Prefeitura disponibiliza 10 leitos de UTI para pacientes com Covid-19 no Hospital São Marcos

A Prefeitura de Teresina firmou contrato com o Hospital São Marcos e, a partir desta segunda-feira (15), está disponibilizando 10 leitos de UTI no local para atender pacientes do SUS que estejam com quadro grave da Covid-19. Com o crescimento de casos da doença na cidade, o município tem trabalhado para ampliar a rede de atendimento para a população.

“Além dos leitos da rede pública municipal, estamos ampliando leitos de UTI para atender pacientes do SUS nos hospitais privados. Instalamos também mais 12 no Hospital São Paulo.  Nestes locais, já existe todo o suporte tecnológico e profissionais qualificados”, explica o presidente da FMS, Manoel de Moura Neto.

Na rede do município, o trabalho da FMS é para ampliar os leitos de UTI do HUT, mas como não foram preenchidas todas as vagas abertas através das convocações, foi feito um novo chamamento, em caráter de urgência. O hospital precisa de médicos com experiência em terapia intensiva.

O presidente da FMS informa que a Prefeitura de Teresina já instalou também 28 leitos de UTI para Covid-19 no HUT e 05 no Hospital do Monte Castelo. Está sendo construído ainda um hospital de campanha que vai disponibilizar mais 60 leitos de UTI. “Embora a criação desses leitos seja de responsabilidade do Governo do Estado do Piauí, a Prefeitura está criando leitos desse tipo para atender a população, em meio à pandemia”, explica Manoel.

Os novos leitos de UTI são controlados pela Regulação da Prefeitura de Teresina, que coordena as atividades hospitalares. “Temos uma equipe qualificada, que segue protocolos e que organiza toda a demanda  para utilizar os leitos de internação e de UTI de acordo com a prioridade dos casos”, afirma o diretor de regulação, Francisco Pádua.

 

FMS convoca enfermeiros e técnicos de enfermagem para atuarem no Hospital do Monte Castelo

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) lançou nesta sexta-feira (05) edital de convocação para mais 36 profissionais que atuarão no combate à Covid-19. Desta vez, são 25 técnicos de enfermagem e 11 enfermeiros diaristas, aprovados no edital 01/2020 do Processo Seletivo Emergencial para contratação temporária pela FMS. A lista está disponível abaixo.

Os profissionais serão lotados no Hospital do Monte Castelo, que foi destacado como referência para internação por síndromes gripais. “Eles vão atuar no manejo dos protocolos clínicos de cuidados com os pacientes, em um reforço da equipe que já atua no estabelecimento”, informa João Luciano Sousa, chefe do Núcleo de Planejamento, Recrutamento e Seleção de Pessoas do órgão.

Os candidatos convocados devem se apresentar na segunda-feira (08), das 8h às 14h, no Núcleo de Planejamento, Recrutamento e Seleção de Pessoas da FMS, localizado na Rua Governador Artur de Vasconcelos, nº 3015, bairro Aeroporto. “Informamos que o candidato que não comparecer no dia e horário marcado será considerado desistente”, ressalta João.

O Processo Seletivo Emergencial Simplificado 01/2020 ofertou ao todo 593 vagas, nos níveis médio e superior. Segundos dados da FMS, 8.919 profissionais se inscreveram no certame, que terá validade de seis meses, prorrogável por até igual período, a contar da homologação do resultado.

Clique aqui para ver o edital

Clique aqui para ver a lista de documentos

SEMAM otimiza arborização na área do Hospital de Campanha na UFPI

Ascom/Semam

As árvores tornam os espaços mais saudáveis, aconchegantes e esteticamente agradáveis, proporcionando, por exemplo, efeitos positivos na saúde mental. Considerando esses benefícios, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) tem otimizado a arborização no entorno do hospital de campanha na Universidade Federal do Piauí (UFPI), unidade que tem sido preparada pelo município para garantir assistência aos pacientes acometidos pelo novo coronavírus (Covid-19).

A ação ambiental, comandada por técnicos da divisão de monitoramento da SEMAM, já resultou no plantio de aproximadamente 90 árvores, entre espécies nativas e ornamentais, como palmeira, ipê e flamboyant. Além de inserir novas mudas, a equipe também fez a reposição de árvores comprometidas que existiam na área.

De acordo com o titular da pasta, Olavo Braz, essa foi uma das medidas que o órgão encontrou, dentro da sua competência, para contribuir com esse delicado momento de combate à pandemia, aliado a um trabalho de arborização da cidade que já vinha sendo realizado em parceria com a UFPI.

“Esperamos que essas árvores tornem o local mais acolhedor e confortável para receber os profissionais e usuários dessa unidade provisória de saúde, mas, antes disso, desejamos que esse hospital não precise ser utilizado. Em cada árvore inserida também plantamos o nosso sentimento de esperança, acreditando que dias melhores estão por vir e que o bem-estar coletivo volte a florescer o mais breve possível”, pontua o secretário Olavo.

A estrutura desse hospital de campanha está instalada no Centro de Treinamento de Badminton, que integra o Setor de Esportes da referida instituição de ensino superior. A área foi cedida temporariamente para a Prefeitura Municipal de Teresina abrigar essa unidade de tratamento, composta por 88 leitos, que enquadrará casos de baixa e média complexidade decorrentes da Covid-19.

Hospital do Dirceu inicia funcionamento nesta terça-feira (10)

Fotos: Renato Bezerra

O Hospital Alberto Neto, localizado no Dirceu, foi reinaugurado pelo prefeito Firmino Filho e pelo presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Charles Silveira e, nesta terça-feira (10), a partir das 14h, já inicia o atendimento à população. O prédio passava por reforma para melhoria da estrutura física e qualificação do atendimento ofertado aos usuários.

Jesus Mousinho, diretora de assistência especializada da FMS, explica que a urgência inicia o funcionamento a partir das 14h e que os outros serviços de saúde estão sendo retomados de forma gradativa no Hospital do Dirceu. “Durante a reforma, tínhamos remanejado serviços para outras unidades de saúde. O Centro Cirúrgico, por exemplo, estava funcionando no Hospital do Satélite e há toda uma logística para esse retorno. Agora, estamos trabalhando arduamente para garantir o pleno funcionamento do hospital dentro dos próximos dias”.

O Hospital do Dirceu será capacitado para atender urgências clínicas, pediátricas e cirúrgicas. Também haverá oferta de exames de urgência, internação e atendimento ambulatorial em nove especialidades: ginecologia, reumatologia, cardiologia, ortopedia, psiquiatria, psicologia, nutrição, pediatria e clínica médica. A unidade dispõe de 53 leitos e custou aos cofres públicos o valor de R$ 2.103.182,77, oriundo de recursos próprios da Prefeitura de Teresina e também de recursos federais, parte deles com emendas do deputado Hugo Napoleão.

O prefeito Firmino Filho afirmou que a reforma do hospital do Dirceu representa um avanço na saúde pública. “A Prefeitura tem se destacado na construção de uma grande rede de assistência à saúde e a entrega dessa unidade é um momento de alegria, mas também de tristeza, porque estamos nos despedindo do presidente Charles. Ele deixará o cargo, um dos maiores homens públicos que esse estado já conheceu. Na sua passagem pela Prefeitura, ele sempre empregou a sua seriedade, competência e a capacidade de produzir resultados”.

“Essa obra marcou a nossa gestão pela grandiosidade da estrutura do hospital, pelas condições das instalações que eram antigas e, principalmente, pelo envolvimento da comunidade na busca por melhorias. Inicialmente, a obra seria com fechamento total da unidade, mas optamos por atender ao pedido dos moradores e, durante a reforma, parte da unidade permaneceu funcionando. Agora, estamos entregando uma obra magnífica, que simboliza o compromisso da FMS perante a comunidade”, ressalou Charles.

De acordo com Caroline Bastos, gerente de engenharia e arquitetura da FMS, a execução de obras de reformas é sempre um desafio, principalmente em prédios com mais de 30 anos de existência. “Estamos entregando essa estrutura de qualidade para a população no menor espaço de tempo possível. Esse é um grande feito da FMS”, conta.

Para Ricardo Campos, liderança comunitária da região sudeste, a reinauguração do hospital do Dirceu é motivo de festa. “A gestão está de parabéns porque atendeu o clamor da comunidade e reformou esse grande hospital. O que estamos vendo aqui é a renovação completa da estrutura e dos equipamentos. Isso trará mais qualidade no atendimento da população do grande Dirceu”.

A vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde, Adalgisa Costa, relembra que, na década de 80, participou da inauguração do hospital. “Foi uma conquista da comunidade ter esse hospital reformado e é prova que a gestão cumpriu com a palavra. O CMS atuou em parceria com a FMS e cobrou melhorias. Agora, o hospital tem essa estrutura belíssima”, afirma.

Antônia do Itararé, que é moradora da região sudeste há 39 anos, ressaltou que sempre participou ativamente das buscas por melhorias para o grande Dirceu e que está satisfeita com o novo hospital. “Vi de perto de que o hospital está muito bonito, coisa de primeiro mundo. Só tenho a agradecer a todos que colaboraram com essa grande obra que irá beneficiar a população”, finaliza.

Prefeitura entrega reforma do Hospital do Dirceu nesta segunda (09)

A população da zona Sudeste recebe nesta segunda-feira (09) um hospital modernizado e pronto para atender as demandas da região. É quando será entregue, a partir das 18h30, a reforma do Hospital Alberto Neto, do bairro Dirceu II. A estrutura recebeu um investimento de R$ 2.103.182,77, oriundos de recursos federais e próprios da Prefeitura de Teresina.

A nova estrutura tem uma área total de 2360,93 m². Contará com duas recepções, quatro banheiros, sala de registro, sala de serviço social, sala de acolhimento, sala para sutura, sala de preparo, dois consultórios odontológicos, sala de reanimação, inalação, nove consultórios médicos, sala de medicamentos, farmácia, sala de observação, centro cirúrgico (incluindo duas salas cirúrgicas), repousos médicos, raio-X, ultrassom, nove enfermarias, sala de nutrição, cozinha, refeitório e área da administração.

Segundo o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Charles Silveira, o objetivo da reforma do Hospital do Dirceu foi melhorar a estrutura física do estabelecimento. “Com a conclusão da obra, os usuários serão beneficiados com os serviços em um prédio novo e adequado à legislação atual”, diz. O presidente da FMS ressaltou ainda que estas melhorias vêm para cumprir os principais objetivos da saúde pública, que são acolher, receber, tratar a dar dignidade às pessoas que precisam de seus serviços.

O Hospital do Dirceu é uma unidade de média complexidade, composta de regime de atendimento de urgência – nas áreas de pediatria, clínica médica e cirurgia geral – e ambulatorial – com atendimentos de ginecologia, reumatologia, cardiologia, ortopedia, psiquiatria, psicologia, nutrição, pediatria e clínica médica.

A unidade possui um total de 53 leitos para internação, dos quais 15 são para clínica cirúrgica, 24 leitos de clínica médica, seis leitos de clínica pediátrica, além de um leito de isolamento e sete de observação. Já na área de exames, o hospital disponibiliza procedimentos como aerosol, eletrocardiograma, procedimentos odontológicos, raio-x e ultrassonografia.

“Quando inauguramos uma obra, estamos querendo dar à população de Teresina nosso testemunho de trabalho, compromisso e efetividade nas ações de políticas públicas na saúde”, disse Charles Silveira. “Queremos que nossos usuários sejam sempre bem acolhidos, por isso a FMS cuida da Atenção Básica em Saúde, Atenção Hospitalar e Saúde Mental. Nosso objetivo é estar presente em cada quadrante da cidade”, finaliza o presidente da FMS.

 

Obra do Hospital do Dirceu deve ser concluída ainda este ano

O Hospital do Dirceu, localizado na zona sudeste da cidade, passa por reforma para melhoria de sua estrutura física e qualificação do atendimento ofertado aos usuários. Nesta sexta-feira (08) o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Charles Silveira, acompanhado da equipe de engenharia do órgão, realizou visita à obra da unidade, prevista para ser concluída até dezembro de 2019.

Com a conclusão da reforma do Hospital do Dirceu, o prédio será adequado às atuais normas do Ministério da Saúde. “Vamos melhorar o ambiente do local, para melhor atender e acolher os pacientes. Essa reforma é motivo de alegria e uma necessidade da cidade, que atenderemos cumprindo os compromissos assumidos pela FMS perante a comunidade”, afirmou Charles Silveira.

De acordo com Caroline Bastos, gerente de engenharia e arquitetura da FMS, a execução de obras de reformas é sempre um desafio, principalmente em prédios com mais de 30 anos de existência. “Estamos prezando pelo cumprimento dos prazos e fazendo todo o esforço possível para entregar um novo hospital como a população merece”, destacou.

O Hospital do Dirceu será capacitado para atender urgências clínicas, pediátricas e cirúrgicas. Também haverá oferta de exames, setor de internação e atendimento ambulatorial em nove especialidades. “O prédio tem 38 anos e precisava muito passar por essa reforma. A população clamava por isso e a Prefeitura foi sensível a esta situação. Agora só temos a agradecer aos gestores que viabilizaram a obra”, finalizou a diretora da unidade, Walnecy de Oliveira.

 

Sistema de Regulação Hospitalar faz mais de 35 mil atendimentos em dois anos

Ascom/FMS

Utilizando a tecnologia para modernizar os atendimentos à população, o Sistema de Regulação Hospitalar da Fundação Municipal de Saúde (FMS) completou dois anos e já atingiu a marca de 35.806 ocorrências. São autorizações para internações hospitalares e transferências de pacientes de um hospital a outro. Agora, é tudo feito de forma online e coordenado por médicos reguladores que atuam 24 horas por dia.

“Tudo é feito com base em critérios técnicos. O sistema de regulação deu agilidade, eficiência e transparência ao trabalho”, ressalta o presidente da FMS, Charles Silveira. “Diariamente estamos avançando nos processos de trabalho e fluxos regulatórios em nossa cidade para beneficiar os usuários que nos procuram”, completou.

A diretora de regulação da FMS, Vitória Urbano, relembra que, antes, quando havia necessidade de transferência de um paciente, os médicos dos hospitais de origem e de destino se comunicavam por telefone. “Agora, contamos com médicos reguladores, enfermeiros e ambulâncias específicas para organizar as transferências e todo o processo de solicitação”.

Já nos casos em que o paciente precisa permanecer internado no hospital, o médico deve formalizar pedido de autorização de internação ao SUS. “Antes, havia a necessidade de se preencher um laudo de papel e encaminhava ao SUS. Se tivesse inconsistência, retornava ao hospital, processo que durava dias. Hoje, tudo está mais ágil”, explica Vitória.

De acordo com Juracilia Jericó, gerente de regulação hospitalar da FMS, o sistema de regulação facilitou o acesso das pessoas aos serviços de saúde e contribuiu para a organização da demanda existente. “O paciente passou a transitar no sistema de saúde de forma regulada e tudo isso provocou a organização da rede hospitalar. A rede de saúde de Teresina tem hospitais com perfis assistenciais bem definidos e a população sai beneficiada”.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) vem fazendo novos investimentos para melhorar o serviço. Recentemente, foi ampliada a frota de ambulâncias para transferências de pacientes com quadros de saúde estáveis, passando de quatro para sete veículos. A equipe da Central de Regulação também já conta com um espaço próprio.

Hospital e Maternidade do Buenos Aires desligam energia para manutenção de subestação

A direção do Hospital e da Maternidade do Buenos Aires, localizados na zona Norte de Teresina, comunica que amanhã (18), por volta de 9horas, irá desligar a energia elétrica para realizar manutenção preventiva da subestação, localizada nas dependências das unidades. A previsão é de que até uma hora o procedimento seja realizado e a energia restabelecida.

“Como a manutenção é programada, os pacientes não serão prejudicados pela interrupção temporária de energia”, explica Rosélia Sena, diretora geral do Hospital do Buenos Aires.

Durante o desligamento, os atendimentos de urgência continuarão sendo realizados. A área da Unidade de Cuidados Intermediários também estará funcionando, já que os leitos contam com equipamentos que dispõem de baterias.

Devido à manutenção, as enfermarias e a área administrativa do Hospital e da Maternidade do Buenos Aires irão permanecer sem energia.