Hospital do Promorar promove concurso educativo sobre higienização das mãos

Ascom/FMS

A higienização das mãos é uma medida simples que pode evitar diversas doenças. Com o intuito de conscientizar os profissionais de saúde sobre a importância da medida, o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) do Hospital e UPA do Promorar promoveu um concurso cuja premiação foi hoje (21) durante as atividades da Semana de Enfermagem do local.

A Semana de Enfermagem do Hospital do Promorar  iniciou ontem (20) com atividades relaxantes para os profissionais de Enfermagem (enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem) e contou hoje (21) com uma palestra sobre Segurança do Paciente. O objetivo é sensibilizar para o processo de melhoria na qualidade do cuidado da saúde, a partir da gestão de risco e incidentes no serviço, qualificando os profissionais para investigar e minimizar estes problemas, promovendo assim uma maior segurança do paciente que venha a ser atendido nos hospitais.

Como explica a coordenadora do NSP, Raquel Rodrigues, a ação é a conclusão de uma série de treinamentos in loco em cada setor do hospital, orientando cada profissional sobre as técnicas adequadas de higienização das mãos. “Podemos evitar a maior parte das infecções hospitalares relacionadas à assistência com essa medida aparentemente simples, que é a higienização adequada”, disse. “Para contribuir e colaborar com isso a gente estimulou os profissionais a fazerem um vídeo sobre o tema valendo uma quantia simbólica como prêmio e aberta a todos os profissionais”, afirmou a enfermeira.

A vencedora do concurso foi a técnica de Enfermagem Raíza Silva, que produziu uma paródia descontraída com letra educativa. “Eu me surpreendi com essa temática e pensei ‘se é para fazer bem feito, vamos divulgar de uma maneira impactante’, então, pensei em uma forma que chamasse atenção das pessoas e de uma maneira que também fixasse na mente”, relatou.

“A higienização das mãos, que pode ser dividida em fricção com o álcool ou lavagem, é de extrema importância no serviço de saúde e fora, e previne tanto a infecção do paciente como a do profissional, que seria a infecção cruzada. E com essa campanha podemos disseminar a ideia”, comentou Raíza Silva.

É função do Núcleo de Segurança do Paciente promover a articulação dos processos de trabalho e das informações que impactem nos riscos ao paciente, além de articular com diferentes áreas intrahospitalares que trabalhem com riscos na instituição de saúde, considerando o paciente como sujeito e objetivo final do cuidado em saúde. O paciente precisa estar seguro, independente do processo de cuidado a que ele está submetido.

Hospital da Primavera abre serviço de farmácia clínica

Em uma iniciativa para promover o uso consciente de medicamentos, o Hospital da Primavera inaugurou esta semana o Serviço de Farmácia Clínica, um consultório voltado para orientação e dispensação de medicamentos aos pacientes do hospital.

O serviço funciona de segunda à sexta, das 8h às 14h, e é realizado em parceria com a Universidade Federal do Piauí (UFPI). “Neste primeiro momento estamos atendendo a dois públicos: os pacientes atendidos na urgência com prescrição de antibióticos e também os pacientes que recebem alta”, conta Caroline Soares, farmacêutica do Hospital da Primavera. Ela explica que nestes dois casos, conforme portaria municipal, os medicamentos devem ser entregues pela farmácia do hospital, então a ideia é aproveitar o momento para dar orientações sobre o uso racional destes medicamentos.

As orientações consistem em informações sobre o medicamento prescrito, seus benefícios e como deve ser tomado. “Entregamos um folheto informativo explicando para que serve esse medicamento que ele está usando, a importância, o horário certo que ele vai tomar e por quantos dias”, explica a farmacêutica. Juntos, eles preenchem uma tabela com os horários e doses, de forma a facilitar a administração em casa. O paciente ainda é convidado a voltar ao consultório caso surja alguma dúvida.

Raimundo Marques recebeu alta depois de 11 dias de internação no Hospital da Primavera. Orientado pela médica, ele procurou o consultório farmacêutico para receber os antibióticos e dar continuidade ao tratamento de sua infecção na perna. “Eu não conhecia esse serviço e achei muito bom, porque tomo muitos remédios e ela me ajudou a me organizar”, disse o senhor de 63 anos.

Caroline Soares explica que a dispensação dos medicamentos é feita em doses exatas, em acordo com determinações em portaria municipal: os antibióticos são entregues em quantidade suficiente para o tratamento completo; medicamentos de uso contínuo são entregues em quantidade para dez dias de tratamento e medicamentos de dor e febre suficientes para três dias. “É o tempo que ele volta para sua UBS de referência e dá continuidade ao tratamento por lá”, explica.