Dentista inova e implanta serviço odontológico para bebês na UBS Vila do Avião

A odontóloga Melissa Vale, da Equipe de Saúde da Família 023, da Unidade Básica de Saúde Vila do Avião, realiza trabalho inovador com os bebês atendidos no local. O trabalho tem como objetivo manter uma boa saúde bucal nos pequenos. Embora a maioria dos bebês não tenha dentes até os seis meses de idade, o cuidado dental infantil é importante desde o início da vida. Diversos cientistas recomendam uma visita inicial antes do primeiro aniversário da criança, para garantir que os dentes e a gengivas estejam cuidados e limpos de forma correta.

“Quando ainda era estudante de Odontologia, há 17 anos, existia um projeto chamado PPGB (Programa Preventivo para Gestantes e Bebês). Aqui na Vila do Avião pudemos perceber que estava aparecendo muitas crianças com cárie, então resolvi começar o projeto”, afirma Melissa. A dentista explica ainda que aproveita as crianças que vão para atendimento com a enfermeira nas quartas-feiras no turno da manhã.

Antes de começar o atendimento com os bebês, a odontóloga realiza trabalho de educação em saúde bucal com as mães e responsáveis. “Faço uma palestra na própria recepção da unidade e ensino como fazer a higiene bucal de acordo com a idade. As crianças que necessitam de atendimento já ficam com o retorno marcado e as crianças que não têm problema ficam marcadas para um retorno com três meses. Durante o retorno as crianças são reavaliadas e terão novamente o retorno marcado. A intenção é acompanhar crianças de zero a cinco anos”.

 

 

Parceria contribui no atendimento de crianças com transtornos de aprendizagem

Ascom/Semec

Colmeia do Aprender é o nome do projeto criado a partir da união de parceiros interessados em ajudar alunos das escolas públicas municipais a superarem dificuldades de aprendizagem. Juntas, a Prefeitura de Teresina, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e a Associação Brasileira de Psicopedagogia/Secção PI (ABPp) oferecem atendimento psicopedagógico gratuito e de qualidade para as crianças.

Nesta sexta-feira (14), profissionais do Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar Professora Ceiça Carvalho (CMAM) participaram de reunião com mães que têm crianças atendidas pelo projeto. O encontro teve como objetivo orientar as mães sobre a importância do acompanhamento da família, sobre a frequência durante os atendimentos e na escola, além de agendar os horários e dias de atendimento de cada criança.

Atualmente, o Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar (CMAM), coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) e Fundação Municipal de Saúde (FMS), já acompanha alunos que apresentam transtornos de aprendizagem. Além de consultas médicas com uma equipe de profissionais diversos, os estudantes participam de atividades que buscam o desenvolvimento de suas habilidades.

Porém, segundo a diretora do CMAM, Daniela Escórcio, o Centro ganha força com as parcerias. “O projeto permite a ampliação do atendimento. É muito bom poder unir forças com quem tem os mesmos objetivos, garantir melhor desempenho acadêmico e qualidade de vida para essas crianças”, comenta Daniela.

Na prática, os estudantes diagnosticados com a necessidade serão encaminhados para receberem atendimento do Núcleo de Desenvolvimento e Apoio Psicopedagógico (NUDAP) por profissionais capacitados cedidos pela Associação de Brasileira de Psicopedagogia/Secção PI (ABPp).

O projeto Colmeia do Aprender iniciou em maio de 2018 atendendo 16 alunos, atualmente o projeto atende 24 alunos de escolas municipais, três vezes por semana. A proposta é também incluir conversas com as famílias para evolvê-las como parte essencial no processo.

Para Eliane Maria Viana Figueiredo Pierote, presidente Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp-PI), o projeto é importante para o acompanhamento das crianças. “Quando uma criança é identificada em situação de risco para transtornos de aprendizagem, o prognóstico é mais favorável e o processo de reabilitação mais rápido. Por isso, a importância do projeto no atendimento”, afirma.

Raimunda de Araújo Alves conta que depois que sua filha passou a participar dos atendimentos teve uma melhora significativa em relação à aprendizagem. “Minha filha é bastante inteligente, mas não conseguia superar as dificuldades. Após iniciar os atendimentos passou a ter um melhor desenvolvimento na escola. Eu agradeço muito o apoio da equipe”, conta a mãe.

Sobre o Projeto

O projeto Colmeia do Aprender consolida a ideia de prestar um serviço para o processo de aprendizagem humana, visando à construção do SER e do SABER com o gosto afável de mel, na perspectiva de um mundo mais humanizado e igualitário.

O objetivo geral do projeto é criar um espaço personalizado em vários núcleos das escolas municipais e estaduais de Teresina e outros municípios do Piauí. A ação também envolve a sensibilização familiar sobre a importância do vínculo no processo do aprender e a contribuição para a formação continuada do profissional especialista em psicopedagogia, dando suporte de supervisão psicopedagógico para a autonomia de sua prática.

Prefeito recebe representantes da Associação Down The Amo

Rômulo Piauilino

O prefeito Firmino Filho recebeu, nesta sexta-feira (14), representantes da Associação Down The Amo, que atende a crianças e adolescentes com síndrome de down. O objetivo do encontro era pedir ajuda à Prefeitura para a aquisição da sede da Associação.

“Da nossa parte, só podemos agradecer a iniciativa desse grupo de mães que se mobilizou por uma causa tão nobre. De já, afirmamos que temos todo o interesse em ajudar essa Associação. Vamos fazer uma busca para ver qual espaço pode ser disponibilizado para abrigar essa sede. Essas crianças e adolescentes merecem todo respeito e igualdade de oportunidades”, disse Firmino.

A associação existe há cinco anos e tem 180 famílias cadastradas. “Nosso objetivo é ter uma sede para que possamos continuar desenvolvendo nossas atividades e defendendo os direitos desse público. Precisamos fazer com que essas crianças se sintam incluídas na sociedade, nossa bandeira é essa”, explica a presidente da Down The Amo, Elizângela Sales.

Elizângela aproveitou a oportunidade para convidar o prefeito a participar de um evento em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down, celebrado em 21 de março. “Ainda estamos organizando como será, mas garanto que vai ser uma festa bonita. Queremos mostrar para a sociedade que nossos filhos existem, que são seres capazes, que têm muito a contribuir para a sociedade”, disse.

Projeto busca famílias para acolhimento temporário em Teresina

Ascom/Semcaspi

O projeto Família Acolhedora está desenvolvendo diversas atividades para buscar a adesão de novas famílias que possam oferecer um acolhimento temporário para crianças que estão em abrigos. Até o momento, 06 famílias estão cadastradas no projeto e a meta da coordenação é chegar a 10 participantes nos próximos meses.

A gerente executiva do Família Acolhedora, Lorena Batista, explica que o acolhimento é feito durante o período em que a criança está afastada da família biológica, por decisão judicial. As famílias voluntárias são preparadas até que estejam prontas para receber e se responsabilizar pelos cuidados do menor, até que este seja reinserido à família de origem. Os pais biológicos também são acompanhados para que tenham condições de receber os filhos novamente nos seus lares.

“Nós somos um serviço de acolhimento familiar temporário para crianças em abrigo. Essas famílias acolhem as crianças em suas casas e enquanto isso, nós damos atendimentos e assistência psicossocial para suas famílias de origem. O nosso objetivo é que elas possam voltar para casa. Caso a justiça decida pela destituição familiar, a criança continua conosco até encontrar uma família para ser adotada”, explicou.

O serviço é ofertado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), e oferece bolsa-auxílio às famílias interessadas em receber uma criança de R$ 500 (ou R$750, caso a criança possua alguma necessidade especial) e deve ser utilizada para o custeamento do bem-estar do acolhido.

“É um valor financeiro que busca auxiliar nas necessidades básicas que a criança tiver durante o período de acolhimento. É uma bela missão a de acolher nossas crianças, partilhando amor, cuidado e mantém vivo o convívio familiar através do serviço ofertado”, completou.

Os interessados em fazer parte do projeto podem entrar em contato pelo telefone (86) 3234-1652 e agendar uma entrevista com a equipe técnica.  Entre os principais critérios, estão: residir em Teresina, ser maior de idade (com 21 anos ou mais), ter disponibilidade afetiva para cuidar de crianças ou adolescentes, não apresentar problemas psiquiátricos, não ser dependente de substâncias psicoativas e não responder a processo judicial. Além do telefone, o Família Acolhedora também pode ser alcançado pelas redes sociais, no Instagram @familiaacolhedora1.

Prefeitura de Teresina anuncia matrículas para crianças de 3 anos de idade

Ascom/Semec

Será nos dias 3 e 4 de fevereiro o período de matrículas para novos alunos em turmas do Maternal II nas unidades de ensino da Rede Municipal de Teresina. A Prefeitura acaba de anunciar a liberação de mais de 2 mil vagas para crianças de 3 anos de idade.

Os pais devem buscar, durante estes dois dias, um dos 103 Centros Municipais de Educação Infantil ou Escola Municipal com vagas disponíveis, e entregar a documentação exigida: carteira de trabalho ou recibo de pagamento ou contra cheque ou declaração do empregador (cópia) ou autodeclaração de empregado; conta de energia elétrica ou conta de água ou correspondência com nome e endereço da mãe (cópia); cartão do Programa Bolsa Família (cópia); e certidão de nascimento da criança (cópia);

As novas matrículas serão realizadas nas próprias unidades de ensino, durante os horários normais de funcionamento. No dia 05 de fevereiro será divulgada a lista de alunos aptos à matrícula, para imediata efetivação e início das aulas já no dia 06.

A notícia da ampliação das vagas chega com alegria para os pais e diretores das escolas. Com o encerramento do período oficial de matrículas, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) realizou um levantamento da demanda de cada região e a disponibilidade de espaço físico, além de enviar novos professores titulares.

De acordo com a gerente de Educação Infantil da Semec, Sammya Ribeiro, as matrículas seguem um cronograma estruturado para garantir que todas as turmas formadas estejam de acordo com a capacidade de atendimento das unidades de ensino.

 “Realizamos por etapas para ter essa certeza, sendo assim, é possível que mais turmas sejam abertas e uma nova lista de vagas disponibilizada. Também porque em breve vamos inaugurar os novos CMEIs que estão em construção. Para o Maternal II é importante lembrar que as crianças precisam ter 3 anos completos ou a completar até 31 de março de 2020”, destaca.

Confira a lista de escolas com vagas para o Maternal II

Confira a Portaria 

Parque Lagoas do Norte realiza colônia de férias para mais de 250 crianças

O fim das férias escolares vai ser marcado por muita diversão e brincadeiras para mais de 250 crianças. É que o Parque Lagoas do Norte realiza, entre os dias 29 e 31 de janeiro, sua 10ª Colônia de Férias, com diversas atividades para as crianças e também uma oficina de adereços carnavalescos destinada a seus pais ou responsáveis.

Essa é uma oportunidade também de levar educação ambiental não só para os pequenos. Com o tema “Juntos fazemos o parque melhor”, a 10ª Colônia de Férias do Lagoas do Norte terá cineminha ambiental, badminton, futebol de campo, handbeach, contação de estórias, brincadeiras de roda (músicas infantis), oficina temática (adereços de Carnaval), teatro de bonecos, escolinha do trânsito, desenho e brincadeiras infantis tradicionais.

Além das crianças interagirem durante as brincadeiras e atividades educativas, os pais podem participar de uma oficina de confecção de adereços carnavalescos. “Estamos aproveitando que a colônia antecede o Carnaval para oferecer essa oficina aos pais e responsáveis pelas crianças”, afirma Jorgenei Moraes, gerente do Parque Lagoas do Norte.

A colônia acontecerá no parque entre os dias 29 e 31 de janeiro, das 16h às 18h. “A Colônia de Férias já é uma tradição do parque. As crianças se divertem e também incentivamos a prática esportiva ao ar livre, tão importante para o desenvolvimento delas”, finaliza Jorgenei Moraes, gerente do Parque Lagoas do Norte.

Colônias de Férias: Parques ambientais receberão diversas atividades

Ascom/Semam

No período de recesso escolar muitos pais têm dificuldades em gerenciar o tempo livre dos seus pequenos, que tendem a ficar entediados sem o devido entretenimento. Mas uma boa alternativa são as colônias de férias que serão promovidas no Parque Ambiental Matias Matos, entre os dias 27 e 31 de janeiro, e no Parque Ambiental da Macaúba, entre 20 e 24 deste mês, sempre das 8h às 11h30. O público-alvo são crianças na faixa dos 7 aos 15 anos de idade.

A programação envolve teatro de bonecos, pintura de rosto, torneios relâmpagos, criação de esculturas com balões e outras brincadeiras que movimentam o corpo e exploram os espaços ao ar livre, além da distribuição de lanches. Todas essas atividades serão acompanhadas e coordenadas por equipes da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel).

De acordo com a Gerente de Lazer da Semel, Marinalva Pereira, as inscrições podem ser efetuadas na administração do Parque da Macaúba; no quiosque de alimentação do Gaspar, no Parque Matias Matos; e na sede da secretaria, localizada na Avenida Campos Sales, 1292, Centro. “Os pais ou responsáveis também podem fazer a inscrição na hora, nos parques ambientais, mas é interessante fazê-la antecipadamente, pois estipulamos o limite cem vagas”, explica.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), Olavo Braz, considera que o contato da meninada com a natureza, longe dos eletrônicos, possibilita um brincar mais saudável e autêntico. “Em tempos de constante imersão em aparatos tecnológicos, como celulares e computadores, também é necessário buscar incentivar o contato das crianças com a natureza, permitindo que os momentos de diversão sejam aproveitados de forma mais saudável, original e criativa. Por isso, as colônias de férias nos parques ambientais são uma boa opção para elas gastarem a energia acumulada nesse período de recesso escolar” destaca.

Parques dispõem de boa estrutura 

O Parque Ambiental Matias Matos, mais conhecido como Lagoa do Mocambinho, possui cerca de 4,9 hectares, onde estão estruturadas quadras de esportes (futebol de areia e society, badminton e basquete), ciclovias, playground, pista de caminhada, academia popular, quiosques, prédio administrativo, palco para apresentações culturais e área contemplativa no entorno da lagoa, com grana natural para oferecer mais conforto aos visitantes.

Já o Parque da Macaúba possui uma área de 7 mil metros, onde a população pode encontrar um campo de futebol bem iluminado e com alambrado, pista de caminhada, academia popular, palco para apresentações culturais e quiosques de alimentação.

CMAM é pioneiro no Nordeste ao atender crianças com transtornos de aprendizagem

No início do ano letivo, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) faz um alerta. Alunos que costumam não ter bom desempenho escolar podem estar com algum transtorno de aprendizagem. Para garantir tratamento específico a esse público, a Prefeitura de Teresina mantém o Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar (CMAM), serviço de saúde pioneiro na região Nordeste e que tem como público alvo crianças e adolescentes de escolas públicas municipais.

Em 2019, o Centro realizou 15.433 atendimentos médicos e terapêuticos a alunos com transtornos de aprendizagem. Foi o caso do Francisco Joaquim, de 6 anos, diagnosticado com déficit de atenção e hiperatividade. “Ele não tinha atenção na escola e não aprendia a ler. Com acompanhamento, está bem melhor. A mãe dele tinha os mesmos sintomas quando criança, mas não percebi na época”, conta a avó Cleonilda do Nascimento.

O presidente da FMS, Charles Silveira, explica que a Fundação se preocupa com a saúde mental dos pequenos e o seu desenvolvimento escolar.  “Por isso, a FMS e a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) da capital piauiense uniram esforços para criar o CMAM,  que favorece o desenvolvimento das crianças nos aspectos psicológicos, afetivos, sociais e acadêmicos”, ressalta.

Para ter acesso aos serviços, as crianças e adolescentes com idade entre cinco e 16 anos devem ser encaminhadas pela rede pública de ensino de Teresina, com suspeita de algum transtorno de aprendizagem. “O Centro oferece atendimento completo, contando com neuropediatra, psiquiatra, psicólogo, psicopedagogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo e assistente social”, ressalta a coordenadora do Centro, Daniela Escórcio.

O psiquiatra do Centro, Francisco de Brito,  explica que há vários transtornos de aprendizagem que acometem crianças e adolescentes e que são recorrentes no CMAM. “O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) trata-se de uma dificuldade na questão da concentração, com variante desatento, hiperativo/impulsivo ou misto. Há outras demandas atendidas, a exemplo de dislexia, disgrafia, discalculia e disortografia.”

O médico afirma ainda que é preciso ter cuidado para que a situação do aluno que tem dificuldade nas habilidades escolares não seja agravada.  “Ele evolui de ano e o aprendizado pode ficar defasado. O familiar tem que compreender a situação, que não é falta de vontade ou gênio ruim da criança. É dificuldade e estamos no CMAM para reabilitá-los, para que acompanhem os outros da mesma idade no aprendizado”, finaliza.

 

CAPS Infantil realizou mais de 4 mil atendimentos individuais em 2019

O Centro de Atenção Psicossocial Infantil CAPS i Dr. Alexandre Nogueira, da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, realizou em 2019 um total de 4.079 atendimentos individuais de crianças e adolescentes de até 17 anos com transtornos mentais graves e severos e em uso abusivo de álcool e outras drogas.

O Centro funciona de 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, e é composto por enfermeiro, psiquiatra, assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional, cuidadores, redutores de danos, técnico em enfermagem, nutricionistas, fonoaudiólogos e artesãos. “O Centro tem 770 prontuários de crianças em aberto, ou seja: atende todas essas crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes e problemas relacionados ao uso e abuso de álcool e outras drogas e suas famílias de referência dentro da abrangência do território. Dessa forma é possível a reorganização social, emocional, educacional e laborativa para a vivência plena da cidadania”, explica Sayonara Lima, coordenadora do CAPS.

Em 2019 aconteceram 5.542 atendimentos familiares no CAPSi. Foram 116 atendimentos domiciliares, 119 atendimentos a crises, 401 admissões, 427 acolhimentos masculinos, 260 acolhimentos femininos e 884 buscas ativas. O acesso aos serviços do CASPi se dá mediante demanda espontânea, busca ativa ou encaminhada, sendo que o processo de acolhimento é efetivado mediante triagem realizada por um profissional da equipe multiprofissional.

As atividades realizadas no CAPSi são: atendimento individual (medicamentoso, psicoterápico e de orientação, entre outros); atendimento em grupos (psicoterapia, grupo operativo e atividades de suporte social, entre outros); atendimento em oficinas terapêuticas executadas por profissional de nível superior ou nível médio; visitas e atendimentos domiciliares; atendimento à família; atividades comunitárias enfocando a integração da criança e do adolescente na família, na escola, na comunidade ou quaisquer outras formas de inserção social; desenvolvimento de ações inter-setoriais, principalmente com as áreas de assistência social, educação e justiça e apoio matricial às equipes na atenção básica visando atendimento conjunto em situações complexas que envolve a saúde mental do território área.