Fundação Monsenhor Chaves inicia elaboração do Plano Municipal de Cultura

A Prefeitura de Teresina iniciou elaboração do Plano Municipal de Cultura, um instrumento central para o planejamento e execução das políticas públicas de cultura em Teresina para os próximos dez anos. Neste momento o foco é construir um diagnóstico da realidade cultural da cidade. Os interessados podem participar através de um questionário que pode ser preenchido  no período de 08 a 27 de agosto.

O questionário está disponível através do link: https://pt.surveymonkey.com/r/diagnosticoculturalteresina. Podem participar artistas, arte educadores(as), grupos culturais, coletivos urbanos, agentes culturais, mestres(as) e grupos das culturas populares e tradicionais, gestores(as) culturais, estudantes, professores(as) e pesquisadores(as) e todos os interessados. Para mais informações, aqueles que desejam participar, podem mandar mensagem para o e-mail: pmcdeteresina@gmail.com.

O Plano pretende possibilitar ao setor cultural e demais áreas a implantação de normas integradas que ajudam no seu desenvolvimento com diretrizes que nortearão as políticas culturais. O documento está sendo elaborado com o aporte financeiro do Projeto Lagoas do Norte, que efetuou o contrato da consultoria responsável pela sua elaboração. O trabalho será coordenado pela Fundação Cultural Monsenhor Chaves (FMC),

“Estamos na fase de construção da realidade cultural de Teresina, através da opinião pública. Esse momento é de extrema importância para a elaboração do plano”, disse Luís Carlos Alves, presidente da FMC.

Teatro do Boi realiza programação online para comemorar aniversário

Durante o mês de agosto, o Teatro do Boi estará com uma extensa programação para a comemoração dos seus 33 anos de contribuição cultural, mas desta vez, através da internet, levando em conta as recomendações de isolamento social devido a pandemia de Covid-19. Serão realizadas diversas lives na rede social (@teatrodoboi) com a participação de pessoas que fazem o espaço e algumas apresentações.

As atividades iniciam nesta segunda, 03, e seguem até o dia 15 de agosto, data de aniversário do Teatro. “Em seus 33 anos de história, o Teatro foi responsável pela iniciação de muitos jovens e formação de diversos artistas da nossa cidade. É um importante instrumento de fomento da cultura e, principalmente do nosso folclore”, destaca Luis Carlos Alves, presidente da Fundação Monsenhor Chaves.

A programação desta semana destaca a história e a importância do Teatro na cidade, com a divulgação de depoimentos de pessoas que contribuem para a preservação do local. Na próxima semana, serão realizadas lives e publicados vídeos sobre as ações do teatro, encerrando com apresentações online de capoeira, dança e declamação de poema.

Localizado no bairro Matadouro e mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves, o Teatro do Boi é uma das mais tradicionais ferramentas culturais da cidade oferecendo diversas atividades como oficinas de dança, teatro, música, artes visuais, capoeira, exposições, bem como a realização de diversos eventos e a apresentação de espetáculos, proporcionando uma das mais fortes expressões de cultura da zona Norte.

Classe artística deve se inscrever para participar de editais da Lei Aldir Blanc

A Lei Aldir Blanc vai destinar recursos para a cultura de Teresina com o objetivo de ajudar artistas que ficaram desamparados neste período de pandemia do novo coronavírus. Para isso, todos que participam da cadeia produtiva dos segmentos artísticos e culturais da capital devem se inscrever, online, no Sistema de Cadastro Cultural (Sicac), que já está disponível neste link.

A partir deste cadastro, a Prefeitura de Teresina, através da Fundação Municipal de Cultura Monselhor Chaves (FMCMC), vai receber os dados que servirão como base para o lançamento de editais que contemplem artistas e espaços culturais da capital. O superintendente da FMCMC, Paulo Dantas, explica que Teresina vai receber R$ 6.555 milhões para investir nestes projetos. “Nós estamos passando por um momento delicado e quem trabalha com cultura foi bastante prejudicado, essa verba vem para ajudar estas pessoas”, afirmou.

Podem realizar o cadastro artistas, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de arte, bem como espaços, grupos e instituições culturais.

Paulo Dantas explica ainda que Teresina ficará responsável pelos editais nas linhas 2 e 3 da Lei. A linha 2 está voltada para espaços artísticos e culturais. Já dentro da linha 3 devem ser realizados editais, chamamentos públicos e prêmios destinados a atividades, produções e capacitações culturais.

A linha 1 da Lei Aldir Blanc fica sob responsabilidade dos estados e prevê que seja concedido auxílio emergencial, com três parcelas de R$ 600 para a classe artística.

Conselheiros Municipais de Cultura tomam posse em Teresina

Fiscalizar e acompanhar os trabalhos realizados na área cultural são algumas das funções dos novos conselheiros municipais de cultura de Teresina, que tomaram posse na manhã desta segunda-feira (22). A solenidade, que oficializou a atuação dos novos membros para o biênio 2020/2022, aconteceu de maneira virtual, com a participação do prefeito Firmino Filho, do secretário da Fundação Monsenhor Chaves, Luis Carlos Alves, artistas, imprensa e convidados.

Para o prefeito Firmino Filho a cidade deve estar preparada para a nova realidade que se desenha a partir da pandemia do novo coronavírus. “É um momento difícil que estamos vivendo, a gente sabe que essa crise vai ter impactos em vários setores, e a cidade precisa estar aberta e preparada para essa nova realidade. No âmbito da cultura, temos que estar atentos aos novos potenciais e novas narrativas”. Ainda segundo ele, a cultura tem muitas iniciativas e o Conselho vem para dar continuidade.

“O Conselho é fundamental, pois são muitas as ações e iniciativas culturais. Que o órgão consiga plantar boas sementes e ao longo do tempo essas sementes possam frutificar”, completou o prefeito.

Foram empossados representantes da sociedade civil, eleitos em fóruns setoriais de cultura e representantes do poder público. Eleita entre os artistas, a representante titular do Teatro e Circo, Thallyta do Monte, realizou um discurso em que frisou a importância dos conselheiros e destacou desafios e missão dos novos membros.

“É fundamental que toda classe artística e sociedade em geral se apropriem do Conselho Municipal de Política Cultural e possam participar por meio de seus representantes. No atual contexto em que vivemos, nós conselheiros temos um grande desafio e uma nobre missão de construir, com a classe artística e poder público, políticas culturais para a nossa cidade, de modo democrático, contemplando todos os segmentos sociais”, afirmou Thallyta.

A principal atuação do Conselho Municipal de Política Cultural de Teresina é a construção do Plano Municipal de Cultura e aplicação no município de Teresina dos recursos da Lei Aldir Blanc, projeto de Lei 1075/2020, que prevê auxílio emergencial para o setor cultural durante a pandemia do novo coronavírus. O Conselho Municipal de Política Cultural de Teresina é um órgão colegiado, de formação igualitária entre o poder público e a sociedade civil, com caráter deliberativo, normativo e consultivo.

Representantes Sociedade Civil

Música
Titular: Micael Cruz Fidelis
Suplente: José Marques da Silva Mendes
Dança
Titular: Samuel Alves Nascimento
Suplente: Francisca das Chagas Silva
Artes Visuais
Titular: Suselaine Cabral da Silva Marinho
Suplente: Marysette Pacheco Alves de Oliveira
Teatro e Circo
Titular: Thallyta Castelo Branco de Vasconcelos
Suplente: Gerson dos Santos Carvalho
Patrimônio Imaterial
Titular: Jairo Gomes Araújo
Suplente: Maria do Carmo Teixeira Veloso
Literatura
Titular: João Henrique de Sousa Vieira
Suplente: Alex Sampaio Nunes
Comissão de Cultura da Ordem dos Advogados do Brasil/SECCIONAL PI – OAB
Titular: Thiago Anastácio Carcará
Suplente: Érico Percy Alcântara de Moraes

Representantes Poder Público

Fundação Monsenhor Chaves – FMC
Titular: Paulo Henrique Sousa Dantas
Suplente: José Afonso de Araújo Lima
Secretaria Municipal de Finanças – SEMF
Titular: José de Arimateia Pereira Silva
Suplente: Nilmar Rubens Mendes Leal
Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas – SEMCASPI
Titular: Elizabeth Nogueira da Silva
Suplente: Maria Guadalupe de Araújo Veloso de Lima Freitas
Secretaria Municipal de Educação – SEMEC
Titular: Ana Vitória de Carvalho Santos
Suplente: Silvana Uchôa de Castro
Secretaria Municipal de Economia Solidária de Teresina – SEMEST
Titular: Lorena Veras Sandes Freitas
Suplente: Reis de Maria B. de Sousa
Secretaria Municipal da Juventude – SEMJUV
Titular: Francisco Herbert Viana Marques
Suplente: Samara de Sousa Brito
Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação – SEMPLAN
Titular: Débora Cardoso Cavalcante
Suplente: João Costa da Silva
Secretaria Municipal de Comunicação Social – SEMCOM
Titular: Francisca Pinto Nievinski
Suplente: Adailton Mendes Silva Júnior
Superintendência de Desenvolvimento Urbano – SDU/Centro Norte
Titular: Rômulo Marques Carvalho
Suplente: Karla Beatriz Andrade de Medeiros Carneiro

Palácio da Música e Sinfônica de Teresina se mobilizam em prol dos artistas nesta quarentena

O Palácio da Música e a Orquestra Sinfônica de Teresina estão se mobilizando na arrecadação de recursos para a compra de cestas básicas que serão distribuídas para artistas residentes em Teresina que não tenham nenhuma fonte de renda fixa. Os alimentos podem ser entregues no Palácio da Música, localizado à Rua Santa Luzia, nº 1241, Centro, ou em dinheiro via transferência bancária para a conta da Associação dos Amigos da Orquestra Sinfônica de Teresina (AAOST), agência do Banco do Brasil nº 4249-8, conta corrente 16916-1, CNPJ nº 07018687/0001-31.

Para isso, é necessário fazer um cadastro que dará informações necessárias para a entrega das cestas básicas. Neste primeiro momento, a prioridade é ajudar aqueles que não têm nenhuma outra fonte de renda fixa, aqueles que ganham somente sobre sua produção, que está totalmente afetada por causa da quarentena sugerida pela Organização Mundial de Saúde. O cadastro pode ser realizado AQUI.

Os artistas teresinenses estão impossibilitados de atuarem por conta da prevenção contra a disseminação do novo coronavirus, que tem se espalhado rapidamente pelo mundo inteiro.

A COVID-19 é uma doença causada pelo novo coronavírus, identificado pela primeira vez em dezembro de 2019, em Wuhan, na China. Os sintomas mais comuns são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não se sentem mal. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Uma em cada seis pessoas que recebe COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar. As pessoas idosas e as que têm outras condições de saúde como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves. Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico.

Balé da Cidade realiza programação gratuita com exibição de documentário

Nesta sexta-feira (13), o Balé da Cidade de Teresina exibirá o documentário “Instantes – Um Olhar sobre o Balé da Cidade de Teresina”, de direção de Tássia Araújo e fotografia de Alexandre Soares. Além disso, a Companhia apresentará o espetáculo “Folha D’Água”, do pernambucano residente na Suíça, Marcelo Pereira. A programação, aberta ao público e gratuita, tem início às 19h30, no Teatro João Paulo II, zona sudeste de Teresina.

O documentário foi gravado em 2018, quando a Companhia comemorava seus 25 anos de história. Ele apresenta um olhar – dentre tantos possíveis – para este instante dessa trajetória, que, ao mesmo tempo em que pontua um novo momento, já é passado.

Segundo Tássia, os depoimentos capturados por ela revelam a história individual dos bailarinos que se confunde muitas vezes com a história do Balé da Cidade, mostrando como a companhia se faz importante na vida de cada um.

“Quando comecei a trabalhar com imagem, por volta de 2012, construí narrativas através de performances, pensando em usar a experiência de cada corpo na fotografia e no vídeo. Registrar esse momento tão importante para o Balé da Cidade de Teresina se fez muito importante para mim também porque a dança, de certa forma, faz parte da minha caminhada como artista. A partir do convite da Janaína Lobo para registrar o ano de comemoração dos 25 anos do Balé, fiz a proposta para que desses registros fosse criado um documentário. Foi uma experiência de muito aprendizado, em que o trabalho foi realizado por uma equipe muito pequena e dedicada”, diz a diretora do documentário.

Na mesma ocasião será apresentado Folha D’Água, de criação de Marcelo Pereira. O espetáculo traz a natureza e seus elementos como sensações para dançar, criando uma dança sensorial, à flor da pele. “Esta é uma celebração à natureza. Folhas que se mexem, vento que move. Folha d’água quer dizer daquilo que se pega e se larga no molhar da vida, vida em seu fluxo natural, cíclico e cheio de transformação”, explica a coordenadora artística, Janaína Lobo.

Sobre a Companhia
O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Vem aproximando a dança da cidade através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada.

O Balé da Cidade de Teresina conta com 18 bailarinos e é mantido pela Prefeitura Municipal de Teresina, através da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina. Tem direção geral de Chica Silva, coordenação artística de Janaína Lobo e ensaios de Carla Fonseca.

Bloquinhos de rua animaram a segunda-feira de Carnaval


Começou a semana e nem por isso a festa deve parar. A folia contagiou todas as zonas de Teresina nessa segunda-feira de Carnaval (25). Destaque para o tradicional desfile do Bloco Vaca Atolada e os 15 anos do bloco Piauí Samba.

Um dos mais antigos da capital, o Vaca Atolada, cumpriu com muita alegria a missão que possui todos os anos, realizar um carnaval raiz, mas sempre se reinventando. A zona Norte da cidade estava tomada por pessoas de todas as idades, que celebravam uma das épocas mais coloridas do país.

Já na zona Sul, o bloco Piauí Samba foi o responsável por não deixar ninguém parado. A noite foi também um momento de comemoração aos 15 anos do tradicional bloquinho de rua.

“Está tudo muito bom. É uma ótima opção para aqueles que não viajaram, que resolveram pular o carnaval aqui em Teresina. Melhor do que aqui, não tem. Venho todos os anos”, conta a estudante Denise de Oliveira.

Confira a programação desta terça-feira (25):

Batatinha do Louah

Local: Avenida Universitária, Zona Leste

Horário: 17h

Mela Mela Xarobá

Local: Rua Belchior Barros, Zona Leste

Horário: 16h

Rapazes Alegres

Local: Em frente o Palácio da Música, Centro

Horário: 16h

Kebra Kabaça

Local: Praça Cultural do Dirceu, Zona Sudeste

Horário: 17h