FMS registra mais 252 casos e duas mortes por Covid-19

O Boletim do Centro de Operações em Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina registrou na última terça-feira (22) mais 252 casos de Covid-19, além de duas mortes em decorrência da doença.

Atualmente, a capital contabiliza 30.438 casos, 989 óbitos e 13.089 pessoas recuperadas desde o início da pandemia, em março deste ano. Os dois óbitos ocorreram no dia 21 de setembro e foram de uma mulher de 73 anos com diabetes e um homem de 87 anos que tinha hipertensão arterial e doença neurológica.

O Centro de Operações em Emergência (COE) continua o monitoramento para avaliar o impacto da reabertura econômica na evolução da Covid-19 na cidade. “É importante manter as medidas de prevenção. Uso de máscara, lavagem constante das mãos, evitar aglomeração e manter distanciamento entre as pessoas”, afirma Amparo Salmito, médica infectologista da FMS e membro do Centro de Operações em Emergência (COE).

Isolamento social foi de 36,4% na última terça-feira (22)

Teresina registrou índice de isolamento social de 36,4% na última terça-feira (22), o que a deixou no 7º lugar no ranking das capitais do país. Em comparação com a terça-feira da semana anterior (15), que teve índice de 37,9%, houve queda de 1,5% no isolamento. O Piauí, com taxa de 37%, ocupou a 4ª posição entre os estados.

De acordo com a startup Inloco, que monitora diariamente os números, os bairros que apresentaram as melhores taxas na última terça foram Monte Verde (51,30%), Cabral (50%), Santo Antônio (47%), Portal da Alegria (45,75%) e Mafrense (43,80%).

Na outra ponta da tabela estão os bairros Aeroporto (24,60%), Jacinta Andrade (27,10%), Parque São João (30,20%), Bom Princípio (30,30%) e Flor do Campo (30,77%) com os piores índices de isolamento.

Covid-19 em Teresina

O Boletim do Centro de Operações em Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina registrou na última terça-feira (22) mais 252 casos de Covid-19, além de duas mortes em decorrência da doença.  Atualmente, a capital contabiliza 30.438 casos, 989 óbitos e 13.089 pessoas recuperadas desde o início da pandemia, em março deste ano.

Hospital de Campanha fará evento para comemorar alta de 500 pacientes com Covid-19 em Teresina

Em meio à redução de mortes por Covid-19 em Teresina, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) irá celebrar as 500 altas médicas de pacientes que tiveram Covid-19 e ficaram recuperados após assistência no Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi. O evento irá acontecer nesta quarta-feira (23), às 9h, na área externa da unidade e seguirá todos os protocolos de segurança. Haverá também alta de novos pacientes e distribuição de flores.

“Essas 500 altas representam 500 pessoas que venceram a batalha contra Covid-19, saíram bem do nosso hospital, voltaram para casa, para o convívio familiar. Isso é muito gratificante. Todos os profissionais de saúde e os que integram a gestão da FMS são vitoriosos. Nós realizamos um tratamento humanitário dessas pessoas e sentimos que aprendemos muito mais sobre o assunto, embora seja uma doença nova, que ainda é alvo de estudos científicos pelo mundo”, ressalta a diretora geral do Hospital de Campanha, Gina Nogueira.

Sediado na quadra de Badminton da UFPI, esse Hospital é uma estrutura temporária com capacidade para atender simultaneamente 86 pacientes. Os leitos são regulados e disponibilizadas, exclusivamente, para usuários vindos de outros hospitais e UPAS de Teresina, em ambulâncias do SAMU, e que se enquadrem em casos de baixa e média complexidades da Covid-19. Se houver necessidade, eles são transferidos para outros hospitais de alta complexidade.

O Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi é administrado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Saúde e já registrou a internação de 682 pacientes com Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus. Desse total, 500 ficaram recuperados da doença após tratamento e 21 permanecem internados no local. Houve ainda 127 pessoas que foram transferidas para outros estabelecimentos de saúde.

Índice de isolamento social na segunda-feira (21) foi de 36,5%

Teresina voltou a cair no ranking de isolamento das capitais do país na última segunda-feira (21), ocupando a 11ª posição com índice de isolamento de 36,5%. Quando comparado com a segunda-feira da semana anterior (14), a variação foi de apenas 0,3%. O Piauí, com índice de 37%, ficou na 8ª posição entre os estados.

A startup Inloco, que monitora diariamente os índices através do georreferenciamento de smartphones em cidades de todo o país, também aponta que os bairros que apresentaram melhores taxas na segunda foram Aeroporto (60,40%), Ininga (54%), Centro (52,58%), Angélica (52,40%) e Novo Uruguai (52,25%). Já os bairros Novo Horizonte (36%), São Sebastião (38,95%), Nova Brasília (39,10%), Cidade Jardim (39,70%) e Extrema (39,90%) apresentaram os piores índices de isolamento na cidade.

A Prefeitura de Teresina iniciou no último final de semana a flexibilização das medidas restritivas para as atividades econômicas e sociais aos domingos, que já estava acontecendo aos sábados e agora se estende por todo o final de semana.

“Nesse momento, mais que nunca, pedimos que a população seja ainda mais cuidadosa, respeitando os protocolos de prevenção da disseminação do novo coronavírus. As pessoas estão circulando mais na cidade, portanto é necessário que os cuidados sejam redobrados. Não podemos retroceder”, lembra o prefeito Firmino Filho.

FMS registra primeiro óbito de criança por Covid-19

O Boletim do Centro de Operações em Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina registrou na última segunda-feira (22) o primeiro óbito de criança ocasionado pela Covid-19. Trata-se de um bebê do sexo masculino de 1 ano de idade, que tinha doença pulmonar.

Além do óbito da criança, ainda foram notificadas duas mortes em decorrência da doença. Foram dois idosos, um do sexo masculino e um do sexo feminino, com 74 e 81 anos, respectivamente. Em 24h foram notificados 220 novos casos do novo Coronavírus na capital. Agora, contabilizam-se 30.186 casos, 987 óbitos e 13.079 pessoas recuperadas desde o início da pandemia, em março deste ano.

A distribuição dos óbitos em residentes por faixa etária mostra que mais de 70% ocorrem acima de 60 anos. Agora registra-se dois óbitos por Covid-19 em menores de 20 anos, um de criança e outro de adolescente. 80% desses óbitos estava relacionados à presença de doenças pré-existentes. “Observamos que as principais comorbidades relacionadas aos óbitos por Covid-19 foram cardiopatias, incluído hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e outras”, afirma a médica Amparo Salmito.

Segundo dados da FMS, a taxa de letalidade da Covid-19 indica em percentual a severidade da doença. No período de março a agosto de 2020 essa taxa foi de 3,4%, mais elevada que a do estado do Piauí que está em 2,3% e do Brasil que é de 3,1%, no mesmo período. Os dados indicam acumulado de óbitos de residentes em Teresina, com aumento entre os dias 24 e 26 de junho e, em seguida, decréscimo lento após a segunda semana de julho.

O Painel Epidemiológico da Fundação Municipal de Saúde apontou ainda uma queda de 33,3% no número de óbitos de residentes em Teresina nos últimos sete dias. Apesar disso, é importante que a população mantenha as orientações de evitar aglomerações, reforçar o uso de máscara e as demais medidas de higienização para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

FMS registra que quase 2 mil crianças tiveram Covid-19 e 98% ficaram recuperadas em Teresina

Dados da Fundação Municipal de Saúde (FMS) apontam que 1.713 crianças menores de 12 anos de idade foram diagnosticadas com Covid-19 em Teresina, desde março até esta segunda-feira (21). Desse total, 98% ficaram recuperadas e 2% estão em isolamento social. O público infantil não faz parte do grupo de risco da Covid-19, mas a FMS alerta que a doença ainda é alvo de estudos científicos pelo mundo, o que requer cuidados preventivos pela população.

Mariana Nery, de 11 anos de idade, está na lista dos recuperados da Covid-19. Ela é aluna do projeto Samuzinho, iniciativa do SAMU que ensina primeiros socorros para crianças.  Sua mãe Sheyla Barbosa é enfermeira e conta que a filha apresentou sintomas leves da doença. “A família ficou apreensiva com a notícia, mas ela venceu a batalha contra esse vírus. Confiamos na conduta dos médicos e, durante o tratamento em casa, ficamos monitorando”, afirmou.

De acordo com o sistema de notificação do município, a FMS não registrou nenhum óbito de criança com Covid-19 na capital. Foi computado ainda que 97% desse público não tinha comorbidades e 3% possuía doenças crônicas, como diabetes, imunodeficiência, doença pulmonar, cardiovascular, renal e neurológica. Além disso, 51% das crianças eram do sexo masculino e 58% apresentaram sintomas da doença.

O médico infectologista da FMS, Walfrido Salmito, relembra que pessoas de todas as faixas etárias devem cumprir as medidas de higiene e de distanciamento social. “Vivemos a maior crise sanitária, social e econômica da história. É necessário que todos façam a sua parte para evitar a proliferação do coronavírus. Os pais, por exemplo, devem ensinar as crianças que elas têm que usar máscara a partir dos dois anos, lavar as mãos, usar álcool em gel e ficar distante das pessoas”, orientou o profissional.

FMS registra 333 casos e duas mortes por Covid-19 na última quinta (17)

O Boletim do Centro de Operações em Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina registrou na última quinta-feira (17) mais 333 casos de Covid-19, além de duas mortes em decorrência da doença.

Agora, a capital contabiliza 29.533 casos, 974 óbitos e 13.031 pessoas recuperadas desde o início da pandemia, em março deste ano. Os dois óbitos ocorreram 16 de setembro e foram de dois homens com 74 e 83 anos. Eles tinham doenças crônicas como cardiopatia, doença pulmonar e hipertensão arterial.

Após a capital registrar queda nos números de mortes e internações por Covid-19, Teresina terá uma nova fase de flexibilização das atividades econômicas, onde bares, restaurantes, postos de combustível e supermercados passarão a funcionar também aos domingos.

O Centro de Operações em Emergência (COE) vai continuar o monitoramento para avaliar o impacto da reabertura na evolução da Covid-19 na cidade. O avanço ou retrocesso da flexibilização vai depender dos números da doença nos próximos dias.

Índice de isolamento foi de 37,4% na última quarta-feira (16)

Teresina registrou índice de isolamento social de 37,4% na última quarta-feira, 16 de setembro, o que a colocou no 5º lugar no ranking das capitais do país. É o que apontam os dados colhidos pela startup Inloco, que monitora diariamente os índices em todo o Brasil. Em comparação com a quarta-feira da semana anterior (09), que apresentou taxa de 36,6%, a variação foi de apenas 0,8%.

 

A startup também faz o monitoramento nos bairros da cidade, registrando que ontem os melhores índices foram observados no Parque Jacinta (55,00%), São João (46,90%), Novo Uruguai (45,85%), Monte Verde (45,00%) e Santo Antônio (44,80%).

 

Em contrapartida, Real Copagre (27,40%), Jóquei (30,15%), Cidade Jardim (30,40%), Saci (31,40%) e Frei Serafim (31,50%) apresentaram as piores taxas.

 

Covid-19 em Teresina

O Boletim do Centro de Operações em Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina registrou na última quarta-feira (16) mais 565 casos de Covid-19, além de três mortes em decorrência da doença. Agora, a capital contabiliza 29.200 casos, 972 óbitos e 12.998 pessoas recuperadas desde o início da pandemia, em março deste ano.

FMS registra 565 casos e três mortes por Covid-19 na última quarta-feira (16)

O Boletim do Centro de Operações em Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina registrou nesta quarta-feira (16) mais 565 casos de Covid-19, além de três mortes em decorrência da doença. Agora, a capital contabiliza 29.200 casos, 972 óbitos e 12.998 pessoas recuperadas desde o início da pandemia, em março deste ano.

Os três óbitos ocorreram nos dias 14 e 15 de setembro. Foram duas mulheres e um homem. Os óbitos foram de pessoas entre 38 e 79 anos. Apenas uma das pessoas não apresentava comorbidades, mas tinha idade avançada. Os demais apresentavam doenças crônicas como hipertensão arterial, diabetes e obesidade.

O isolamento social é uma das alternativas de prevenção ao novo coronavírus. O índice de isolamento em Teresina na última quarta-feira (16) foi de 37,4%, o que colocou a cidade no 5º lugar no ranking das capitais do país.

Isolamento social de Teresina ficou em 37,9% na última terça-feira (15)

O índice de isolamento social em Teresina na última terça-feira (15) foi de 37,9%, segundo dados da startup Inloco, que realiza diariamente o georreferenciamento de smartphones em cidades de todo o país. Em comparação com a terça da semana anterior (08), que registrou taxa de 35%, houve aumento de 2,9%. Com o percentual, a cidade ocupou a 4ª posição entre as capitais do Brasil. O Piauí, com 38,19%, ocupou a 3ª posição entre os estados.

Quando analisado por bairros da cidade, os que apresentaram as melhores taxas foram Alegre (44,85%), Promorar (44,70%), São Pedro, (43,65%), Distrito Industrial (42,75%) e Santo Antônio (42,10%). Em contrapartida, os bairros Pedra Miúda (28,13%), Parque Brasil (30,40%), Santa Rosa (32,20%), Parque São João (32,40%) e Mafuá (32,50%), registraram as piores taxas.

“Neste momento de retorno das atividades econômicas na cidade e naturalmente maior circulação de pessoas é importante não relaxarmos nos cuidados básicos que adotamos no início da pandemia e que não devem ser esquecidos, como o uso da máscara, a higienização das mãos e, se puder, que as pessoas tentem manter o distanciamento social. Estamos com decréscimo quanto ao número de casos e óbitos ocasionados pela Covid-19 em Teresina, mas não podemos baixar a guarda”, lembra o prefeito Firmino Filho.

Covid-19 em Teresina

O Boletim do Centro de Operações em Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina registrou na última terça-feira (15) mais 308 casos de Covid-19, além de duas mortes em decorrência da doença. Agora, a capital contabiliza 28.635 casos e 969 óbitos desde o início da pandemia, em março deste ano.