Mais de 8,6 mil pessoas já se cadastraram para transitar pelas barreiras sanitárias

A Prefeitura de Teresina já registrou cadastro de mais de 8.650 pessoas que solicitaram autorização para transitarem pelas barreiras sanitárias montadas entre as cidades de Teresina e Timon durante a quarentena. O cadastro, que pode ser feito pela internet, é uma forma que a PMT encontrou para agilizar o fluxo de veículos.

As barreiras sanitárias, localizadas nas três pontes que unem as cidades de Teresina e Timon, são compostas por profissionais de saúde, trânsito e segurança. Elas têm o intuito de monitorar o tráfego e orientar as pessoas que estejam apresentando algum sintoma do novo coronavírus.

Segundo o coronel John Feitosa, comandante da Guarda Civil Municipal, neste final de semana prolongado por conta do feriado de Nossa Senhora da Conceição, que foi antecipado pela Prefeitura, o decreto do Governo do Estado que estabelece mais rigor nas entradas e saídas da cidade estará valendo. Por conta disso, a Prefeitura de Timon já informou que a Ponte Metálica será fechada, só reabrindo na madrugada da próxima segunda-feira (25). “Nesse período, a partir de 24h desta quinta, a Ponte estará fechada nos dois sentidos. As pessoas só terão acesso pelas pontes José Sarney e ponte Nova”, explica.

As barreiras sanitárias entre Teresina e Timon funcionam 24h. Com as adequações estabelecidas nesta semana, o trânsito tem tido mais fluidez. Todas as pessoas que pretendam ingressar no município de Teresina deverão apresentar documentos de identificação pessoal, documento de habilitação do condutor e comprovante de endereço residencial, assim como documentos referentes ao veículo, como Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo.

Além disso, é necessária a comprovação da necessidade de trafegar entre os dois municípios, seja por motivos de saúde, trabalho, ou qualquer outro. Está permitido o tráfego para servidores e empregados públicos, trabalhadores de empresas privadas, funcionários que atuem em serviços essenciais que morem no Maranhão e trabalhem em Teresina. Alguns casos de atendimentos de saúde também serão permitidos, além de outros casos especificados no decreto.

As pessoas que se enquadrem nos critérios do decreto e que necessitem de acesso frequente ao município de Teresina, poderão se cadastrar em site público (http://barreiracovid19.fms.pmt.pi.gov.br) para obter documento digital comprobatório a ser apresentado sempre que passar no controle das barreiras.

 

Fluxo de veículos teve aumento de 21% em Teresina

Ascom/Strans

O descumprimento do isolamento social por parte dos teresinenses tem refletido no tráfego de veículos da capital. De acordo com dados da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), houve um aumento de 21% no fluxo veicular de Teresina. O relatório apontou o crescimento de veículos nas ruas entre os dias 9 e 15 de maio, quando comparado com o mesmo período no mês de abril deste ano.

Os dados de fluxo de veículos são obtidos através dos equipamentos de fiscalização eletrônica instalados em algumas avenidas da cidade. Em março, durante a primeira semana de isolamento social em virtude da pandemia da Covid-19, a capital chegou a registrar uma queda de 20 a 50% do tráfego de veículos em certas vias de Teresina.

Os percentuais de isolamento social na capital seguem muito abaixo do mínimo recomendado pelas autoridades de saúde para diminuir o contágio, que é de 73%.

O engenheiro da Strans, Lucas Andrade, alerta que o aumento do número de veículos nas vias é um dos reflexos do afrouxamento da taxa de isolamento por parte dos teresinenses. “O não cumprimento do isolamento social de alguns teresinenses tem refletido nos nossos percentuais de fluxo veicular. Alertamos para que quem puder ficar em casa, fique em casa. Com menos chances de acidentes e disseminação dessa doença, teremos mais leitos de hospitais disponíveis durante a pandemia”, alerta.

Vias que apresentaram aumento de fluxo veicular:

Avenida José Francisco de Almeida Neto;

Avenida Maranhão;

Alameda Parnaíba;

Avenida dos Ipês;

Avenida Miguel Rosa;

Avenida Poty Velho;

Avenida Raul Lopes;

Avenida Joaquim Nelson.

Agentes da Strans coordenam fluxo de veículos em barreiras sanitárias

Ascom/Strans

Os agentes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) estão coordenando o fluxo de veículos nas barreiras sanitárias presentes nas três pontes que ligam a capital ao município de Timon, no Maranhão. As paradas acontecerão por tempo indeterminado e têm o objetivo de fazer um controle do estado de saúde das pessoas que entram em Teresina.

Além de sinalizar as vias próximas às pontes, a Strans está coordenando a saída e entrada dos veículos durante a abordagem, priorizando as recomendações da Fundação Municipal de Saúde (FMS), com preferência por veículos com mais de duas pessoas dentro, veículos que sejam de outros municípios e ambulâncias.

“Nossos agentes estarão por tempo indeterminado auxiliando o trabalho da FMS nesses pontos em horários pré-estabelecidos nos três turnos do dia. Orientamos os condutores durante as paradas e, mais à frente, os profissionais de saúde da FMS fazem a abordagem com questionários e medição de temperatura”, explica o gerente de operação e fiscalização da Strans, Denis Lima.

FMS divulga fluxo de atendimento para possível combate ao Coronavírus

Ascom/FMS

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina divulgou, recentemente, o fluxo de atendimento a ser seguido nos estabelecimentos de saúde diante de possíveis casos suspeitos de Coronavírus, família de vírus que causa infecções respiratórias e que se alastrou na China. Nessas situações, a equipe de saúde notificará a FMS, observando o quadro clínico e o roteiro de viagem do paciente nos últimos 14 dias.

O fluxo de atendimento elaborado pela FMS leva em consideração as normas do Ministério da Saúde. Assim, o paciente com suspeita dessa infecção ficará em local isolado e deverá utilizar máscara de proteção. Na assistência, o estabelecimento de saúde colherá amostra de secreção respiratória, para realização de exames. Se o caso for grave ou o paciente precisar de internação, o Hospital de referência é o Natan Portela.

No Piauí, não há nenhum caso suspeito do novo Coronavírus. “Estamos discutindo ações que esperamos que não se efetivem, mas sabemos que existe uma possibilidade de haver casos e temos que estar preparados. Na FMS, a nossa equipe elaborou notas técnicas de apoio aos profissionais, plano de contingência e está organizando capacitações para um possível enfrentamento ao vírus”, explica o presidente da FMS, Charles Silveira.

A diretora de vigilância em saúde da FMS, Amariles Borba, explica que ainda não há vacina ou medicamento específico para combater o Coronavírus, mas há medidas de suporte que devem ser implementadas. “No atendimento, deve-se levar em consideração, por exemplo, os demais diagnósticos diferenciais pertinentes e o adequado manejo clínico. Antes de considerar caso suspeito, é preciso que a equipe de saúde descarte primeiro doenças respiratórias comuns”.

Médico infectologista alerta para sintomas e prevenção

De acordo com o médico infectologista da FMS, Kelsen Eulálio, essa nova doença e os seus sintomas ainda são alvo de estudo pelos pesquisadores. “Mas os dados mais atuais apontam que os sintomas envolvem, principalmente, problemas respiratórios. A pessoa pode apresentar tosse, febre, dificuldade de respirar. É preciso que a população fique atenta para os sinais, principalmente se esteve na China ou tiver tido contato com alguém que veio desse país”.

O médico infectologista alerta a população sobre as medidas de prevenção, que incluem higienizar mãos com água e sabão ou com álcool em gel; cobrir nariz e boca ao tossir ou espirrar; não tocar nos olhos, nariz e boca com mãos sujas; manter cartão de vacina atualizado; e fazer limpeza e desinfecção de superfícies. “Já no ambiente hospitalar, se tiver algum caso suspeito, a equipe deve usar todos os equipamentos de proteção individual”, elenca.

Estacionar em locais proibidos atrapalha o fluxo de veículos

Ascom/Strans

Para melhorar as condições de fluidez e circulação do trânsito em algumas vias da cidade são adotadas medidas como a implantação de placas de proibido estacionar. Isso permite que os condutores possam circular livremente, sem impedimentos no caminho. Congestionamentos são formados e acidentes podem ser provocados quando um veículo está estacionado ou parado de forma irregular.

Em Teresina, foi preciso adotar essa medida em avenidas de maior fluxo de veículos por causa do crescimento da frota, que aumentou em cerca de 20 a 30 mil veículos em um ano. O diretor de trânsito e sistema viário da Strans, José Falcão, explica que os locais em que não é permitido estacionar proporcionam um trânsito melhor e mais seguro para todos.

“Com o aumento da frota de veículos nós temos que encontrar maneiras de melhorar o trânsito e diminuir o número de acidentes. As vias de maior fluxo estão suscetíveis a terem mais problemas, por isso, é necessário proibir o estacionamento nelas. O condutor que estaciona ou para o seu veículo nestas vias, força o motorista que vem logo atrás a mudar de faixa. Isso pode ocasionar uma colisão e até mesmo gerar pequenos congestionamentos”, afirma.

Estacionar em locais destinados a ambulâncias e carga e descarga são infrações de trânsito. O Supervisor Geral e chefe da Seção de Acidentes da Strans, Torquato Neto, explica que são condutas que geram transtornos para quem realmente necessita das vagas.

“Recebemos muitas solicitações de hospitais, pois as pessoas colocam seus veículos nos locais destinados as ambulâncias. Isso gera transtorno para os profissionais e pacientes. Os comerciantes também sofrem com esse problema, quando os condutores estacionam no local de carga e descarga. Isso atrasa o trabalho deles e atrapalha o trânsito”, comenta.

Torquato ainda chama atenção para as vagas destinadas aos idosos e pessoas com deficiência, além das rampas de acessibilidade. “Muitas pessoas ainda insistem em estacionar o veículo nas vagas para idosos e para as pessoas com deficiência. São infrações gravíssimas, de R$ 293,47. Pedimos também a conscientização da população para não parar ao lado das rampas de acessibilidade”, finaliza.

Strans interditará Rua Miguel Arcoverde para construção da galeria da zona Leste

A partir desta quinta-feira (30), a Rua Miguel Arcoverde com a Avenida João XXIII estará bloqueada para a conclusão da galeria da zona Leste. A interdição se estenderá até o dia 7 de junho. Os condutores podem utilizar as ruas paralelas para acessar a avenida, como a Avenida Raul Lopes ou a Rua Gayoso de Almendra para fazer esse cruzamento. Para acessar a João XXIII, os motoristas podem utilizar a Rua Pedro Conde.

O diretor de trânsito e sistema viário da Strans, José Falcão, explica que a medida foi necessária para dar continuidade a obra e que os agentes estarão no local para coordenador melhor o fluxo.

“Com a obra da galeria da zona Leste, a Strans vem dando suporte nos desvios de tráfego a SDU/Leste para que a gente possa dar continuidade com os bloqueios de algumas vias naquela região. Foi solicitado o bloqueio da Rua Miguel Arcoverde com o cruzamento da Avenida João XXIII para que fosse possível partir do ponto que tinha sido sinalizado a primeira etapa da obra. Vamos ter o apoio dos agentes de trânsito para auxiliar os motoristas nesse período”, disse.

MAPA DE ROTA ALTERNATIVA PARA ACESSAR A AVENIDA JOÃO XXIII – 1

MAPA DE ROTA ALTERNATIVA PARA ACESSAR A AVENIDA JOÃO XXIII – 2