Observatório da Mulher Teresina lança estudo sobre violência contra mulheres e meninas na capital

Em 2021, Teresina teve um aumento significativo nos registros de violência sexual, comparado ao ano de 2020, primeiro ano de pandemia por COVID-19, revela o Observatório Mulher Teresina, vinculado a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), na publicação do 1° Boletim OMT. O tema retratado é em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no dia 18 de maio. A data foi determinada pela Lei 9.970/2000, em memória à menina Araceli Crespo, de oito anos, sequestrada e violentada no Espírito Santo.

Confira o estudo na íntegra:

https://smpm.pmt.pi.gov.br/wp-content/uploads/sites/12/2022/05/BOLETIM-OMT-alterado-18-05-1.pdf

Segundo os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e do Ministério da Saúde (MS) relacionado à violência interpessoal, o Observatório Mulher Teresina aponta que de 96% dos casos contra pessoas do sexo feminino, 78,5% eram meninas entre 0 a 19 anos.

Conforme o estudo, nota-se que os principais lugares em que a violência sexual ocorre variam de acordo com a faixa etária das meninas. Quanto menor a idade, maior a ocorrência da violência sexual no espaço escolar. Quanto maior a idade, maior a ocorrência em vias públicas. Durante a pandemia por COVID-19 houve diminuição nos casos em vias públicas. “Foi possível observar que na maioria das vezes os autores da violência são pessoas conhecidas,” afirma Suziane Santos, técnica do Observatório.

Uma preocupação levantada pelo estudo é a maior ocorrência no ambiente doméstico na residência das vítimas, a qual apresenta 68% e os autores de violência com maior porcentagem são de pessoas próximas como amigo(a), conhecido(a) com 41%.

“É importante pontuar que meninas pardas de 10 a 14 anos foram as que mais sofreram violência sexual” ressalta a técnica Suziane Santos no relatório. O percentual de estupro contra meninas de 10 a 14 anos de 2011 a 2021 apresenta 72% dos casos, em relação ao assedio sexual 76%. Entre 2011 a 2021, 612 meninas já haviam sofrido episódios de violência outras vezes, representando 42% dos casos.

“O estudo é uma forma de conscientizar e informar a população teresinense sobre a recorrência dos casos de violência contra crianças e adolescentes na capital”, destaca a secretária Gabriela Rodrigues que ainda enfatiza. “Dessa forma, a Prefeitura de Teresina consegue entender e trabalhar o panorama da violência contra meninas e mulheres, e assim, combatê-la”, ressalta.

Onde procurar ajuda?

Serviço de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (SAMVIS) – Serviço de Saúde
Funcionamento: 24 horas todos os dias.
Endereço: Prédio da Maternidade Dona Evangelina Rosa – Avenida Higino Cunha, 1552, Bairro Cristo Rei, Teresina – Piauí.
Telefone: (86) 3228-1053

Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA)
Funcionamento: Segunda-feira à sexta-feira, das 08:00h às 18:00h
Endereço: Rua Otto Tito, s/n, Bairro Redenção, Teresina – Piauí.

Conselhos Tutelares
Região Centro/Norte: (86) 3215-9313. Plantonista: (86) 99490-7886
Região Sudeste: (86) 3215-9360. Plantonista: (86) 99460-3138
Região Sul: (86) 3227-6714. Plantonista: (86) 99454-2102
Região Leste: (86) 3233-8841. Plantonista: (86) 99470-0654

Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS)
Região Norte – Bairro Aeroporto. Telefone: (86) 3213-6144
Região Sudeste – Bairro São João. Telefone: (86) 3237-4115
Região Sul – Bairro Vermelha. Telefone: (86) 3223-0712
Região Leste – Bairro de Fátima. Telefone: (86) 3215-9330 Telefone: (86) 3216-2676

Teresina participa de pesquisa nacional sobre a Covid-19

Em Teresina 3.567 pessoas de 1.049 domicílios estão fazendo parte da Pesquisa de Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (PrevCov) realizada pelo Ministério da Saúde. Em Teresina teve reunião sobre a pesquisa com técnicos do Ministério da Saúde e a participação de Fábio Gonçalves, ouvidor da FMS, Amariles Borba, Diretora de Vigilância em Saúde da FMS.

A pesquisa terá informações que apoiem a tomada de decisão baseada em evidências, embasando as respostas em saúde pública e mostrando a distribuição da Covid-19 e sua dinâmica de transmissão no Brasil. O estudo vai estimar quantas pessoas tiveram a Covid-19 no Brasil, para compreender a doença e seus fatores de risco a fim de combatê-la e preveni-la.

A diretora de Vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Amariles Borba, informa que os dados da pesquisa também permitirão cálculos mais precisos de indicadores de morbidade e da letalidade pela doença. “São informações para apoiarem a tomada de decisão baseada em evidências, embasando as respostas em saúde pública”, diz.

O ouvidor da FMS, Fábio Gonçalves, explica que a pesquisa é realizada por mensagem de SMS/WhatsApp e as pessoas foram escolhidas de forma aleatória. “As pessoas contactadas terão os dados mantidos em sigilo e em caso de dúvidas poderão se certificar por meio da Ouvidoria Nacional do Sus pelo fone 136 que vai confirmar que o nome consta na lista das pessoas que compõem a pesquisa”, diz

Foto: Divulgação (FMS)

Acervo da Biblioteca Municipal Fontes Ibiapina passa por limpeza e organização

Para manter conservado o acervo com cerca de oito mil livros, a Biblioteca Municipal Fontes Ibiapina, localizada no bairro Matadouro, na zona Norte de Teresina, está realizando a limpeza e organização dos livros. Por conta da pandemia da COVID-19, a biblioteca foi fechada ao público funcionando apenas a parte administrativa.

Recentemente, o espaço ganhou cabines de estudo individual, onde o usuário terá mais privacidade durante o estudo. Outra novidade foi a implantação de um totem com álcool gel e ainda a aquisição de termômetro digital para medir a temperatura dos visitantes, após a reabertura.

De acordo com Antônia dos Santos, coordenadora da biblioteca, foram tomadas todas as medidas de segurança para o retorno das atividades tão logo a mesma seja liberada pelos órgãos de saúde. “Com a mudança dos costumes e dos afazeres no dia a dia por causa da pandemia do novo coronavírus, tivemos que fechar a biblioteca. Estamos buscando soluções para reabrir o espaço e tão logo ocorra a permissão por parte dos órgãos de saúde realizaremos a abertura”, conta Antonia dos Santos.

A Biblioteca Municipal Fontes Ibiapina é um espaço de estudo mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves. Para acompanhar mais ações da biblioteca, basta acessar o site fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da instituição.

A Biblioteca Municipal Fontes Ibiapina é um espaço de estudo mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves Foto (Ascom/FMC)

Prefeitura realiza estudo de viabilidade técnica de propostas do Orçamento Popular

A Prefeitura de Teresina tem submetido a estudo de viabilidade técnica 191 propostas de obras e serviços importantes para a comunidade, que serão executadas em 2020, com investimento de R$ 21 milhões disponibilizados pelo município para o Orçamento Popular.

Estas propostas depois seguirão para apreciação do Conselho Municipal de Orçamento Popular (COMOP), ainda no mês março. Durante os Fóruns Zonais, realizados no mês de fevereiro deste ano, moradores de todas as zonas de Teresina escolheram 191 propostas e elegeram 59 conselheiros.

De acordo com o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marco Antônio Ayres, dentre as propostas encaminhadas para estudo, constam solicitações de cursos profissionalizantes, construção de biblioteca, unidades habitacionais, obras de abertura de ruas, calçamento, asfaltamento, implantação de sistema de abastecimento de água, rede elétrica e outros.

“No momento, as propostas foram encaminhadas para as Secretarias que irão executá-las para que seja feito um parecer técnico, avaliando sua viabilidade e ressaltando informações necessárias para a execução de cada uma. Depois essas propostas e pareceres serão apresentados para que o COMOP possa realizar uma análise dessa documentação, realizar visitas in loco e submeter à votação as propostas que forem pré-selecionadas”, explica o gestor.

Ao final dos trabalhos de análise de propostas pelos conselheiros, o Conselho irá apresentar um relatório por zona contendo informações de todas as propostas aprovadas e suas observações.

CMEI Vila Bandeirantes estuda Dora Parentes e crianças recebem visita da artista

Ascom/Semec

As crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Vila Bandeirantes estão estudando as obras da artista plástica Dora Parentes e passaram a admirar o talento da piauiense. Hoje, (24), a turminha foi surpreendida pela visita da pintora na escola, que fez questão de posar para fotos ao lado das releituras de seus trabalhos feitos pelos alunos.

Dora tem 50 anos de carreira e já foi premiada no Brasil e no exterior, com mais de 80 exposições individuais. Suas obras chamam atenção pelas cores, e encantaram as crianças por retratarem bailarinas, pássaros, flores e brinquedos.

Em sala de aula, as crianças conheceram detalhes da vida e obra de Dora Parentes. Estimuladas pelas professoras, recriaram alguns trabalhos, expostos por toda a unidade de ensino. “Ela é uma inspiração para todos nós”, destacou a diretora Nordely Noronha.

As coordenadoras de Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação (Semec) Sammya Ribeiro e Ana Virgínia também participaram do encontro da pintora com os alunos no CMEI. Elas aproveitaram o momento para convidar Dora Parentes para a Mostra Pedagógica do dia 5 de novembro, quando equipes escolares de CMEIs apresentarão atividades pedagógicas bem sucedidas no município.

Pesquisadores realizam estudo sobre a alimentação e estado nutricional de crianças

Teresina está recebendo uma equipe de pesquisadores do Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani), que em uma iniciativa inédita no Brasil está percorrendo 123 cidades em todo território nacional para coletar informações sobre alimentação e estado nutricional de 15 mil crianças de até 5 anos.

“Os pesquisadores do Ministério da Saúde e de universidades públicas e privadas começaram a fazer um mapeamento dos hábitos alimentares de crianças brasileiras. O estudo vai ajudar a prevenir e combater doenças. 15.000 famílias vão ser visitadas”, explica Haroldo Ferreira, professor da Universidade de Alagoas.

A equipe iniciou as ações realizando o mapeamento nutricional dos estudantes do Centro Municipal de Educação Infantil Thereza Christina. A ideia é entregar aos pais informações do mapa nutricional das crianças.

“Temos uma preocupação com a alimentação das crianças. Realizamos diariamente cinco refeições diárias. Entendemos que uma criança bem alimentada é mais saudável e mais feliz. Os pesquisadores elogiaram o trabalho que vem sendo realizado em relação à alimentação dos nossos alunos, que são preparadas com orientação das nutricionistas da Secretaria Municipal de Educação. Temos o cuidado de preparar a alimentação com todos os nutrientes necessários que as crianças precisam”, informa Raimunda Soares, diretora do CMEI.

Empresa inicia estudo sobre a situação dos diques do Parnaíba e Poti para propor soluções

Ascom/Lagoas do Norte

O Programa Lagoas do Norte licitou e contratou uma empresa especializada em projetos de engenharia para fazer um estudo amplo da situação dos diques dos rios Parnaíba e Poti. Esse estudo vai propor soluções para cada trecho analisado, levando em conta os aspectos sociais, ambientais, hidráulicos, hidrológicos e geológicos. Com base nesse estudo, a Prefeitura adotará um dos modelos de reforço do dique propostos pela empresa.

Esse estudo é uma continuidade dos painéis de segurança já realizados por especialistas contratados pelo Programa Lagoas do Norte através do Banco Mundial, órgão financiador do programa. Os três painéis de segurança detectaram a existência de problemas, como é o caso da altura do dique em relação ao nível dos rios na máxima cheia ocorrida na década de 80. Em alguns trechos, há risco de que, num momento de encontro das cheias dos dois rios, a água atravesse o dique e passe do rio para o outro lado. Agora, esses problemas serão analisados de forma criteriosa e, a partir disso, haverá a proposição de soluções.

O estudo segue da avenida Boa Esperança até a rua Santa Clara, no Mocambinho. “Nós temos conclusões dos painéis de segurança que agora serão aprofundadas. Todo esse esforço do Programa Lagoas do Norte é no sentido de embasar a tomada de decisão quanto ao modelo de obra a ser adotado e, assim, garantir a proteção das pessoas que vivem na região norte”, explica Márcia Muniz, diretora geral do PLN.

Os especialistas da empresa contratada percorrerão toda a extensão do dique fazendo medições e análises. A população está sendo informada como será esse trabalho em reuniões e material informativo que está sendo distribuído na região. Em alguns trechos, os especialistas precisarão ter acesso aos quintais das residências.

O dique é uma estrutura de engenharia construída para proteger a população das águas dos rios em momentos de intensa cheia, em decorrência do aumento do volume das águas. Para que essa estrutura funcione com total segurança, não deve ter interferências em sua base, como árvores de grande porte, poços, fossas e casas.

Teresina será objeto de estudos sobre desenvolvimento econômico próximo aos corredores de ônibus

Renato Bezerra

O Prefeito de Teresina, Firmino Filho, acompanhado de parte do seu secretariado, reuniu-se na tarde desta quarta-feira (21) com representantes dos Ministério da Economia e do Desenvolvimento Regional, além de um representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento. A reunião, sediada no prédio da vice-prefeitura, visou discutir a elaboração de projetos para estimular o desenvolvimento econômico nas áreas próximas aos corredores de ônibus.

O financiamento de uma consultoria para elaboração desses projetos é resultado de uma parceria entre o governo federal e o BID, que visa estimular o uso da estratégia TOD, sigla em inglês para “Desenvolvimento Orientado para o Transporte”. Com o uso desta estratégia, o poder público pretende aumentar a circulação de pessoas perto dos corredores, gerando demanda para o transporte público e diminuindo o uso do automóvel particular.

Na reunião desta quarta-feira, ficou acertado que os corredores de ônibus na região do bairro Vermelha e da Avenida Rui Barbosa serão os objetos de estudos para viabilidade desses projetos para desenvolvimento em torno das rotas do transporte público. A ideia é que este desenvolvimento leve a mais recursos para custeio das operações do sistema.

“Ficamos honrados do Governo Federal ter escolhido Teresina para receber esses estudos. Mostra o reconhecimento da nossa gestão na busca por soluções para esse tema tão importante da mobilidade urbana, refletindo em uma cidade mais sustentável e com mais qualidade de vida”, afirmou o prefeito Firmino Filho.

“Teresina foi escolhida, primeiro, porque se encaixa no porte que queremos, de médio a grande, para experimentarmos se essa ferramenta realmente vai ter o resultado esperado. E também foi escolhida pelo poder de realização que a Prefeitura de Teresina tem, que já mostrou em outros projetos, realizando-os de forma muito satisfatória”, disse Clever Almeida, diretor do departamento de planejamento e gestão da mobilidade e serviços urbanos do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Profissionais se reúnem para traçar plano de redução de mortalidade materna em Teresina

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) realizará amanhã, 3 de abril, das 8h às 12h, no auditório da Diretoria de Assistência Especializada (DAE), o I Workshop Multidisciplinar para Redução da Mortalidade Materna em Teresina. O público alvo do evento são técnicos e gestores da FMS.

Indicadores de mortalidade materna dos últimos três anos serão apresentados aos presentes, além de o Comitê Hospitalar para Análise e Prevenção de Óbito Materno realizar uma apresentação falando da sua composição, funcionamento, competências e ações executadas. “Nosso principal objetivo é apresentar os indicadores e discutí-los com os profissionais para que juntos possamos elaborar um plano de ação para reduzir a mortalidade materna. Já realizamos diversos trabalhos relacionados a isso, mas nossa intenção é sempre melhorar para que possamos alcançar indicadores de países de primeiro mundo”, diz Íris Amaral, gerente de assistência hospitalar da FMS.

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a mortalidade materna é inaceitavelmente alta. Cerca de 830 mulheres morrem todos os dias por complicações relacionadas à gravidez ou ao parto em todo o mundo. Estima-se que, em 2015, cerca de 303 mil mulheres morreram durante a gravidez e após o parto. Quase todas essas mortes ocorreram em ambientes com poucos recursos; a maioria delas poderia ter sido evitada.

O alto número de mortes maternas em algumas áreas do mundo reflete desigualdades no acesso aos serviços de saúde e destaca a lacuna entre ricos e pobres. Quase todas as mortes maternas (99%) ocorrem em países em desenvolvimento. Mais da metade delas ocorre na África Subsaariana e quase um terço no sul da Ásia. Mais da metade das mortes maternas ocorrem em ambientes frágeis e em contextos de crises humanitárias.