Em reunião com ministro da Saúde, Firmino solicita protocolo único de distanciamento social

O prefeito Firmino Filho participou nesta quarta-feira (20) de uma reunião virtual com o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello. A videoconferência foi organizada pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) para tratar sobre pautas relativas ao combate ao novo coronavírus. No encontro, o gestor teresinense apresentou a demanda sobre a construção federativa de um protocolo de orientação para auxiliar os municípios na decisão sobre distanciamento social.

Segundo o prefeito, é fundamental existir um protocolo único para a tomada de decisões nos municípios. “Já tínhamos feito essa proposta ainda na gestão do ex-ministro Mandetta e agora reforçamos a necessidade desse protocolo, com diretrizes técnicas e objetivos claros e transparentes para que os gestores possam executá-los nas cidades que administram. Essa necessidade se torna mais criteriosa porque teremos que chegar no ponto da abertura das atividades econômicas e precisamos fazer isso com segurança e através de critérios técnicos, bem como baseados em diretrizes da Organização Mundial de Saúde”, explicou Firmino.

De acordo com o ministro, no que diz respeito ao protocolo, já estão sendo construídas orientações sobre o manejo de pacientes, massificação de testagem e uma ferramenta de análise de riscos para os municípios. “Estamos trabalhando um plano de ação que inclui o manejo de pacientes com a Covid-19, desde a ida ao posto de triagem até o retorno para casa tratado e curado, uma estratégia clara sobre o uso de testes rápidos e do PCR, e ainda a ferramenta de análise de riscos, para que os gestores analisem o seu grau de risco com dados técnicos e possam, assim, tomar medidas de forma segura e efetiva. Somos de acordo com os prefeitos de que para que possamos continuar salvando vidas e manter a economia funcionando, precisamos sim ter segurança para tomar decisões”, disse Eduardo Pazuello.

Durante a reunião foram tratados ainda temas sobre disponibilização de recursos para médias e grandes cidades, disponibilização de testes, reparadores, Equipamento de Proteção Individual (EPIs) e medicamentos, criação dos centros de quarentena, e ainda habilitação de leitos interestadual. Estas pautas foram definidas em uma reunião anterior com os prefeitos de todo o país que integram a FNP. “Foi uma reunião produtiva, o ministro se mostrou aberto aos pleitos apresentados pelos gestores para que possamos construir as decisões a serem tomadas para salvar vidas. Nesse momento, é importante que a gente trabalhe em conjunto, em parceria entre os entes”, avaliou o prefeito.

Firmino também pediu apoio junto ao Ministério da Economia e da Previdência no sentido de buscar alternativas que garantam mais segurança aos idosos, que estão sendo contemplados com os benefícios sociais do Governo. “Essa exigência de que eles tenham que ir presencialmente às agências bancárias receber os benefícios coloca nossos idosos, que já são grupo de risco, em possibilidade maior de contato com o vírus. Precisamos buscar soluções conjuntas para resolver esse impasse”, ponderou.

SEMAM orienta que população utilize plataformas digitais para solicitar e acompanhar demandas

As plataformas digitais têm sido aliadas para estreitar o contato da população com a Prefeitura de Teresina durante esse delicado período de enfrentamento ao avanço do novo Coronavírus (COVID-19), em que a regra é favorecer o recolhimento domiciliar e manter somente os serviços indispensáveis. Por isso, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), para continuar oferecendo seu trabalho com segurança, orienta que o público busque os sistemas eletrônicos, a exemplo do Teresinense Digital, Piauí Digital, Construa Fácil, SLIC Teresina e Colab, para solicitar e acompanhar o andamento das suas demandas.

Além disso, aqueles que possuem processo administrativo físico em tramitação no órgão devem buscar mais informações por meio dos seguintes e-mails e telefones: gmacentral@gmail.com / (86) 9.9803-9203; monitoramentosemam2017@gmail.com (86) 9.9529-3566; licenciamentosaude@gmail.com (86) 9.8847-0155; obras.semam@gmail.com e mineracao.semam@gmail.com.

Para quem deseja fazer consultas de viabilidade ambiental, pedidos de fiscalização e solicitar autorizações para poda ou supressão vegetal, podem fazê-los por meio do Teresinense Digital, acessando o seguinte link: https://pmt.pi.gov.br/teresinensedigital/. No caso das emissões de Licença Prévia ou de Instalação, os interessados devem buscar pelo sistema Construa Fácil (http://construafacil.semf.teresina.pi.gov.br/).

Já os processos de emissão da primeira Licença de Operação devem ser feitos pelo Piauí Digital (http://www.piauidigital.pi.gov.br/). Para as emissões de renovação de Licença de Operação, a ferramenta disponível é o sistema SLIC Teresina (http://slic.semf.teresina.pi.gov.br/).

Outro recurso digital é o aplicativo Colab, que permite à população comunicar diretamente aos órgãos públicos os problemas do seu bairro, contribuindo para uma gestão mais participativa no município de Teresina. Após baixar o app gratuitamente nas lojas virtuais da Google (Play Store) e da Apple (App Store), o usuário precisa fazer um cadastro simples, e, em seguida, inserir imagem, localização e descrição da sua demanda.

De acordo com o secretário executivo da SEMAM, Claudinei Feitosa, o atendimento presencial na sede da pasta acontecerá somente em situação excepcional, nas terças e quintas-feiras, das 9 às 11 horas.

Demandas de asfalto no Colab foram 100% atendidas em 2019

Facilitando a comunicação da população com os gestores municipais, o aplicativo Colab.re tem sido uma ferramenta essencial para atender solicitações de reparos em ruas e avenidas da capital por meio da Operação Tapa Buracos.  Em 2019, foram atendidas 850 demandas atendidas pela Coordenação de Asfaltamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), totalizando uma taxa de resolução de 100%.

Com base nos dados fornecidos pelo Colab.re, desde que a plataforma foi criada em 2013 até 2020, a taxa de resolução é de 99%, sendo 1.795 demandas resolvidas, nenhuma foi indeferida, e 17 ainda estão sendo atendidas.

De acordo Daniel Pereira, coordenador de Asfaltamento da SEMDUH, o aplicativo recebe as solicitações da população e estas são distribuídas por categoria, sendo encaminhadas diretamente para os coordenadores de cada secretaria, que ficam responsáveis por incluí-las em suas programações.

“No caso do asfaltamento, nossas demandas são voltadas para reparos emergenciais de vias, principalmente nesse período chuvoso em que surgem muitos buracos e intensificamos as ações da Operação Tapa-Buracos. A população coloca a foto do problema, a localização específica e conseguimos encaminhar uma equipe no ponto exato para a resolução”, explica Daniel Pereira.

Sobre o Colab

O aplicativo é gratuito e está disponível para IOS e Android. Nele, a população pode deixar sugestões, reclamações, denúncias e solicitações de serviços que serão encaminhados para gestores da prefeitura.

Defesa Civil Municipal traça plano de atuação no período chuvoso

A Defesa Civil Municipal de Teresina iniciou nesta segunda-feira (3) o trabalho de monitoramento das áreas de risco que sofrem com os efeitos das chuvas em todas as zonas na capital. Ao todo, 52 áreas estão sendo monitoradas para que seja feito o mapeamento das demandas e direcionamento das ações para as áreas mais críticas.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Deolindo Nascimento, o órgão vem realizando o monitoramento integrado com as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e as Superintendências de Desenvolvimento Rural (SDRs). Tamém está sendo feita a verificação dos sistemas de drenagem e a limpeza em bueiros para evitar transtornos causados pelas chuvas.

As equipes da Defesa Civil seguem visitando regiões afetadas e já traçaram um plano emergencial para atender aos locais em situação mais crítica, que são: Parque da Vitória, Parque Eliane e Irmã Dulce, na zona Sul; Vila Apolônio, Parque Brasil e Parque Alvorada, na zona Norte; Vila Mandacaru, Pedra Mole e Vila do Avião, na zona Leste; Pedro Balzi, Vila Verde e Deus Proverá, na zona Sudeste. Na zona rural, o acompanhamento será realizado no povoado Santa Luz, São Vicente e Cajazeira.

O trabalho da Defesa Civil está orientando os moradores quanto aos riscos da permanência nestas áreas, serviços de atendimento emergencial realizado pelo órgão e ainda sobre os requisitos para inclusão de famílias em situação de vulnerabilidade no Programa Cidade Solidária, um dos serviços socioassistenciais do município. A Defesa Civil reforça que a população deve notificar à equipe quaisquer ocorrências por meio de ligação gratuita no número 153.

Populares da região das Olarias apresentam demandas para representantes do Banco Mundial

Ascom/PLN

Moradores do bairro Olarias, situado na região do dique da avenida Boa Esperança, zona norte de Teresina, reuniram-se com membros do Banco Mundial, que estão em Teresina em missão de acompanhamento das obras e projetos do Programa Lagoas do Norte. O encontro aconteceu na manhã desta quinta-feira (12).

O senhor Luís Felipe da Costa é vazanteiro e dona Eliúde Gomes de Sousa Silva é cabeleireira, moram em casas que ficam às margens da avenida Boa Esperança, e solicitaram aos membros da instituição que financia o programa uma maior celeridade no andamento dos projetos porque temem pela segurança das casas de vários moradores, que estão em situação precária. Participaram da reunião as especialistas da área social do Banco Mundial, Soraya Melgaço e Juliana Paiva, e a diretora geral do PLN, Márcia Muniz.

“As pessoas que moram na Vila Apolônia, nas Olarias e nas comunidades próximas ao Encontro dos Rios vivem apavoradas porque as casas são de taipa e não vão resistir a mais um inverno. Muita gente não tem nem um banheiro, a lagoa é cheia de lixo, as crianças não tem aonde brincar e muita gente está sendo atropelada porque as casas são em cima da avenida, não tem por onde as pessoas andarem. O que a gente quer é que o projeto comece para que a gente tenha um lugar seguro para morar. A comunidade toda sabe que o Lagoas do Norte vai levar é benefício para nós, melhorar nossa realidade”, relatou Eliúde.

Gerente do programa junto ao Banco Mundial, a engenheira Juliana Garrido explicou aos moradores o andamento das ações do Lagoas do Norte e comunicou que os técnicos do programa farão reuniões com a população para explicar o que está sendo feito.

“Tivemos a oportunidade de receber esses moradores para conversar sobre o andamento do programa. Vamos realizar reuniões com a comunidade para explicar que uma empresa especializada fará um estudo detalhado dos diques do Parnaíba e Poti e as possibilidades de reestruturação desse dique. Também faremos uma outra obra na região, que é a requalificação urbana e ambiental da lagoa dos Oleiros, que contemplará essa comunidade. Além disso, as obras na área da lagoa do São Joaquim, no bairro Mafrense, deverão iniciar até o fim deste mês”, explicou Márcia Muniz.

O Lagoas do Norte segue a rotina de atendimento à população tanto na Unidade de Gerenciamento do Programa, como na Unidade de Projeto Socioambiental que compõem o programa. Nessas unidades os moradores podem tirar dúvidas sobre as intervenções na região.