Diretoras de CMEIs da zona Sul estão animadas com reformas anunciados pela Semec

Mais dois Centros Municipais de Educação Infantil de Teresina receberão reparos estruturais para o retorno das aulas 100% presenciais. Nesta segunda-feira (16), o secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso, esteve com sua equipe técnica visitando os CMEIs Renatinha e Luterano, ambos na zona Sul.

O CMEI Renatinha, localizado no bairro Promorar, atende 168 crianças do Maternal ao II Período. Prestes a retomar as atividades de forma total, está recebendo os serviços de capina e poda de árvores, além de pequenos reparos. “É importante não só pela estética, mas para eliminar possíveis focos de dengue. Essa retomada precisa ser segura para toda a comunidade escolar”, afirma a vice-diretora, Jaqueline Amorim.

Em visita ao CMEI Luterano, Nouga anunciou a climatização das salas de aula e uma reforma do piso e do telhado em parceria com a igreja que tem o mesmo nome do CMEI. As duas instituições dividem o amplo espaço e serão beneficiadas com os reparos na infraestrutura. A diretora Ana das Neves conta que a reestruturação do local é um sonho da comunidade, beneficiando 120 crianças. “Ficamos muito felizes com as novidades, também porque em breve ganharemos pintura nova e um parquinho, tudo que as famílias mais querem”, revela a gestora.

Segundo o secretário, o desejo é de atender o quanto antes as necessidades dos gestores, mas há um limite de gastos e prioridades, por isso vem dialogando com os diretores pessoalmente. “Minha equipe e eu avaliamos as principais necessidades para que as aulas sejam retomadas 100% como planejamos, dentro de uma estrutura segura. Tenho anotado todos os pedidos de cada escola percorrida, reivindicações justas, nossos alunos precisam do melhor espaço escolar para que construam suas trajetórias”, conclui o secretário.

Mais de 20 escolas municipais já foram limpas na Operação de Combate à Dengue em Teresina

Após a saída para passar o Dia das Mães com a família, os reeducandos da Secretaria de Justiça do Piauí voltaram a atuar na limpeza das escolas públicas municipais na última sexta-feira (13).

Até agora, pelo menos 23 escolas já foram limpas, 6 pelas equipes da CTA, comandadas pelas SAADs, e 4 pelos reeducandos da Major César. Veja abaixo os detalhes:

Zona norte: 4 escolas (feitas pelos reeducandos)
– E.M. Roberto Cerqueira Dantas
– CMEI Monte Verde
– CMEI Zélia Calixto
– E.M. Clidenor de Freitas Santos (finaliza neste segunda-feira)

Zona sul: 10 escolas (feitas pela SAAD/CTA e SEMEC)
– E.M. Professor Benjamim Soares de Carvalho
– E.M. Zoraide Almeida
– E.M. Ruth Cardoso
– CMEI Rebeca Ribeiro
– CMEI Maria Alves da Silva
– CMEI Engenheiro Matias Matos
– CMEI Luiz Gonzaga
– CMEI Lindalma Carvalho
– CMEI Vila Tiradentes
– CMEI André Diuare

Zona Leste: 4 escolas (feitas pela SAAD/CTA e SEMEC)
– CMEI Vila Bandeirantes
– Escola Professor José Camilo Silveira
– E.M. Delfina Borralho
– E.M. Padre Angelo Imperialli

Zona Sudeste: 5 escolas (feitas pela SAAD/CTA)
– CMEI Chico Xavier
– CMEI Recanto dos Pássaros
– CMEI Clarice Lispector
– CMEI Jonas Pereira
– CMEI Ramsés Ramos

Ao todo, 40 reeducandos participam da ação de limpeza. A próxima escola onde haverá limpeza feita por eles é a CMEI Amélia Beviláqua, no Bairro Santa Maria da Codipi, zona norte. Para cada três dias trabalhados, a pena dos reeducandos será reduzida em um dia.

Após finalizar todas as escolas, os reeducandos passarão a limpar os demais prédios públicos e as ruas, sempre monitorados pela Guarda Municipal e por fiscais da SEJUS.

“Estamos trabalhando a todo vapor, como determina o prefeito Doutor Pessoa. Não temos medido esforços. As parcerias entre a Prefeitura e o Exército, e entre a Prefeitura e a SEJUS têm atingido bons resultados. Agora, a população precisa fazer sua parte. Precisa verificar sua casa, seu quintal. Qualquer tampa de garrafa é suficiente para que surja a larva do mosquito da dengue, então é necessário ficar vigilante. Além disso, também é importante descartar corretamente seu lixo e denunciar quem joga lixo em local proibido”, pondera o secretário da SEMDUH, Edmilson Ferreira, coordenador da Operação de Combate à Dengue.

Denúncias relativas a terrenos baldios que podem ter foco de dengue devem ser feitas às Superintendências de Ações Administrativas Descentralizadas (SAADs), pessoalmente ou por telefone. Já os casos de lixo colocado em via pública devem ser denunciados para o Programa Lixo Zero, pelo whatsapp 86 9.9402-3074. As denúncias são anônimas. O denunciante deve enviar informações, fotos e/ou vídeos da ação.

Reeducandos trabalhando na limpeza das escolas municipais. Foto: Divulgação (SAADs)

Unidades de ensino da Zona Norte estão recebendo serviço de capina para ajudar no combate à dengue

A força-tarefa da Prefeitura de Teresina para eliminar os focos da dengue pela cidade está contando com diversas ações diretas entre a comunidade e parceiros da administração pública. Nessa sexta-feira (13), os reeducandos do sistema prisional estão finalizando o trabalho de capina na Escola Municipal Roberto Cerqueira Dantas e iniciando na Escola Municipal Clidenor de Freitas.

A ação é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (Semec) e a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), com o objetivo de limpar as áreas ao redor das escolas que precisam de mais atenção no momento. A área sem matagal ajuda a eliminar os possíveis focos de reprodução do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença. Os CMEIs Monte e CMEI Zélia Calixto já receberam a limpeza.

Reinaldo Ximenes, coordenador do projeto na Semec, explica que a turma que está atuando no serviço de capina das unidades de ensino possui um cronograma de trabalho para contemplar o maior número de escolas possível. “Somos responsáveis pelas zonas Norte e Leste, enquanto o Consórcio Teresina Ambiental (CTA) e as superintendência de Ações Administrativas Descentralizadas (SAAD´s) atendem as demandas das zonas Sul e Sudeste. Todos juntos em um mutirão contra a proliferação do Aedes aegypti”, pontua Ximenes.

Gincana nas escolas consolida aprendizado de língua portuguesa e matemática com provas divertidas

Em alusão ao Dia da Língua Portuguesa e o Dia da Matemática, a Escola Municipal Raimundo Nonato Monteiro Santana, na Vila Irmã Dulce, mobilizou os alunos para a uma animada gincana com atividades ligadas às duas disciplinas.

O evento foi organizado e apresentado pelos diretores Susana Sara e Pinheiro Júnior, que também mostraram seus talentos musicais, animando o dia. As provas foram pensadas para reforçar as habilidades já adquiridas, mas de forma dinâmica, estimulando a competição saudável entre as equipes.

“Foi muito divertido. Os desafios estavam associados aos conteúdos estudados em sala de aula, reforçando esse aprendizado. Além de potencializar as habilidades em língua portuguesa e matemática, a brincadeira proporcionou troca de conhecimentos e integração entre alunos e comunidade escolar”, conta a gestora.

A ação levantou também outra temática importante nos dias atuais, o combate à dengue. Os alunos foram desafiados a criar e apresentar campanhas de conscientização sobre o assunto, principalmente para alertar a comunidade sobre a importância da prevenção, eliminando os focos do mosquito transmissor. A criatividade tomou conta das equipes, que apresentaram paródias, produções artísticas e outros sugestões de ações que podem ser implementadas pela população.

Prefeitura busca alugar imóveis para abrigar famílias alojadas em escolas

Com a volta das aulas presenciais, a Prefeitura de Teresina está buscando alternativas para remanejar as famílias que estão abrigadas nas escolas públicas municipais. Atualmente, são 768 famílias acolhidas, mas apenas 10% estão nas escolas. As demais estão no Programa Cidade Solidária, sendo atendidas pelo Aluguel Solidário ou pela Família Acolhedora.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Edmilson Ferreira, presidente do Comitê Emergencial que monitora as situações de vulnerabilidade causadas pelas chuvas, as equipes da Prefeitura estão realizando avaliações das moradias afetadas pelas inundações e enchentes. As casas que não oferecerem risco serão devolvidas às famílias e as outras serão demolidas.

“Todas as moradias abaixo da cota de inundação serão demolidas por apresentarem risco absoluto. As casas que estão acima da cota de inundação serão avaliadas para saber se há condições de receber as famílias de volta. Certamente, as casas que serão devolvidas passarão por reparos”, afirma o secretário.

O gestor acrescenta que, em paralelo, a Prefeitura procura alugar imóveis para os quais as famílias alojadas nas escolas serão remanejadas, ainda provisoriamente. “Estamos buscando imóveis, especialmente prédios. Temos menos de 70 famílias nas escolas e precisamos resolver essa situação de forma emergencial, mas sem aumentar o sofrimento dessas pessoas”, completa.

O secretário frisa que o prefeito Doutor Pessoa está empenhado em conseguir os recursos necessários para iniciar a construção de casas populares e que já foram mapeados terrenos municipais nas zonas norte e sul de Teresina para as obras.

“O certo é que todas as famílias que estão nos abrigos ou no Cidade Solidária terão suas residências. Ou voltarão para as casas em que estavam, se for seguro, ou irão para novas moradias. Porém, a construção passa por licitação e teremos que cumprir prazos legais. A Prefeitura não pode, simplesmente, mandar fazer as casas, tem que haver o processo legal da licitação, por isso é mais demorado. Mas o processo é contínuo e estamos trabalhando em cima dele. O prefeito entregará essas moradias o mais breve possível”, finaliza.

Veja abaixo um resumo de todas as estratégias da Prefeitura de Teresina para resolver, de forma emergencial, a situação das famílias afetadas pelas chuvas:

– Aluguel Solidário: A família é remanejada para um imóvel e a Prefeitura paga um aluguel de até R$ 300. Além disso, a família recebe cestas básicas, material de limpeza e higiene e é acompanhada por assistentes sociais.

– Família Solidária: A família é remanejada para a casa de parentes ou amigos e a Prefeitura paga uma ajuda de custo para o proprietário da casa. Além disso, a família vulnerável recebe cestas básicas, material de limpeza e higiene e é acompanhada por assistentes sociais.

– Abrigos: Caso a família não consiga um imóvel que se encaixe no Aluguel Solidário ou não tenha parentes e amigos que possam recebê-la, as assistentes sociais a encaminham para os abrigos. Atualmente, os abrigos funcionam em escolas públicas municipais, mas com o retorno das aulas presenciais, as famílias terão que ser remanejadas.

– Aluguel de prédios: a Prefeitura está negociando o aluguel de prédios para alojar as famílias que terão que sair dos abrigos montados nas escolas.

Veja abaixo um resumo de todas as estratégias da Prefeitura de Teresina para solucionar, de forma definitiva, a situação das famílias afetadas pelas chuvas:

– Remanejar imóveis irregulares: a Prefeitura, juntamente com a Caixa Econômica Federal, está monitorando imóveis entregues em antigos programas habitacionais. Aqueles que estiverem desocupados ou ocupados de forma irregular devem ser remanejados para as famílias afetadas pelas chuvas.

– Liberação de casas: a Prefeitura está fazendo uma avaliação de todos os imóveis que foram desocupados por causa das enchentes. Aqueles cujo problema pode ser resolvido sem deixar as famílias em risco serão devolvidos. Esses imóveis passarão pelos reparos necessários. Os demais serão demolidos.

– Construção de moradias: a Prefeitura já mapeou dois terrenos na zona norte e um terreno na zona sul onde é possível construir moradias populares para as famílias vulneráveis. Agora, o prefeito está buscando os recursos necessários e iniciará a licitação para a construção dessas casas o mais rápido possível.

Vigilância Sanitária já fiscalizou 33 escolas em 2022

Com a retomada das aulas presenciais, a Vigilância Sanitária está intensificando as fiscalizações em todas as instituições de ensino de Teresina. Somente nos meses de janeiro e fevereiro de 2022, um total 33 escolas já receberam visita das equipes em Teresina.

A gerente de Vigilância Sanitária da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Larisse Portela, conta que estão sendo fiscalizadas escolas, faculdades, cursos técnicos e outras instituições tanto da rede pública como particular. Das 33 fiscalizações, oito foram de rotina para liberação de licença sanitária e 25 foram solicitações decorrentes de denúncias.

A gerente conta que, até o dia 10 de fevereiro, 17 escolas foram notificadas. “A maioria das denúncias têm sido relacionadas a não suspensão de turmas mesmo após dois ou mais alunos testarem positivo ou salas de aula aglomeradas, com ocupação maior do que a máxima permitida”, conta a gerente. Larisse Portela ressalta que a população pode formalizar denúncias à Vigilância Sanitária pelo telefone 3215-9102, de segunda a sexta-feira em horário comercial.

Ela pede que a população deve estar atenta à mais nova Norma Técnica publicada em 11 de janeiro de 2022 e alterada em 26 de janeiro. “Qualquer descumprimento a essa normativa pode trazer riscos a alunos e trabalhadores da educação, como o fato da direção não suspender as turmas de alunos em que dois ou mais testem positivo num intervalo de sete dias, salas com ocupação maior que a capacidade, ausência de disponibilização de álcool em pontos estratégicos pelo ambiente escolar”, alerta Larisse Portela.

Secretário de Educação prossegue com visitas às unidades escolares

O Secretário Municipal de Educação, Professor Nouga Cardoso, acompanhado de assessores técnicos, visitou na manhã desta quinta-feira (19), unidades de ensino nas regiões do Grande Dirceu e Parque Piauí. O intuito foi ver de perto as necessidades de infraestrutura e providenciar as melhorias necessárias, além de ouvir professores e diretores sobre as condições das unidades escolares.

No Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Jesus Diocesano, localizado na zona Sul de Teresina, o secretário analisou as condições de carteiras escolares, piso do pátio, banheiros, telhados, janelas e pinturas, além de todos o sistema de segurança do prédio.

“Ressaltamos as demandas mais urgentes na infraestrutura da escola, já pensando no retorno das aulas. Atendemos um total de 178 alunos em tempo integral, com maternal II e primeiro e segundo ano. Nosso objetivo é retornar com o ensino presencial, mas com total segurança. Estamos seguindo todas as orientações repassadas pela Semec. Acreditamos que em breve estaremos recebemos nossas crianças”, ressalta a diretora do Cmei Jesus Diocesano, Ana Tereza Neves.

Na região do Grande Dirceu, o secretário Nouga Cardoso visitou a Escola Municipal Lunalva Costa que atende mais de 500 crianças do 1º ao 5º ano do ensino Fundamental. A escola passou por uma reforma nos anos de 2018 e 2019. Porém, durante a visita, o secretário verificou que a unidade precisa de uns ajustes necessários, dentre eles: uma nova área para cantina, telhado, parte elétrica e circulação de ventilação.

“Temos uma escola que passou por reforma e foi entregue em 2020. Contudo, faltou uma visão mais macro. Devemos considerar que vivemos um novo cenário com a Pandemia. Estaremos enviando nossa equipe de engenheiros para a escola, afim de elaborar um projeto e ver as condições de possíveis alterações. Nossa proposta é atender da melhor forma possível toda a comunidade escolar”, ressalta Nouga Cardoso.

Outra unidade visitada foi o CMEI Maria Augusta de Jesus, que antes funcionava em um pequeno prédio alugado e que agora, conta com sede nova, com seis salas de aula, pátio coberto, banheiros adaptados, cozinha e muito espaço para as atividades ao ar livre, atendendo 300 crianças nos turnos manhã e tarde. No centro infantil, o secretário pontuou que irá trocar carteiras, armários, mesas para professores, ventiladores e instalar novos aparelhos de ar condicionado.

“Estamos ansiosos para início das aulas. Enquanto não tem início para as crianças que atendemos, buscamos realizar os serviços necessários e imediatos”, disse a secretária do CMEI, Djane Santiago.

Foto: Divulgação (Semec) 

CMEIS das zonas Norte e Leste entregam kits de alimentação escolar nesta semana

Os Centros Municipais de Educação Infantil das zonas Norte e Leste de Teresina entregam na próxima quinta-feira (24) e sexta-feira (24) os kits de alimentação escolar distribuídos pela Secretaria Municipal de Educação (SEMEC). Serão contemplados 12.148 alunos que vão receber gêneros alimentícios que correspondem às refeições servidas nas unidades de ensino durante as aulas presenciais.

“A ação segue um cronograma para beneficiar mais de 91 mil alunos da Rede Municipal. Após os CMEIS, as escolas do ensino fundamental farão a entrega dos kits de alimentação. O objetivo é minimizar o impacto causado pela pandemia da Covid-19 nas famílias de baixa renda, especialmente em relação a rotina alimentar”, explica o secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso.

Compõem o kit, alimentos que já faziam parte do cardápio nutricional dos estudantes da Rede Municipal antes da pandemia: arroz, feijão, leite, além de frutas, legumes, proteína, entre outros itens. Os pais são orientados a comparecer às CMEIS em horários agendados, evitando aglomerações.

“É importante enfatizar que a entrega segue todos os protocolos de segurança, com higienização de cada item que compõe o kit de alimentação. Os profissionais da Secretaria usam os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e seguem as determinações do Programa Nacional de Educação (PNAE) do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação”, afirma a gerente de Assistência ao Educando da Semec, Keyla Cardoso.

Secretário de Educação conversa com pais em visita à Escola Municipal Conselheiro Saraiva

Fotos: Ascom Semec

O secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso, visitou nesta quinta-feira (20) duas unidades de ensino situadas no Povoado Boa Hora, zona Rural de Teresina. Acompanhado do chefe de Transportes da Secretaria Municipal de Educação (Semec), João Batista, Nouga conferiu as instalações das escolas e conversou com famílias da região.

Na Escola Municipal Conselheiro Saraiva, o secretário foi recebido pela equipe escolar, que apresentou os projetos desenvolvidos para os alunos do Ensino Fundamental e a rotina de atividades realizadas durante a pandemia. O dia também foi de entrega dos kits de alimentação escolar, oportunidade para o gestor da Semec dialogar com os pais.

A rota incluiu uma parada no CMEI Dalai Lama, que está em processo de finalização da obra. A creche foi totalmente reformada para atender uma maior quantidade de alunos, com ampliação do pátio coberto, novas salas de aula e pintura.
A Major Elizete de Lima, comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar, participou das visitas e garantiu reforço na segurança das unidades de ensino.

SEMAM lança projeto de educação ambiental em escolas de Teresina

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) lançou um projeto que busca despertar os estudantes e a comunidade escolar para a importância dos cuidados e da preservação do Meio Ambiente. Em tempos já tão difíceis, em que é preciso pensar e agir, antes de poluir, a SEMAM fez mais uma ação educacional de distribuição de mudas de plantas.

“O que queremos é contribuir para a formação de cidadãos conscientes, que vivenciem a sustentabilidade em suas atitudes. Estamos doando mudas para que as crianças e suas famílias sejam multiplicadoras de boas ações. O nosso projeto já fala isso: quem planta uma muda, muda tudo”, destacou a secretária Elisabeth Sá.

Quase 100 mudas de plantas nativas, frutíferas e ornamentais foram distribuídas, através do Projeto “Teresina Mais Verde”, em mais uma ação educacional em escolas de Teresina. A ideia é replicar essa ação para as demais instituições de ensino.

INOVAÇÃO

“O legal desse projeto é que acrescentamos agora a identificação das plantas, através de QR Code. Então, cada um que levou sua mudinha, já foi sabendo qual planta era aquela e todas as suas características para o plantio, inclusive. Além de plantar uma árvore que vai beneficiar todo o nosso Meio Ambiente, as crianças e suas famílias aprendem a cuidar”, finalizou Naisis Castelo Branco, gerente do Núcleo de Educação Ambiental (NEA) da SEMAM.

Quase 100 mudas de plantas nativas, frutíferas e ornamentais foram distribuídas, através do Projeto “Teresina Mais Verde” Foto(Ascom Semam)