Lar da Fraternidade está há 15 dias sem registro de novas internações

A unidade de acolhimento emergencial “Lar da Fraternidade”, destinada para o atendimento de idosos com casos leves de Covid-19 oriundos das Instituições de Longa Permanência de Teresina, não registrou novas internações nos últimos quinze dias. Na semana passada, 33 idosos tiveram alta médica, pois estão curados e já retornaram às instituições de origem. Em funcionamento desde 10 de agosto, 21 mulheres e 21 homens com idades entre 64 e 91 anos foram atendidos, onde receberam tratamento e cumpriram o isolamento social adequadamente.

“Recebemos esta informação com muita alegria. É bom saber que estes idosos estão bem, que puderam receber o tratamento adequado e estão recuperados. Nós da Semcaspi e FMS estamos otimistas, mas ainda vigilantes”, disse a secretária municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Janaína Carvalho.

O relatório da instituição apresenta a quantidade de pessoas atendidas semanalmente. Na quarta semana, as admissões subiram de 34 para 42 pessoaa e, agora, na quinta semana não houve registros de idosos positivados. Dados mais recentes da Pesquisa de Investigação Sorológica da Prefeitura de Teresina mostraram que o número de pessoas infectadas pelo coronavírus vem reduzindo gradativamente na capital.

A coordenadora do Lar da Fraternidade, Mara Beatriz Andrade, destaca que a instituição vem cumprindo com a finalidade de acolher e tratar os idosos positivados dos abrigos. “O apoio da equipe de técnicos e enfermeiros da Fundação Municipal de Saúde foi essencial. Eles estiveram em avaliação e acompanhamento constante com os idosos. Todos os acolhidos puderam ser bem assistidos tanto pela equipe de saúde quanto pelos cuidadores e outros funcionários que somam para a execução desse trabalho”, disse.

Lar da Fraternidade recebe 35 idosos nos primeiros 15 dias de atendimento

Ascom/Semcaspi

A Unidade de Acolhimento Emergencial do Lar da Fraternidade recebeu nesses primeiros 15 dias de atendimento, 35 idosos que residiam em outras Instituições de Longa Permanência (ILP) da rede socioassistencial de Teresina e foram positivados para a Covid-19. A instituição está acolhendo aqueles que apresentarem sintomas leves ou são assintomáticos para a doença e não necessitam de internação hospitalar.

De acordo com os dados da instituição, 24 permanecem na Unidade em isolamento, 10 foram transferidos para hospitais especializados, um recebeu alta e retornou para o abrigo de origem.

A coordenadora do Lar da Fraternidade, Mara Beatriz, explicou que o funcionamento do espaço está dentro da capacidade programada e que as equipes estão fazendo o monitoramento diário do estado de saúde dos pacientes para que tenha o atendimento rápido e necessário.

“Já estamos com 15 dias de funcionamento. O objetivo do espaço é oferecer um isolamento seguro e que consiga evitar novos contágios nessas unidades. Os pacientes estão sendo monitorados diariamente pelas equipes. Estamos em contato com os abrigos de cada paciente repassando as informações do estado de saúde e as medidas que estão sendo tomadas com cada assistido. Nosso desejo não era que o número fosse alto, mas estamos fazendo o máximo possível para que haja todo o cuidado e que eles retornem recuperados para seus lugares de origem”, disse a coordenadora.

O espaço conta com a capacidade de 25 leitos, equipe formada por enfermeiras, técnicos de enfermagem e está sendo gerenciado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) que se responsabiliza pelo fornecimento de alimentação, produtos de higiene e limpeza e pelo encaminhamento de cuidadores, que fazem o acompanhamento dos idosos em suas atividades diárias e tratamento.

Os impactos psicológicos tanto do diagnóstico positivo como do isolamento também serão objetos da atenção desses colaboradores. A permanência dos idosos no Lar da Fraternidade será de, no máximo, 14 dias ou de acordo com avaliação da equipe de saúde.

 

 

Lar da Fraternidade começa a receber idosos positivados por Covid-19

A Unidade de Acolhimento Emergencial do Lar da Fraternidade começa a receber, a partir de hoje (11), idosos que residiam em outras Instituições de Longa Permanência (ILP) da rede socioassistencial de Teresina e foram positivados para o Covid-19.  O objetivo é oferecer um isolamento seguro e confortável, necessário para que se evitem novos contágios nessas unidades.

O espaço conta com 25 leitos, equipe formada por enfermeiras, técnicos de enfermagem e cuidadores e será gerenciado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). “Já estamos com o serviço à disposição da sociedade e já temos a previsão de receber três idosos nesse primeiro dia. Os nossos leitos são 25, mas não desejamos preenchê-los e torcemos para que nossos idosos não se contaminem”, informa Mara Beatriz, coordenadora do Lar da Fraternidade dentro de seu novo eixo de atuação.

O idoso referenciado tem de ser assintomático ou possuir sintomas leves, não sendo necessária nenhuma intervenção médica mais agressiva.  Essa condição será reavaliada pela equipe de saúde a cada três horas, de forma criteriosa, de forma que se identifique rapidamente qualquer evolução súbita.  Se observada, é realizado um encaminhamento para a rede hospitalar. “A rede municipal em sí, é interligada e muito organizada”, explica Ana Maria Almeida, enfermeira à frente da equipe. “Com a criação do Lar, tendo esse apoio, serão vários braços dentro da própria Fundação Municipal de Saúde que podemos contar”, afirma.

A FMS vem fazendo parte da articulação desde o seu início, tendo cedido o espaço, que a princípio receberia um hospital de campanha, e garantindo todos os profissionais do Serviço de Atenção Básica. A Semcaspi se responsabiliza pelo fornecimento de alimentação, produtos de higiene e limpeza e pelo encaminhamento de cuidadores, que farão o acompanhamento dos idosos em suas atividades diárias e tratamento. Os impactos psicológicos tanto do diagnóstico positivo como do isolamento também serão objetos da atenção desses colaboradores.

“É feita toda uma elaboração da assistência da enfermagem para abranger tanto a parte psicológica quanto a parte clínica, e reduzir as sequelas. O idoso já vem de um isolamento de quase quatro meses, já que os abrigos não estão podendo receber visitas. Vamos tentar equilibrar tanto sua saúde, quanto seu emocional, para que possamos devolvê-lo, após os 14 dias, com o mínimo de sequelas psicossociais possíveis”, ressalta Ana Maria.

 

Lar da Fraternidade será aberto na segunda para receber idosos em tratamento para Covid-19

A Prefeitura de Teresina vai abrir, na próxima segunda-feira, dia 10, a Unidade de Acolhimento Emergencial Lar da Fraternidade. A instituição vai receber idosos de outros abrigos que estejam em tratamento para a Covid-19, que apresentem sintomas leves ou são assintomáticos para a doença e não necessitam de internação hospitalar. O objetivo é oferecer maior segurança aos acolhidos.

A Secretaria de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) vem realizando o monitoramento constante das instituições de acolhimento em articulação com a Fundação Municipal de Saúde (FMS). De acordo com o último registro, 14 acolhidos foram diagnosticados com coronavírus. Desse total, 10 idosos já estão recuperados, três vieram a óbito e, atualmente, um está estável em isolamento.

O novo espaço tem capacidade de atender até 25 pessoas e será utilizado exclusivamente para o isolamento social dos positivados. Segundo a gerente de Proteção Social Especial da Semcaspi, Mayra Veloso, a permanência dos idosos no Lar da Fraternidade será de, no máximo, 14 dias ou de acordo com avaliação da equipe de saúde. Aqueles que apresentam sintomas graves serão encaminhados à rede municipal de saúde.

“Após a recuperação, a pessoa idosa retornará para a Instituição de Longa Permanência de origem. O protocolo de atendimento que será seguido no Lar da Fraternidade é o mesmo para qualquer pessoa que esteja com Covid-19, com sintomas leves ou assintomáticos e que não precisam de internação hospitalar, mas sim de isolamento social. Dessa forma, a Secretaria visa garantir a segurança aos demais idosos das instituições, a fim de evitar a propagação do vírus ao público vulnerável que vive nestes ambientes coletivos”, afirma.

O local, onde inicialmente funcionaria um hospital de campanha, foi cedido pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). A Fundação também irá garantir todos os profissionais do Serviço de Atenção Básica necessários, como técnicos de enfermagem, que vão acompanhar integralmente os acolhidos do Lar da Fraternidade. A Semcaspi é responsável pelo gerenciamento da unidade, fornecimento de alimentação, produtos de higiene e limpeza e também encaminhará cuidadores, que farão o acompanhamento dos idosos em suas atividades diárias e tratamento.

“No sábado, os profissionais que vão trabalhar na nova unidade participarão de uma capacitação com a equipe da Fundação Municipal de Saúde, para receber todas as informações de como será o protocolo de atendimento desse público”, explicou a secretária da Semcaspi, Janaína Carvalho.

Centros de Convivência para Idosos promovem festas juninas virtuais

Ascom/Semcaspi

Durante todo o mês de junho os centros de convivência e fortalecimento de vínculos para pessoas idosas realizaram atividades virtuais com temáticas em alusão às tradições juninas. Com direito a cenário, música e muita animação típica da cultura nordestina, a programação dos arraiás virtuais teve início ontem (29) com a festa do Centro de Convivência Jatobá, continua hoje no Centro Social Padre Arrupe e Centro de Convivência Integrar e finaliza amanhã (01) no Pe. Humberto Pietrogrande

A iniciativa tem o objetivo de manter a interação entre idosos e funcionários e, também, amenizar as tensões do momento provocadas pelo distanciamento social. As instituições suspenderam as atividades presenciais ainda no início da pandemia, mas mantiveram acompanhamento dos idosos à distância.

A programação dos arraiás virtuais teve início ontem (29) com a festa do Centro de Convivência Jatobá. “Foi uma experiência maravilhosa, que aproximou a família, contribuiu com o convívio familiar nesse momento de isolamento. Vimos muitos idosos sendo auxiliados pelos netos e filhos para o uso das plataformas de comunicação, como fizemos pelo Google Meet, ou na decoração e preparação da festa junina na casa deles, com o que tinha para tornar o ambiente mais acolhedor para participar da nossa festa junina. Nos alegrou muito a experiência, foi bastante positivo. Tivemos a participação de todos à caráter, em casa, em seus núcleos familiares”, disse a coordenadora do Centro de Convivência Jatobá, Stephanie Santos.

As atividades continuam nesta terça-feira (30) com mais duas atrações. A partir das 15h o Centro Social Padre Arrupe estará ao vivo no Youtube e Facebook. Logo em seguida, a animação ficará por conta do Centro de Convivência Integrar que fará transmissão pelo Instagram (@scfvintegrar), com início às 17h. Na quarta-feira (01), o C.C. Pe. Humberto Pietrogrande também vai comemorar a festa junina às 11h.

Serviços de convivência promovem atividades virtuais em alusão ao Junho Violeta

Ascom/ Semcaspi

Neste período em que é celebrado o Junho Violeta, as atividades dos centros do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) para a pessoa idosa têm sido voltadas para a temática da violência contra idosos. A campanha em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra o Idoso, celebrado em 15 de junho, tem como objetivo conscientizar e mobilizar a sociedade sobre a importância do respeito e proteção da pessoa idosa.

“Esse é um momento em que nós precisamos trabalhar cada vez mais conceitos e valores em sociedade, para que desde criança a adulto, a pessoa idosa seja reconhecida na sua condição humana em respeito à dignidade e seus direitos sociais”, destaca Janaína Carvalho, secretária municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Como fazem parte do principal grupo de risco da Covid-19, os idosos estão em casa. Mas, mesmo à distância, eles continuam sendo acompanhados pelas instituições da rede socioassistencial do município de Teresina. As atividades estão sendo feitas remotamente de forma virtual e são voltadas para a manutenção dos cuidados e o entretenimento.

A coordenadora do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos “Jatobá” (SCFV), Stephanie Santos, alerta que a violência contra idosos tem várias faces. “A violência que pode acontecer não é somente física, mas também psicológica, patrimonial, sexual ou abandono e negligência. O que dificulta muito na identificação da violência é que o agressor, geralmente, é uma pessoa que detém de confiança e poder sobre a pessoa idosa, como cuidadores e familiares no geral; o que dificulta muito que o idoso denuncie. Por isso, é preciso eles estejam conscientes de seus direitos e de como procurar ajuda”, disse.

Pensando nisso, o projeto “Violetas contra a Violência” foi desenvolvido pela equipe técnica do centro em alusão à campanha do Junho Violeta. As atividades têm sido realizadas através do contato remoto pelo aplicativo do WhatsApp. “O nosso objetivo com o Violetas contra a Violência é a conscientização e a prevenção. Nesse período de pandemia e isolamento social, a pessoa idosa como grupo de risco não pode sair de casa, contudo, ela necessita ainda mais do suporte familiar, por isso, buscamos alertar para a prevenção do abandono e da negligência com a pessoa idosa e também orientamos para que essa convivência com a família seja de respeito e cuidado”, afirma.

Entre as atividades de conscientização, também está um bate-papo com o tema “Violência contra a pessoa idosa: não se omita, denuncie antes que ela chegue!” promovido pelo Centro Social Padre Arrupe, que aconteceu na tarde desta segunda-feira pelo aplicativo zoom. O coordenador geral da instituição, Patrício de Sousa, afirma que os principais focos da ação é atingir diretamente idosos e famílias.

“O nosso objetivo com este bate-papo é a prevenção. A ideia é falar sobre os cuidados necessários para o próprio idoso possa não ficar silenciado e também chamar atenção da sociedade como um todo. Estamos discutindo com a família, convidando-as a participarem para envolvê-las nessa discussão porque é importante a gente ter essa rede de proteção à pessoa idosa”, disse.

Além dos serviços de convivência e instituições de acolhimento, Teresina conta com o Conselho Municipal dos Direitos dos Idosos (CMDI) que atua de forma indispensável para garantia e fiscalização de direitos. Para denunciar caso de maus-tratos contra idosos disque 100 ou entre em contato com a delegacia do idoso do município pelo número (86) 3216-5251.

Abrigos de idosos recebem alimentos arrecadados por grupo musical

Seis abrigos de idosos da capital receberam, durante a terceira semana de maio, alimentos não perecíveis arrecadados durante uma live da banda Xenhenhem. Primeiramente, o material foi encaminhado pelo grupo à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), que dividiu as doações, totalizadas em 20 Kg de açúcar, 1 de fardo de massa de milho e 40 Kg de arroz, entre as unidades.

Receberam os materiais o Abrigo de Idosos Manain, Casa Frederico Ozanam, Fundação Abrigo São Lucas, Casa São José, Lar D’ Santana e Lar das Flores de Maria. Visitas de monitoramento vêm sendo realizadas semanalmente nestes locais, pela equipe técnica da Semcaspi, para realização de um levantamento das suas necessidades específicas.  Representantes dos abrigos se dirigiram ao almoxarifado da Secretaria, no dia de sua disponibilidade, para recebimento dos kits de alimentos.

A ação se junta aos reforços sanitários disponibilizados na primeira semana de maio. As seis unidades receberam kit de EPIs contendo 200 máscaras e luvas, 10 litros de água sanitária e sabonete líquido e cinco litros de álcool em gel. Desde o início da quarentena, as unidades vêm adotando medidas de segurança e de isolamento a fim de evitar o contágio pela Covid-19: as visitas estão suspensas e todos os idosos vacinados.

“Cada casa-lar que possui o município de Teresina abriga segmentos importantes da nossa sociedade: idosos, pessoas com deficiências, crianças. O esforço que a Prefeitura tem realizado, para que o Coronavírus não chegue a esses abrigos é gigantesco, desde o cuidado com os servidores ao acompanhamento e fornecimento constante de equipamentos de proteção individual”, explicou o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

Semcaspi reforça distribuição de materiais de higiene, limpeza e alimentação a seis abrigos de idosos

Seis abrigos de idosos em Teresina receberam, através da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), reforço de materiais de higiene, limpeza, itens de alimentação e equipamentos de proteção individual (EPIs). A ação tem como objetivo garantir que as necessidades dos idosos sigam integralmente atendidas, considerando a diminuição de doações devido a pandemia do novo coronavírus.

“A Semcaspi naturalmente cuida e abriga idosos. Nesse momento de pandemia, esse reforço é alargado. Estamos convictos que cuidar dos idosos é responsabilidade social em frente desse momento, que tanto nos aflige”, ressaltou o secretário Samuel Silveira. Três dos abrigos atendidos também receberam, recentemente, apoio de 100 mil reais, através de Termos de Fomento.

Foram contemplados com as doações o Abrigo de Idosos Manain, Casa Frederico Ozanam, Fundação Abrigo São Lucas, Casa São José, Lar D’ Santana e Lar das Flores de Maria. Em visita a estes locais, a equipe técnica realizou levantamento das necessidades específicas de cada espaço. Além destas, todos receberam mais um kit de EPIs contendo 200 máscaras e luvas, 10 litros de água sanitária e sabonete líquido e cinco litros de álcool em gel.

“Em conformidade às orientações oficiais da Fundação Municipal de Saúde no enfrentamento da pandemia, a Semcaspi tem feito, junto às casas de acolhimento para idosos, esse acompanhamento. Semanalmente, nós faremos o monitoramento, o apoio e a identificação de casos suspeitos e outras necessidades. Nesse primeiro momento, encaminhamos esses materiais para a realização dessas ações de prevenção”, explicou Franciana Beleense, profissional da Gerência de Proteção Social Especial (GPSE) da Semcaspi.

Outro diagnóstico das demandas desses abrigos deve acontecer nesta sexta (15), para continuação do apoio. Entre as necessidades mais expressadas no último documento base, estão as fraldas geriátricas e os materiais de limpeza. Atrelado a esse apoio, está também o encaminhamento de profissionais da saúde para checagem mais frequente dos espaços e dos idosos atendidos.

Desde o início da quarentena, as unidades vêm adotando medidas de segurança sanitárias e de isolamento a fim de evitar o contágio pela Covid-19: as visitas estão suspensas e todos os idosos vacinados. Além disso, as equipes vêm tendo sua atuação redesenhada, seja através do rodízio de profissionais ou da garantia de um transporte isolado e exclusivo, para deslocamento entre a residência e o local de trabalho.

“É preciso dizer que, até o momento, não temos nenhum caso suspeito ou confirmado de pessoas acolhidas nestas casas, nem mesmo da equipe técnica. Continuaremos a postos para que essa situação seja finalizada e todos permaneçam com saúde!”, destacou Franciana.