61%).