SDU Leste executa limpeza em avenidas, ruas e praças de 11 bairros nesta segunda-feira (29)

Nesta segunda-feira (29), 11 bairros da zona Leste estão recebendo ações de limpeza da Gerência de Serviços da SDU Leste. Ruas, avenidas, praças e canteiros centrais são alvos das ações de zeladoria da Gerência, que trabalha diariamente para manter a cidade limpa.

Os bairros que recebem os serviços de limpeza são Santa Isabel, São João, Ininga, São Cristóvão, Pedra Mole, Jóquei, Fátima, Vila Maria, Taquari, Uruguai e Morada do Sol. Nos locais, os profissionais que compõem a equipe de limpeza estão executando serviços de roço, capina, varrição, transbordo e podas de árvores.

As equipes de capina estão atuando nas avenidas Zequinha Freire, Jânio Quadros, Senador Arêa Leão, Ininga, Gaioso e Almendra, Cajuína e Thomaz Tajra. Já as avenidas João XXIII, Raul Lopes, Universitária e Nossa Senhora de Fátima estão recebendo serviços de varrição. As podas acontecem na Avenida Jânio Quadros e as equipes de áreas verdes estão atuando na Praça da Academia do Taquari.

O gerente de Serviços Urbanos da SDU, Renato Lopes, explica que os serviços são essenciais para contribuir com a manutenção da limpeza das áreas verdes e públicas, ao tempo em que reforçou que os profissionais estão adotando todas as recomendações de saúde. “Sabemos do cenário que estamos enfrentando com a pandemia, mas a limpeza urbana não pode parar. Estamos executando os serviços de maneira segura, respeitando o distanciamento mínimo e utilizando os equipamentos de proteção individual”, destacou.

O superintendente João Pádua parabenizou a atuação da Gerência e frisou a relevância do apoio da população para evitar o descarte incorreto do lixo. “A ideia é que possamos atuar em conjunto para minimizar os transtornos causados aos próprios moradores. Sabemos que agir em conjunto é fundamental e por isso reforçamos o pedido de compreensão para que evitem descartar o lixo em locais inapropriados. Isso facilita a atuação das equipes de limpeza, que neste momento é fundamental”, disse.

 

PMT instala 30 câmeras para flagrar descarte irregular de resíduos

Com o intuito de reduzir a ação de disposição irregular de resíduos na capital, por parte dos munícipes, a Prefeitura de Teresina está instalando câmeras de videomonitoramento em tempo real em 30 pontos da cidade que serão fiscalizados pelo Programa Lixo Zero. Ao todo, já foram implantadas 22 câmeras e a previsão de instalação total do sistema é até o fim de janeiro.

De acordo com o assessor técnico da coordenação de limpeza da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), Robispierre Leite, a Prefeitura conta com as equipes do Programa Lixo Zero atuando em vários pontos da cidade, mas que alguns locais apresentam ocorrência constante de descarte irregular necessitando de um monitoramento mais incisivo.

“Essas câmeras transmitem as imagens via rádio em tempo real para uma sala monitorada pela coordenação do Programa Lixo Zero. Um diferencial ainda melhor, é que as câmeras podem ser modificadas de lugar, então, quando conseguirmos solucionar o problema de um local, ela pode ser instalada em outro ponto. E assim sempre teremos 30 câmeras distribuídas pela cidade”, explicou Robispierre.

Denis Sena, coordenador do Programa Lixo Zero, destaca que as equipes de fiscalização atuam tanto com ações educativas, quando identificam que a disposição irregular é resultado de falta de instrução, ou ações punitivas, quando o infrator possui consciência do descarte irregular, como é o caso de descartes geralmente cometidos por pessoas jurídicas.

“O videomonitoramento já está em operação, ainda que a fase de implantação não esteja completa. Está sendo usado inicialmente como uma plataforma de apoio às nossas equipes em campo. Assim que constatamos uma situação de flagrante de descarte irregular pelas câmeras, caso não seja possível identificar o infrator pelos vídeos, acionamos nossas equipes que estão em campo para verificar o local e os resíduos descartados”, destaca Denis.

O Programa Lixo Zero ainda é responsável pelas penalidades decorrentes e condução do processo administrativo. “De acordo com o caso, o autor do descarte pode receber uma notificação preliminar, uma espécie de aviso seguido de orientação para adequação da situação, ou um auto de infração, sendo este utilizado em casos mais graves ou danosos ao meio ambiente, no qual a penalidade pecuniária pode variar de R$ 354,02 a R$ 3.540,27” completa o coordenador do Programa Lixo Zero.

SDU Sudeste intensifica limpeza na região

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste (SDU Sudeste) vem intensificando neste final de ano os serviços de limpeza na região. Ao todo, são 15 equipes divididas para atender diversos serviços de limpeza executados pelo órgão, como capina, varrição, roço de área verde, galeria e manutenção de cemitérios. Além disso, a SDU também faz o recolhimento do material descartado irregularmente pela população.

De janeiro a novembro, as equipes de limpeza da SDU Sudeste coletaram mais de 28 mil toneladas de transbordo (descarte irregular de lixo) em toda a região, o que acarretou um desembolso de, aproximadamente, R$ 1.000,000,00 aos cofres públicos.

A ação é decorrência do trabalho contínuo e programado que a Superintendência realiza em todos os bairros da zona Sudeste. Porém, de acordo com o gestor do órgão, Evandro Hidd, com o auxílio da população esse valor poderia ser menor. Ele também reforça a importância da contribuição dos moradores para a limpeza de espaços públicos, sobretudo para diminuir os gastos com o recolhimento do lixo que são descartados incorretamente.  “É um valor muito alto, que poderia ser usado em outras prioridades da população, como calçamentos e construção de espaços públicos, dentre outros”, disse.

Evandro explica que a ação é feita por etapas, para assegurar a manutenção de todos os espaços públicos da região. “Temos uma programação pré-definida através da Gerência de Serviços Urbanos em que fazemos o atendimento de todas as áreas da região Sudeste. A população também pode participar nesse contexto, fazendo a solicitação de limpeza por meio do aplicativo Colab, que é hoje a forma mais moderna e rápida de atendimento. A pessoa nos envia a foto e a localização e nós enviamos uma equipe para averiguar a situação do local e o atendimento”, esclareceu Hidd.

O compromisso da Prefeitura de Teresina é manter a cidade limpa, proporcionando qualidade de vida para a sociedade. Para isso, a Superintendência pede a colaboração da população no trabalho de conservação desses espaços. Nesse sentido, a comunidade pode ajudar com informações ou denúncias sobre descarte incorreto de lixo pelos números (86) 3215-7875 e 7874, ou ainda pelo aplicativo Colab.

 

SDU Centro Norte coletou 34 toneladas de lixo de janeiro a novembro

Levantamento realizado pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano Norte mostra que, de janeiro a novembro deste ano, o órgão recolheu 34.173,65 toneladas de lixo na região, sendo 15.791,88 coletados manualmente e 18.381,77 toneladas de lixo recolhidos de forma mecanizada.

O lixo que é descartado de forma irregular em ruas e avenidas da cidade é considerado um dos fatores responsáveis pela obstrução da passagem de águas naturais e entupimento de galerias e bueiros, o que causa transtornos, principalmente, em período chuvoso, por isso a Superintendência recomenda que esse tipo de atitude seja evitada.

Dentre os serviços desempenhados pelos integrantes da equipe da SDU Centro Norte estão os serviços de poda de árvores, capina, varrição e limpeza. A ação é promovida periodicamente pela equipe de limpeza da Gerência de Serviços de Serviços Urbanos (GSU) da Superintendência, composta por equipes de profissionais que se dividem de acordo com as demandas que surgem na comunidade.

O gerente de Serviços Urbanos do órgão, José Neto, enfatiza que o trabalho de coleta de lixo e limpeza faz parte da rotina diária da Gerência. “Trabalhamos todos os dias para coletar lixo e proporcionar uma melhor qualidade de vida para os moradores da região”, enfatiza o gestor.

A colaboração da população é fator importante para evitar o acúmulo ou descarte irregular de lixo em áreas de proteção ambiental. O cidadão também pode ajudar e delatar casos de depósito irregular através do aplicativo Colab ou entrando em contato com o Lixo Zero pelos números (86) 3226-2028 ou (86) 99806-6171.

 

Mais de 13 mil toneladas de lixo irregular foram recolhidas nas regiões Centro e Norte no primeiro semestre

O depósito irregular de lixos e entulhos é uma prática comum realizada pela população que traz riscos à saúde e bem-estar das comunidades. De acordo com dados da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro Norte, só no primeiro semestre de 2019 foram recolhidas mais de 13 mil toneladas de lixo irregular nas zonas Centro e Norte da capital. A quantidade supera os resíduos recolhidos em capina, que foram de 10 mil toneladas.

O lixo oriundo de depósito irregular é coletado frequentemente em 30 pontos de transbordo da região e em áreas delatadas através do aplicativo Colab. O gerente de serviços urbanos da SDU Centro Norte, Renato Lopes, explica que as equipes de limpeza estão sempre retornando aos locais que já foram limpos anteriormente e que os moradores precisam se conscientizar e evitar o hábito do descarte irregular.

“Removemos o lixo destes pontos para evitar transtornos nas comunidades. No entanto, esses pontos não são regularizados e geram gastos desnecessários para o município. A população precisa se conscientizar e evitar esse péssimo hábito”, enfatiza o gerente.

Para o superintendente da SDU Centro Norte, Weldon Bandeira, os teresinenses precisam evitar a prática, pois assim estão colocando em risco a saúde de todos. “Infelizmente, a população insiste em depositar o lixo de forma inadequada. Isso é uma ameaça à saúde pública e ao meio ambiente”, diz Weldon.

Além de intensificar os serviços de limpeza, a SDU Centro Norte tem acionado a sua Gerência de Controle e Fiscalização e o Lixo Zero para que localizem e notifiquem os responsáveis pelo descarte inadequado nesses pontos.

O cidadão também pode colaborar e delatar casos de depósito irregular através do aplicativo Colab ou entrando em contato com o Lixo Zero pelos números (86) 3226-2028 ou 99806-6171.

 

Resíduo de descarte irregular equivale a 1/4 do total coletado pela PMT mensalmente

Mesmo com um sistema de limpeza regular realizado pela Prefeitura de Teresina, oferecendo serviços voltados para coleta e disposição correta de resíduos domiciliares, recicláveis, restos de poda, capina e até de móveis usados, o teresinense ainda descarta, mensalmente, uma média de 8,5 mil toneladas de resíduos em locais inapropriados. Essa quantidade representa 25% dos resíduos coletados em toda a cidade.

De acordo com levantamento feito pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), com dados de janeiro a junho de 2019, a prefeitura coleta mensalmente 15 mil toneladas de resíduos domiciliares, 8,5 mil  t de resíduos descartados irregularmente, 2,5 mil t nos Pontos de Recebimentos de Resíduos (PRRs) e 6 mil t de capina e varrição realizados pelo município.

“Nos surpreende a quantidade de resíduos que a população despeja nas ruas. É preciso que cada munícipe tenha consciência da responsabilidade que possui pelo lixo que produz. É de obrigação da Prefeitura garantir um sistema de coleta e disposição final eficiente, mas cada popular é responsável por acondicionar o seu resíduo e colocar na porta da residência no horário próximo da coleta, para evitar que animais ou  terceiros possam espalhar os resíduos na rua, e assim garantir uma cidade mais limpa”, comenta a coordenadora de limpeza pública da Semduh, Lílian Guimarães.

A coordenadora ainda explica que nos terrenos baldios é comum encontrar resíduos que poderiam ser destinados para os PRRs. “Restos de poda, capina, varrição, móveis usados e materiais de construção de até 1m³ (tamanho de uma carroça), produzidos pela população podem e devem ser destinados aos PRRs. Se as 8,5 mil toneladas de resíduos que coletamos nos terrenos fossem destinados de maneira correta para os PRRs e o que fosse orgânico para a coleta domiciliar, não só teríamos uma cidade mais limpa, como o município poderia direcionar esse investimento para outros setores de limpeza e conservação urbana”, disse.

Lílian ainda completa que os esforços da Prefeitura continuam para buscar a conscientização e colaboração do teresinense. “Realizamos diariamente ações de educação ambiental e temos fiscais monitorando terrenos baldios com o intuito de educar e notificar pessoas que descartem lixo em locais inapropriados. É válido lembrar que em casos reincidentes existem penalidades para esses infratores com multas a partir de R$ 340,70”, conclui a coordenadora.

 

Escola da zona Norte conscientiza moradores sobre descarte irregular de lixo

A região Centro Norte de Teresina é a maior em área territorial e quantidade de bairros. Só na região, são 30 áreas de transbordo com descarte irregular de lixo criadas pelos próprios munícipes. Pensando nisso, a Escola Irmã Catarina Levine, localizada do bairro Memorare, realizou na manhã desta sexta-feira (10) uma ação para conscientizar os moradores do bairro para que não depositem lixos e entulhos em locais irregulares.

A ação nasceu através do Projeto “Sou saviniano, sou solidário”, conhecido como Projeto 4S, que envolve toda a rede Saviniana e tem como base a solidariedade. Neste ano, a escola contou com o apoio da Prefeitura de Teresina e redirecionou as ações para o tema Políticas Públicas, em que os alunos colocaram em prática os ensinamentos absorvidos em sala de aula.

Os estudantes, acompanhados de professores, percorreram as ruas do bairro Memorare conversando com os moradores sobre como o descarte irregular de lixo prejudica a comunidade, explicando o papel dos munícipes e da Prefeitura, e distribuindo panfletos informativos sobre o Colab, aplicativo em que o cidadão pode sugerir soluções e fiscalizar a qualidade dos serviços prestados pela PMT.

De acordo com dados da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro Norte, só na região são investidos cerca de R$ 80 mil reais mensais com o recolhimento de lixos e entulhos frutos do descarte irregular, um recurso que poderia ser investido em outras áreas e obras.

Para a Irmã Carla Macias, diretora da escola, o projeto vem para conscientizar os moradores do bairro sobre o seu papel. “Queremos alertar os munícipes para que evitem jogar lixo em locais irregulares, temos uma galeria na esquina da nossa escola que todas as semanas as equipes de limpeza da SDU Centro Norte vêm limpar e desentupir. Ainda assim, a população continua descartando lixo no local”, alertou.

Yan Gabriel, 14 anos, é aluno do 9º ano e foi às ruas conversar com os moradores do bairro. Para ele, o projeto serviu para desmistificar a ideia de que políticas públicas têm a ver com partidos políticos. “Nossa escola está tentando aplicar as políticas públicas para conscientizar a população sobre os problemas do nosso bairro. Queremos esclarecer que os cidadãos devem se engajar e agir em conjunto com a Prefeitura. Isso não tem a ver com partidos políticos, e sim, com também fazer a nossa parte”, enfatizou.

Maria da Cruz Silva, que mora no bairro há 20 anos, se sentiu esperançosa ao receber os alunos na porta de sua casa. “Ver essas iniciativas partindo de jovens nos dá esperança para que as futuras gerações tenham consciência do seu papel. A gente também precisa cuidar da nossa cidade”, disse a moradora.

Para colaborar com os trabalhos das SDU’s, a população pode auxiliar os serviços através do aplicativo Colab, enviando fotos e a localização exata dos pontos que precisam de limpeza e fiscalização. O Colab está disponível para celulares Android e IOS.

 

Ponto de descarte irregular de lixo se tornará Piscinão no Parque Brasil

Rômulo Piauilino

Um antigo ponto de descarte de lixo irregular está se transformando em um novo espaço de lazer de Teresina. As obras no Piscinão do Parque Brasil estão adiantadas e a área está sendo totalmente urbanizada. Na manhã desta segunda-feira (06), o prefeito Firmino Filho, acompanhado de alguns gestores, visitou o local e outras obras em execução na zona Norte da cidade.

O Piscinão, feito em uma área de lagoa, beneficiará a comunidade local e evitará alagamentos. Além desse sistema de reservatório de água, está sendo executada uma pista de cooper que rodeará o piscinão, um campo de futebol, iluminação e a pavimentação das ruas ao redor. Os recursos totais investidos estão orçados em R$ 265 mil e são oriundos de convênio federal.

O Prefeito Firmino Filho destaca que cada vez mais existe a necessidade das comunidades terem opções de esporte e lazer e que isso só tem a acrescentar para o desenvolvimento da capital. “Esporte e lazer são sinônimos de saúde e bem-estar, por isso estamos construindo vários parques e academias populares pela cidade. Com a diminuição das chuvas, o ritmo das obras aumentou e em breve toda a comunidade poderá usufruir dessa nova opção de lazer”, enfatiza Firmino.

Para o superintendente da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro Norte, Weldon Bandeira, a obra vem para auxiliar na urbanização do Parque Brasil. “Esse local, que era um ponto de descarte irregular de lixo, vai ser todo urbanizado e trará opções de esporte e lazer para os moradores da comunidade, além da pavimentação das ruas ao redor”, destaca Weldon.

A moradora do Parque Brasil, Ana Lúcia da Silva, relata a alegria de ver a comunidade sendo urbanizada. “Estou muito satisfeita, minha rua já foi pavimentada e em breve vou ter ao lado de casa uma opção de lazer para os meus filhos e eu”, disse.

Outras obras também foram visitadas pelo prefeito e seus gestores nesta manhã, como uma Academia Popular no bairro Primavera, orçada em R$ 57 mil oriundos de Emenda Parlamentar e a Praça da Paz no bairro Mocambinho, que teve início em dezembro de 2018 e foi orçada em R$150 mil, com recursos do Orçamento Popular. A obra contará com instalação de um piso intertravado, passeios para caminhadas, área de grama, canteiros elevados e reforma dos bancos.

Também foi visitado o Parque Ambiental do Mocambinho, que se chamará Parque Ambiental Matias Augusto de Oliveira Matos. Uma área total de 4,9 hectares com playground, quiosques, praça de alimentação, campo de areia, quadras de esportes, ciclovias, espaço para caminhadas e grande área verde. A obra total foi orçada em R$ 12 milhões e 755 mil reais, oriundas do Banco Mundial, e já está em fase de conclusão.

Também foram acompanhadas de perto as obras das casas do Residencial Parque Brasil, onde serão recebidas famílias reassentadas pelo Programa Lagoas do Norte e moradores do bairro Água Mineral da construção da nova Ponte sobre o rio Poti. O Residencial está contemplado no Minha Casa Minha Vida e o investimento é no valor de R$1 milhão e 200 mil. As casas apresentam uma área de 50 m², com sala, cozinha, banheiro e dois quartos e os apartamentos contêm três pavimentos. As obras iniciaram em setembro e terão conclusão em até 14 meses.

SDU Centro Norte alerta para descarte irregular de lixo e arboviroses

Ascom/ SDU centro norte

O período chuvoso propicia o aumento do índice de arboviroses (dengue, zika, chikungunya, e febre amarela) nas áreas urbanas. Pensando nisso, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro Norte, por meio de sua Gerência de Serviços Urbanos, tem redobrado os trabalhos de varrição, limpeza e capina em vários pontos da região.

As chuvas facilitam o acúmulo de água e o surgimento de criadouros dos mosquitos, assim o descarte irregular de lixo por parte da população é um facilitador para a proliferação dessas arboviroses.

Só no último mês de março foram recolhidos 3,9 mil toneladas de lixo, sendo 2,20 mil oriundas do descarte irregular. “Todos os dias estamos nas ruas redobrando a limpeza de diversos trechos da região, mas enquanto a população não perder o hábito de descartar entulhos e lixos em ruas e terrenos baldios, sempre haverá riscos para a saúde de todos”, declara o gerente de serviços urbanos da SDU Centro Norte, José Neto.

De acordo com o superintendente da SDU Centro Norte, Weldon Bandeira, a Prefeitura de Teresina tenta coibir esse depósito irregular de lixo através da fiscalização, aplicando multas nos infratores. “Só nas regiões centro e norte são gastos R$ 80 mil reais mensais com lixos e entulhos frutos do descarte irregular, um recurso que poderia ser investido em outras áreas e obras”, enfatiza.

O lixo domiciliar já é recolhido semanalmente nas residências, mas entulhos como restos de podas, móveis e madeiras devem ser levados até o Ponto de Recolhimento de Resíduos (PPR) mais próximo. Só nas zonas centro e norte da capital são 9 PPRs. Além disso, o cidadão pode denunciar pontos com descarte incorreto através do aplicativo Colab (disponível para celulares IOS e Android) ou pelo número (86) 3215-7465.

Pontos de Recolhimento de Resíduos na região Norte:

Rua Mato Grosso, entre as Ruas Jarbas Martins e Anísio Brito, bairro Ilhotas.

Rua Prof. Fernando Marques, entre a Av. Alameda Parnaíba e Rua Amazonas, bairro Morro da Esperança.

Rua Alcides Freitas, entre as Ruas Rui Barbosa e 13 de Maio, bairro Mafuá.

Rua Mariano Gaioso com Avenida Ministro Sérgio Mota, bairro Santa Maria da Codipe.

Avenida da Conquista (Francisco Nogueira), próximo ao Parque Ambiental do Res. Francisca Trindade, bairro Santa Maria da Codipe.

Rua Manuel Aguiar com Rua Raimundo Vila Nova, bairro Mafrense.

Rua Professor Oscar Clarck, ao lado do Cemitério Santo Antônio, bairro Buenos Aires.

Rua Governador Arthur de Vasconcelos, entre as Ruas Roraima e Território Fernando de Noronha, bairro Aeroporto.

Rua Desembargador Caio Oliveira com Avenida do Dique, Loteamento São José/Bairro Mocambinho.