Semec planeja atendimento educacional para crianças e adolescentes venezuelanos em Teresina

Uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (Semec) e a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) vai garantir a quase 100 crianças e adolescentes venezuelanos acesso à educação de qualidade.

Nesta quinta-feira (20), equipes técnicas das duas Secretarias discutiram novas estratégias de acompanhamento destes imigrantes acolhidos em abrigos de Teresina.

Foto: Ascom Semec

A Semec está elaborando um projeto para alfabetizar as 58 crianças a partir de 3 anos de idade, além de 40 adolescentes venezuelanos. Atualmente, o grupo é acompanhado pela Semcaspi, que mantém dois educadores nos abrigos. Com a necessidade de avançar nas políticas educacionais, a Semec pretende formar grupos para aulas presenciais nas escolas municipais.

“A ideia é iniciar um processo de alfabetização e diálogos sobre cultura. Entender seus processos e incluí-los em nossas práticas. Em seguida, eles poderão ser enturmados, frequentando normalmente a escola, quando forem retomadas as atividades presenciais para todos. Tudo isso envolve também um debate aberto com alunos, professores e comunidade escolar, onde o respeito e a inclusão são prioridades”, explica a secretária executiva de Ensino, Edileuza Sampaio.

O projeto está em construção e o primeiro contato dos futuros alunos com a escola pode acontecer em agosto. Sem documentação escolar e com pouco domínio da língua portuguesa, os venezuelanos terão um programa exclusivo de aprendizagem.

Montezuma fala sobre perspectivas da educação em evento da Academia Piauiense de Letras

Com o objetivo de discutir perspectivas para o futuro, a Academia Piauiense de Letras realizou o Seminário Piauí 2100, levantando diversos aspectos do desenvolvimento do Estado. A programação contou com personalidades de variadas áreas. O secretário municipal de Educação Kleber Montezuma foi convidado para pontuar sobre a educação no Piauí – consequências e desafios.

Em sua fala, o secretário destacou os avanços alcançados nos últimos anos, especialmente em relação ao acesso de crianças, adolescentes e jovens à escola pública com educação de qualidade. Aproveitou para chamar atenção para a necessidade do ensino estar conectado às demandas do mundo digital, sem deixar de lado a formação humana.

“Precisamos que o ensino ofertado tenha melhor qualidade e que esteja conectado com as demandas do mundo presente, sem esquecer que, cada vez mais, é importante a escola trabalhar com atividades que ajudem os alunos a gerir adequadamente suas emoções”, avaliou.

O secretário também opinou sobre a nova proposta de financiamento da educação básica, que pode unir as verbas públicas de saúde e educação. Kleber Montezuma classificou a ideia como “um golpe de morte na educação básica”.

Durante o seminário, os convidados discutiram outras perspectivas do Piauí sob o ponto de vista cultural, analisando cenários sociológicos, estruturais, e literários.