Bloquinhos de rua animaram a segunda-feira de Carnaval


Começou a semana e nem por isso a festa deve parar. A folia contagiou todas as zonas de Teresina nessa segunda-feira de Carnaval (25). Destaque para o tradicional desfile do Bloco Vaca Atolada e os 15 anos do bloco Piauí Samba.

Um dos mais antigos da capital, o Vaca Atolada, cumpriu com muita alegria a missão que possui todos os anos, realizar um carnaval raiz, mas sempre se reinventando. A zona Norte da cidade estava tomada por pessoas de todas as idades, que celebravam uma das épocas mais coloridas do país.

Já na zona Sul, o bloco Piauí Samba foi o responsável por não deixar ninguém parado. A noite foi também um momento de comemoração aos 15 anos do tradicional bloquinho de rua.

“Está tudo muito bom. É uma ótima opção para aqueles que não viajaram, que resolveram pular o carnaval aqui em Teresina. Melhor do que aqui, não tem. Venho todos os anos”, conta a estudante Denise de Oliveira.

Confira a programação desta terça-feira (25):

Batatinha do Louah

Local: Avenida Universitária, Zona Leste

Horário: 17h

Mela Mela Xarobá

Local: Rua Belchior Barros, Zona Leste

Horário: 16h

Rapazes Alegres

Local: Em frente o Palácio da Música, Centro

Horário: 16h

Kebra Kabaça

Local: Praça Cultural do Dirceu, Zona Sudeste

Horário: 17h

Corso do Zé Pereira de Teresina: de protesto social ao maior desfile de caminhões enfeitados

Neste sábado (15), a partir das 16h, acontece o Corso do Zé Pereira de Teresina, o maior desfile de caminhões enfeitados do planeta, segundo o Guinnes Book. Mais do que caminhões na avenida, a festa carrega a alegria e irreverência do teresinense, além de tradição e história do carnaval na cidade. De protesto social à folia, o evento vem passado por transformações sem perder a sua essência.

Promovido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves, o Corso do Zé Pereira de Teresina entrou para o Guinnes Book em 2012, registrando a marca de 343 veículos decorados no desfile, recorde que consta na publicação até hoje. Além dos carros enfeitados, a festa conta com milhares de pessoas fantasiadas, bandas espalhadas pelo percurso, além de muita alegria e irreverência resgatando a tradição dos antigos carnavais.

Quando se fala em corso de Teresina, hoje se pensa muito em uma multidão de carros e pessoas fantasiadas desfilando alegria. A multidão é de se perder de vista, mas nem sempre foi assim. O evento iniciou de uma forma bem diferente, em tom de protesto e com uma crítica social à elite teresinense na época, há cerca de 80 anos.

A história do corso se confunde com a própria história do carnaval de Teresina, que teve momentos gloriosos nas décadas de 1950 e 1960 e passou por uma revitalização no final da década de 1980.

O coordenador de Cultura Popular da Fundação Monsenhor Chaves, Wellington Sampaio, explica que na década de 1930 começaram os primeiros desfiles de carros no carnaval, mas somente nas décadas de 1950 e 1960 que a festa virou tradição. “Eu era criança e lembro que meu pai tocava no corso. Inicialmente o ponto central era no coreto da Praça Rio Branco. Depois, os grupos de familiares e amigos passaram a desfilar pelas ruas do centro da cidade. Um dos destaques era o caminhão das raparigas, em que as garotas de programa da época vestiam suas melhores roupas e eram aplaudidas pela sociedade, em uma espécie de inclusão social que só o carnaval tornava possível acontecer”, detalha.

Segundo Wellington, nessa época o corso acontecia nos dias do carnaval. No entanto, a festa não conseguiu ter continuidade por causa da concorrência com outras manifestações carnavalescas. “Nesse tempo surgiram as escolas de samba e os blocos carnavalescos, que acabaram esvaziando o corso, que acabou deixando de acontecer”, afirma.

E por muito tempo o corso permaneceu esquecido, voltando somente no final dos anos 90, com a retomada do carnaval de rua, na primeira gestão do prefeito Firmino Filho. Em 1997, durante o Seminário de Resgate do Carnaval de Teresina, o então superintendente da FMCMC, José Afonso de Araújo Lima, sugeriu a volta do corso, que agora seria realizado no sábado de Zé Pereira.

A ideia vingou e em 1998 o carnaval da capital foi resgatado com o desfile das escolas de samba, tendo também a realização do corso, com um percurso que passava pelo centro, zona Sul e zona Norte. Nos anos seguintes, o trajeto teve várias alterações e a premiação dos melhores caminhões era feita através de votação popular.

A partir de 2008 o evento começou a se tornar o gigante que é hoje, tanto que a prefeitura começou a ter problemas na condução do percurso e teve que fazer adaptações. “Lembro que nesse ano nós iríamos encerrar o desfile na Praça do Marquês, mas percebemos que o corso estava grande demais e não teria como dispersar lá. Então tivemos que percorrer mais vias da zona norte para organizar a saída”, explica Wellington.

E foi no ano de 2011 que a festa começou a ganhar status de maior do mundo. Tamanho foi o sucesso do corso, que no ano seguinte, em 2012, o título foi comprovado com a vinda de um representante do Guinness Book, o livro dos Recordes, que registrou a marca de 343 veículos decorados no desfile, número que consta na publicação até hoje.

E após o Guinnes, o evento passou por várias melhorias, se tornando ainda um dos eventos mais seguros da capital devido ao intenso trabalho das Polícias Militar, Civil, Guarda Municipal e um plano de segurança reforçado de tecnologia com monitoramento dos foliões e patrulhamento, sem contar com o principal: a vontade do folião em curtir a festa sem surpresas desagradáveis.

Reunião Geral do Corso acontece nesta quarta-feira (12)

Com o objetivo de alinhar todos os ajustes do maior evento popular do Piauí, o Corso de Zé Pereira 2020, que acontece neste sábado (15), a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves recebe os órgãos competentes na realização da festa para reunião no Palácio da Música de Teresina, amanhã (12), a partir das 08h.

Além de detalhes culturais, serão apresentados os esquemas de saúde e segurança do evento. Participam da reunião, representantes da Polícia Militar, SAMU, STRANS, Corpo de Bombeiros, SDU, SEMAM, entre outros.

Nesta edição o Centro Integrado de Segurança continua sendo um dos mais seguros já visto. De acordo com Luis Carlos Alves, presidente da FMC, a experiência nos últimos anos foi de sucesso. “Tendo em vista a melhor comunicação entre os policiais, a ideia do Centro Integrado, das plataformas e pontos de bloqueio na avenida, nos trazem resultados satisfatórios. Iremos continuar com o Centro para a realização de boletins, exames e outros serviços”, afirmou.

Com uma expectativa de mais de 300 mil foliões na Avenida Raul Lopes, a ideia deste ano é manter algumas estratégias de edições anteriores e novas medidas para a circulação de moradores do condomínio na própria Av. Raul Lopes. Um dos pontos a ser apresentado, é a presença de paredões de som, discutido em reuniões anteriores e que será vetada e com ação da polícia para restringir o uso.

 

Corso acontece dia 15 de fevereiro com segurança reforçada

O maior desfile de carros enfeitados do mundo já tem data para acontecer em Teresina, abrindo alas para a maior festa popular brasileira. É o Corso do Zé Pereira, que será realizado dia 15 de fevereiro na Avenida Raul Lopes, a partir das 16h. Os preparativos para a festa já começaram com uma reunião para tratar da segurança do evento, um dos principais pontos trabalhados pela organização.

Promovido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Monsenhor Chaves, o evento foi consagrado como o maior do planeta, segundo o livro Guinnes Book, em 2012, registrando a marca de 343 veículos decorados no desfile, recorde que consta na publicação até hoje. Além dos carros enfeitados, o evento conta com milhares de pessoas fantasiadas, bandas espalhadas pelo percurso, além de muita alegria e irreverência resgatando a tradição dos antigos carnavais.

Para garantir uma festa ainda melhor a cada ano, um dos pontos de maior preocupação é com a segurança do evento. Para isso, foi realizada uma reunião na manhã desta quarta-feira, 8, entre representantes da FMC e da Polícia Militar, que reforçou a parceria tanto para o corso como para o carnaval.

Para o presidente da FMC, Luis Carlos Alves, o encontro é de grande importância, pois a cada edição, alguns pontos são melhorados, o que tem diminuído consideravelmente a quantidade de problemas de segurança. “Teremos várias concentrações de blocos e viemos solicitar o empenho para manutenção da ordem pública. Com certeza teremos um corso e um carnaval com muita tranquilidade, com os órgãos de segurança pública participando, principalmente a Polícia Militar. Está sendo tudo encaminhado como a FMC planeja e um dos pontos principais é a segurança. Teremos mais reuniões com outras entidades para tratar de outros pontos para que o carnaval seja ainda melhor”, destaca.

O coronel Lindomar Castilho, comandante Geral da Polícia Militar no Piauí, reforça o apoio da instituição para os eventos e garante empenho total para garantir uma festa ainda mais tranquila em 2020. “Vamos iniciar uma preparação para o corso. É uma parceria de sucesso e a cada ano está ainda melhor. Esse não vai ser diferente e estaremos com força máxima, garantindo a segurança para cada folião, para cada pessoa que possa procurar aquele local para se divertir. Então, a Prefeitura de Teresina e o Governo do Estado estarão lá com a Polícia Militar nessa parceria que beneficia o cidadão”, frisa.

 

Concertos Natalinos levam 32 atrações aos terminais de integração nesta semana

Foto: Diogo Sousa

 

Os concertos natalinos têm levado lazer aos terminais de integração da capital. Nesta semana serão 32 atrações musicais espalhadas entre os terminais Livramento, Itararé, Bela Vista, Parque Piauí, Zoobotânico e Santa Lia. As apresentações musicais acontecem das 6h30 às 7h30 e das 18h às 19h.

A atividade é realizada pela Superintendência de Transportes e Trânsito (Strans) em parceria com a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMCMC).

O diretor de transporte público da Strans, Adriano Barreto, explica que o intuito é levar entretenimento à rotina dos usuários do transporte coletivo. “Encontramos nos concertos uma forma celebrar o período natalino. Nossa intenção é humanizar e mudar a rotina de quem utiliza o transporte coletivo todos os dias”, enfatiza Adriano.

A programação musical desta segunda-feira (16) conta com diversas apresentações. Durante a manhã, no Terminal Livramento apresentação do Quinteto Maestro Duda; no Itararé Quinteto Heitor Vila Lobos;  no Bela Vista com Banda 16 de Agosto; e no Parque Piauí concerto com Tremembones. À noite, as atrações serão: Quinteto Maestro Duda no Terminal Santa Lia e Tremembones no Zoobotânico.

Os concertos natalinos seguem até o dia 23 de dezembro. Confira a programação completa. 

 

De mercado popular a importante espaço cultural: Palácio da Música celebra 10 anos

Parece que foi ontem o dia em que o Palácio da Música de Teresina abria suas portas, acolhendo e emocionando a todos que se reuniam para celebrar o amor pela música. Repleto de marcas e histórias, o Palácio completa 10 anos como um importante espaço cultural da capital piauiense. A partir desta terça-feira (19), a casa recebe diversos artistas em shows gratuitos, iniciando às 19h.

Antes de se tornar o local que conhecemos hoje, o Palácio já foi um mercado popular, conhecido como Mercado do Cajueiro. Anteriormente à construção existiam casas que vendiam frutas e verduras, além de outros estabelecimentos comerciais que faziam da região uma grande feira a céu aberto.

“Na década de 1960, o prefeito Petrônio Portela vem para a região e assume um compromisso com a comunidade, que era transformar a história daquele lugar, fazendo com que os feirantes tivessem seu próprio espaço”, diz Márcia Adriana, cientista social e moradora da região.

Super valorizado e considerado um dos mercados mais populares da região, o Mercado do Cajueiro apresentava uma estrutura bastante diferenciada, de vanguarda, com um telhado em formato de escama de peixe. “O espaço tem toda uma importância arquitetônica que registra uma época, tanto que o telhado foi mantido e, hoje, é tombado com patrimônio histórico”, conta Márcia.

A moradora relembra que com a chegada dos grandes supermercados na década de 1990, o Mercado do Cajueiro passou a ser abandonado pela comunidade. Até o último momento, apenas seis feirantes resistiram na tentativa de manter vivo o local. “Na época, a Prefeitura de Teresina nos procurou e perguntou o que queríamos que fosse feito com o espaço. Não desejávamos o fechamento dele, por isso sugerimos que fosse transformado em algo relacionado com a cultura”, afirma Márcia.

Inaugurando no dia 20 de novembro de 2009, o Palácio da Música foi idealizado para atender as necessidades daqueles que são apaixonados pela música. Com disponibilidade e estrutura adequada, o espaço possui uma sala para concertos, com 140 lugares, estrutura de luz e som, e uma equipe preparada para ajudar em qualquer demanda musical.

“A casa é para os artistas. A nossa maior conquista é a presença deles que podem utilizá-la quando quiserem, divulgando seus trabalhos, gravando seus CDs e DVDs. Buscamos atendê-los da melhor forma possível, para que possam aproveitar o espaço desenvolvido para eles”, fala Adnayanne Marins, atual diretora do Palácio da Música.

Mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), o Palácio da Música realiza um importante trabalho sociocultural, oferecendo cursos de sanfona, violão, violino, viola, contrabaixo acústico e guitarra. Localizada no cruzamento das ruas Santa Luzia e Treze de Maio, Nº 1241 – Centro, o espaço é o lar da Banda de Música 16 de Agosto, da Orquestra Sanfônica de Teresina, da Orquestra de Violões de Teresina e da Orquestra Sinfônica de Teresina.

 

Programação:

– Terça-feira (19), a partir das 19h30

Luana Campos

Soraya Castelo Branco

André de Sousa

Flávio Moura

Janela Lateral

Valor de PI

 

– Quarta-feira (20), a partir das 19h30

Wilker Marques

Zaqueu Sousa

Francisco Janderson e Laércio Eduardo (Duo Clarinete e Piano)

Quarteto de Cordas OST

Hilson Costa

Welligton Torres

Tremembones

Ivan Silva

 

– Quinta-feira (21), a partir das 19h30

Orquestra Sinfônica de Teresina

 

– Sexta-feira (22), a partir das 19h30

Madrigal Vox Populi

Orquestra de Violões de Teresina

Orquestra Sanfônica Seu Dominguinhos

Caneleiro Jazz

Banda 16 de Agosto

 

“Corpo Brinquedo” é tema do Projeto 6ª às 6

Nesta sexta-feira (6), o Projeto 6ª às 6 irá apresentar a proposição “Corpo Brinquedo”, da bailarina Hellen Mesquita. Em sua proposição, Hellen vê o corpo como um brinquedo com inúmeras possibilidades e inesgotáveis maneiras de mexer e brincar.

“É a partir do corpo que conhecemos o mundo. O corpo é o nosso primeiro brinquedo, onde descobrimos o pé, as mãos, sensações, movimentos. É essa vivência inventiva, brincante”, explica Hellen.

O Projeto 6ª às 6, do Balé da Cidade, tem o apoio da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina, que propõe criações, interações, debates e abre espaço para que os artistas façam parte da dança na cidade. Além disso, o espaço é usado para a divulgação dos trabalhos feitos por essas companhias, assim como para a aproximação e a formação de público, com a apresentação de processos artísticos criados em poucos encontros e que ocupam os ambientes da Casa da Cultura.

A ideia surgiu em 2014 e de lá para cá vem se repensando e se atualizando, voltando a cada ano com algo novo, mais maduro. A primeira apresentação deste segundo semestre de 2019 será no próximo dia 6 de setembro, às 18h, na Casa da Cultura. A entrada é franca.

Sobre a Companhia

O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Seu papel tem sido aproximar a dança da cidade à população, através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada.

Conta, atualmente, com 18 membros e é mantido pela Prefeitura Municipal, através da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina. Tem direção de Chica Silva, coordenação artística de Janaína Lobo e ensaios de Carla Fonseca.

Fundação Monsenhor Chaves divulga resultado do Concurso “Novos Autores”

Com o objetivo de contemplar novos talentos, a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), divulga o resultado dos contemplados do Concurso Literário “Novos Autores 2019”. Ao total, foram 10 selecionados em seis categorias.

De acordo com o edital, as inscrições são nas categorias Teatro, Literatura Infantil, Pesquisa Histórica sobre a Realidade Piauiense, Poesia, Ficção e Conto. Os premiados em primeiro lugar terão 1 mil  exemplares publicados pela FMC, à qual se reservam os direitos autorais da primeira edição, além da outorga de certificado de premiação. Aos segundo e terceiro classificados, de cada categoria serão concedidas menção honrosa.

Ter uma obra literária publicada requer muito mais do que talento no Brasil. O mercado tenta se adaptar ao público dificultando o trabalho de muitos escritores, que acabam com suas obras na gaveta. Mas na capital piauiense, a Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Monsenhor Chaves vem fazendo vitrine do trabalho de muitos artistas, com a realização de concursos, premiando com a publicação de livros a exemplo do concurso “Novos Autores”.

Em suas diversas edições, o concurso já levou muitos trabalhos para as prateleiras de bibliotecas, incentivando ainda muitos novos escritores teresinenses a lançarem suas obras. De acordo com o coordenador de Literatura e Editoração da Fundação Monsenhor Chaves, Gabriel Archanjo, essa é uma oportunidade para aqueles que desejam expandir seus trabalhos. “Temos muitos talentos em nosso Estado, pessoas que querem começar, que estão no começo e aqueles que já estão trilhando. O concurso é porta de entrada para vários escritores saírem do anonimato e também para o público conhecer os trabalhos realizados por pessoas daqui”, afirma.

Confira o resultado dos contemplados do Concurso “Novos Autores 2019”

 

Teatro João Paulo II comemora Dia Mundial da Dança

Segunda-feira (29), é comemorado o Dia Mundial da Dança e o Teatro Municipal João Paulo II prepara uma comemoração especial. As apresentações começam às 16h30 e serão realizadas em frente ao teatro, que marca o projeto Dança no Calçadão Cultural.

A ideia é comemorar a importância da data e contemplar a grande região do Dirceu Arcoverde. A programação reúne atrações como Cordão Grupo de Dança; Balé Jovem do Piauí; Cypher de Breaking; Balé da Cidade de Teresina, com “Corpônica”; Ita Dança, com “7 Flechas o Pai da Mata e Dança de Salão”. Das ações dos laboratórios do Teatro, apresentam-se resultados das Oficinas Artísticas, com o Grupo Alfabetização do Corpo/Terceira Idade e seu Dança-Teatro “Binquedo Dançante”; a Oficina de Dança Contemporânea atua com a coreografia “Encontros”.

De Residentes, Instrutores e Convidados, os trabalhos “Aula de Zumba”, com Marcinho; “Sou eu Sim!”, de Elizabeth Báttali & Déborah Radassi; Núcleo Piauiense de Danças Urbanas, com “(in)constante”; Robert Rodriguez & Ericka Teixeira, com a coreografia “Linhas” e mais a Exposição Feirinha de Artesanato, de comunidades associadas da vizinhança do local.

A data destina-se às homenagens a uma das manifestações artísticas mais animadas e antigas que existem, a dança. O Dia da Dança foi criado em 1982, pelo Comitê Internacional da Dança (CID) da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). O dia 29 de abril foi escolhido como data de calendário em homenagem ao nascimento de Jean-Georges Noverre (1727-1810), um mestre do balé francês. Noverre foi bailarino e professor de balé, e ficou conhecido por ter escrito uma das obras sobre a dança mais importantes da história, Lettres sur La Danse (“As Cartas Sobre a Dança”, em português).