Prefeitura firma parceria com Governo Federal para acelerar informatização de serviços públicos

SEMCOM

O prefeito Firmino Filho assinou na tarde desta quinta-feira (13), em Brasília, o convênio de adesão ao Gov.br, projeto do Governo Federal de digitalização e informatização dos serviços públicos, que vai oferecer cooperação técnica e apoio para o Teresinense Digital. A assinatura aconteceu na Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia.

Através do projeto Teresinense Digital, que está sendo executado pela Empresa Teresinense de Processamento de Dados (PRODATER), a Prefeitura conta com o processo eletrônico implantado em 90% dos seus órgãos. Tais processos são totalmente virtuais, sem a utilização de papel, e com tramitação online.

Segundo o prefeito, esse convênio é importante para o poder executivo pois dará celeridade à digitalização dos serviços para o cidadão. “Com a adesão do Gov.br, teremos o apoio do Governo Federal, o que vai acelerar a disponibilização desses serviços on-line através da alocação de recursos, cursos de capacitação, ferramentas e sistemas de tecnologia que a administração pública federal já adquiriu. Além disso, estaremos agora seguindo o padrão de serviços on-line do Governo”, destaca Firmino.

Vários serviços públicos já estão disponíveis on-line, através de aplicativo de celular e peticionamento eletrônico, como: acesso e recurso as infrações de trânsito; solicitação de limpeza de ruas, fossas, áreas verdes, galerias e praças; demandas dos servidores; alvarás, licenciamentos e solicitação de áreas para eventos; além de requerimentos em geral para órgãos que estão com o processo eletrônico já implantado.

“O objetivo do nosso projeto é beneficiar o cidadão com 100% dos serviços on-line, suprimindo a necessidade de deslocamento para os órgãos da Prefeitura para resolver qualquer tipo de pendência”, finaliza o presidente da PRODATER, Eduardo Aguiar.

 

União vai atualizar repasses da Assistência Social para Teresina

Teresina deve receber mais de R$ 4 milhões para serem destinados à Assistência Social no município. O recurso é oriundo de repasses do Governo Federal, que estão em atraso, mas que devem ser liberados em breve. O assunto foi discutido nesta quarta-feira (16) em reunião que aconteceu em Brasília, entre o prefeito Firmino Filho e o secretário especial do Desenvolvimento Social, Lelo Coimbra.

Durante a reunião, o secretário Lelo Coimbra reafirmou o compromisso do Governo Federal em regularizar os repasses. “Esses recursos vão fazer muita diferença no nosso trabalho na área da Assistência Social em Teresina. Esta é uma área, como tantas outras, que merece todo o nosso cuidado e atenção”, disse o prefeito Firmino Filho.

Para o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, colocando em dia a sua obrigação no cofinanciamento da Assistência Social, o Governo Federal vai permitir o fortalecimento da atuação da Semcaspi. “Regularizar esse débito é sinalizar positivamente para a Assistência Social e fazer com que mais pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade possam ser acolhidas e melhor tratadas”, destacou.

Em Brasília, o prefeito também participou da solenidade em homenagem ao Dia do Piauí, na Câmara dos Deputados. A sessão solene aconteceu no Plenário Ulysses Guimarães em alusão aos 197 anos da adesão do Estado à Independência do Brasil.

Governo Federal lança campanha e promove curso sobre suicídio em Teresina

Rômulo Piauilino

Nesta segunda-feira (30), mais de 200 pessoas participaram do curso sobre prevenção ao suicídio e à automutilação, realizado pelo Governo Federal, através do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em parceria com a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina. A iniciativa faz parte da campanha nacional “Acolha a Vida” e aconteceu no Hotel Blue Tree, centro sul da capital.

O suicídio é um grave problema de saúde pública, que pode ocorrer por vários fatores e, segundo a Organização Mundial de Saúde, 90% dos casos estão atrelados a transtornos mentais.  Em Teresina, somente em 2018, os serviços de saúde notificaram 583 casos de violências autoprovocadas, correspondendo a 97,43% tentativas de suicídio e 2,57% automutilações. Desse total, 79% eram do sexo feminino e 21% masculino.

O evento contou com a participação da secretária nacional da família, Dra. Ângela Gandra, do prefeito Firmino Filho, do presidente da FMS, Charles Silveira, da gerente de saúde mental da FMS, Luanna Bueno, de vereadores, além de profissionais de saúde e da sociedade. Após a abertura, foi ofertado curso que abordou fatores de risco e de prevenção do suicídio e automutilação, ministrado pelo psicólogo Dr. Carlos Aragão.

A Secretária Nacional da Família, Dra. Ângela Gandra, relatou que, diante de casos de pessoas com comportamento suicida, é necessário que a família e a sociedade em geral os acolha. “É preciso aguçar o olhar familiar para esse problema, que pode ser patológico. Queremos despertar as famílias para observar a pessoa com comportamento suicida. Perceber, acolher e, em um segundo momento, que deve ser rápido, procurar um profissional de saúde”.

Presente no evento, o prefeito Firmino Filho afirmou que todos podem contribuir com a prevenção do suicídio. “É importante dizer que as possíveis formas de enfrentamento a esse grave problema estão dentro da família e fora dela. Estamos aqui para fazer esse chamamento, debater o tema com toda a sociedade e o poder público. Já avançamos na área da saúde mental, temos resultados significativos, mas pretendemos avançar cada vez mais”.

O presidente da FMS, Charles Silveira, demonstrou satisfação em participar do evento e alertou que, em caso de transtorno psíquico, a conduta das pessoas deve ser acolhedora e não julgadora. “Nós queremos dar o nosso testemunho de que temos priorizado políticas voltadas à saúde mental. Estamos fortalecendo a rede de assistência e queremos envolver todos em prol da vida: poder público, família, professores, ONGs e sociedade em geral”.

A gerente de saúde mental da FMS, Luanna Bueno, informou que, para contribuir com a prevenção, a população deve se apropriar de informações sobre a temática. “É preciso ter informações, e falar da maneira correta também é uma forma de prevenção,  que envolve não divulgar casos isolados de suicídio para não impulsionar outras pessoas fragilizadas terem a mesma conduta. A prevenção é uma corrente de todos e não só da área da saúde”.

Governo Federal irá lançar campanha para prevenir suicídio em Teresina

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em parceria com a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, irá lançar a campanha “Acolha a Vida”, na segunda-feira (30), das 8h às 12h, no Hotel Blue Tree, centro Sul da capital. O objetivo é disseminar informações sobre prevenção do suicídio e automutilação, especialmente entre crianças, adolescentes e jovens, para que a população possa saber como agir diante desses casos.

O evento será aberto ao público e direcionado para profissionais de saúde, professores, líderes comunitários e religiosos, conselheiros tutelares, assistência social e segurança. A solenidade de abertura contará com a presença da Secretária Nacional da Família, Dra. Ângela Gandra, de um especialista e autoridades locais. Em seguida, está previsto curso de capacitação sobre os fatores de risco e de prevenção do suicídio.

As taxas de suicídio no Piauí evidenciam um grave problema de saúde pública e ações de prevenção são fundamentais. “Nesse momento, estamos construindo o plano de prevenção ao suicídio, fortalecendo a rede de saúde mental. Através de capacitações como essa, queremos também divulgar a nossa rede de tratamento gratuito, como o Provida, as Unidade Básicas de Saúde e os CAPS de Teresina”, ressalta o presidente da FMS, Charles Silveira.

De acordo com Luanna Bueno, gerente de saúde mental da FMS, o tema abordado é relevante, já que é importante realizar o manejo adequado e precoce dos casos, cujos primeiros sinais podem aparecer na infância e adolescência. “Todos podem contribuir com a prevenção do suicídio. A sociedade tem que se apropriar dessas informações para também dá apoio nessa causa de valorização da vida”, comenta.